WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 4/9/2016, 01:02

    15 de Março de 2002, Berlim.
    Sétima Noite


    O final da noite anterior foi trágico, violento e tenebroso. As memórias das criaturas tortuosas das profundezas do abismo ainda aterrorizavam sua mente, mas seu descanso incompleto era sem dúvida a pior de todas as sensações. Dormir distante de sua terra natal era um erro que demorava para ser remediado, suas articulações doíam, seu descanso havia sido completamente superficial e dominado por incertezas e pequenos despertares ainda durante o dia.
    Mas a noite finalmente chegava, seus olhos se abriam, seu corpo ansiava pela herança de sua terra natal, suas mãos tateavam os arredores em busca dela mas o ato de não encontrar o fazia resmungar de maneira inconsciente, pequenos grunhidos de reprovação e exalações nasais de irritação. Você havia dormido, mas o cansaço parecia ter se acumulado sobre seus ombros.

    Mas prontamente as recordações após o ataque das criaturas de sombras retornava a sua memória. A mulher que se apresentou apenas como "Rebeka" conduziu vocês até um hotel que estava fechado quando vocês chegaram. O hotel ficava a cinco quadras do teatro, a alvorada era eminente e o medo do sol era simplesmente agonizante. Em poucos instantes vocês foram atendidos por vassalos, dois homens usando roupas de concierge, pálidos como cainitas, mas vivos como apenas vassalos verdadeiramente antigos poderiam ser. Eles reconheciam Rebeka e abriam as portas do hotel, sem muitas perguntas, eles abrigavam vocês três em um mesmo quarto no segundo andar. Era um quarto pouco convencional, as janelas eram totalmente falsas. O que dava uma impressão de existirem para observadores do lado de fora, mas obviamente ofereciam uma proteção total contra o sol. A porta de entrada possuía na realidade duas camadas, uma simples de madeira como todas as outras do andar, outra feita de metal pesado que lacrava todas as possíveis entradas de raios solares. E sem muitas opções, você adormecia em uma das camas do local. O quarto possuía quatro beliches simples, um banheiro e um armário enorme. Um telefone branco na parede próxima a porta do banheiro e nada mais.

    Você então se levantava, encontrando a porta do armário aberta e ouvindo o barulho do chuveiro. Rebeka estava no banho, Lilian ainda estava empalada, a pressa para dormir e fugir do sol foi tão grande que não havia sobrado tempo para despertar a pequena Malkaviana. Era apenas o começo da noite de domingo, mas algo em seu interior lhe dizia que a noite seria intensa, seu cansaço era terrível e sua fome começava a lhe preocupar. Além disso, sua face ainda estava marcada pela presença da sua selvagem besta...

    Infos Off Game:

    Pontos de Sangue -> 8/20
    FdV -> 7/7
    Vitalidade Atual -> 7/7

    -Durante a noite, todas suas paradas de dados estão reduzidas a metade.
    -Efeito do defeto "Reflexo da Besta": +2 em testes socais para qualquer ser não seguidor do Caminho da Besta. -1 nos teste de intimidação. Efeito em ação até o próximo alimentar de sangue.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 4/9/2016, 12:10

    A besta, ela havia permanecido acordada ao longo de todo o dia, incomodada pelas criaturas que enfrentara, sentindo ainda o arder dos arranhões fechados por de baixo da pele e mais do que nunca urrando pela falta de sua terra, sua fraqueza revelada e explorada. Simon pode sentir tudo isso pesar sobre seus ombros assim que seus olhos finalmente se abriram, por fim abri-los fez com que a besta grunhisse mal-humorada e cansada.

    - Diabos cale logo essa maldita boca! Eu sei que nós dois estamos em trapos mas ficar me relembrando isso não vai trazer o cantil de volta...

    Resmungou o cainita, se havia sido em voz alta ou não Simon não tinha mais as condições de sabe-lo com todo a certeza. Forçando o corpo a se mover este teve dificuldades em se sentar na cama, o travesseiro e lençóis haviam sido dilacerados no decorrer do dia, um sinal claro do humor e desespero de sua besta durante o descanso mal aproveitado.

    Os olhos amarelados do cainita varreram o quarto com interesse, a porta do guarda roupas aberto e o som do chuveiro indicava que Rebeka já havia se levantado, Simon estremeceu ao ver o corpo de Lillian estirado em uma das camas. A falta de tempo pelo nascer do sol e o eminente sono se aproximando não haviam dado tempo para que a estaca fosse retirada desta, as imagens da recepção pelos vassalos daquele lugar lhe voltaram a mente, era certo que Rebeka sabia o que estava fazendo ao adentrar ali, mas se as boas vindas se estendiam a Simon e Lillian ainda era uma dúvida.

    O cainita firmou seus joelhos antes de se levantar, demorando mais do que o imaginado para se aproximar da cama onde Lillian estava, Simon se sentou no chão ao lado desta, com cuidado o cainita retirou o casaco antes de verificar a estaca utilizada, um alivio imenso tomou conta do austríaco quando o toque na madeira se fez liso, arfando profundamente este procurou a parte mais limpa do casaco para dobrar e colocá-lo entre os dentes de Lillian, por fim reunindo coragem Simon virou as costas da filha da lua em sua direção para só então puxar a estaca que a prendia na inercia.

