WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 24/3/2017, 03:12

    16 de Março de 2002, Berlim.
    Oitava Noite

    O seu encontro com Elizabeth havia tomado algumas horas da sua noite e agora finalmente você se aproximava do final dessa e o começo da madrugada, isso indicava que lhe faltavam ainda algumas horas antes de finalmente abraçar sua primeira prole.

    Haviam opções simples e diretas para o passar do tempo, mas foi uma mensagem em seu celular que atraiu a sua atenção, você ouvia um toque singular, um breve som de um beijo sendo atirado ao ar. E foi a procura desse som que você chegou ao seu celular que estava sobre o criado mudo, era uma mensagem enviada por Luanah e a mensagem era: "Boa Noite, minha Senhora! Hoje não irei ao Malefice, se precisar estarei em meu loft! É aqui no final da rua do Malefice, dá para vir apé! Desculpe a ausência...". Em seguida a jovem enviava o endereço de sua nova morada, de fato era na mesma rua que a sua galeria ficava e não seria nenhum esforço ir até lá.

    Assim, tomando seu tempo necessário para se arrumar, você se colocava em movimentação pelas ruas de Berlim. Algo que você mesma não fazia sozinha a muitos anos, havia uma sensação diferente no ar da cidade, o vento soprava de uma maneira diferente do que você se lembrava e o frio se fazia bastante presente, uma sensação a qual seu corpo se lembrava de sentir apenas em suas noites como mortal ainda na Itália. Sua humanidade estava crescendo cada vez mais e isso trazia benefícios e malefícios inusitados. Mas enfim, logo no final da rua você encontrava o endereço procurado, em um prédio de três andares. O loft da jovem ficavam no terceiro andar e bastou para você, atravessar uma portaria sem monitoramento e apertar o botão do elevador antigo e bastante barulhento se fazer presente.
    Loft de Luanah:

    A porta do elevador se abria e você já via no interior do loft da jovem Luanah, o som forte e moderno já se fazia presente, uma música estranhíssima e totalmente eletrônica. Algo que a filha da lua amava profundamente e que fazia pouco sentido ao seu ouvido mais clássico.

    Sua visão não encontrava a figura da jovem logo de imediato, mas seus olhos atentos viam dois tênis roxos aparecendo na escadaria que levava ao segundo andar daquele loft arrojado e de mobílias fora dos padrões. O som começava a abaixar gradativamente e a pequenina Malkaviana descia as escadas rapidamente.

    -Pietra! Minha Rainha! Pietra! Na minha casa, eu não acredito!

    Dizia a jovem em italiano, demonstrando um enorme sorriso na face. Totalmente orgulhosa do fluente italiano que demonstrava ter finalmente dominado. E assim que ela se aproximava de braços abertos, você era capaz de sentir algo de diferente nela, havia acontecido algo sobrenatural em torno daquela jovem que fazia sua presença agora mais marcante e forte do que outrora fora.
    Luanah:


    Roupas:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 24/3/2017, 13:38

    As horas passadas ao lado de Elizabeth, junto com a descoberta de Nadia haviam tomado algumas horas de Pietra, horas com que a cainita se lembraria com carinho, afinal uma irmã havia sido conquistada e amada, uma irmã escolhida e aceita pela eternidade.

    Ainda perdida em seus pensamentos e recém acontecimentos da noite, Pietra surpreendeu-se com a mensagem em seu celular. Lendo-a com curiosidade um sorriso carinhoso tomou os lábios da cainita.

    A pequena Luahna havia feito um papel crucial para Pietra nas ultimas noites, isso era algo que a cainita não podia negar ou o faria, a pequena Filha da Lua havia conquistado sua parcela do coração de Pietra.

    “ Lorenz não estaria vivo se Luahna não tivesse agido, estou em uma enorme divida com essa pequena.”

    Deixando uma mensagem de aviso para Albert, Pietra pegou um casaco simples e uma bolsa, queria estar com o celular a postos caso fosse procurada por alguém da Espada. Usando a saída lateral do Malefice a cainita se pôs a andar pela quadra de seu refúgio, o frio da noite surpreendeu Pietra, os anos ao lado da imortalidade haviam tirado aquela sensação, tê-la novamente fez a italiana rir consigo mesma.

    Adentrando no pequeno prédio com rapidez, Pietra esfregou as mãos para se esquentar, a portaria vazia era um sinal de que não teria que se explicar com ninguém. Subindo pelo elevador a cainita certificou-se de que seu celular estava carregado o suficiente.

    Um sorriso curioso tomou os lábios da cainita quando esta chegou no Loft, a musica estranha e atual foi uma das primeiras coisas que chamaram a atenção da italiana, não ver a pequena Luahna enquanto dava alguns passos tímidos para dentro do lugar fez Pietra sorrir como uma criança que estava aprontando.

