WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Compartilhe
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 21/4/2017, 19:33

    Foi meio estranho segurar aquele celular daquela forma por um tempo, felizmente a chamada deu certo. Quando a imagem dela aparece na tela fico visualmente encanta. Um misto de surpresa com encanto. Afinal ela não havia só mudado da água para o vinho, como estava realmente muito bela. Era gratificante poder ver alguém que também usava maquiagem compartilha uma idade avançada. Mas o cabelo dela estava muito mais belo que o meu e minha mão livre inconscientemente tocou na tela e depois nele enquanto eu ouvia as palavras dela.

    "Se ela suspeitava porque mandou um incompetente me encontrar? Será que vou estar perdendo meu tempo nesta ligação? Pelos Deuses que não. Ela é muito sábia, provavelmente estava dando uma última chance para a prole de sua prole. Assim espero, pois por mais que possuo outros meios de fazer a minha guerra, ter o apoio dessa poderosa anciã seria gratificante ao extremo."

    Este pensamento me dava um nó na gargante. Entretanto não tinha tempo a perder. Havia muitas pessoas para eu conversar e muitas decisões difíceis para se tomar para ficar perdida em pensamentos de dúvida. Assim comecei a conversa em profunda educação. E demonstrando uma certa estamina.

    - Letízia! Não nos vemos desde Florença! O seu cabelo está fascinante, cheio de vida, fico até envergonhada de você ver o meu todo antigo e desbotado! O ar da Toscana lhe fez muito bem.

    Meu tom de leve mudou para a frase seguinte. Estava na hora de mostrar meu incômodo. Não posso ser apenas uma boneca de marionete que aceita maus tratos. Assim prossegui falando com um leve tom de censura, só que tentando deixar claro que meu incômodo não era para com a Matriarca La Sombra diretamente.

    - Infelizmente estou um pouco desapontada com a você, Letízia. Aquele rapaz que me enviou se mostrou terrível em manter uma conversa civilizada. Incapaz de um pingo sequer de coragem e etiqueta. Fora a indisciplina de ao menos fazer uma barba bem trabalhada ao acordar.

    Terminado a apresentação e a reclamação estava na hora do assunto principal. Dava uma curta pausa para estalar minha coluna simulando uma profunda respiração e então prossegui. "Meu plano precisa de mudanças e de pinceladas de honestidade. Afinal jamais alguém acreditaria no que Lorenzo fez conhecendo ele de fato. Assim preciso estar na mesma página com ela, isso se em algum momentos formos à cogitar uma cooperação."

    - Bom... Não liguei para ficar falando de aparências. Tenho assuntos mais sérios. Primeiramente gostaria de te contar, melhor de mim que ouvir de terceiros, que acabara de haver um incêndio na pequena vila de Acquaviva. Território de Benito. Todas as evidências da chacina irão apontar que foi um ataque de frenesis de seu neto. O próprio irá alegar o feito. Isso irá escalonar uma séries de eventos alarmantes. Assim sendo decidi acelerar essa nossa conversa.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 22/4/2017, 02:13

    Letízia não conseguia disfarçar o enorme sorriso em ouvir aqueles primeiros elogios, ela até leva a mão livre e brincava com aquele cabelo curto e extremamente moderno. Mas toda aquela leveza desaparecia quando você explicava sobre como o neto dela havia se comportado, era uma expressão que você conhecia com bastante intimidade: frustração.

    Ela abaixava um pouco a face e você via claramente os ombros dela se enrijecendo, ali ela simulava uma longa respiração, para esperar pacientemente o final de toda a sua fala.

    -Ah Loretta, me faltam palavras nesse momento. Minha filha abraçou um rapaz por piedade e sentimentalismo, o resultado não me agrada e eu sinceramente acreditei que com essa chance ele poderia se redimir. Sem sucesso pelo visto né... Ele será punido de forma exemplar, eu lhe garanto.. Você me diz que as evidências apontarão para meu neto, eu nunca acreditaria que ele fosse capaz disso! Obrigada pela sinceridade. Todavia antes que eu prossiga com o assunto, faço aqui uma quebra...