    “ Ela vai sentir dor... Seria estranho que não sentisse... Mas é o melhor que posso dadas as circunstancias... Teria sido difícil para ela dormir sentindo essa dor... Talvez um pouco de vitae alivie... Talvez...”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 5/9/2016, 22:09

    A estaca saia de facilmente do corpo de Lilian, a pequena mulher se contorce de maneira letárgica e então algo sinistro acontece. Ao invés do esperado grito de dor, ela começava a rir de maneira descontrolada, inicialmente uma risada baixa e bafada por causa do tecido posto em sua boca. Que rapidamente crescia para um ataque nervoso de risadas descontroladas, caóticas e verdadeiramente sádicas. O corpo dela tremia junto com as risadas, as garras saltavam e perfuravam o colchão, rasgando os lençóis. Na frente dos seus olhos, você a vê ter espasmos musculares fortíssimos, os olhos dela viravam e uma pequena porção de sangue se formava nos cantos da boca, na ausência de saliva, havia apenas o vitae. Uma clara demonstração de que a humanidade havia abandonado Lilian a muitos anos atrás... A pequena filha da lua se sentava na cama, ofegante por causa das risadas, em sua face um sorriso masoquista... Os olhos dela percorriam o local inteiro e terminavam por encontrar você. Envergonhada da própria reação, Lilian diz.

    -Perdoe-me, é apenas um mecanismo de defesa... Minha senhora era uma admiradora da Inquisição... Obrigada Simon, onde estamos?!

    Enquanto falava, ela usava o próprio vitae para curar a ferida aberta deixada pela estaque que fora cravada em seu peito pelas mãos de Rebeka. O som do chuveiro desligando fazia um silêncio desconfortável preencher o quarto.

    -Quem tá no banho!?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 5/9/2016, 22:38

    Os movimentos inicialmente letárgicos de Lillian chamaram a atenção de Simon, o cainita se preparava para segura-la na cama caso esta se contorcesse demais, porem o austríaco não teve reação diante das risadas caóticas de Lillian.

    A besta grunhiu por Simon, este se apoiou no chão afastando-se um pouco, ainda sentado o cainita sentiu os cabelos de sua nuca mais duros se erriçaram em resposta as garras de Lillian, a risada que se tornava mais alta o fez rosnar baixo mesmo sem querer, as garras teriam ganhado as mãos do mesmo se Simon não tivesse freado sua besta.

    O sangue que escapou dos lábios de Lillian, o reconhecimento que esta desprendeu ao encarar a figura do cainita por fim venceram a besta do mesmo, Simon assentiu com um leve menear de cabeça, voltando a se aproximar este usou a cama como encosto para as costas.

    - Mecanismo deveras único... Por favor não se sinta mal... Também não tenho boas reações frente a adversidades...

    Comentou o cainita, coçando de leve a nuca este atestou a grossura de seu cabelo, mais expeço do que o comum Simon sentia claramente a pele de sua besta por de baixo da sua. O silencio que se fez assim que o chuveiro desligou foi incomodo, embora o cainita preferisse o silencio acima de tudo naquele instante ele não era uma boa companhia.

    “Ela não se lembra... Tem sorte em não se lembrar dos horrores da batalha...”

    Olhando em direção a porta do banheiro por alguns instantes este voltou a face para Lillian ao responde-la.

    - Ela se denominou como Rebekka... Acredito que seja alguém do Sabá já que não a vi entre os Anarquistas... Tu caíste diante da presença de Ilse... Ela... Usou os caídos como seu exército pessoal... Por algum motivo eu fui a sua escolha na batalha... Eu... Não chegaste a me ferir gravemente... Rebekka usou a estaca para lhe empalar... Depois disso tivemos que fugir... A luta havia se tornado gigantesca demais e Narses fez com que o Abismo engolisse Ilse e aqueles que a enfrentavam pessoalmente... Correlli estava entre eles...

    Fazendo força para se apoiar na cama e se levantar para sentar no colchão Simon chegou a parar no meio do caminho para se equilibrar direito.

    - A abertura liberou criaturas do abismo... Rebeka e eu as enfrentamos, mas por fim o sol estava perto demais... Não conheço a cidade e ela disse que possuía alguém que nos abrigaria... Era minha melhor escolha na hora... Sinto por não te acordar antes, teria sido difícil para você dormir com seu mecanismo de defesa...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 6/9/2016, 21:43

    Lilian cruzava os braços e se jogava contra a cama, dando pequenas quicadas por causa do peso que possuía e das molas que ficavam no interior do colchão. A mulher observava as suas reações e balançava a cabeça, para no final da sua fala ela imediatamente falar, desviando os olhos da sua figura:

    -Me desculpe por ser apenas um fardo a ser carregado para todos os lados, eu nunca fui uma guerreira, tão pouco caminhei entre seres de grande força. Pensa que minha mente era forte, mas pelo visto, nunca fora...

    Conduzindo os olhos até você, ela descruzava os braços. A camisola que outrora fora branca, agora estava cinza e cheia de rasgos por causa das violentas memórias da noite anterior. Suavemente ela diz.

    -Você está faminto correto? Podemos encontrar algo para você, só nos livrarmos dessa mulher do Sabá... Eu ofereceria meu sangue, mas ele é podre...

    A porta do banheiro se abria. Rebeka saia do mesmo com uma expressão séria, seus cabelos loiros estavam molhados e seus olhos claros olhavam profundamente para vocês. Vestindo uma roupa bem diferente da noite anterior, uma calça jeans e uma camiseta social masculina.