    A música sendo abaixada e o som dos passos de Luahna chamaram a atenção de Pietra, mas foi o italiano vindo da Filha da Lua que fez o sorriso maroto dar lugar a um claro e límpido sorriso de amor.

    Pietra abraçou Luahna com força enquanto esfregava seu rosto nos cabelos dourados da mesma, ainda apertada a cainita chegou a levantar o corpo leve de Luahna para dar um pequeno rodopio no mesmo lugar.

    - Por que eu não viria aqui minha princesa?! Eu tenho tanto a te agradecer que não consegui pensar em nada melhor!

    Comentava a cainita ao colocar Luahna no chão e lhe dando um carinhoso beijo na testa, todas as palavras ditas por Pietra saíram no mais puro holandês que a mesma possuía, era o presente em resposta ao italiano que Luahna agora usava.




    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 24/3/2017, 20:52

    A pequena mulher se jogava nos seus braços e ria como uma criança feliz ao sentir o breve rodopio que vocês duas faziam juntas, agarrada em você com as mãos e as pernas, com os olhos fechados e um sorriso tão verdadeiro na face que parecia se fixar para a eternidade na sua memória como uma das cenas mais felizes que você já vira na vida. No entanto, quando você a colocou no chão e começou a falar para enfim, beijar-lhe a testa, a holandesa se perdia dentro do próprio caos de sentimentos.
    Os olhos dela eram inundados por lágrimas de sangue que arrebentavam com a mesma força de uma cachoeira, o corpo dela tremia e se entregava, desmontando inteiro em fração de segundos. A respiração dela saia do controle e se transformava em uma mistura de risos afobados e um choro cheio de soluços. Encolhendo-se totalmente a jovem firmava os pés no chão e dobrava os joelhos para então cair com as mãos no chão. Batendo as mãos no assoalho e levando-as de imediato contra a face em uma tentativa inocente de esconder o choro.
    Na sua frente agora estava uma linda alma que nunca havia recebido um elogio como esse em toda sua vida, seus olhos experientes e treinados a lerem os sentimentos a compreendiam com facilidade, era como ler um livro aberto, uma história de pura tristeza e humilhações. De resistência e muita luta silenciosa dentro de uma família perversa e maligna por natureza. Ela tentava falar e simplesmente não conseguia, o choro ia levemente se transformando em risadas de vergonha bem baixinhas.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 25/3/2017, 21:41

    As risadas de Luahna encheram o coração de Pietra de alegria, até mesmo a besta da cainita tomava sua participação no carinho cedido para a filha da lua, algo que cainita e besta o faziam com a mais pura vontade de deixar Luahna feliz.

    A reação da holandesa no primeiro instante surpreendeu Pietra, mas o choro entrecortado por risadas fez com que a cainita mais velha risse baixo, com cuidado Pietra tomou o leve corpo de Luahna em seu colo para então coloca-la sentada na cama, uma caricia nos longos cabelos loiros da jovem foi feita com ternura.

    “ La mia piccola, como eu quero protege-la. Cuidar de você!”

    Levantando-se para procurar a cozinha do loft, Pietra não demorou a subir para o segundo andar do lugar, ali a cainita procurou por um pano molhando-o para só então voltar até Luhana.

    Sentando-se no chão Pietra puxou com delicadeza as mãos de Luahna para limpa-las de qualquer sangue que houvesse escorrido, fazendo o mesmo com a face da jovem cainita.

    - Shhh pequenina, não queria faze-la perder o controle. Mas estás tão bela que não pude me conter.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 27/3/2017, 21:44

    Com bastante doçura a pequenina Malkaviana se encolhia nos seus braços e para sua sorte ele era realmente muito leve, logo, tirar ela do chão e levá-la em seus braços até a cama não foi nenhum desafio. Ela logo se encolhia e esperava o seu retorno, assim, quando você descia as escadas com o pano úmido em mãos, encontrava a jovem sentada na cama e com as costas sobre os travesseiros, encostando a cabeça na parede. O tórax dela reagia com pequenos soluços de alguém que acabara de chorar até se esgotar, você então começava a limpar as mãos sujas de lágrimas de sangue da jovem.

    Ela sorria e com a face claramente tomada por manchas de sangue ela brincava de maneira leve e descontraída em seu idioma natal, o holandês.

    -Prometo que não faço mais isso, aliás, prometo tentar nunca mais fazer isso! Eu não estava esperando nada disso, não mesmo! Nadinha! A verdade é que eu não estou em um dia, digo, uma noite muito boa... Sinto que algo mudou, algo importante e ter que voltar ao lugar que sempre me trouxa tanta dor não me motiva a sair de casa, seria regressar tantos passos dados... Entende? Ah! Claro! Me desculpe, aposto que você veio aqui para dizer algo e eu simplesmente estraguei tudo!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 01:00

    O encolhido corpo de Luahna foi prontamente abraçado pela besta de Pietra, o carinho ali depositado era a marca clara do bem que a italiana queria para aquela filha da lua, protegendo-a do que fosse necessário.

