WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Compartilhe
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 23/8/2016, 15:25

    1 de Setembro, 2005, 00:30


    Vós remava e remava pela grande infinidade de pântanos que existiam nas orlas da cidade. Por mais viva e aterrorizante que aquela flora e fauna fossem, sua mente se postergava nos eventos da cabana. O rosto antigo e morto da sacerdotisa e aquele risada profunda. "Uma pena, lhe oferecia algo absolutamente decente para lhe tê-la presa, mas não se acanhe, não tomo almas à força, nunca. Entretanto quando vós precisar mesmo, sempre poderá vender sua alma à mim". Aquelas palavras ainda lhe aterrorizariam por muito tempo.

    Felizmente o final do encontro na casa foi mais didático que outra coisa. A primeira parte foi uma grande lição sobre um complicadíssimo ritual necromântico chamado Posse Fantasmagórica. Os detalhes iam acima de sua compreensão. Entretanto pelo seu elo com Agué, o ritual funcionava de forma mais fácil para ti. Afinal vós já havia invocado o arco de caça uma vez, e para conseguir fazer isso ao seu bel prazer bastava apenas talhar um arco de madeira, o qual sempre iria se desmaterializar e ser trocado pelo do guerreiro africano da caça. Bastava agora apenas talhar tal material.

    Outros lecionamentos da antiga foram sobre o controle de respiração de um cainita para a caçada. A mesma também explicou mais sobre as novas condições de suas presas inferiores. Como também explicou da capacidade de captação de almas da moringa. E finalmente deixou sua casa aberta para qualquer Gata que trouxesse um espírito domado ou estivesse apta à serviços em troca de sabedora. Fazendo assim que aquela visita tivesse sido muito proveitosa. Mesmo com a terrível sensação de uma criatura obscura lhe espreitando por mais de uma milha após você ter saído da cabana.

    Finalmente sua jornada lhe levava para longe dos alagadiços do oeste. Por um longo canal artificial beirando a cidade, sua canoa adentrou os pântanos do norte. A sensação de paz durou muito pouco. Sua besta se mostrava mais uma vez incomodada. Não era medo que ela sentia dessa vez, apenas uma irritação mesmo. O clima parecia menos hostil que o anterior e menos escuro também. Só que seus sentidos ocultistas lhe apontavam a presença de almas. Muitas almas penadas nas proximidades. Podia-se vê-las andando por entre as árvores à distância. Por mais que a visão sumisse instantes depois. Todas pareciam estar indo na mesma direção. Só que não era para onde você ia.

    O mapa de couro finalmente apontou seu paradeiro final. A chuva permanecia atrapalhando sua visão, mas era possível identificar a chegada. A escuridão era forte, se não fosse por algumas tochas protegidas por palhas à distância. espelhada por entre as grandes árvores verdes de musgo. O que permitia que vós visse o ponto de chegada. Era um grande cemitério abandonado no meio do pântano. Túmulos tomados por era e pelo tempo. Não havia nenhuma cabana ali. Apenas o fim de sua jornada. E seria deveras o fim da jornada, pois pelo tardar da hora, não haveria tempo para regressar à cidade.

    Cemitério:



    Última edição por King Narrador em 14/11/2016, 01:13, editado 1 vez(es)
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 23/8/2016, 17:09

    O pântano a sua volta, ele já não era mais ameaçador embora a presença continuasse a segui-la, isso fazia com que a besta e a cainita se mantivessem em alerta. Com dificuldade Aibellee repassava os ensinamentos em sua mente, relembrando cada detalhe e palavra dita.

    Quando a presença sumiu a negra não pode deixar de encarar os domínios de Sarafina por algum tempo, ali de pé em sua jangada Aibellee forçava a pequena embarcação permanecer parada enquanto a mesma o fazia.

    “ A oferta dela... Como ela acha que eu venderia minha alma... Depois da morte é tudo que temos, seria estranho se eu não me agarrasse a ela com força... Sarafina é perigosamente esperta, e vai esperar o melhor momento para tirar proveito das coisas... É bom deixar isso avisado a Tayanita ou qualquer gata que aqui se arrisque...”

    Olhando de relance para a moringa Aibellee sorriu, havia ganhado muito mais conhecimento e deveres naquela noite, mas a mesma estava longe de terminar muito menos seus deveres de se concluírem. Voltando a remar a cainita murmurava consigo mesma os preparativos de cada ritual e feitiço aprendido naquela noite.

    Aibellee demorou a descer da jangada quando chegou no cemitério, sabia que havia chegado ao ponto de destino mas o local não lhe animava em nada, principalmente quando no caminho seus olhos se depararam com espíritos.

    “Um mal sinal?! Não dá pra ter certeza com toda essa chuva caindo sobre a cidade... Mas espero que não seja nada relacionado aos Giovannis... Isso seria um problema para as gatas...”

    Puxando a canoa mais para cima da terra Aibellee adentrou o cemitério, com cuidado esta fez com que os olhos de sua besta se manifestassem enquanto caminhava a procura da próxima Mestre Voodoo.