    -Vocês precisam se limpar, tem toalhas e roupas no armário. Façam isso logo, porque vocês tem que sair o mais rápido possível. O abrigo é de certa forma oferecido a mim, vocês são desconhecidos e estamos em território setita nesse exato momento.

    Lilian se levantava e rapidamente seguia até o armário, abrindo as portas do mesmo e pegando uma toalha branca e uma muda de roupas. Olhando brevemente para você ela então adentrava o banheiro, deixando a porta aberta para ouvir a possível conversa que aconteceria entre você e Rebeka.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 6/9/2016, 23:05

    Simon observou com interesse os movimentos de Lillian, a simples capacidade de se expressar do modo que quisesse por seus movimentos atiçava a curiosidade do cainita. Em resposta as primeiras palavras desta o austríaco balançou negativamente a cabeça.

    - Não pense assim... Qualquer um poderia ter caído diante daquela presença... Além do mais uma mente rápida é de mais serventia do que músculos... Kotlar tem razão ao dizer que falas bem... O fazes bem porque lhe é algo nato... Outros teriam dificuldades onde tu não tens... Liderar por força é errado... A palavra por outro lado sempre se provou uma fonte de força confiável...

    Olhando para a porta do banheiro Simon sentia aos poucos que logo poderia ficar de pé, seria forçoso ao corpo cansado, mas não impossível, embora a ideia de andar se apoiando nas paredes não lhe fosse agradável.

    “Palavras... Elas são mais duradouras... Os livros e escritos nos provam... Mas precisam de alguém capaz para entende-las... Caso contrário são efêmeras e vans...”

    Voltando sua atenção para Lillian o cainita concordou de leve com as palavras desta, mais do que nunca sentia a fome lhe corroer, ainda não era forte, mas sua besta se incomodava claramente com isso.

    - Seria adequado eu me alimentar o mais breve possível... Da maneira em que estou, eu criaria alarde, coisa da qual não precisamos...

    Não havia nada a ser dito sobre o sangue de Lillian, a maldição recaída sobre os filhos da lua era cruel afetando até mesmo seu sangue. Quando a porta do banheiro se abriu Simon focou sua atenção em Rebeka, vestida de forma totalmente diferente da noite anterior, o cainita ainda pode ver o porte dominante da mesma.

    - Não abusaremos da sua boa vontade...

    Respondeu Simon assim que Lillian adentrou no banheiro para se limpar, agradecido pelo pequeno tempo que ainda teria o cainita se levantou mantando os joelhos firmes ao andar até o armário, não tão rápido quanto queria este procurou por algo que lhe servisse e pudesse esconder sua forma animalesca.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 7/9/2016, 19:16

    Lilian adentrava o banheiro e prontamente abria o chuveiro, o som da água caindo com força contra os azulejos prontamente preenchia totalmente o silêncio que era causado pela ausência de respirações de Rebeka e você. A loira que pertencia ao Sabá observa você com mais atenção e se aproximando ela calmamente responde.

    -Acredito que eu não tenha me expressado corretamente, não é uma questão referente a minha boa vontade ou não. Eu realmente não sei o que esperar desse meu contato, além do mais, nós lutamos juntos e isso para mim significa bastante. Agora, uma dúvida, você segue o Caminho do Coração Selvagem Simon? Eu me recordo de ver uma anomalia como a tua em um membro da Espada anos atrás, ele era um Gangrel...Alimentação é a resposta imediata correto?

    Ele parava bem perto de você, era bem claro que seus traços animalescos não causavam nenhum efeito na mesma. Certamente ele já havia visto coisas piores, o que era estranho, julgando que mulher não parecia ser tão antiga. Ela parava ao seu lado e também olhava para o interior do armário, apontando para um sobretudo ela diz.

    -Esse servirá.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 7/9/2016, 20:13

    O barulho da agua caindo de encontro no piso fez com que Simon observasse a porta do banheiro aberta por alguns instantes, de frente para o armário o cainita encontrou com um pouco de procura uma calça que lhe servisse, o jeans escuro pareceu agradar a Simon assim como a camisa social clara.

    “Ela deve ser rápida... Ou assim espero... Lillian não me pareceu animada em estar na companhia de Rebeka, acredito que tenha seus motivos para tal...”

    Ouvindo as palavras de Rebeka o cainita concentrou sua atenção na mulher, estudando suas palavras este concordou com um leve aceno.

    - Não precisa me dar explicações... Acredito que tenha seus motivos para agir assim... Não quero criar-lhe problemas desnecessários... Fico grato por ter nos ajudado... Eu teria tido dificuldades em encontrar um local seguro para descansar...

    Observando o sobretudo apontado por Rebeka o cainita avaliou a questão de seu caminho, algo que muitas vezes austríaco fazia sem se dar conta, pegando a peça de roupa Simon se sentiu satisfeito com a escolha feita por Rebeka.

    - Não sigo o Caminho do Coração Selvagem... Ou pelo menos acredito que o que me foi ensinado não esteja de acordo com essa filosofia... Durante a batalha tive de gastar muito sangue... Minha besta se torna mais latente com isso, mas é algo que me acompanha desde a noite de minha criação... Estas certa ao dizer que com a alimentação as modificações irão desaparecer... Não há com que se preocupar...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 8/9/2016, 19:33

    Rebeka observava suas ações com uma considerável atenção, com uma voz mais calma a loira eleva a voz mais uma vez.