    Um sorriso suave se fez nos lábios de Pietra quando ao retornar a pequena Luahna estava encostada na parede, sentando-se na cama para limpa-la a experiente cainita deixou que a holandesa desabafasse.

    “ Preciso ter com Leona. Luahna é irmã dela, não posso simplesmente rouba-la. Não depois de tantas perdas.”

    Limpando com suavidade a face da Malkavian, Pietra beijo-a na testa com ternura.

    - Se você quer dizer que estragou os planos de Althea de ferir Lorenz, estás absolutamente certa. No mais minha querida, tens sido maravilhosamente importante, salvas-te Lorenz, nesta mesma noite ele será abraçado por mim. Me ajudaste a manter a calma com os mais novos, e cuidou para que Althea fosse mantida em segurança.

    Tomando-a para seu colo, Pietra a abraçou com carinho depositando sua face em meio aos cabelos loiros da jovem.

    - Ahhh minha criança. Sei como se sentes, sei como é isso. Mas tens que lembrar que ainda és irmã dos que ficaram, e agora na dor eles precisaram de você. As trevas só existem porque a luz brilha. Tu és a luz de seus irmãos mia bambina.

    Usando o holandês para embalar Luahna, Pietra esperou pelas reações da jovem, sua besta cuidadosamente se deitou no colo da holandesa prestando seu apoio.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 28/3/2017, 01:18

    Os olhos verdes de Luanah finalmente parava de chorar, era como se as lágrimas da jovem tivessem finalmente secado e que deles nada mais sairia, não tão cedo. Ela não resistia aos seus toques e carinhos, na realidade ela os adorava e reagia a todos com um pequenino sorriso. Mas os olhos dela diziam muita coisa, na realidade eles urravam algo totalmente diferente do que ela falava em seguida:

    -Entendo o que diz, Pietra e concordo com isso. Eu realmente pertenço a eles e eles à mim, somos uma família, somos a linhagem Agteren. E dela só restaram três, minha irmã mais velha e meu irmãozinho, Mert. Eu os amo profundamente, escuto seus conselhos com carinho e serei sim para eles a luz que os falta... Eles precisam de mim, obrigada por me lembrar disso.

    A voz dela soava sincera, firme e confiante. O corpo dela reagia da mesma forma, mas você sentia que os olhos dela imploravam por algo a mais, por uma liberdade que ela não tinha. Se os olhos fossem realmente as janelas da alma, os de Luanah refletiam uma alma presa, ferida e em agonia.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 01:27

    Percepção + Empatia = 9d
    avatar
    Dados

    Mensagens : 207
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Dados em 28/3/2017, 01:27

    O membro 'Jess' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 1, 4, 5, 7, 9, 10, 2, 8, 2
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 01:52

    A besta pesou sobre o corpo de Pietra quando viu os olhos verdes de Luahna, por mais que os carinhos fossem recebidos e correspondidos eram os olhos da jovem que preocupavam Pietra.

    “ Que horrores está alma passou, o que a fez ser esse pequeno ser ferido e desesperado?!”

    Sorrindo para Luahna a cainita a beijou na testa, com delicadeza Pietra segurou a face da jovem encostando testa com testa, seus olhos castanhos procuraram os verdes da holandesa.

    - Minha criança... Apenas se acalme, não vou machuca-la, eu prometo.

    Sussurrou Pietra no mesmo instante que a besta abraçou com força as duas cainita, as garras afiadas que deveriam rasgar e ferir, procuravam cada tensão muscular e mental da jovem, acariciavam cada músculo a procura do que prendia Luahna, um ronronar carinhoso ecoava pela garganta da besta em sua calma procura. As garras rasgavam apenas o que prendiam a luz da jovem, tomando o cuidado para deixar a alma da mesma intacta.

    A besta foi a primeira a chorar, Pietra sentiu a dor cada pequena partícula da dor que atingiu a besta, está por sua vez continuou ronronando de forma cálida, mesmo que o ronronar escondesse as lagrimas e a dor sentida.

    Abraçando a filha da lua, Pietra a apertou de encontro a seu peito quando suas lagrimas escorreram, o grito de dor e agonia foi preso em sua garganta, acompanhando o ronronar de sua besta a cainita começou a sussurrar uma canção de ninar, era a mesma que havia usado com Evangeline em suas piores noites.

    Cansada a besta se deitou procurando um espaço no colo da jovem Luahna, quando as garras pararam de trabalhar foi a vez da chuva lavar as feridas, a ancião invocava em sua mente as chuvas de sua juventude ao lado de seu amado, as mesmas chuvas divinas e encaradoras de sua infância, abraçando com força o corpo pequeno a cainita deixou que toda a água de sua vida lavasse as feridas, arrebentassem os grilhões, abrissem espaço para Luahna ser ela mesma.