    Ela então simplesmente de uma hora pra outra mudava totalmente a expressão, para algo bem mais feliz e contagiante. Sorrindo ela dizia:

    -Eu não tinha certeza se você tinha mesmo voltado pra cá! Uma das Damas do Eterno Príncipe de Florença ousa dizer que tem o cabelo desbotado? Por favor Loretta és bela como poucas, mas não se preocupe eu irei separar alguns presentinhos para seu cabelo. Eles são lindos, mas podem ficar ainda mais!

    Logo após aquela pequena quebra ela se ajeitava dentro do carro, você notava que a roupa dela era bastante reveladora, sendo apenas um terno aberto e um top preto que ocultava apenas os seios e nada mais! Ela parecia simplesmente uma outra mulher e também se comportava muito diferente! Mas, na seguinte frase, você tinha um breve relance da antiga Conquistadora de Milão, a mulher que surpreendeu toda a Camarilla no século passado.

    -Então o primeiro passo da guerra contra Benito foi dado. Engraçado que eu acabo de sair de uma reunião no Elísio onde ameacei tudo e todos, prometendo que haveria guerra. Obrigada pelo auxílio querida, vou ser extremamente direta e aberta contigo em honra aos velhos tempos, preciso da sua aliança. O que é necessário para tê-la ao meu lado? Porque eu só irei parar agora quando ele estiver morto.

    Havia uma convicção poderosa nas palavras dela, tão poderosa que chegava a lhe inspirar de forma indireta. Ela era uma mulher de fibra e força, que nunca desistiria de um desafio não importava o tamanho desse, não foi atoa que ela fascinou Elonzo décadas atrás.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 22/4/2017, 03:30

    Percebo imediatamente como ela se incomodou com minha reprovação. Não comigo e sim com ela mesma. Consigo compreender os motivos por trás daquilo. Caso eu tivesse mandado um dos meus netos falar com ela a situação seria inversamente muito pior. Não tem como eu me simpatizar mais pela dor dela do que me simpatizo agora. Assim sorrio com honestidade no instante que ela termina de falar.

    - Agora que percebo que não foi por má fé sua a escolha do mensageiro, compreendo seu desapontamento. Hoje mesmo quase enviei um familiar para a Argentina para evitar vê-lo numa guerra. Mas decidi dá-lo uma segunda e última chance.

    Não ia ao telefone falar que meu plano havia sido pior que o esperado e um desses familiares está com um dardo no coração. Mas isso não é assunto para agora. Logo me concentro no assunto principal. Paro de alizar meu próprio cabelo e olho com mais seriedade para a tela. Estico profundamente minhas costas e entro no assunto mais serio da noite. Não havia agora espaço para meias verdades.

    - Esta manhã Benito tentou me assassinar pelo sudário. Logo também estou em guerra, querendo ou não. Minha guerra será um pouco diferente da tua. Cortarei os recursos dele um por um até deixá-lo acuado para alguém cortar a cabeça dele. Mas se esse alguém vier a ser você, vós precisará se preparar mais do que o normal. Acredite em mim, pois existe muito para você conhecer sobre seu inimigo. Não quero ver minha maior chance de vendeta de metade de um milênio perder a oportunidade.

    Dava uma pequena pausa para sorrir para ela. Um sorriso sincero que funcionava como um pedido legítimo para que ela acreditasse em mim. Afinal havia segredos ocultos sobre a força de Benito que o fazia ser mais perigoso para a La Sombra do que ela imagina. Logo fazia uma curta mudança de assunto.

    - Almejo amanha fazer um evento em minha morada para mostrar para aquele que me abraçou que possuo e sempre possuirei mais aliados que ele. Será um evento privado, com os requintes de Florença junto da graciosidade local. Todavia almejo aproveitar esse tempo para me preparar para a guerra. Se você puder vir, poderemos ter oportunidade de conversar a fundo sobre temas que não posso falar pelo telefone. Sem falar que serei profundamente agraciada pela sua presença.

    Minha face agora ficava mais suave. Tirando aquele ar sério do início da conversa. Fazia o convite olhando profundamente no olho dela. Da forma mais empática que conseguia enquanto encarava aqueles dois pontos azuis opacos soberbos e raros. Meu tom de voz na última fala ficava ainda mais animado que anteriormente.

    - Se aceitar meu convite, peço que traga uma peça de roupa sobressalente. Pois esse evento pode durar um tempo considerável. Afinal temos muito o que falar. Sem falar que estou profundamente ansiosa com suas ofertas de embelezar meu cabelo. De verdade, estou fascinada pelas tuas mechas.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 22/4/2017, 05:50

    -Esse seu ar mais sério ao mexer no cabelo é bem fofo, já lhe disseram isso Loretta?