    -Você além de sofrer com a tua besta ainda passou uma noite distante de sua terra, existem alguns truques que os membros do clã Tzimisce fazem mas eu realmente acredito que você seja um dos distantes do antigo clã, correto? Eu entendo que você tenha aprendido a não ver isso como um problema, mas a incapacidade de vencer a própria besta é um enorme problema... Não irei atormenta-lo com isso, mas saiba que caso procure instruções sobre caminhos de sabedoria, existem membros iluminados na Espada de Berlim e apesar da clara aversão que vocês demonstram a nós, nós não vemos vocês como inimigos e o Sabá local é diferente, especial...

    Ela então se distanciava e caminhava em direção a porta do quarto, abrindo o mesmo para observar o corredor. Era estranho, mas havia uma curiosa sincronia no movimento das mulheres naquele quarto, quando o tronco de Rebeka saiu para verificar o corredor, Lilian saia do banheiro com vestes bem mais "comportadas" do que ela gostava de usar. Incomodada com a calça que vestia, a malkaviana resmungava algumas coisas em um idioma que você não compreendia.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 8/9/2016, 21:30

    As palavras de Rebeka fizeram com que a besta de Simon rosnasse baixo, o próprio cainita arcou as sobrancelhas de forma inquisidora, concordando com um leve acenar o cainita encostou a porta do guarda roupa com cuidado antes de responder.

    “ Certamente minha fraqueza deve ter revelado minha linhagem... Mas ela tem bons olhos para identificar outros detalhes... Ela parece certa no que diz sobre a besta... Mas isso se aplicaria a mim?!

    - Sim sou um pertencente ao clã antigo... Já ouvi falar dos truques utilizados por outros Tzimisce, mas seria me impossível repeti-lo... Agradeço suas palavras... As levarei em conta...

    Vendo Rebeka se afastar e Lillian sair resmungando do banheiro, Simon não pode deixar de notar uma certa sincronia em uma evitar a outra, a besta pareceu rir disso enquanto o cainita rumava para o banheiro.

    - Vou ser rápido... Logo estaremos no Barão Vermelho e você poderá ficar mais à vontade...

    Comentava o cainita para filha da lua antes de tirar a camisa e adentrar o banheiro encostando de leve a porta.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 11/9/2016, 11:48


    A água do chuveiro caia sobre o teu corpo ainda sujo e impregnado pelos restos daquelas criaturas estranhas, finalmente havia um momento calmo em Berlim. Tanto havia acontecido, tantas faces novas, memórias que talvez fossem eternizadas em sua mente ou simplesmente esquecidas no próximo despertar...
    Seu corpo tomado pela besta e seu espírito fragilizado pelo sono ausente de seus pertences faziam com que seus olhos vagassem com letargia por todos os azulejos brancos que revestiam a parede do banheiro. Os vapores da água quente embaçavam os vidros e instintivamente a sua mão esquerda tocava o vidro do box do banheiro, naquele instante uma memória poderosa invadia a sua mente, uma memória terrível de tempos passados.
    Seu corpo estirado sobre o chão do estábulo, seus membros haviam sido arrancados pelas mãos de Wotan. A dor era terrível mas não era absolutamente nada se comparada ao tamanho da humilhação que havia sido imposta contra a sua vontade, sua moral e espírito. Agonizando de dor, lutando para manter os olhos abertos, ouvindo a besta dentro de você chorando e tomada por toda a raiva que esse mundo era capaz de suportar. Seus olhos marejados de vitae mal conseguiam ver os detalhes ao redor com clareza, mas Wotan caminhava em direção a saída do estábulo quando algo fez o seu antigo Senhor parar, havia algo no fundo do estábulo, algo que havia observado a cena e nada havia feito a respeito... Wotan fazia uma reverência para o ser ao fundo do local, as sombras daquela noite ainda impediam a sua compreensão inicial, mas brevemente o ser se aproximava do seu corpo. O frio arrebatava suas feridas expostas e parecia congelar suas entranhas, dedos secos e longos como gravetos se esticavam por cima da sua face e as unhas enormes como as de felinos ou algo similar, mas negras como o próprio abismo poderia ser, tocavam a sua face. Em um piscar de olhos a morte se revelava na sua frente, sua besta parava de chorar e simplesmente sumia, amedrontada ela adormecia, a dor se mostrava indiferente. Restava para você apenas o maior de todos os terrores. A morte não possuía olhos, lá existiam apenas as profundas circunferências profanas, duas portas para o inferno. A face da morte era composta apenas por carne pútrida, a ausência de pele e de qualquer outro líquido resultava em uma exposição repugnante do corpo humano. Ela sorria e exibia dois caninos longos, tão brancos quanto o marfim, de maneira abrupta a morte se colocava de pé e passava caminhando ao seu lado. O som de ossos se chocando era assustador, ela caminhava sem ritmo coeso de passadas, as articulações não funcionavam naquele corpo macabro. O terror que você sentia era também compartilhado por Wotan, o antigo que havia lhe abraçado fazia uma enorme reverência e saudava a morte:

    -Monitora Aach, seja bem vinda as minhas terras...