    Off: Gasto 1 ponto de sangue e ativo Olhos da Besta.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 26/8/2016, 15:25

    A visão corroída pela pressão de seu sangue aos olhos trazia foco para a imagem que vós via. O mundo molhado e morto ao redor pareceu fazer mais sentido, mesmo que na penumbra profunda ao qual estava. Era possível notar agora que havia muitos focos de luz numa clareira a frente. Junto com o fato daquele cemitério estar infestado de covas rasas. Muitas recém abertas e outras recém fechadas. Muitas poças d'água entre aquelas ruínas de tumbas quebradas e eras que tomavam todo os cantos. Com uma ou duas criptas abandonadas ao redor.

    Esta região não parecia mais haver fantasmas. Ou seja o que aquelas auras que vistes a distância fossem. Aquelas pessoas translúcidas caminhando e vagando para o norte. A sensação da presença de algo sobrenatural ainda era forte, mas diferente. Mais aterradora. Similar à na cabana de mais cedo. Entre aqueles pilares de mármore havia algo profano que lhe incomodava. Fazia seu estômago lhe dar vontade de expelir a última refeição, aquele coração de jacaré. Era uma presença forte e intimidador. A qual não demorou para aparecer. Estava claramamente vindo da clareira a frente para lhe receber.

    Era uma mulher. Ou fora uma. Seu corpo estava todo carcomido. Não havia maxilar e sua epiderme estava totalmente desbotada e estragada. Seu inexistente nariz revelava um buraco. Manchas negras no meio da palidez. Seu crânio aparecia se revelava, junto de alguns ossos em certos pontos de seu corpo. Felizmente a maior parte da mesma estava coberta. A roupa era bonita, ou pelo menos fora em tempos de outrora. Era algo de tempos vitorianos. Em tom roxo ou azulado, impreciso de se avaliar com tanto desbotamento. Havia muitos detalhes em prata, por mais que todo o vestido estava sujo e tomado por traças. O elegante chapéu plumado também se mostrava profanado pelo tempo. Já os olhos da cainita era o que mais lhe assustavam. Eram olhos podres, mortos, sem foco algum. E mesmo assim era nítido que olhavam para você. A voz da mesma era fraca, quase inaudível.

    - Boa noite Sacerdotisa... Chegou na hora certa... Estava lhe esperando... Vamos...

    Maka Skull:

    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 27/8/2016, 22:15

    Os olhos negros de Aibellee ganharam o brilho amarelado dos olhos de sua besta, a besta sim enxergava tranquilamente na penumbra da noite, ajudando a cainita a enxergar em meio a pesada chuva que teimava em cair sem sessar.

    O cemitério em volta da negra parecia abandonado, se não fosse pelas covas rasas e terra remexida, aquele era um sinal claro de que ali era o território de alguém, as luzes mais a frente eram apenas a confirmação disso.

    “ Seria adequado fazer um ritual de boas-vindas... Pelo menos deixaria claro minhas intenções ao dono desse lugar...”

    A besta sentiu antes da cainita e se encolheu, Aibellee teria feito o mesmo diante do que se apresentou, porem se manteve de pé e parada. A visão daquela figura causou-lhe profundos arrepios, da clareira iluminada Aibellee viu a mulher, o tempo parecia ter deixado sua marca no corpo amaldiçoado assim como em suas roupas, os olhos da negra não conseguiram se conter notando cada detalhe desta.

    Os ossos amostras, a elegante roupa comida e gasta, as rendas arrebentadas pelo uso, o elegante chapéu com a pena negra arrebentada, cada detalhe pesava ainda mais sobre a figura fazendo com que Aibellee entendesse o medo de sua besta, as palavras da figura que um dia fora uma mulher fez com que a negra movesse o corpo com dureza. Dando um passo à frente Aibellee fez uma mensura a mesma, seus olhos procuraram a face sem nariz sem demonstrar os sentimentos que sentia.

    - Fico feliz em ouvir isso... Peço desculpas se por acaso demorei a chegar e se lhe deixei a esperar... Sou Aibellee, Doné de Agué... Imagino que saibas o porquê de minha presença aqui. Não?!
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 30/8/2016, 20:21

    A misteriosa mulher em forma de cadáver pútrido se virou de costas e fez uma menção com a mão para que você a acompanhasse. na medida que esta se direcionava para a clareira iluminada logo a frente. Vendo melhor era claro que aquele domínio não possuía nenhuma cabana. Não era identificável o lugar de descanso daquela Samedi, isso se a mesma vivesse ali. Foi no meio da curta caminhada, logo quando você se aproximou dela, que esta finalmente prosseguiu falando. Agora apenas olhando para frente. O que lhe aliviava em vários níveis. A voz da mesma morria de frase para frase, sempre havendo uma pequena pausa no meio. O pescoço negro da mesma revelava que a arte de falar não aparentava ser trivial.

    - Um emissário do Sabá me disse que uma sacerdotisa aprendiz viria aqui hoje em busca de conhecimento... O que me sai como uma situação ideal... Afinal preciso de uma assistente para um curto serviço... E a melhor forma de aprender é fazendo... Assim, você irá me ajudar com meu trabalho... poderá dormir aqui hoje depois de terminado... Apenas me acompanhe até os corpos, para podermos começar...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 31/8/2016, 10:25

    Ao simples chamado Aibellee se pôs a seguir a mulher, se aproximando ao ponto de andar ao seu lado a cainita prestava a atenção em suas palavras pausadas e a sua volta, a besta se mantinha em alerta mesmo que temesse a mulher ao seu lado.

