WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Compartilhe
    avatar
    Danto Jogador

    Mensagens : 399
    Data de inscrição : 05/03/2016
    Localização : Casa do Danto

    Re: Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Mensagem por Danto Jogador em 15/3/2017, 15:02

    Eu concordava silenciosamente com alguns breves movimentos positivos com a cabeça para os comentários iniciais de Ivy e cruzava os braços quando a via se levantar e sentar sobre a mesinha de vidro, cuidadosamente eu tirava com velocidade a taça com o suco de lá e o segurava com as duas mãos. Ficando de pé eu me aproximo dela enquanto ela se perdia dentro de seu transe e chegava até a passar a mão em frente aos olhos dela.

    "Fascinante! Fascinante!"

    E assim que ela emergia daquele transe eu recuava bem rápido e sentava de qualquer jeito no sofá, com uma expressão arteira e sorridente. Mas a voz grossa dela me surpreendia e em resposta eu me preocupava bastante, sem saber exatamente como agir em reação aquilo pude apenas me contentar em esperar o retorno da consciência dela.

    -Certo, calma querida eu entendo o quão exaustivo essas coisas podem ser. Precisas de ajuda para retornar ao sofá? Não acho que o vidro possa confortá-la agora...

    Se ela realmente pedisse por ajuda eu iria prontamente até ela, de qualquer forma eu já ensaiava a resposta a questão por ela realizada.

    -Existe algo muito positivo nisso. O Clã Toreador esta sem seus principais nomes e isso os coloca exclusivamente nas mãos de Simone que não será forte para assumir o cargo de Príncipe, afinal, ela conseguiu cultivar a minha inimizade. Restará então o enfrentamento direto com os Ventrue... Existe algo que possa diminuir a clama da harpia deles?
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Mensagem por King Narrador em 15/3/2017, 15:19

    Ivy precisou de um pouco de ajuda para sentar novamente no sofá, sem notar as suas ações anteriores. A qual felizmente salvou seu suco adocicado de se chocar ao chão. Felizmente a Harpia foi gradativamente se restaurando. Afinal o sangue dela era tão forte quanto o teu e a vontade dela parecia ser muito grande. Havia muita determinação dentro daquela Filha da Lua. Claramente havia o que era necessário para que a mesma se tornasse uma boa Rainha. Apenas faltava alguns empecilhos. O único problema era a hora. Afinal já era oito e meia da noite e faltava apenas três horas e meia para o conclave que decidiria o destino da cidade.

    - O sangue dela é inferior ao meu e não tem nenhum Ventrue na cidade mais velho que ela. Descontando o Justicar. Mas não posso revelar que minha linhagem, incluindo meus três irmãos, são mais poderosos do que aparentam ser. Logo não sei o que fazer... Você diz fazer alguma coisa que a deixe menos calma? Bom... Imagino que talvez tenha como sim... Ela aparenta estar agora livre de qualquer laço. E o maior medo de alguém livre de um laço é voltar para um. Acredito que se ela recebesse boatos de alguém da linhagem de Mithras vindo para a cidade, ela perderia mais uma vez as estribeiras. E talvez comprasse uma briga a qual não teria tanta sorte de sair ilesa como a que teve com o vampirão Patrício metido a besta.


    Última edição por King Narrador em 20/3/2017, 13:26, editado 1 vez(es)
    avatar
    Danto Jogador

    Mensagens : 399
    Data de inscrição : 05/03/2016
    Localização : Casa do Danto

    Re: Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Mensagem por Danto Jogador em 15/3/2017, 15:50

    -Então ela tem medo da própria Linhagem, o quão sarcástico não é isso?!

    Havia um tom venenoso na minha fala retórica, dando uma longa golada naquele delicioso suco divinamente adocicado, com a intenção de terminá-lo de uma vez por todas e suspirando em seguida. Eu olhava para Ivy e com uma expressão marota dava inicio ao joguetes que girariam as engrenagens ao nosso favor.

    -Escute minha ideia. E se você ecoasse entre as outras harpias uma notícia de ultima hora, vinda diretamente de Londres: A principal noticia que ecou pela Europa em relação a tempestade de Nova Orleans foram a dos ataques aos refúgios dos antigos, como o cemitério de Blanche e a casa de Lisette. Lord Baylor do clã Ventrue, determinado a garantir a segurança de seu irmão e linhagem, estaria a caminho da cidade para levá-lo à Londres em segurança, antes que seu refúgio também seja violado.