    Cada pecado forçado, cada dor, desespero ou machucado foi lavado, varrido com todas as forças e por fim beijados como a doçura de uma mãe.


    Off: Presença em 3 Transe. Raciocínio + Empatia + Carisma = 15d + 1FV
    Gasto 1 ponto de sangue.


    Última edição por Jess em 28/3/2017, 02:14, editado 1 vez(es)
    avatar
    Dados

    Mensagens : 207
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Dados em 28/3/2017, 01:52

    O membro 'Jess' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 2, 6, 6, 3, 9, 6, 2, 10, 9, 2, 2, 10, 5, 6, 4
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 28/3/2017, 04:03


    Os grilhões eram destruídos pelas garras da sua besta e na ausência deles as feridas da alma daquela jovem ficavam expostas a olho nu. Pois a cada movimento que sua besta fazia, cada algema ou elo que se partia, o corpo da jovem se debatia e reagia com intensidade. Encolhida dentro do seu abraço, ela agonizava em um mar de puro sofrimento, você se via obrigada a agarrar ela com mais força, pois se não o fizesse ela poderia se ferir.

    Assim a sua besta terminava e caía exausta, Luanah então rastejava para fora dos seus braços e fechava os olhos, respirando profundamente. A presença dela ressoava e se expandia pelas paredes, fazendo os vidros vibrarem e racharem, subitamente ela abria os olhos e a própria boa em sua máxima extensão e amplitude, o corpo dela inteiro reagia como se fosse gritar e urrar com todas as forças de seus pulmões. Mas não era um grito que saia, era o absoluto vazio. Um vazio que só nascia dentro das almas mais depressivas e fustigadas pela maldade que havia nesse mundo.

    E lá estava ela, expondo a dor aos teus olhos em sua última súplica desesperada por ajuda. E lá estava você a clamar pela chuva, a força derradeira que modificava a tua vida, a constante máxima, o verdadeiro pilar de purificação. Foi dentro daquele loft, nos subúrbios de Berlim Oriental que a tua força finalmente se fez presente, a força do seu Vitae e da sua Vontade. Tão poderosa como os contos mitológicos diziam que os Cainitas eram, você chamou pelo primeiro trovão, esse caiu dos céus e iluminou a noite da cidade de Berlim, forçando a água a cair torrencialmente dos céus.

    A luz elétrica se enfraquecia, timidamente se minimizando e esvaindo. Perdendo a disputa de forças com a luz dos trovões que cortavam o céu negro de Berlim. Aquela chuva era sua, estava ali por você. E o vento gelado e úmido que invadia a janela, junto com a água que molhava o chão da sala, invadia o ambiente onde vocês duas estavam e começava a curar aquela alma desesperada. Seus olhos testemunhavam, individualmente, cada trauma da jovem ser revisto e apaziguado. Os sentimentos, os terrores, os pecados, todos eles eram expostos e lavados com carinho pelos ventos que obedeciam a sua vontade de salvá-la... E quando os espelhos finalmente se partiam, a jovem gritava pela primeira vez em sua existência, gritava feliz por estar livre! E seu grito revelava a presença de um sangue poderoso dentro daquela jovem, tão poderoso quanto Rebeka poderia ser. Ofegante e finalmente livre, ela levou os olhos na direção dos seus e eles brilhavam como duas pedras macicas de jade.

    -Não me faça voltar, não me faça ficar! Tudo que eu mais quero em minha vida é fugir para longe desse martírio, sozinha não sou capaz! Eles já me provaram isso! Não sou mais capaz de proteger o que eu jurei só com as minhas mãos e meu sangue, esse sofrimento tem que chegar a um fim! Eu lhe imploro, sinceramente, eu rogo a tua clemência! Eu não fiz nada por interesse, eu não salvei teu filho para receber teu favor! Eu o salvei do mesmo destino que eu tive que viver, das trevas que me devoraram! Por tudo que é mais sagrado nesse mundo, não me deixe voltar nunca mais aquela mansão! Juro que não serei um fardo,  juro que não lhe causarei nenhum mal nunca! Tão pouco aos teus queridos e amados! Eu juro tudo que quiser ouvir, só por favor, não me faça voltar lá! Eles irão devorar a minha Luz como sempre o fizeram! Deixe-me ajudá-la a brilhar! Eu serei boa...

    O seu poder havia destravado a verdadeira essência da jovem, a sua besta partido todas as censuras e dominações a ela impostas. Luanah estava viva na em sua frente, pronta para estar eternamente ao seu lado e naquele instante você sabia que a luz dela era incomparável e especial.

    -Diga, Pietra, que você me vê como sou! Pois eu sou grata, por tudo! Foi a sua Luz que me salvou e eu moverei os céus para que a sua jamais seja devorada como a minha outrora fora! Só por favor, me acolha, eu não tenho mais ninguém nesse mundo...