    “Falar deve ser difícil pra ela! Não posso dizer se sua decomposição afetou ou não suas cordas vocais, mas se não ela deveria ter algum tipo de problema em se comunicar antes do abraço...”

    Acenando positivamente para a mesma Aibellee não sorriu como havia feito diante de Sarafina, a Mestra ao seu lado parecia ser muito mais pratica do que dada a pequenas trocas de elogios e palavras desnecessárias.

    - Diga-me em como posso ajuda-la e farei o que estiver ao meu alcance Senhora... Apenas peço um pouco de paciência e talvez uma instrução ou outra...

    Comentava a cainita enquanto andava ao lado da mesma.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 31/8/2016, 21:02

    Vocês duas logo chegaram na clareira iluminada. Cinco tochas dentro de totens esculpidos revelando desenhos ameríndios talhados na madeira. As imagens mostravam demônios dos contos nativos mais distintos. Muitas pinturas de máscaras estavam depositadas em árvores ao redor do recinto. Podia-se ver também alguns barris posicionados dentro de uma canos na parte aquática mais próximo de onde vocês estavam. Fora esses elementos, a luz revelava apenas o pântano ao longe, junto da murada destroçada e coberta de musgo do antigo cemitério ao qual vocês estavam. O importante, entretanto, estava no meio do círculo de luzes. Era uma cova rasa aberta e bastante grande. Cabendo dentro de si oito corpos lá depositados.

    Um frio na barriga logo lhe veio quando vós viu aquelas oito pessoas desacordadas, ou mortas ali dentro. Eram quatro homens e quatro mulheres. Dois negros, um com roupas formais e a barba bem feita. Já o outro com macacão de bombeiro e bastante musculoso. O seguinte era aparentemente um latino tatuado com vestes casuais e cabelo comprido junto de um bigode. O quarto era um caucasiano de pele rosada e vestes de fazendeiro. Uma das jovens era bastante nova, de pele albina, com sardas vermelhas que marcavam seu rosto. A outra parecia ser mexicana, cabelos em trança e vestes simples. Uma delas era uma negra com um belo afro junto de roupas médicas. A última tinha o cabelo ruivo encaracolado e vestia apenas um pijama. Todos os oito pareciam estar drenados.

    - Bom... Minha jovem... Acredito que este será seu primeiro de muitos rituais de criação... Mas antes de mais nada... Se não for mal educado de minha parte... Tens como me contar sobre seu ritual para o mundo eterno?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 31/8/2016, 23:02

    Ao lado da senhora daquele cemitério Aibellee observou a clareira, do fogo a cada pequeno detalhe, os totens de madeira, os desenhos encravados a toda volta da clareira, os demônios ali representados e a clara cultura ameríndia. Uma ilha de luz em meio ao tenebroso pântano que cercava o cemitério.

    Aibellee sentiu frio em suas costas quando seus olhos viram a cova rasa, engolindo em seco a negra de aproximou desta de abaixando-se em sua beirada. Segurando um torrão de terra a cainita deixou-se observar cada humano ali deitado, se estavam mortos ou não já não importava, logo apenas os mais fortes e aptos estariam inteiros.

    “Quantos deles vão sair dessa cova? De quantos ela precisa? Oito é um número grande... Bem grande...”

    A cainita olhou para a Samedi quando a mesma falou, não houve sorriso em sua face quando Aibellee se levantou, andando até a mesma a mais nova retirou a figura de Maneater entregando-a a mulher a sua frente.

    - Sou uma gata... Passei pelo ritual duas vezes... Mas acredito que queiras saber sobre o primeiro não?!

    Retirando o pesado casaco a cainita procurou um lugar onde pudesse deixa-lo, a mão tocou de leve o próprio ventre enquanto seus olhos se fechavam, as lembranças aos poucos retornavam a sua mente, o sacrifício, o corte dolorido feito em seu próprio ventre, a fome de sua besta e por fim o gosto da vingança.

    - Era uma noite sem lua... Eu... Eu tinha sido violentada... Queria minha honra tomada de volta, como eu não a teria usei o que tinha ao meu alcance... Durante a vida fui uma Doné de Agué... Naquela noite ofereci minha vida a ele... Foi meu senhor que aceitou a oferta... Naquela noite todos aqueles que me violaram morreram... Minha besta comeu o coração de cada um deles... Depois disso segui com meu criador... Ele foi um bom pai e mentor... Agué me abandonou na época e por desgosto abandonei meus conhecimentos...

    Virando-se para encarar Mak, levantando a camisa Aibellee revelou a cicatriz que carregava, o corte iniciado no ventre terminava perto do umbigo da cainita, sinuoso imitava o curso de um rio uma clara alusão ao liquido que dava vida aos vivos.

    Deixando que a camisa voltasse ao seu lugar Aibellee voltou a se aproximar para então receber Maneater de Mak.

