WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Danto em 15/4/2017, 13:41

    A pontinha do nariz da jovem ficava avermelhada quando você dizia que iria cuidar dela, essa vermelhidão irradiava dali para o restante da face de uma maneira bem fraca e sutil, até desaparecer completamente na altura das bochechas dela. A jovem então tirava o celular do bolso de trás e sentava, procurando no aparelho a foto até finalmente encontrar e mostrar para você. Naquele exato instante, a sua mente era pega de surpresa. A sua suspeita se transformava em realidade, a foto não era muito boa e estava escura, os detalhes do ambiente remetiam a o interior de um pub ou clube noturno. Todavia, não haviam dúvidas, era Masdela! Com roupas bem mais modernas e uma postura diferente, mas era ele! Não haviam dúvidas disso! Seu irmão mais velho, a primeira prole de Elonzo, estava em Berlim e havia encontrado você. Mas o que isso significava? O que ele queria?!

    -Lorenz uma vez me disse que eu deveria ficar atento ao sotaque italiano ou à italianos, isso ficou na minha mente sem eu sequer notar. Quando eu conheci o Marcus, ele falou em alemão e havia muita semelhança entre o seus sotaques. Sabe?! Então eu fiquei curiosa e tirei essa foto...

    Comentava a jovem com o francês fluente dela.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1842
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Jess em 15/4/2017, 17:56

    A pequena onda de vermelhidão que passou pela face de Aylena fez a cainita sorrir, sua besta ronronam em resposta a isso, uma pequeno sentimento de carinho começava a crescer no íntimo das duas.

    " Aylena é livre, mas será que ela aceitaria se tornar minha vassala?! Seria algo que a ocuparia e lhe daria um novo sentido.

    A besta recuou por completo ao ver a foto no celular de Aylena, um choro medroso escapou da besta enquanto a mesma se escolhia no colo de sua cainita, os olhos de Pietra endureceram sem que a mesma percebesse.

    - Masdela, mio fratrello.

    Tocando de leve a mão de Aylena, Pietra apertou com leveza e carinho sorrindo para a mesma.

    - Escute bem Aylena mia amata. Não se aproxime desse homem, ele é tão velho quanto eu, na verdade mais velho. Ele é meu irmão da noite, fugi por muito tempo dele, vejo que agora ele me encontrou. Já não posso mais fugir e não o farei. Mas quero sua segurança mia amata, fique longe dele.

    Tomando a face da jovem, Pietra beijou-lhe a testa com carinho.

    - Obrigada por me avisar mia amata, Lorenz estava certo quanto a ter cuidado com outros italianos.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Danto em 15/4/2017, 20:05

    -Me diga uma coisa, Pietra, Lorenz já esteve errado alguma vez? Eu simplesmente não consigo me recordar!

    Respondia a jovem em um tom de voz mais descontraído, adicionando uma leveza que caía muito bem dentro daquela cena, a pequena piada até fazia a sua besta sorrir um pouco e não ficar tão presa em seu sentimento de medo em relação a essa figura específica do seu passado.

    -Ele não me pareceu uma pessoa perigosa, na verdade ele foi bastante gentil o tempo todo, tratou-me como Rainha, sabe? Mas no fim ele parecia muito mais interessado em saber quem era a dona da galeria que eu frequentava. Até que ele acabou por revelar o seu nome e quando o fez, eu vi algo nos olhos dele... Havia algo verdadeiro ali... Eu não sei o que aconteceu entre vocês, também não sou muito de acreditar que as pessoas possam mudar, mais nenhuma pessoa vive mais do que duzentos anos né? Não sei como funciona essa lógica para vocês...

    Ela fazia uma pequena pausa e olhava para a sua mão, desenhando um pequeno sorriso ela notava que seu toque não estava mais tão gelado quanto fora. Colocando a mão dela sobre a sua, a russa falava sorridente.

    -Existe algo que eu ainda possa fazer por você?! Quer que eu lhe diga onde eu o encontrei?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1842
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Jess em 15/4/2017, 22:57

    A pergunta de Aylena sobre Lorenz fez com que Pietra risse, até mesmo sua besta riu disso retirando-a da pequena defesa que a mesma havia feito no colo de sua cainita.