    Era exatamente assim que ela começava a lhe responder, abrindo um breve sorriso aliviado por você ter entendido com tanta facilidade o que realmente havia ocorrido. Ela então tomava um certo tempo para responder e nesse período você conseguia notar as narinas dela se movimentarem, como se ela estivesse respirando, mas de fato ela não o fazia. Finalmente então vinha a resposta:

    -O sudário. Interessante, mas é algo que pode ser combatido, irei me certificar de algumas pequenas preparações... Fico de fato agradecida por sua iniciativa envolver o dinheiro, é um campo ao qual eu não sei batalhar. Assim, pensando bastante e obviamente curiosa para saber mais sobre esse muito mais que eu tenho que conhecer sobre o inimigo, aceito seu convite.

    Ela então se encostava no banco do carro, a imagem dava uma leve tremida e ela mesma se assustava um pouco com o que ocorria, rindo baixo da própria falta de costume de lidar com a tecnologia.

    -Quem mais além de ti poderia retratar os requintes de Florença não é mesmo? Vou levar algumas peças extras de roupa e já mandarei meus vassalos às compras. Notei que também adotou algumas vantagens da maquiagem, foi por isso que tive dificuldades de reconhecê-la de imediato, sua face esta muito mais jovem! E fique tranquila, vou sozinha até aí. Basta de causar-lhe estorvos, és digna do melhor tratamento que minha família pode oferecer.

    A cada instante você notava o quão mais emotiva e diferente a experiente Lasombra estava, era claro que ela havia passado por uma enorme transformação nessa virada de século. Ela demonstrava mais empatia e mais informalidade nos diálogos.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 23/4/2017, 15:30

    - Não, nunca me disseram. Talvez seja por isso que ainda estou solteira.

    Mexia mais uma vez o cabelo antes de dar uma curta risada como se tivesse acabado de contar uma piada. Mesmo esta possuindo uma profunda e triste pincelada de verdade. Logo em seguida meu rosto ficava mais serio quando o sudário era falado pela antiga. Saber que eu poderia possuir mais um aliado para me proteger desse mal me deixava tanto satisfeita quanto apreensiva sobre o que estava por vir. O resto da fala da matriarca ia desenhando um sorriso de satisfação em minha face. Na medida que ia garantido a certeza da presença dela em minha festa. "Este evento de amanhã será maior do que esperei na primeira instância. Será um divisor de águas na minha influência na região." Notando que a conversa estava para terminar ia colocando as minhas pernas para cima do sofá, já numa posição de conforto para esperar os próximos eventos da noite. Então terminava a conversa, claramente esperando qualquer reação dela antes de desligar.

    - Ficarei mais que feliz e ansiosa com sua presença afinal. E tenho que agradecer por notar minha maquiagem, apenas um requinte pra alegrar minha noite. Imagino que vamos ter muito o que conversar. Até amanha então querida Letízia.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 24/4/2017, 12:30

    Letízia sorria ao ouvir a sua piada quase rindo mas não o fazendo por ter talvez notado algo por trás daquela sua frase descontraída. E ela manteve esse delicado e lindo sorriso na face durante toda a sua frase seguinte, nesse instante você conseguia ver pela tela uma das mulheres mais lindas que seus olhos já haviam visto, a beleza dela era simplesmente única. E enfim ela se despedia:

    -Não há porque ansiar, Loretta, chegarei o mais rápido possível. E como poderia eu não notar a sua beleza e seus pequenos cuidados? Até amanhã, minha dama.

    A ligação enfim terminava e quando ela finalmente acabava Aloísio adentrava a sala, o seu neto estava esperando pacientemente do lado de fora. Demonstrando uma educação que você não via no mesmo há muitos séculos. O homem adentrava com uma expressão séria e se sentava onde anteriormente estava Lorenzo. Ali ele olhava diretamente para você e dizia:

    -Me desculpe, vó.