    - Meu criador me devolveu minha companheira no dia em que me deixou sobre os cuidados de minha segunda mãe... O ritual para ser aceita entre as gatas costuma variar, depende um pouco das origens ancestrais de quem o guia... Minha senhora tem as mesmas raízes que as minhas por isso não me foi desconfortável ou desconhecido... Aqui não existem Baobás, então fui enterrada em uma Magnólia do Sul... Durante três dias permaneci adormecida com minha besta, na terceira noite cavamos nossa liberdade...

    Tocando de leve na lamina de Maneater, Aibellee sorriu com cuidado para a adaga que a acompanhara por tantos anos.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 5/9/2016, 12:06

    - Interessante o que me diz... Poético devo dizer... Bastante transcendental seu segundo ritual... Podemos usar alguns recursos similares... Acredito que será proveitoso...

    A Samedi parecia ter observado suas palavras com muita atenção. Diferente de como ela agira instantes antes. Realmente mostrava ter absorvido tudo que dissera. E então quando você terminou, ela caminho até os corpos e se pois no meio deles. Para então se virar e prosseguir. Falando bem devagar para não perder o ritmo no meio de sua explicação.

    - Já fiz uma pré-seleção... Os que estão aqui são para sobreviverem... Todos eles.... Isso se aguentarem, claro... Então saiba... São dois meus clientes que pediram por novas proles desprovidas de humanidade para as próximas noites... Um irmão de linhagem minha e um Malkaviano... Possuo comigo estes dois frascos com o sangue deles.... Então antes de começarmos nosso ritual, escolha quem irá tomar de qual sangue... Quem será amaldiçoado na pele e quem será na cabeça... Haha...

    Ela então tira de suas vestes os dois frascos de vidro vermelho escarlates. Pareciam estar levemente brilhando, como se houvesse um ritual de conservação sanguínea nos mesmos. Ela balançou o frasco da esquerda quando disse a palavra Malkaviano, deixando claro qual era qual. Assim deixando a vós fazer uma drástica escolha. Os olhos mortos da mesma pareciam se deleitar na escolha que estava a chegar em sua mente.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 5/9/2016, 21:07

    Ser observada por Mak causou uma pequena apreensão na gata, qualquer pequeno erro ou palavra mal compreendida poderia ser mal interpretada e prejudicar os ensinamentos recebidos. Aibellee observou os movimentos da Samedi distorcida, o simples adentrar dentro da cova rasa juntamente com os humanos ali dispostos fez com que a cainita sentisse um tremor se apossar de seu corpo, já as palavras desta silenciaram qualquer movimento de Aibelle, tensional ou intencional.

    “Uma tarefa bem difícil... Ou isso é mais um teste?!”

    Cerrando os olhos Aibellee se aproximou da cova, se abaixando a cainita estudou ali os escolhidos de Mak, em silencio deu uma volta em torno da cova, até que por fim esta entrou tocando de leve no pulso do humano mais próximo.

    - Oito é um número grande... Se forem fortes sobreviveram... Se perecerem... Bom espero que seus clientes estejam cientes do riscos... Essas crianças receberam um presente... Se lhes for uma maldição ou não caberá a eles escolher... A casca que habitamos não é nada diante do que podemos aprender...

    “Agora resta saber quem irá receber sangue de quem?!”


    Arfando fundo Aibellee se sentou na beirada da cova, ainda estudando suas escolhas.

    - Posso ser imprudente e lhe fazer algumas perguntas?! Não quero os nomes de seus clientes, ou seus motivos... Mas gostaria de saber porque quatro homens e quatro mulheres?! A cor da pele é indiferente... Mas as raízes não e temos raízes bem distintas aqui... Algo haver com os pedidos ou apenas um capricho?
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 9/9/2016, 14:56

    A Samedi aparentou por um instante sorrir para você. Mas era difícil ter certeza, afinal todos os dentes dela estavam expostos por detrás da pele deformada e apodrecida de seu rosto. A mesma então se concentrou por um instante antes de voltar a falar. Algo que claramente era uma prática profundamente detestada pela mesma. Entretanto nenhuma palavra a mesma proferiu. As palavras entraram em sua mente diretamente. Enquanto a antiga se direcionava até o corpo da jovem albina.

    "- Os gêneros são tão desimportante quando as raças. O único requerimento era que fossem pessoas que se destacassem entre um milhão. Auras chamativas. O bombeiro e a garota de pijama são "parentes". Ligados aos lobos por parentesco, só não sei se eles sabiam disso. A de trança é uma espécime intrigante. Uma parente das serpentes aztecas. Já o fazendeiro foi sugestão de nossa "amiga" do oeste. Me disse que vendo pela Cenotália, caso ele morresse se tornaria um fantasma poderoso. O motoqueiro foi uma tentativa de um membro da Torre em fazer um carniçal, mas falou, pois ele é imune ao laço. O homem bem vestido possui uma aura poderosa. A médica para ser uma desperta, mas não possuía mentor algum. E finalmente a espécime mais única de todas. Esta albina. Não sei o que ela é ao certo. A aura dela possui pequenas miríades inquietantes de todas as cores do arco-íris. Fico curiosa em saber se ela irá sobreviver."
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 10/9/2016, 18:14

    O possível sorriso de Maka fez com que a besta de Aibellee bufar baixo e incomodada, a cainita por sua vez mantinha-se ereta e quita, as palavras que lhe assaltaram a mente era um indicativo claro do poder da Mestre Voodoo.