    Última edição por Danto em 28/3/2017, 12:14, editado 1 vez(es)
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 11:10

    Besta e cainita sentiam o cansaço do que fizeram, a besta por rasgar os grilhões chorava pela dor sentida sem demonstra-la, a cainita por ter contido o corpo da jovem impedindo-a de se machucar e, cada lagrima que escorria de seu rosto era pesada como a chuva, limpando cada ferida e trazendo novos horizontes para a jovem Malkavian a sua frente.

    Respirando com dificuldade Pietra não pode deixar de acompanhar cada reação do corpo de Luahna, o grito silencioso fez a mais velha tampar os ouvidos em agonia, aquele grito havia sido o ápice de muitas de suas dores, dores de Evangeline e agora as dores da jovem, a besta se encolheu diante disso, mas se manteve ao lado de sua cainita.

    “ Vamos mia piccola, lute. Eu sei que você consegue, vamos você é gigantesca e mal sabe disso!”

    O quebrar dos espelhos fez com que Pietra se encolhesse, mas a brisa fria e gelada marcada pelos trovões que caiam sobre Berlim trouxeram consigo um grito, era o grito de liberdade por fim alcançada, um grito que fez a besta de Pietra rugir feliz e a cainita rir.

    Cada palavra da pequena Luahna foi ouvida com atenção, as dores ainda eram recentes mas haviam sido deixadas para atrás, a força sanguínea e de espirito da jovem, jovem que demonstrava ser muito maior do que sua simples aparência.

    Um riso cristalino marcou os lábios de Pietra, era um riso de alivio e alegria, deitando-se ao lado de Luahna a cainita deixou-se ficar ali, um abraço calmo foi dado na jovem assim como um beijo em sua testa, brincando com os cabelos da mesma Pietra encarou aqueles olhos verdes com intensidade.

    - Não me faça promessas... Por favor não o faço. Eu vejo quem és, vejo sua força e seu desejo. Ahh minha criança como eu poderia abandona-la? Não eu não seria digna de estar viva se o fizer. Serás tão minha quanto minhas proles, tão protegida quanto elas. Minha tulipa dourada em meio a minhas rosas. Agora tens a mim, tens a Eva e seu ciúmes, dois irmãos mais novos que vão ama-la. Não estas mais sozinha, nunca mais minha criança.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 28/3/2017, 12:26

    Os olhos vívidos de Luanah observavam a sua movimentação com ansiedade, logo em seguida a jovem se virava na cama para ficar com a face virada para você e ouvindo as suas palavras, a pequenina menina finalmente se acalmava. Pela primeira vez, ela estava em paz e segura. A calmaria se expandia por todos os locais, incluindo a chuva que diminua gradativamente até se tornar uma garoa leve.

    Suavemente o rosto dela desenhava um sorriso maroto e uma expressão brincalhona, ela levava uma mão até o seu nariz e tocava a pontinha dele com delicadeza, falando em italiano para que você a entendesse sem nenhuma perda ou dúvida.

    -Eu amarei cada um deles, cada um da nossa família. Posso prometer isso né, mamãe?!

    Radiante como nunca fora antes, a jovem malkaviana de sangue forte ria consigo mesma após chamá-la de "mamãe", era uma pequena celebração.

    -Acho que consigo conversar agora, eu me sinto beeeeem melhor!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 13:02

    O sorriso não se apagava do rosto de Pietra, ver os movimentos de Luahna para ficar a sua frente fez com que Pietra a braçasse, sua besta também o fez recebendo a jovem com todo o carinho que tinha.

    “ Minha pequena criança. Lutarei por você com minhas garras se for necessário.”

    Surpresa por ter seu nariz apertado e ser chamada de mãe, Pietra não conseguiu se controlar, tomando a face de Luahna em suas mãos a cainita a distribuiu beijos pela face da jovem enquanto ria feliz.

    - E você esperava me chamar como? Hamm minha pequena? Claro que você pode me prometer isso, porque eu lhe prometo que irei protege-la.

    Mordendo a bochecha da filha da lua com carinho Pietra a apertou com força em um abraço claramente maternal.

    - Fico feliz que você esteja bem minha pequena. Precisamos pensar em como agir diante de seus irmãos. Não permitirei que eles a levem, mas não posso simplesmente ignora-los.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 28/3/2017, 13:45

    A pequena jovem na sua frente, que agora será para sempre chamada de sua tulipa, sua filha, reagia de maneira divertida ao seus beijos. Como uma criança levada, ela se debatia um pouco e fechava os olhos fazendo uma careta e balançando as mãos tentando se esquivar sem nenhum sucesso dos seus beijos. Já a sua leve mordiscada em sua bochecha não só deixava uma marquinha, como a fazia ficar totalmente rosada e rindo baixinho.