    A voz do homem era verdadeira, tão verdadeira que arrancou de Andrea um olhar surpreso e o mesmo suavemente recuava em direção a saída, para deixar você e o seu neto sozinhos o mais rápido possível.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 24/4/2017, 20:19

    "Letízia... O que você viu em mim agora? ... Que mulher fantástica... Será que ela realmente é o que ela mostra ser? Algo me diz que sim e isso é muito especial. Estava eu tão errada sobre minha visão estereotipada sobre o clã dela? Talvez sim, o que me faz ser apenas uma hipócrita por questionar as atitudes de todos sobre minhas origens."

    Este pensamento incômodo fica questionando minha mente enquanto a ligação terminava. Um lado meu ficava por um instante despontado de ter encerrado aquela conversa. Pois a mesma havia se tornado um dos melhores momentos da noite. Dava em mim um gosto positivo do que poderia estar por vir na noite seguinte. Uma ansiosidade ia me conquistando, acima das expectativas simples de um encontro político. "Será que eu conhecerei alguém que a aliança seja acima de um joguete?"

    Permanecia com os pés para cima no sofá calmamente observando as reações de Aloísio. Meu olhar demonstrava um misto de curiosidade com aprovação. Ele era uma faca de dois gumes que feria um pouco minha mão, mas eu podia me cicatrizar e a outra lâmina se mostrava bem afiada. Se nossa relação prosseguir neste caminho será mais fácil contornar os problemas. Todavia não posso pisar fora da linha neste momento tão crítico. Assim olhava para ele com um sorriso nada comum de fazer sob a presença do mesmo. Respondia o pedido dele com uma voz calma e um pouco empática.

    - Estou muito orgulhosa de como você se portou hoje, orgulhosa o suficiente para lhe reconhecer como meu querido neto. Mas me diga, sobre exatamente o que você pede desculpas?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 24/4/2017, 22:04

    Aloísio olhava com seriedade para você, sem desviar os olhos por nenhum único instante. Seu neto iniciava um lento processo de remover as abotoaduras de sua camisa, para enfim depositá-las sobre o pequeno assento central, onde seus pés estavam.

    -Me desculpe por ter jogado sobre a sua pessoa o peso de todas as culpas e falhas. Por muitos anos eu vivi com a certeza de que eu preferia ter simplesmente morrido quando a doença me tomou. Eu comecei a simplesmente me odiar e a copiar o que meu irmão fazia, não fui nada além de uma dor na sua vida e é por isso que eu peço desculpas. Eu não sou merecedor de ser teu neto, Loretta. E é por isso que como sua prole eu lhe peço perdão e por uma chance de me redimir, não como neto isso me parece à muito perdido. Mas como prole, herdeiro do teu sangue e teu braço direito.

    O homem então se colocava de pé para tirar o terno e a gravata, com bastante calma e sem mais delongas, andar até a sua presença, ajoelhando-se ao seu lado. Erguendo a face e estendendo-lhe a mão direita.

    -Ainda há tempo para ao menos eu ser capaz de lutar pelo meu espaço como prole ao teu lado, Loretta? Pois sei que se for capaz de ser uma prole, quem sabe um dia estarei a altura de ser teu neto outra vez.

    Ele era sincero e direto, os olhos dele seguravam algumas lágrimas como se ele estivesse batalhando contra o próprio orgulho para se colocar naquela posição e ao mesmo tempo, tristes por terem falhado contigo durante tantos anos afinco.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 25/4/2017, 01:29

    "Aloísio... Não esperava isso. Você realmente queria terminar com sua vida? Fui eu tão egoísta que permiti toda essa tortura só para manter o legado de minha filha? Não, basta Loretta! Para de choramingar. Ele está se redimindo. Você botou os dois a prova e esse é o fruto de sua colheita. Uma confiança à ser conquistada, um novo começo. Abrace essa oportunidade."

    Meus olhos brilhavam com aquela ação de meu neto. Era impossível esconder a felicidade em sentir ele se confessando. Mas ao mesmo tempo não pude sorrir no começo da frase dele quando o mesmo revelou toda a dor que sentia. Eu fui lentamente me arrumando na poltrona trazendo meus pés para o chão novamente. Como um sinal de respeito para não ferir o orgulho dele mais ainda. Colocava minhas mãos sob meu colo e dava uma inspiração simulada antes de falar. Falava focando diretamente nos olhos dele. Inicialmente sem demonstrar sorriso algum.