    “ Pobre almas... Vão comer o pão que o diabo amassou... Me preocupa a médica e a albina... Elas me cheiram a perigo e trauma...”

    De pé e do lado de fora da cova Aibellee olhou para o céu medindo o tempo que teria ainda, seus olhos se voltaram para Maka e em sinal de respeito esta estendeu a mão mencionando.

    - Acredito já ter feito as escolhas... Não são fáceis mas devem ser feitas... Acredito que seus amigos saibam que a desperta terá dificuldades em sobreviver não?! Quanto a albina... Nunca vi nada parecido... Se tu não tem conhecimento sobre não espere que eu também o tenha... Quanto aos parentes... Vamos torcer para que eles não saibam isso... Ou tenham uma gota do sangue lupino... Isso inclui a garota... Se eles tiverem dificilmente sobreviveram ao próximo passo... Dificilmente...

    Circulando a cova uma segunda vez Aibellee retirou Maneater de sua proteção, abaixando-se a negra começou a desenhar fundo na terra em volta da cova, os desenhos ganhavam a velha simbologia Vodu de sacrifício e colheita, pedidos de proteção contra espíritos malignos e não convidados e além de tudo sorte e fartura.

    Dando duas voltas em torno da cova Aibellee deu-se por satisfeita com os desenhos, os conhecia bem e cada risco feito estava em seu devido lugar, olhando para Maka novamente esta adentrou na cova pedindo com um leve aceno os frascos de sangue.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 14/9/2016, 15:19

    A antiga lhe observa fazendo os seus preparos ritualísticos. Era impossível imaginar o que passava na cabeça da antiga naquele momento. Um breve sorriso estranho era tudo o que vós recebia dela. Assim a mesma se virou observando a floresta que parecia começar a se mexer por alguma breve ventania que chegava. Assim, sem falar nenhuma palavra, a voz de Maka entrou em sua cabeça.

    "- Foi difícil achar estas espécimes. Muitos eu já conhecia de tempo. Mas apenas com a cidade em pandemônio eu pude realmente trazê-los para cá. E assim finalmente cumprir o pedido dos meus contratantes. Imagino que todas estas pobres crianças vão sobreviver, sei manter a vida dentro de um corpo custe o que custar. Mas custará caro, estejas preparada. Pois este evento será bastante traumático. Só que se você realmente deseja ser uma sacerdotisa do Sabá, terá de engolir a cena que verá com orgulho."

    - Ou será uma fracassada em sua jornada... Entendeu?


    As últimas palavras ela disse em voz alta. Com aquele tom quase morto e dolorido. Ela lhe oferecia os dois frascos para começar o ritual. E em seguida apontava para sua adaga em sua cintura e depois tocava em seu próprio ventre. Deixando claro o que deveria fazer depois.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 15/9/2016, 00:08

    Os movimentos de Maka foram estudados por Aibellee, cada palavra dita pela mesma foi absorvida com rapidez e compreensão, até mesmo a fala morta e em voz alta não alterou o semblante sério da negra. Enquanto a samedi fazia seus preparativos Aibellee arfava de leve, a cainita se concentrava em sua tarefa com seriedade.

    “Meu orgulho... Ele já não me pertence... Divido-o com as almas que carrego... Com o bando ainda não formado... Trarei uma segunda vida a essas crianças... Elas serão tão minhas quanto de seus senhores... Um peso que terei de aprender a lidar...”

    Aceitando os fracos a cainita concordou com um leve aceno de cabeça, pendurando com cuidado o frasco do sangue do filho da lua em seu cinto Aibellee retirou Maneater, assoprando sobre a lamina esta cantou baixo para a adaga, chamava seu espirito e pedia por sua ajuda.

    Movendo com maestria a lamina da adaga Aibellee andou em um semicírculo dentro da cova, para então se abaixar diante da primeira criança. O bombeiro, segurando com força a face desta Aibellee rasgou a roupa do mesmo com a lamina afiada de Maneater, deixando o peito e barriga do homem à mostra a cainita abriu um corte na mão direita deste, usando o sangue para desenhar na face deste Aibellee pintou suas pálpebras fechadas e testa, por fim dando um leve beijo em seus lábios mais uma vez Maneater singrou a carne do homem. Um corte profundo e reto abriu o ventre do mesmo, no mesmo instante em que o vitae Samedi era derramado sobre a boca do mesmo.

    Sem dar tempo ao início das transformações a cainita fez o mesmo com a garota de Pijamas, entrelaçando as mãos desta sobre o peito, Aibellee criou o mesmo corte na palma da mão esquerda desta, o corte no ventre porem foi feito de forma mais tortuosa, diferenciando claramente do corte feito no homem. A negra ainda repetiu isso com o jovem fazendeiro e o motoqueiro, ambos os homens foram marcados com um corte reto no ventre, o corte suave em suas mãos direitas e as marcas de sangue.

    Refazendo o semicírculo na direção contraria Aibellee arfava baixo, a besta observava pacientemente por de tras de seus olhos ronronando baixo e rugindo quando a negra ousava sequer pensar, não havia tempo para isso.