    A sua memória certamente continuaria se não fosse pelo som estridente de um soco dado contra a porta do banheiro onde seu corpo físico se encontrava. Sua mente retornava do mundo dos sonhos com uma violência tão forte que lhe causava uma enorme dor de cabeça, uma leve tontura e um pequeno descontrole bestial, o frenesi estava muito próximo de acontecer, faltava apenas mais um pequeno estímulo. Quem batia na porta era a pequena Lilian.

    -Vamos! Vamos! Tem algo acontecendo em Berlim, temos que ir ao Barão rápido!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 11/9/2016, 14:58

    A água quente caia sobre o corpo de Simon, lavando qualquer resquício daquelas abomináveis criaturas e do próprio sangue do cainita, revelando a pele alva e marcada do austríaco.

    Entregue as profanas lembranças Simon sentiu a agua quente se tornar gelada, seu passado exposto fazia com que a besta rugisse em seus ouvidos, porem a lembrança odiada revelava algo que o cainita havia esquecido.

    Aach, o nome que por si só representava a figura da ceifeira, ela havia tocado Simon, feito que o ódio e a dor desaparecessem para dar lugar apenas ao medo, até mesmo Wotan a temia porque Simon então o faria diferente?! A besta sempre latente havia dormido, perante aquela figura, perante ela nada mais era importante.

    O barulho, o grito de Lilian e a dor de cabeça atingiram em cheio a mente do cainita, este sentiu a mão direita chocar-se contra os azulejos brancos do banheiro, a mente ainda confusa lutou contra a besta incomodada com as lembranças, enquanto a agua voltava a ser sentida quente de encontro a pele. Arfando pesadamente Simon fechou os olhos ao simplesmente responder.

    - Já estou terminando...

    “ Essa lembrança?! Porque agora? É o trauma carregado da noite passada? Ou simplesmente algo que deveria fazer sentido? Inconum... Porque isso agora...”


    Expulsando a letargia de seus membros o cainita se moveu, pegando o sabonete este o esfregou o corpo com rapidez, lavando qualquer sujeira que ainda pudesse impregna-lo, passando entre os cabelos espessos Simon desligou o chuveiro assim que se sentiu limpo.

    Passando pelo processo de se enxugar o mais rápido possível, Simon abriu a porta do banheiro assim que a calça jeans e a camisa social já cobriam seu corpo, vestindo o sobretudo e o abotoando este buscou Lilian com os olhos.

    - Evite de fazer isso de novo... Essa noite me vai ser complicada para manter o controle... Pelo menos enquanto eu não me alimentar...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 11/9/2016, 15:10

    Teste de Raciocínio + Acuidade = 7d10
    avatar
    Dados

    Mensagens : 201
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Dados em 11/9/2016, 15:10

    O membro 'Jess' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 4, 8, 7, 7, 9, 8, 5
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 12/9/2016, 23:07

    Lilian o esperava com um sorriso carinhoso na face e respondendo quase imediatamente ela dizia:

    -Simon, violência e agressividade não serão fatores que me farão correr ou evita-lo. Tente pensar em algo diferente, faço uma sugestão. Dê risadas. Acho que se um dia eu ver você rindo de maneira descontrolada eu fujo como o diabo faria da cruz!

    Ela abria mais o sorriso em sua delicada face após a frase. Em seguida ela prontamente se virava e caminhava para a saída do quarto. No corredor havia a presença de Rebeka, a Lasombra olhava para vocês dois e dizia.

    -Caso vocês um dia precisem, não existem em me ligar... Foi um prazer conhece-los, nunca se esqueçam do que foi a noite anterior e jamais esqueçam os nomes daqueles que se foram. Nós mudamos o mundo queridos... Agora, tenho que ir, a espada está em uma pequena crise eu não não posso jamais abandonar meus aliados. Até breve...

    Ela se aproximava e estendia dois papéis com o mesmo número telefônico escrito. Ela caminhava em uma direção oposta a de vocês, Lilian guiava o caminho, de maneira instintiva ela simplesmente sabia sair do local. Em silêncio ela cruzavas os corredores e descia escadas, parecia que ela havia nascido ali. Mas na verdade você notava, ela literalmente estava se guiando pelas variações de texturas dos papeis de parede...
    Mas não era só isso que você também notava, a segunda percepção era referente a sua recente lembrança. O porque ela surgira... Era uma memória que havia sido apagada através do uso de Ofuscação e desfeita pela vontade de quem a fizera. Seu senhor era habilidoso, mas não o suficiente, sua espinha então congelava com a possibilidade da própria morte estar tão próxima que havia permitido o retorno dessa memória.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 13/9/2016, 00:15

    Encarar a sorridente Lilian logo na saída do banheiro fez com que Simon arcasse as sobrancelhas, o cainita sentia cada vez mais a curiosidade crescer em volta da filha da lua, até mesmo a besta arredia o admitia sem por menores.

    - Seu ponto de vista é um pouco controverso... Mas acredito que faça sentido...

    Foi a única resposta do cainita, erguendo a gola do sobretudo Simon afundou o rosto o máximo possível dentro do tecido, acompanhando com esforço os movimentos suaves de Lilian o cainita se surpreendeu com a postura de Rebeka, aceitando o pequeno pedaço de papel o austríaco o guardou no bolso da calça.

    - Mais uma vez eu agradeço sua ajuda... Ela nos foi imprescindível... Daqui acredito que podemos nos virar, não deixe que nossa presença lhe atrapalhe... Tenha uma boa sorte com seus assuntos...