    As risadinhas dela só acabavam quando você começava a falar, ela fechava a boca e escondia os próprios lábios para dentro da boca em uma expressão pensativa, cerrando levemente os olhos e se esforçando para bolar um plano para resolver a situação.

    -Já sei! Fala pra Eva e a Beth irem resolver a situação! Quero ver se alguém vai soltar um pio!

    Brincava a jovem com um sorriso maroto na face, mas logo ela tentava falar algo mais coerente.

    -Olha, a Lorena é agora a líder da minha linhagem. Meu Senhor foi devorado por ela durante o combate, eu não a culpo na realidade, afinal eu vi vários aliados e irmãos se enfrentando por causa do domínio de mentes que ocorreu lá. Ou ela devorava ou era devorada... Mas ela não ficou mais poderosa, então ela não cometeu o pecado sabe... Acho que ela não conseguiu fazer, o que eu quero dizer é: A melhor forma de lidar com isso é dizendo que você será minha tutora. Sabe? Eu sou uma neófita inexperiente que precisa de uma figura de liderança...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 28/3/2017, 14:22

    Segurando o riso diante das tentativas infrutíferas de defesa contra a onda de beijos Pietra sentia seu coração cada vez mais amar a pequena tulipa de seu jardim, apertando-a com força a cainita deixou-se ficar assim, abraçada e sem preocupações.

    Uma risada suave escapou de Pietra ao ouvir sobre a ideia de enviar Evangeline e Elizabeth para conversar com Leona, balançando a cabeça com isso Pietra encarou os olhos esmeraldas de Luahna quando suas palavras se tornaram mais sérias.

    “ Vejo bom senso nela, isso lhe será bem útil. Quem sabe um dia ela possa dar bons conselhos aos mais novos.”

    - Não vou julgar ninguém pelo o que aconteceu naquela noite, simplesmente não posso. Mesmo que ela não tenha cometido o amaranto eu não poderia julgá-la. Preciso ir até Leona para lhe explicar que você está sobre minha tutela, se for possível oferecer ajuda a ela, apoia-la e demonstrar que sinto por sua perda. Se nada der certo usamos a carta Eva e Elizabeth.

    Comentava a cainita com um tom brincalhão apenas no final, era claro que Pietra pretendia proteger Luahna, mas não compraria uma briga desnecessária no processo de tutela-la, não quando os irmãos da jovem também sofriam.

    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 28/3/2017, 23:55

    A pequenina e serelepe jovem concordou com um balançar positivo e veemente com a cabeça, para em seguida dar um beijo na sua bochecha e saltar da cama, ficando de pé sobre a mesma. Deixando marcas da sola do tênis no lençol limpo, claramente sem se importar com isso.

    -Eu já sei! Você pode usar uma carta importante que a Lorena não vai poder contrapor! Dê a ela a autorização de prole, pra ter alguém que possa me substituir mais propriamente!

    Orgulhosa ela sorria, como se tivesse dito algo completamente genial e inesperado. Em uma fração de segundos ela se ajoelhava na cama e mudava a postura inteiramente, apoiando as mãos no colhão e olhando curiosa para você.

    -Mammie, você sabe de tudo que aconteceu na noite do Festim?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 29/3/2017, 00:44

    Os movimentos esguios da jovem Luahna eram seguidos com carinho por Pietra, a cainita sentia cada pequena mudança na holandesa, mudanças causadas de uma forma que a cainita nunca esperaria.

    " Eu cresci, por fim alcancei um patamar que nunca imaginei. Isso é bom ou ruim?! Quais responsabilidades isso me trará?

    Sorrindo com o beijo em sua face e as palavras de Luahna, a cainita mais velha se sentou pensando por alguns instantes, havia certa concordância quanto a Bênção cedida e talvez isso pudesse aplacar os ânimos da nova matriarca da família Malkavian.

    - Talvez seja uma boa idéia. Uma bênção dessas seria útil para restabelecer sua família, apaziguar dores. Considerarei essa idéia com carinho mia ragazza. Mas não se preocupe iremos encontrar um modo de protegê-la, não deixarei que retornes se isso a fere tanto.

    A mudança brusca da jovem fez Pietra se endireitar na cama, cruzando as pernas a cainita balançou negativamente a cabeça, muito ainda lhe era desconhecido sobre o que se passará no Festim, mas certeza das inúmeras dores e perdas não passaram despercebidas por Pietra.

    - Não ao todo, pouco me foi dito por Evangeline e Caroline , mas sei sobre a perda de Rahel e outros. Todos os nomes não sei ao certo. Arthur... Friederich foi resgatado por Caroline dentro do abismo, este foi aberto por Rahel para conter a Imperatriz, mais do que isso me é desconhecido figlia.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 29/3/2017, 01:12

    -Mammie, eu não me preocupo mais com isso. Eu sei que você vai me proteger, eu sinto isso com todos os meus nove sentidos!