    Ajoelhando-se do lado da jovem de tranças Aibellee abriu suas roupas com agilidade, a lamina de Maneater era limpada a cada novo corte de roupa, fazendo com que a adaga provasse o sangue de cada um separadamente.

    Um corte foi feito nos lóbulos das orelhas da jovem, foi o sangue tirado dali que a cainita usou para desenhar a faces da mesma, marcando os lábios e olhos para só então abrir o corte na mão esquerda e continuar com o corte sinuoso em seu ventre assim como o vitae em seus lábios. Já no homem de terno a cainita fez linhas mais longas em seus lóbulos e linhas grossas em seus lábios, em sua mão direita e o corte reto e profundo em seu ventre.

    Voltando então sua atenção para a médica e a albina, Aibellee arfou fundo ao se aproximar das duas, entrelaçando suas mãos a cainita criou um corte fino no pescoço da médica, o sangue dali tirado foi usado para criar uma listra longa sobre os olhos da mesma, percorrendo o caminho que suas lagrimas o deveriam fazer, só então a cainita abriu o corte em sua mão esquerda e o corte sinuoso em seu ventre.

    Diante da albina, Aibellee começou a cantar, as palavras ditas em africano eram sussurradas enquanto a negra abria as vestes da jovem, marcando seu pescoço e rosto da mesma forma que havia feito com a médica, a mão de Aibellee ainda manchou a pele alva da jovem antes de abrir o corte sinuoso no ventre depositando a última porção de sangue nos lábios desta.

    Levantando-se enfim a cainita jogou os frascos para longe no mesmo momento em que saia da cova, segurando Maneater em sua mão a negra deixou que o sangue da Albina banhasse a lamina de sua companheira.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 21/9/2016, 11:21


    - Meus parabéns minha jovem... Os espíritos aceitaram suas oferendas... Aceitaram o trauma de sua morte como um despertar de oito novas... Agora está na hora do renascer para a maldição eterna... Prepare-se... Pois nós seremos os guias dos perdidos...

    Cada máscara desenhada nas árvores daquele bosque agora brilhavam dentro dos olhos. Um brilho roxo profundo. Era uma magia de sangue forte que fora acionada de alguma forma naquele instante. Vários olhos brilhavam pelo meio da penumbra daquele cemitério. Como se todas aquelas entidades desenhadas estivessem olhando para vocês duas. Era uma presença poderosa, baseada no poder e na curiosidade. Alguma entidade estava próxima de ti agora, mas qual era só seus conhecimentos poderiam dizer. O vento frio rapidamente correu para dentro da clareira. Como se a mesma estivesse em vácuo e aquela brisa fria acompanhada da chuva, atravessava as copas grandes do pântano e penetrava no recinto. As tochas tremeluziam até apagarem, deixando o lugar apenas iluminado pela luz púrpura dos desenhos.

    A antiga agora estava com seus braços estendidos e girou observando todo seu arredor. Assim um som veio do chão. A grama do cemitério começou a tremer, sacudir, sem sincronia com o vento. Era possível agora ver eras de verde escuro se alastrando pelo chão. Se aproximando por todas as direções. Estas plantas adentravam a cova e cobriam os oito corpos lá depositados. Os enrolavam como se fossem casulos. Prendendo todas aquelas pobres almas por entre as plantas.

    - Cuidei muito bem destas plantas... Elas se alimentam de sangue... Será difícil sair de dentro delas... Mas faz parte do acordar...

    Quando os oito casulos ficaram completamente lacrados, estes começaram a serem arrastados para longe de onde vocês estavam. Cada um em uma direção diferente, entrando dentro da escuridão e desaparecendo totalmente. Em contra partida as máscaras desenhadas nos troncos permaneciam brilhando. Enquanto a Samedi se mostrava sorrir.

    - Em poucos minutos as bestas acordaram e romperão os casulos... E então vagarão pelo escuro... Tentando achar esta clareira iluminada... Quando chegarem aqui não serão mais humanos... E iremos ajudar os perdidos à acharem seus caminhos até aqui...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 23/9/2016, 22:58

    Aibellee sentia o corpo tremer, havia um cansaço fisico sobre os ombros da negra, mas um sorriso branco e limpido se formou nos labios negros da cainita ao ouvir o elogio de Maka.

    “ São minhas crianças agora... Meu dever com elas ainda não acabou... Não enquanto não estiverem completas... “

    Vendo o encanto que funcionava em torno da clareira Aibellee se abaixou, permanecendo parada a observar cada detalhe possivel da magia desconhecia, o simples ato fazia com que a besta de Aibellee recuasse, mas a negra continua a sorrir.

    “Maka... ela possui grande força... Mas não posso dizer se tenho mais medo dela ou de Sarafina... Existe algo que me deixa sempre em alerta com a Giovanni...”

    Farejando o ar molhado, Aibellee apenas se levantou quando os casulos já estavam longe. Andando com cuidado a negra passou a mão sobre a lamina de Maneater, ainda suja com o sangue da albina. A arma foi guardada e por fim protegida da chuva pelas mãos da negra, as palavras de Maka alertaram a cainita, o grande trabalho e o mais perigoso logo começaria.

    “Guiar os recém nascidos e lhes dar um norte... Se não o fizermos todo o trabalho terá se perdido... O pântano os devoraria sem remorsos...”