    As palavras da jovem trouxeram velhos pensamentos e ponderações para a mente da cainita, a simples lembrança de seu irmão a enchia de duvidas e receios, os mesmos que o tempo não havia conseguido apagar por completo, Pietra acariciou os cabelos de sua besta.

    “ Masdela... Sei que muitas questões ficaram abertas entre nós dois. Será que eu conseguiria resolve-las? Sinceramente não quero encontra-lo, mas também não quero correr o risco de causar um escândalo no baile de Elsa, ela não me perdoaria por isso.”

    Sentindo o carinho em sua mão Pietra sorriu para Aylena, segurando a mão quente da jovem a cianita concordou com um leve aceno para a bela russa ao seu lado.

    - Quando se vive por mais de duzentos anos alguns conceitos mudam, o próprio tempo nos muda. Mas já que meu irmão está aqui e parece que ele não vai desistir... Preciso botar alguns panos a limpo. Eu ficaria grata em saber onde encontra-lo mia amata.

    Ainda segurando a mão de Aylena, Pietra a estudou com interesse, não era o mesmo que havia feito a cainita se aproximar da jovem, era algo que aos poucos se formava na mente da cainita.

    - Deixe-me lhe contar uma novidade. Noite passada Lorenz se tornou meu filho, então ele não vai ser mais tratado como meu vassalo, agora ele é muito mais do que isso. Uma jovem chamada Theresa ocupou o lugar dele, mas temo que sejam muitas tarefas só para ela, ainda mais agora que comecei a criar um jardim de filhos e ele só parece aumentar.

    Puxando a mão de Aylena para seu colo, Pietra se sentou de frente para a mesma com um sorriso carinhoso em seus lábios.

    - Sei que o que vou lhe oferecer parece precipitado mas, eu gostaria que você pudesse me servir, mais do que alguém que me sacia a fome. Não peço uma resposta sua agora, mas gostaria que você pensasse no assunto. Tudo bem mia amata?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Danto em 15/4/2017, 23:17

    Aylena olhava com curiosidade para o que você falava, ela nunca fora uma jovem de resistir ao seu toque ou carinhos, de certa forma ela havia encontrando em você uma pessoa com a qual ela poderia ser sincera e livre. Foi assim que os encontros de vocês começou e terminou para evoluir para a que é hoje. A curiosidade dela aguçava ainda mais quando o abraço de Lorenz era anunciado e explodia em uma expressão de surpresa, olhos arregalados e boca aberta quando o convite era feito. A sua besta segurava o riso ao ver a reação tão espontânea e expansiva da jovem.

    E a mesma simplesmente começava a falar em russo, em um to baixo e descontrolado. Percebendo o que fazia, ela começava a rir de nervoso. Se esforçando para retomar o francês:

    -Me deus do céu, tudo bem? Nossa! Eu não sei como começar a pensar nisso, quer dizer, na verdade eu sei. Eu já imaginei tantos cenários diferentes, nós duas nos casando, nos duas nos odiando, Eva me atirando pela janela, eu sendo sua escolhida como filha, você sumindo e eu achando que era tudo um sonho... Tenho uma mente bastante ativa! Desculpa, eu to falando um monte! Que falta de educação! Er, bem, sabe olha só eu tenho sim uma resposta! Não quero ficar pensando nisso, não vai me fazer bem! Eu quero!


    Ela então olhava diretamente para a sua face e abria um enorme sorriso, falando em um tom de voz brincalhão em seguida:

    -Eu só não sei passar nem lavar roupa. Mas vou começar meus estudos em moda! É alguma coisa né?!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1842
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Jess em 15/4/2017, 23:58

    Cainita e besta não conseguiram conter o sorriso alegre em seus lábios, a besta mais ousada se deitava no colo da jovem abraçando-a pela cintura enquanto se divertia com a reação espontânea de Aylena.

    “ Esta mia amata é uma caixinha de surpresas!”

    Rindo das palavras sobre os cenários imaginados pela jovem Pietra puxou a cabeça de Aylena para seu colo beijando-lhe a testa com carinho.

    - Sabe acho que você deveria escrever seus cenários, quem sabe você não se torna uma escritora hein?!

    Brincando com os cabelos da jovem Pietra não deixava de sorrir para a mesma, com calma a cainita deixou que a primeira euforia passasse por completo.