    Respondia a sua nova filha, erguendo as duas mãos e mostrando nove dedos levantados para indicar visualmente o que a fala dela dizia. Ela abria a frase com um termo em holandes, mas todo o restante da frase era pronunciada em italiano, com um sotaque delicioso típico da região dos países baixos. Em seguida ela inciava uma longa narrativa, em um tom de voz de proclamação, como um poeta narrativa os acontecimentos de uma grande história.

    -Tudo começou após a saída de vocês do Festim, quando Althea ergueu os ânimos de nossos irmãos e irmãs da espada! Marchamos como um só pelas ruas de Berlim, até nos aproximarmos das redondezas do teatro, lá, havia outra tropa! Menor, mas muito mais feroz! A frente dela havia uma guerreira, uma heroína, Isabella Correlli! A própria! A vitoriosa! Ela então nos liderou, guiando nossas forças unidas até a praça de entrada do Teatro, de dentro daquelas portas malditas, a Imperatriz saiu. Carregando nosso Arcebispo ao seu lado, como um vassalo da dominação. Rahel, Correlli, Althea e Elizabeth fizeram a linha de frente! Foi um horror! Pois a Matusalem ordenava que os aliados se destruíssem... A batalha avançou com muito sangue, dor e horrores nos olhos daqueles que caiam para seus próprios irmãos e irmãs... E simplesmente, Rahel ergueu as mãos ao céu e convocou as trevas desse mundo, implorando para que elas devorassem a Imperatriz e salvassem os inocentes! E assim todos da linha de frente havia sumido, Caroline então correu e se atirou nas sombras... Instantaneamente, das trevas subiram criaturas do abismo sedentas como abutres pelos corpos dos caídos! Nós defendemos quem conseguimos, mas fomos forçados a fugir e deixar que o local se fechasse sozinho...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 29/3/2017, 11:01

    Rindo com as palavras de Luahna sobre seus nove sentidos, Pietra sentiu um carinho gigantesco por sua filha, não importava se ela fosse ou não uma rosa, ainda era uma flor a ser protegida no jardim da anciã.

    " Ela está certa, a protegeria do mundo se fosse possível.

    Prestando a mais pura atenção nas palavras de Luahna, Pietra fechou os olhos enquanto seu cenho tornava-se sério, saber do que ocorrerá e de como a Imperatriz havia sido cruel deixava a cainita triste. Muitos haviam presenciado o terror de seus irmãos serem dominados, até mesmo o sacrifício de Rahel era um golpe pesado que a Espada havia sofrido.

    - Caroline adentrou nas sombras para resgatar o corpo de Friederich, ela se arriscou muito por nós... Durante o Conclave fui eu que anunciei a chegada da Imperatriz. Ela invadiu minha mente e me forçou a fazê-lo, quando dei por mim estava no chão com meus joelhos quebrados d gritando sua chegada. Friederich estava ao meu lado, mas fui levada por Violetta, minha antiga protetora da época que pertencia a Torre. Violetta foi mais minha senhora do que meu criador, ela me levou para longe do combate, me protegeu das atrocidades que aconteceram.

    Encolhendo seu corpo Pietra abraçou seus joelhos não era uma ação defensiva, mas o simples mencionar da Imperatriz ainda era assustador. Abrindo os olhos para Luahna a cainita sorriu de leve, estendendo uma de suas mãos para a jovem.

    - Talvez se eu tivesse ficado, teria me tornado um peso para todos os outros. Mas não podemos mudar o passado, essa chance não nos é dada pela segunda vez. Irei trabalhar para concertar esse erro, cuidar dos feridos que sobreviveram. Obrigada mia figlia, é bom saber o que aconteceu, poderei agir melhor agora.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 30/3/2017, 10:09

    -Então eu sou eternamente grata a Violetta, por ela ter protegido a minha Mammie...

    Responde Luanah quase que como uma resposta imediata a sua primeira frase, todavia, a voz dela saída baixinho como se ela tivesse sussurrado para os próprios ouvidos e não necessariamente vocalizado intencionalmente a frase dita. Em seguida ela dava um beijo rápido em cada mão, para em seguida tocar os seus joelhos com as mãos, "curando-os" das feridas que ainda poderiam estar ali.

    -Não se culpe pelas curvas do destino Mammie, o que teria sido de nós sem você e nosso Arcebispo? Teríamos ficado sob o controle de Althea e ela ainda pensa em guerra contra os outros! Nós iremos sempre sentir falta daqueles que perdemos, mas sentiremos muito orgulho daqueles que olharam sempre por nós. A espada te ama e te respeita Mammie, eu sei, porque eu sou e convivo com os mais jovens.

    Ela então retribuía seu gesto, segurando na sua mão e sorrindo feliz para você. Ela seguia falando em italiano, exceto as vezes em que ela te chamava por mamãe em holandês. Com uma notória curiosidade ela inclinava a cabeça para a esquerda e perguntava.