    - Aceito seu perdão Aloísio, com toda a felicidade possível de meu coração. Mas não precisa mais se culpar. Pois não devemos apontar culpados para os erros de nossas vidas. Nem seu irmão, eu ou teu pai. Nosso destino foi cruel demais para nos culparmos eternamente. Devemos agir unidos como família de agora em diante. Isso se realmente quisermos ter uma chance na guerra que está por vir.

    Quando eu falava sobre não culpar ninguém, eu olhava para a porta por onde Andrea saíra e sorria na direção, afinal fora ele que me tinha dado ajuda para esse pensamento. Agora esticava minha coluna mais uma vez e então dava um toque no ombro de Aloísio sugerindo que ele se levantasse. Assim me encostava no sofá e agora falava demonstrando muita empatia em minha face. Sem desviar os olhos dele por instante algum, apenas entre os sucessivos intervalos de piscadas, que fazia para garantir que nenhuma lágrima viria desbotar a cena.

    - Entretanto não lhe aceitarei apenas como minha prole. E sim como o herdeiro que um dia será o Patriarca quando eu for dormir. Será ainda uma longa jornada para vós ter toda minha confiança e um dia o amor de uma vó. Mas lhe dou esta honra agora, seja meu herdeiro. Aquele que irá manter meu legado e prosperar nossa família num futuro distante quando eu não estiver mais aqui. Será seu dever sentir em seus ombros o peso da responsabilidade por aqueles que vierem a depender de você. Isso lhe dará motivos para acordar todas suas noites motivado, lhe garanto.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 25/4/2017, 12:56

    As suas palavras fortes e profundas e o seu simples toque no ombro do seu neto e prole, fizeram com que o mesmo abrisse um sorriso poderoso na face, como se uma montanha tivesse sido removida das costas do mesmo. Em um só movimento que demonstrava determinação e rapidez, o homem se colocou de pé na sua frente.

    -Essa noite, a Senhora me fez lembrar o verdadeiro valor de uma família. Hoje eu pude ver nos seus olhos a presença de minha mãe. E eu a farei orgulhosa, eu lhe farei orgulhosa. Todos aqueles que as fizeram sofrer irão pagar em dobro, agora peço a sua licensa minha Senhora. Há muito o que fazer, não irei mais perder tempo. E caso eu extrapole ou cometa barbáridades, me puna imediatamente. Eu não almejo ser um Patriarca como o atul é, quero estar a altura do seu legado.

    O homem enfim colocou uma mão dentro do bolso da calça, tirando de lá um pequeno protetor de jóias, uma caixa bem antiga e desbotada cuja camurça azul escura que a forrava já tinha várias falhas e lhe parecia assustadoramente familiar. Ali na sua frente, Aloísio abria a caixinha que guardava o maior tesouro dele: um anel, não qualquer um, mas sim o que você mesma havia dado à Ermínia quando a sua filha alcançou a maior idade.

    -Essa é a única herança que eu carreguei comigo por todos esses anos... E quero que fique com ele, Loretta. E me mostre ele apenas quando julgar que estou novamente a altura de ser chamado mais uma vez de neto.

    Ele então olhou em direção à saída, indicando que já havia terminado mas não ousava sair da sua frente até que fosse dispensado. Demonstrando uma fidelidade que soava inabalável.

    O Tesouro de Aloísio:
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 25/4/2017, 18:54

    Meus dedos tremiam na medida que ia se aproximando daquela bela caixa de madeira. Meu interior me pedia para não pegar aquilo, era muita maldade tirar essa bela dádiva dele. Todavia era necessário, era requerido. Assim segurava aquela caixa como se fosse uma frágil peça de porcelana. As lembranças era muito fortes agora que via aquele maravilho anel novamente. Quase podia imaginar o rosto de Hermínia em todos os seus detalhes sorrindo para nós. Era difícil esconder a voz de choro e se manter firme como uma rocha enquanto aceitava  aquela dádiva. Todavia, eu tentava. Assim olhava profundamente nos olhos dele com felicidade e seriedade expressa pela face.

    - Guardarei este seu legado com mais cuidado que guardo minha própria alma. E será o dia mais feliz de minha vida quando eu puder lhe presentear novamente. Posso também lhe dar uma dica de como acelerar esse dia. Se você busca receber amor, aprenda a distribuí-lo para outra pessoa. Faça essa nova pessoa sentir aquilo que você almeja merecer receber e então você irá descobrir o que é necessário para ti cumprir sua missão. Agora pode ir e saiba que estou muito satisfeita com sua pessoa. Boa noite Aloísio.