    Comentou o cainita antes de que Rebeka fosse embora, voltando a seguir Lilian, Simon observou cada movimento da mesma, a natureza de seus movimentos e escolhas desafiavam a compreensão do cainita.

    “ Como ela consegue se guiar por esses padrões? Por mais que eu tente eles não me são ordenados ou tem algum grande significado... Tenho a plena capacidade de identificar diversos tipos de flores e suas famílias pelo tom... Mas essas paredes são tão iguais...”

    Recostando-se em uma das paredes Simon sentiu o corpo retesar, a lembrança que lhe assaltara em meio ao banho revelava muito mais agora, sua mente que até então havia evitado o assunto se submetia a agonizante verdade... Aquilo havia sido apagado, Wotan não o faria sem motivos e os meios lhe estavam fora do alcance, o pior porem era saber que Aach havia desfeito seu trabalho.

    “ Não... Isso seria possível? Aqui? Tão perto... Mas porquê... Porque isso faria diferença... “

    Sentindo a besta encolher-se com isso Simon voltou a andar, queria mais do que nunca chegar ao Barão Vermelho, tocar em sua terra, expulsar aquela fraqueza de seus músculos.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 13/9/2016, 00:45

    Vocês estavam bem próximos do saguão de entrada e saída daquele hotel. Os papéis de parede eram em tons quentes e com estampas discretas de pequenas flores amarelas, sua mente e percepção até notavam algumas falhas ou imperfeições mas elas nada poderias significar. Enquanto isso, Lilian lia as paredes como se um mapa estivesse ali transcrito.
    Mas esses detalhes fugiam de sua atenção quando seu corpo parava, Lilian demorava para perceber, virando-se sem compreender porque você havia ficado para trás, ela abre a boca e fala. Mas você não escuta absolutamente nada, porque algo acontecia no saguão. As portas de vidro que separava a rua do interior do local estavam sendo seguradas por uma silhueta assustadora. Instintivamente a sua besta reagia acuada quando seus ouvidos notavam rajadas de ventos cortando os vidros do corredor onde vocês se encontravam, pelos espelhos, pratarias e vidraças, criaturas pareciam correr rapidamente. Você tinha certeza de estar sendo observado. O vulto de pé em frente a porta de saída se virava... Era a própria morte novamente, sorrindo para você...
    Uma ardência na sua face corta bruscamente a sua percepção dos fatos. Alguém havia literalmente estapeado o seu rosto com força. Era Lilian.

    -Simon! Volta aqui agora! Nada de fugir okay? São só visões! Talvez não, mas não são necessariamente reais agora! Simon! Você voltou!?

    Ela estava de pé na sua frente, exatamente na mesma direção que a morte esteve outrora, mas em uma distância diferente. Lilian estava com uma mão no seu peito, olhando você de baixo para cima. Esperando pacientemente a sua reação.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 13/9/2016, 11:43

    As paredes em volta de Simon nada significavam, por mais que o cainita tentasse compreende-las, nenhum significado lhe vinha a mente, simplesmente nada, já para a filha da lua tudo em volta tinha uma mensagem e com facilidade Lilian as lia guiando os dois cainitas.

    “Nem mesmo as escrituras de Narses conseguiram expressar com todo os detalhes a essência dos filhos da lua... São mutáveis demais para que serem descritos com precisão...”

    Se o cainita estava incomodado com isso não demonstrou, era a figura do saguão que lhe tomava a mente por completo, antes mesmo desta se virar a besta recuava temorosa, os olhos negros do cainita captaram cada detalhe da cena, as criaturas passando pelos reflexos o sorriso macabro e o vazio do lugar que deveriam existir olhos, estes eram o reflexo completo do abismo.

    Simon teria fugido sem olhar para traz, mas o som forte e seco em sua face juntamente com a ardência o trouxe de volta, a antes ignorada Lilian agora estava mais perto do que nunca, assustado com isso o cainita teria recuado mas temia que suas pernas cedessem diante isso.

    “ Oque?!”

    Balançando a cabeça Simon ainda sentiu a sua besta acuada, embora agora um pouco descontente pelo tapa levado, segurando o pulso de Lilian este acenou de leve tentando retomar seu controle.

    - Eu não vou fugir... Não posso prometer mas sei que não vou... Obrigada por me ajudar... Eu não tenho certeza do que esta acontecendo... Mas acredito que seria bom chegarmos logo ao Barão Vermelho...

    Apertando de leve o pulso desta o cainita a soltou voltando a se apoiar nas próprias pernas, este esperava que Lilian continuasse para então segui-la.

    “Vamos esperar que isso seja apenas fruto da minha mente... Eu quero assim acreditar...”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 14/9/2016, 22:06

    -Saiba que se em algum momento você precisar compartilhar seus demônios, estarei aqui pronta para senti-los. Digamos que essa é a minha especialidade okay?! Agora, sem essa ideia de fugir eu to sentindo que tem algo acontecendo no Barão Vermelho...Vamos de uma vez!