    - Bom, meu relacionamento já ultrapassou o casamento em muitos aspectos, e Eva não costuma atirar pessoas pelas janelas, quanto ao ódio, acho muito difícil mia amata. Não lhe pediria nada que você não fosse capaz de fazer, além do mais Lorenz sempre gostou de ele mesmo cuidar das roupas. Fico feliz com a sua resposta, mas vou lhe pedir algum tempo para preparar o terreno, deixar Theresa e Albert avisados. Posso lhe prometer que quando a hora certa chegar, não exitarei em transforma-la em minha prole, apenas não quero prende-la a nada mia Lena.

    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Danto em 16/4/2017, 16:08

    Lena não só aproveitava para colocar a cabeça no seu colo, como também se deitava no sofá e jogava os pés dela por cima do braço do mesmo, deixando-os a balançar no ar. Ela fechava os olhos e mantinha o sorriso na face enquanto recebia o seu beijo, para logo em seguida prestar bastante atenção nas suas palavras e ficando um pouco mais vermelha quando você começava a responder aos cenários que ela havia imaginado.

    -Eu não consigo acreditar, é surreal! Meu maior medo era de ser apenas mais uma dentro do seu rebanho, sei que você jamais trataria alguém como apenas mais um, mas no fim nem todos são interessantes o suficiente, sabe? E aqui estou a ouvir você reagir a minha imaginação... Eu nunca pensei em escrever, mas estou tão feliz que vou até fazer uma tentativa!

    Ajeitando-se ali com a cabeça no seu colo a lindíssima e jovial Lena te observava por alguns breves instantes e esticava a mão para tocar com a ponta do indicador esquerdo o seu queixo. Soltando um riso baixinho, como se tivesse a se certificar de que não estava a sonhar.

    -Tome o tempo que for necessário! Eu irei esperar, prometo enquanto isso me comportar e evitarei encontrar com o teu irmão. Ah sim, quase me esqueci, você o encontrará, nesse endereço aqui...

    Ela lhe esticava o celular com uma mensagem, enviada na noite anterior à ela por "Marcus". Nela havia o endereço do instituto KW de arte contemporânea, na realidade, era o endereço de um hotel localizado em frente a famosa galeria de arte moderna, localizada na parte ocidental da cidade. E até onde o seus conhecimentos lhe diziam, a galeria pertencia à Fabienne LeBeau, prole de Elsa.
    [Off: Ultima ação para o final do ato]
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1842
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Jess em 16/4/2017, 18:51

    A cainita não escondia o sorriso ao ver que Lena se esticava no sofá confortavelmente, sua besta não perdia tempo e se enterrava nos braços da jovem esperando a melhor oportunidade para ser abraçada, até mesmo o leve rubor da russa deixava ambas felizes.

    - Entendo suas preocupações, de certa forma é triste que eu não possa colocar todos sobre minha proteção. Seria chamativo demais e eu gosto de simplicidade.

    Apertando de leve o nariz da mesma quando Aylena tocou seu queixo, Pietra riu concordando com as palavras da jovem, precisaria de tempo para avisar Albert e Theresa, além de sua musa e os outros cainitas que a acompanhavam.

    - Obrigada mia amata, essa noite você me deu muito o que pensar e eu já tinha algumas tarefas a fazer, não posso simplesmente ignora-las.

    Recebendo o endereço de Lena, Pietra o decorou com rapidez, sua besta rosnou baixo sabendo o que sua cainita queria, embora o nome de Fabienne preocupasse a ambas era o simples fato de não querer magoar Elsa que forçava Pietra a tomar uma decisão.

    “ Elsa não me perdoaria... Com um pouco de sorte posso ser racional com Masdela, além do mais Elonzo está dormindo já não pode me atingir. Não em Berlim.”

    Acariciando os cabelos de Aylena a cainita a beijou na testa novamente abraçando-a com carinho.

    - Não se preocupe com nada, foque em seus estudos e cresça da forma que quiser crescer mia amata, não lhe imporei nenhum grilhão ou controle, apenas peço que fique segura nas próximas noites.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato VIII - Narrativa de Pietra: Die Weiße Blume

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 15/12/2017, 19:32