    Com cuidado a negra procurou um lugar seguro e mais seco para se sentar, lambendo o sangue de suas mãos Aibellee quando o terminou a voz da negra ganhou força, cantando da mesma forma que sua mentora havia feito a negra esperava assim guiar sua crianças de encontro a clarareira.
    Spoiler:

    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 28/9/2016, 15:00

    Maka sem hesitar sentou no chão de terra com as pernas cruzadas. Então fechou os olhos e ficou estática como um reles cadáver ficaria em uma posição meditativa. A mesma ficou apenas escutando a sua canção e não proferiu nenhuma palavra a mais. Apenas sua canção e a chuva se apoderavam da região. As máscaras desenhadas nos troncos não perderam seu brilho, em contra partida das tochas que se apagaram de imediato. A iluminação agora da clareira era absolutamente paranormal. E assim o tempo passou.

    Talvez tenha levado uma hora ou mais. Suas pernas não haviam se cansado. Muito menos sua garganta. Havia em ti a estamina para proferir cânticos por horas seguidas e esse não era o momento para descansar. Até que seus reflexos logo lhe tiraram do seu transe. Algo estava errado na floresta, não fora do esperado, era claro. Sua besta de caça logo lhe avisava sobre predadores. Maka abriu os olhos de imediato e se levantou.

    - Dois acordaram...

    Foram as únicas palavras da mestra do voodoo até um grande urro tomar conta da floresta. Era um urro de puro ódio e foi seguido por um mais agudo, provavelmente feminino. O som de animais do pântano cessou de completo. A floresta ficara com medo. Até o vendo mudara de rumo. Haviam agora bestas a fora. E as mesmas estavam em busca de sangue. Muito sangue.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 2/10/2016, 16:41

    Quando a floresta se silenciou a musica de Aibellee também cessou, não houve necessidade das palavras de Maka para que a cainita entendesse o que acontecia.

    A besta dentro da negra se levantou ouvindo atentamente os rugidos das novas bestas, mais velha do que as crianças recém criadas esta rosnou baixo eriçando a pelagem, já a negra se colocou de pé enquanto sorria.

    A escuridão que a cercava dava lugar aos olhos experimentados da besta, a negra os ussava com sabedoria, esta se colocou na borda da clareira assoviando alto e continuamente, Aibellee convocava os pequenos seres do pântano, seres com sangue quente o suficiente para saciar as suas crianças.

    “Eles precisam chegar até aqui se querem comer... Acredito que não resta muito de suas mentes e a o sol logo ganhará o céu...”

    Off: Uso O Chamado, pra invocar qualquer animal de sangue quente que escute.

    Carisma + Sobrevivência = 7d10
    avatar
    Dados

    Mensagens : 201
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Dados em 2/10/2016, 16:41

    O membro 'Jess' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 4, 6, 10, 8, 1, 6, 8
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 7/10/2016, 10:03

    A floresta parecia ganhar vida novamente. Sons fortes de movimento por entre as folhas e as águas logo foram ouvidos. Barulhos mais agudos logo vieram, junto com gemidos profundos e urros ecoantes. Para cada grito, mais caos ocorria dentro da escuridão do pântano. Seu chamado quebrou a proteção da fauna contra os novos predadores do bioma. Eles eram os dominantes e nada mudaria isso. Só que agora não era uma caçada e sim um massacre. Nada podia ser visto, apenas escutado, os gritos e gemidos tanto da caça quanto dos caçadores.

    Um terceiro e um quarto urro ocorreram intensos agora. Eram diferentes dos dois primeiros. Não eram gritos roucos, eram agudos, quase como uma canção melódica. A floresta parecia apenas ficar cada vez mais barulhenta agora. Já era possível ver vultos no escuro, correndo pela penumbra como se fossem poderosas panteras. A natureza se curvava sobre a vontade daquelas quatro bestas. Todo este massacre ocorria enquanto Maka observava o escuro com seus olhos mortos desenhando um semblante satisfeito em suas feições.

    - Vós optou em oferecer o sangue de animais para eles... Caso contrário os humanos que aqui perto vivem, seriam as presas... Ao invés de torná-los monstros... Você optou em torná-los caçadores... Bem esperado de um sacerdotisa de Agué... Não importa como, nosso trabalho em reduzir a humanidade deles está sendo feito... Só falta metade agora...

    Enquanto ela dizia aquelas palavras de forma bastante pausada, era possível notar que a floresta se acalmava de certa forma. Os vultos agora pareciam se movimentar devagar. Quase como se estivessem rastejando, agachados. Os mesmos se aproximavam devagar das luzes místicas as quais iluminavam agora a clareira ao qual vocês duas estavam.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 8/10/2016, 22:20

    De olhos fechados a negra sentiu toda a floresta vibrar a sua volta, o pântano voltava a se movimentar enquanto as quatro bestas caçavam, bestas que teriam o sangue selvagem a correr pela primeira vez em seus corpos.

    As palavras de Maka fizeram com que Aibellee concordasse com um leve aceno, antes de monstros aprenderiam a ser caçadores, filhos indiretos de Agué.