    Afirmou a pequena filha da lua que prontamente se virava e caminhava até a saída do local, sem sequer se importar com a força que você utilizou para segurar o pulso dela ou sequer demonstrar qualquer tipo de receio em tratar contigo em uma situação tão complicada. Do lado de fora, Lilian se aproxima do primeiro homem que passava pela rua, mantendo uma breve conversa com ele, como se os dois fossem conhecidos a muitos anos. O homem prontamente demonstrava uma confusão, Lilian sem se importar se despedia do homem com um tapa na bunda do mesmo, o que causava uma expressão de surpresa tão grande no mortal, que ele sequer sabia como reagir. Ela então olha para você e faz um sinal para você seguir ela.
    Andando bem rápido a sua frente, ela parecia carregar alguma coisa nas mãos. Assim que vocês viram a primeira à direita, entrando em uma pequena ruela bem estreita que conectava duas ruas maiores de grande fluxo de pessoas, ela abre as mãos, revelando um aparelho de celular. Ela destrava o mesmo com facilidade e então realiza uma ligação.

    -Olá Senhorita Denisovna, aqui é o senhor Schmidt. Essa ligação é referente a uma solicitação de retirada de dois vibradores, um pequeno e transparente, outro bem maior da escala mais selvagem e forte. A senhorita se importaria de seguir até o endereço de nossa loja para realizar a retirada de seus queridos companheiros de entretenimento noturno?!

    Ela falava de um jeito bem estranho, parecia imitar um homem no telefone. Em seguida ela simplesmente desligava a chamada, mexia por mais alguns segundos e atirava o celular na direção da avenida, acertando o asfaltado o aparelho era prontamente destruído pelas rodas de um veículo.

    -Sabe, as chamadas são sempre monitoradas, sempre.

    Dizia ela com uma enorme convicção enquanto sentava no chão para esperar por algo que você sequer havia entendido o que era.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 15/9/2016, 00:57

    As palavras de Lilian chamaram a atenção de Simon, o cainita demorou um pouco para concordar com a cabeça, este o fez mais porque a besta o exigia, mas Lilian já não notaria, o toque suave entre os dois foi interrompido fazendo com que o cainita a seguisse sem contestar sua liderança.

    “ Meus demônios... Eu os expurguei a força... Agora carrego os de Wotan... Esses ninguém deveria sentir ou carregar...”

    Perdido em seus pensamentos Simon olhou surpreso para a aproximação de Lilian, o cainita se manteve parado durante toda a conversa, sua aparência seria chamativa demais e assustaria facilmente o homem, quando este se distanciou confuso Simon se aproximou da filha da lua arreganhando os dentes perante a confusão do homem e o tapa dado na bunda deste.

    Distantes da avenida principal o cainita olhou confuso para o celular na mão de Lilian, a simples ação desta ligar imitando uma voz masculina o fez arcar as sobrancelhas curioso, até mesmo sua besta o fazia, as palavras ditas ali teriam feito o cainita ficar rubro com o simples entendimento da questão da qual se tratava.

    Vendo-a manipular o aparelho com rapidez para depois joga-lo na avenida Simon chegou a abrir a boca para comentar algo, vendo que a cainita se sentava no chão este deu de ombros ao procurar a parede mais próxima para se apoiar.

    - Você não se importa se eu ficar de pé não?! Acredito que dificilmente eu teria condições de levantar sem ajuda... Isso também se aplica ao resto dessa noite...

    Encolhendo a face de encontro o peito Simon deixou que sua besta ficasse de guarda, seja lá o que Lilian estivesse esperando a cainita parecia saber o que estava fazendo, pelo menos aparentava saber.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 16/9/2016, 15:04

    Sentada no chão daquela rua pequena e estreita, Lilian sorria para você mas não respondia com nenhuma palavra. Era na realidade uma expressão que você não conseguia compreender com exatidão, ela parecia simplesmente confortável e confiante. Em silêncio vocês dois então esperavam por seja lá o que fosse, afinal, a conversa que a filha da lua manteve minutos atrás era ausente de nexo para seu raciocínio compreender. Mas a espera trouxe resultados...
    Em frente a rua estaciona um carro de quatro portas de cor azul escura, quem diria o carro era a própria irmã do anarquismo local, Aleksandra. Ela olhava surpresa ao ver vocês dois e rapidamente fazia um sinal para vocês dois entrarem no veículo. Lilian se levantava em um único salto e se aproximava de você, gentilmente segurando a sua mão e colocando a outra nas suas costas, ela conduzia você até o veículo.

    -Que alívio ver vocês dois! Pensávamos o pior! Vamos ao barão...caralho...o que aconteceu contigo Simon?!

    Pergunta Aleksandra, Lilian que colocava você dentro do carro comentava com calma na voz.

    -Ele tá em crise, precisa de vitae bem rapidinho. Vamos em direção ao barão, mas paramos antes no campo de caça okay? Ele precisa de vitae e calma... Bastante descanso.

    Aleksandra olhava preocupada para você e respondia.

    -Calma no barão vai ser difícil, chegaram vários anarquistas daquela tal peregrinação... O barão tá lotado de gente estranha!

    Lilian olhava séria para Aleksandra e quase gritava com a mesma.

    -Vamos pro campo de caça agora! Ele precisa se alimentar...

    Entrando no carro, Lilian se sentava ao seu lado no branco de trás e falava agora em um tom mais baixo de voz.

    -Depois iremos pensar sobre essa bagunça no Barão Vermelho tá bem?!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 16/9/2016, 16:32

    O cainita recuou o pescoço diante do sorriso de Lilian, era algo novo para Simon e de certa forma incompreensível, por mais que tentasse as ligações feitas por sua mente eram logo refutadas, Lilian era simplesmente uma pergunta sem resposta, algo que feria o orgulho da mente apurada do Austríaco.