    -Você me disse que existirão duas rosas. Lorenz é uma, quem é a outra? Você já tem uma rosa mais antiga?! Uau!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 30/3/2017, 10:30

    O sussurrar de Luahna fez com que Pietra sorrisse, Violetta agora dormia em paz, coisa que já deveria estar fazendo à alguns anos, anos em que Pietra havia se escondido de seu passado. O toque suave da jovem em seus joelhos trouxe de volta a cainita, seus pensamentos sempre se perdiam na figura gigantesca de Violetta.

    “ Mia signora, amarias tanto esta picolla. Um dia talvez eu lhe apresente minha filha adotiva. Um dia...”

    Beijando a testa da jovem, Pietra cruzou as pernas para ouvi-la melhor, um concordar de cabeça foi feito conforme a mesma se pronunciava, o italiano vindo de Luahna soava como musica nos ouvidos de Pietra, em retribuição o mais puro holandês era usado pela cainita mais velha, salvo é claro as velhas palavras em italiano que sempre escapavam de Pietra.

    - Fico feliz em saber disso, acreditei por muito tempo que eu era apenas um rosto... Eu vi o orgulho das crianças de Berlim quando enfrentei Althea, mas ela cometeu um erro que eu não podia perdoar... Eu fiz promessas que não poderia quebrar, então tive que mostrar meus espinho mia picolla.

    Comentava a cainita com um suave sorriso nos lábios, a pergunta sobre suas rosas fez Pietra rir feliz, a simples ideia de ter Lotte ainda lhe era nova e surpreendentemente boa, sua rosa negra era forte e audaz, uma perfeita rosa da Espada. Puxando Luahna para que esta se deitasse em seu colo, Pietra apertou o nariz da jovem com delicadeza.

    - Sim, Lorenz é minha rosa branca. E hoje minha rosa negra, criada durante o festim se apresentou com o novo bando... Ela é tão bela mia picolla, me deixará tão orgulhosa. Mas não se esqueça, serás sempre minha tulipa esse é um lugar especial e só seu.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2944
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Danto em 31/3/2017, 21:37

    Sentada na cama ao seu lado, a sua pequenina tulipa sorria radiante ao ouvir as suas palavras sobre ela ter sempre um lugar ao seu lado. Os olhos dela até marejavam por causa do vitae, mas não chegavam a chorar, parecia ser só uma reação irracional que a jovem sequer tinha como controlar ou resistir. Ela estava feliz e isso transbordava pelo espírito e pelo corpo dela a todo instante.

    -Apena um rosto? Você?! Por favor né, vamos ser sinceras aqui. És bonita de doer os olhos!

    Ela segurava uma risadinha divertida e descontraída para então comentar sobre a sua rosa negra.

    -Eu ouvi que um bando novo iria ser apresentado após o Festim. Os rumores eram de que haveria herdeiros de linhagens de destaque entre os jovens e que eles seriam incríveis! E nesse bando está a sua rosa negra! Que legal! Agora, deixa eu perguntar uma coisinha... Eu serei tipo, a irmã mais velha das suas rosas Mammie? Como deverei me portar diante elas ou de Evangeline?!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1668
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - Narrativa de Pietra: Beautiful People

    Mensagem por Jess em 1/4/2017, 13:21

    O lagrimejar de felicidade, até mesmo a própria delicadeza de Luahna fazia com que besta e cainita suspirassem felizes, a besta tomava a iniciativa de deitar-se no colo da jovem esperando claramente por caricias e mimos, já Pietra se contentava em estar sentada ao seu lado.

    - Não posso negar que tenho uma certa beleza, mas rostos bonitos não enchem a mesa. Eu permaneci muito tempo focada em meus trabalhos, agora preciso me focar nos filhos da Espada.

    Comentava Pietra para a cainita mais jovem, brincando com os macios cabelos de Luahna, um gesto terno de carinho.

    “ Então Friederich havia preparado tudo. Ele fez bem em criar um novo bando, isso aumentou a moral dentro da Espada. “

    Rindo sobre a pergunta de Luahna, Pietra fechou de leve os olhos pensativamente, era certo que Evangeline sempre seria uma incógnita, mas Pietra sabia que sua musa se compadeceria da jovem filha da lua, era apenas questão de tempo e de ambas se conhecerem.

    - Para minhas rosas serás exatamente quem és. Tu tens mais experiência e algumas conquistas, Lorenz com toda a certeza a amará, Lotte me é desconhecida mas vejo nela alguém inteligente, provável que ela a ame. Já Eva... Digamos que Eva ficou por muito tempo confortável de sua posição, você ter sido a estrela do Festim a deixou ciente de que precisa se mover. De tempo para que Eva se acostume a ideia, peça conselhos e a trate com carinho. Logo estarás no coração dela, tenho certeza mia picolla.

      Data/hora atual: 20/10/2017, 01:22