    - Sim... Caçadores... Não pude evitar... Até mesmo porque quando um caçador se torna um monstro... Ele é o pior de todos... Espero que eles possam apreciar essa pequena prenda, é o que posso dar a essas crianças...

    Ficando de pé Aibellee caminhou até o centro da clareira, cruzando os braços sobre o peito esta esperou que as crianças da noite se apresentassem.

    “ São fortes o suficiente para terem sobrevivido e passado pela primeira sede... Vamos ver como irão lidar com sua nova natureza... Mais uma das coisas que terei de aprender... Guiar os outros para que encontrem seus caminhos...”
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por King Narrador em 16/10/2016, 17:47


    Mais três casulos se abriram. Assim, dois sons roucos tomaram conta do ar. Só que foi o terceiro grito que lhe tirou o equilíbrio. Era um grito de puro desespero e pânico que ecoava por entre a vegetação escura e densa. Um grito que não cessava como os outros. Era um lamento profundo e infinito que até a própria besta se mostrava proferir. A voz feminina parecia cantar por entre os berros que produzia. A distância não se podia ver absolutamente nada, com exceção da poderosa aura que vinha da fonte deste desespero. Era uma aura colorida com tons fortes e faiscantes, aos quais iam desbotando rapidamente. Se escurecendo totalmente. Com o preto devorando cada fonte de luz naquela aura. A morte final de toda aquela vida forte que ali brilhava.

    Agora eram sete criaturas pela floreta. Todas como poderosos caçadores. Os sons da flora dinalmente se cessavam de uma vez por toda. A floresta agora conseguia se preservar. Não havia mais isca para as criatura. Entretanto estas não mais estavam famintas. O que significava que elas estavam prontas. A Mestra do Voodoo parecia estar ciente disso, a mesma acompanhava com os olhos a aproximação destas feras. Os três primeiros a chegar eram o bombeiro, o motoqueiro e a jovem de pijamas. Eles não aparentavam estar similares à antiga samedi, mas estavam bastante diferentes. A pele ainda era lisa na maior parte do corpo, mas havia algumas manchas profundas. Principalmente nos braços e no ventre deles. Os olhos estavam esbugalhados, a jovem havia perdido um dos globos, a mandíbula do latino parecia estar deslocada e havia uma fratura exposta no braço do bombeiro.

    Estes se aproximara se arrastando como pequenos vermes. Cansados da energia que havia usado na floresta. Assim foi fácil para a anciã controlá-los. Sem nenhuma palavra ser dita de mabas as partes, cada um se direcionou para um dos caixões abertos que estavam logo atrás de vocês duas. A mexicana de tranças chegou em seguida, ela andava cambaleando e não para de rir em um tom estérico. A mesma parecia ignorar os comandos mudos da Samedi, entretanto logo se direcionou para o quarto caixão e lá deitou. Agora era a vez da fonte daquele gemido se aproximar. O lamento que a desperta fazia era um som agonizante e muito agudo. Esta andava ereta e em linha reta para você. Parecia uma besta totalmente incorporada nos olhos daquela médica. Ódio fluía por cada canto de seu corpo, com as presas a mostra esta se aproximava cada vez mais. Assim as palavras de Maka vieram seu mente.

    "- Cuide desta pequena. Aprenda a sobrepujar a besta dela."
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 19/10/2016, 22:43

    Os olhos amarelados de Aibellee seguiam cada foco de movimento dentro do pântano, os gritos e urros das crianças, era quase impossível para a negra sentir a vontade de caçar, ser a guia de seus filhos.

    O peso de Maneater em sua bainha segurava a cainita, um sorriso seco se formava no rosto de Aibellee quando os três primeiros chegaram, a mudança ocorrida durante a caçada fez com que a sacerdotisa observasse suas crianças adentrarem nos caixões.

    “ A transformação da carne ira acontecer durante o dia... A maldição deles será cruel... Por si só ira quebrar seus espíritos...”

    As risadas da mexicana fizeram com que Aibellee movimentasse o corpo, a maldição dos filhos da lua era complexa demais para que a cainita pudesse entender, mesmo assim seus olhos zelaram pela mexicana até que a mesma estivesse deitada.

    O gemido alertou Aibellee, a besta sempre calma se pôs de pé rosnando baixo em sinal de alerta, a caçadora sorriu ouvindo as palavras de Maka, dando alguns passos a frente Aibellee concordou com um leve aceno, colocando a mão sobre Maneater a negra fixou seus olhos na médica, o ódio e a força dela foram enfrentados de frente.

    OFF: Uso Acalmar a Besta, para controlar a besta da médica.
    Manipulação + Empatia = 7d10 dif, 7 +1 fv na primeiro teste


    Última edição por Jess em 19/10/2016, 22:44, editado 1 vez(es)
    avatar
    Dados

    Mensagens : 201
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Dados em 19/10/2016, 22:43

    O membro 'Jess' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    #1 'D10' : 6, 1, 1, 2, 5, 4, 9

    --------------------------------

    #2 'D10' : 7, 5, 4, 7, 7, 7, 10
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Aibellee Lenoxx - Ato VII - Births In The Shadows

    Mensagem por Jess em 23/10/2016, 23:14

    Manipulação + Empatia = 7d10 dif, 7

      Data/hora atual: 23/8/2017, 09:03