    “ Por mais que eu tente... Não consigo entende-la... Começo a acreditar que nunca chegarei a uma resposta... Se isso por sorte acontecer terei que me contentar com isso...’

    A chegada do carro e o movimento prontamente invejável de Lilian fez com que a postura de Simon relaxasse, reconhecer Aleksandra dentro do veiculo aliviou completamente o cainita. Olhando desconfiado para as ações de Lilian, o austríaco não lutou ao ser guiado, sua besta porem respondeu eriçando os cabelos do mesmo.

    As palavras de Aleksandra o pegaram de surpresa, o que lhe parecia normal era provavelmente novo para a mesma, encolhendo-se o máximo possível para não ficar a vista de qualquer pessoa do lado de fora Simon ouviu a pequena conversa entre as duas mulheres.

    “ Oque ela esta fazendo?!”

    - Posso me manter no controle durante a noite... Mas seria de grande ajuda que eu saciasse a sede... Infelizmente meu descanso não foi nada bom e minha besta esta um pouco mais ativa por conta disso, além do vitae que tive de sacrificar... Peço desculpas por isso Aleksandra...


    Apenas um leve aceno foi feito em resposta a filha da lua, levantando a gola do sobretudo Simon avaliava as informações recebidas sobre a chegada de mais cainitas ao Barão Vermelho.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 18/9/2016, 20:32

    Aleksandra respondia sem olhar para você, afinal, ela agora ligava o veículo e o direcionava para alguma parte da cidade que você ainda não conhecia. Com uma voz calma e segura ela tentava demonstrar algo importantíssimo para os anarquistas.

    -Não precisa se desculpar pela sua natureza Simon, és o que és e como és e a nós cabe o dever moral de repeitar, acolher e reconhecer. Sua besta é forte, nunca vi uma parecida, mas todos nós temos nossos demônios violentos e terríveis, o seu só se demonstra de uma forma diferente do meu... Agora, descanse iremos alimenta-lo...

    Lilian ficava bem perto de você, parecia até uma mãe canina a proteger uma prole de um inimigo próximo. Mas aquela imagem era quebrada logo após a fala de Aleksandra, Lilian sussurrava no seu ouvido.

    -Ela ta te dando mole Simon, eu, se fosse você...pegava...

    Mas logo ela balançava a cabeça e dava risada.

    -Desculpe não era eu falando, as vozes ficam sempre mais assanhadas em situações assim. Ignora okay? Ou não também, você que sabe! Ei! Senhorita motorista, para aí, já chegamos!

    O carro estacionava em frente a um clube noturno: Club der Visionäre. Um clube bem estranho, localizado dentro de uma casa vermelha de muros baixos e encobertos por uma vegetação bem mau cuidada. Havia um portar de ferro preto, mas não tinham seguranças ou qualquer tipo de organização. O som de uma batida eletrônica vinha do interior do lugar, que era localizado bem próximo ao canal de landwehr.

    -Você fica aqui Simon, nós vamos buscar alguém okay?! Você tem preferências?!

    Pergunta a Lilian.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1471
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Jess em 18/9/2016, 22:20

    As palavras de Aleksandra foram bem recebidas por Simon, encolhido na parte de trás do carro e ao lado de Lilian o cainita concordou de leve com a cabeça, os cuidados que a filha da lua desprendia com a figura do austríaco eram algo novo para o mesmo, quando esta sussurrou no ouvido de Simon este sentiu o corpo retesar com o significado das palavras.

    “Oque?! Como um filho da lua consegue tirar tais conclusões?! Aleksandra esta certa quanto a diferenças... Sei que minha besta é forte... A de Wotan também o era.... Ainda carrego meus demônios ou consegui expurga-los de meus ombros?!

    Olhando de forma desconfiada para Lilian o cainita apenas concordou com a cabeça comentando de leve.

    - Não se preocupe... Estou bem da maneira que estou...

    Observando o carro parar diante da estranha casa a besta rosnou descontente com o barulho, a pergunta de Lilian porem fez com que Simon a encarasse por alguns instantes antes de responder.

    - Apenas uma restrição... Não me alimento de mentes livres... Apenas isso...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2649
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Simon: A Concept is a Brick

    Mensagem por Danto em 19/9/2016, 15:18

    Lilian balançava a cabeça positivamente, demonstrando que havia entendido e prontamente as duas mulheres saiam do carro e iam em direção ao interior daquele clube noturno. Sozinho dentro do carro, você era arrebatado pelo cansaço que era resultante de uma noite de sono distante de sua terra. Vários minutos se passavam e elas ainda não haviam retornado, a verdade é que o tempo parecia correr de maneira estranha, mais letárgico do que o esperado... Algo muito estranho acontecia, até que a suspeita se concretizava realidade. Uma folha seca caia contra o vidro do carro, mas ela demorava quase um minuto inteiro para assim fazer... O tempo estava sendo afetado por alguma coisa...
    Olhando ao seu arredor, você finalmente encontra uma figura se aproximando do carro. Um homem com roupas de caráter vitoriano. Caminhando com muita calma em direção ao carro ele parava a alguns passos de distância da sua porta e colocava as mãos nos bolsos, aguardando a sua reação.

    -Boa noite Simon, sou Demitri Gianakos. Prazer em finalmente conhece-lo, posso ter um minuto de sua atenção?!
    Demitri Gianakos:

      Data/hora atual: 22/8/2017, 15:45