    Em seguida eu me inclinava na direção dela e fazia um sinal para ela se aproximar e cochichava para que só ela fosse capaz de ouvir, mesmo que só houvesse nós duas ali. Era a revelação do grande esquema e a exposição do plano.

    -Mas para que qualquer cainita coloque seus pés em uma cidade é necessário que o Príncipe ou Rainha dessa cidade dê a permissão. Você poderia simplesmente jurar que não irá dar a graça da Recepção a ele, isso é claro, se a senhorita medrosa concordar em te apoiar é claro.
    avatar
    King Narrador

    Mensagens : 600
    Data de inscrição : 19/02/2016

    Re: Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Mensagem por King Narrador em 15/3/2017, 16:32

    Ivy solta uma curta risada sarcástica levantando um largo sorriso exótico. Deveras podia sentir que aquela Malkaviana possuía a manipulação necessária para comandar a situação. Assim ela se levanta e dá alguns passos pela sala contemplando seu futuro. Para então se virar rapidamente para ti e com um semblante animado na face concluir suas palavras.

    -Excelente uso das palavras Pixie. Muito excelente. Posso não gostar de esconder a verdade, mas essa história poderia ser tão verídica que será fácil espalhar para a cidade toda. Imagino até a cara Lord Baylor quando ele descobrir que a viajem não planejada dele foi cancelada.

    Ela solta mais um gargalhada. Dessa vez um pouco mais longa e então começa a andar até um espelho na parede da esquerda da sala. Ao qual ela solta seus belos cabelos e fica se analisando por alguns instantes.

    - Nesta alvorada eu irei me deitar como a Rainha de Nova Orleans... Preciso pegar mais roupas para a ocasião. Sem falar das ligações que devo fazer. Que por sinal são muitas. Tenho que estar mais preparada possível. Pois só faltam quase três horas para o evento.

    Ela então se vira novamente para ti e se aproxima de forma calma com um sorriso empático no rosto. Até ficar na sua frente e então ela se agacha para poder lhe abraçar ali em cima do sofá. Um abraço curto, mas forte, logo depois ela se endireita ficando de pé e prossegue falando.

    - Minha querida Pixie. O que você fez por mim esta noite jamais será esquecido. A ajuda que está me dando, a confiança que está depositando em mim, sem falar do que fizera com meu senhor. Muito obrigada por tudo. Obrigada mesmo. Eu poderia agora ficar lhe abraçando a noite toda ou lhe encher de mais sucos de frutas vermelhas. Mas infelizmente o tempo urge e imagino que você gostaria de chegar no House of Blues antes dos convidados. Meu cocheiro estará lá fora disposto a te levar quando vós almejar. Mas se quiser falar mais alguma coisa, qualquer coisa. Eu estou aqui para você minha amiga.

    Ultima Ação Para o Final do Ato
    avatar
    Danto Jogador

    Mensagens : 399
    Data de inscrição : 05/03/2016
    Localização : Casa do Danto

    Re: Eleanor A. Patterson - Ato VII - Nose Sisters

    Mensagem por Danto Jogador em 15/3/2017, 19:26

    Eu sorria ao imaginar a cara de Lord Baylor, porque ao contrário de Ivy eu realmente sabia o quão feio poderia ser esse homem e meu sorriso era só uma forma de conter uma possível crise de risos. Enquanto me dedicava a não chorar de rir da imagem de Baylor em minha cabeça, notava a relação que Ivy tinha com o espelho, tomada por um orgulho inesperado eu me ajeitava no sofá para dizer algo. Entretanto, me mantinha em silêncio diante a movimentação dela e o abraço, eu não esperava por tamanha gratidão. Não fiz o que fiz com esse objetivo, mas receber tamanho carinho e reconhecimento me fazia muito bem.

    -Lembre-se de uma coisinha querida amiga, você não precisa ser boa todo o tempo, você precisa ser boa no tempo!

    Era uma frase que Lady Parry costumava me dizer, algo que eu demorei demais para aprender e que eu esperava que Ivy aprendesse o mais rápido possível. Enfim, eu me levantava e colocava as mãos na cintura, assumindo uma postura informal.

    -Se eu roubar seu cocheiro, você ficaria nervosa comigo? Eu adorei o mestre dos cavalos! Ele é tão...naturalmente...sem nexo! Ah, eu vou direto pro local da reunião, tenho coisinhas a preparar lá e serei algo como a autoridade. Já pensou? Eu como autoridade! Isso vai ser épico!

      Data/hora atual: 23/8/2017, 09:04