    Fiz prontamente um gesto para despensa-lo e só quando ele saiu da sala me pus a chorar de leve abraçando aquela caixa com muita paixão. Isso deve ter durado um ou mais minutos. Até eu ir ao aposento lateral para guardar a caixa entre meus pertences mais pessoas. Andava quase bamba, perdida e num passado distante. Soluçando por entre aquela dor. Mas lutando para que nenhuma gota de sangue riscasse minha face. Para só quando aquele movimento todo terminava, eu regressava para o quarto. Para assim ir até a varanda e simular algumas longas respirações. Ficava observando ao longe o incêndio que causei em cima da colina.

    De certa forma isso me alegrava. O que me fez prontamente pegar meu celular, e checando o celular do vassalo La Sombra, salvar o contato de Letízia. Em seguida tirando uma foto minha com um misterioso sorriso e com a paisagem em chamas atrás. Assim mandando para a matriarca junto de meu telefone e uma curta mensagem "Esse é meu contato, Letízia. Abraços de Loretta." Com essa ação complexa tecnológica feita, jogo o celular daquele pobre homem para fora da varanda e retorno para minha poltrona. Pondo então meus pés para cima e respirando fundo. Como se eu estivesse absolutamente cansada agora. Deveras eu estava, mas era um cansaço mental, era mistura de fragilidade com stress. Muito difícil por em palavras. Mas fácil de senti-las.


    Última edição por King Jogador em 26/4/2017, 16:23, editado 1 vez(es)
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 26/4/2017, 12:13

    Local: Monteriggioni,Castel Pietraio.
    Data: 15 de Abril de 2016: Sala de Estar.

    A Sala de reuniões:

    Longos minutos se passaram após a saída de Aloísio daquela sala e o seu retorno até a mesma. E por mais estranho que pudesse parecer, a solidão servia-lhe como uma força tranquilizadora, a noite havia de fato sido muitíssimo intensa e as últimas horas dessa finalmente chegavam.

    A sua solidão só era interrompida quando a porta da sua sala de estar se abria vagarosamente. Andrea não agia daquela maneira e isso imediatamente a preocupou, afinal quem poderia estar fazendo isso? Aloísio claramente estava em processo de mudança e Alonzo estava empalado! Olhando na direção já temerosa de que o seu final de noite poderia ser ainda mais duro, você se via surpreendia pela figura feminina que adentrava a sua sala sem nenhuma cerimônia.

    -Boa noite, Loretta.

    A mulher adentrava com cuidado a sua sala, fechando a porta atrás dela. Calmamente tirando os óculos e guardando-os na bolsa que carregava consigo.

    -Desculpe a indelicadeza de adentrar sem ser anunciada, também peço para que não puna seus serviçais. Eles foram todos muitíssimo atenciosos, foi um pedido meu. Andrea me apoiou, logo, presumi que não faria mal algum.

    Enfim ela caminhava até o seu lado e se sentava, olhando na sua direção com um pequenino sorriso na face. Olympia era lindamente natural, pálida como todo cainita antigo deveria ser, não usava maquiagem ou sequer um simples batom nos lábios, mas mesmo assim ela era portadora de uma imagem forte e especial.

    -Diga-me, querida Loretta, como está?
    Olympia:
    Roupa:
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 26/4/2017, 17:55

    "Ela finalmente chegou! Minha Olympia... Tanto tempo... Ela está linda como sempre me lembro dela. Preciso me concentrar um pouco. Minha mente ta meio avoada. Não estou muito pronta para nosso jogo. Não queria perdê-lo hoje. ... Vou ser eu mesma e vê como acontecesse. Não adianta eu forçar estar perfeitamente bem e com ar de misteriosa."

    - Boa noite Olympia!

    Sorrio para ela de forma singela. Prontamente quando ela entra na sala tiro meus pés do sofá e fico sentada ereta. Fazendo uma curta respiração simulada. De leve toco no meu cabelo com a mão direita brincando um pouco com uma das mechas lembrando as últimas palavras de Letízia. Então fico a observando se aproximar mantendo um olhar passivo e aquele agradável sorriso. Dou umas leves piscadas com um medo subconsciente de ter alguma lágrima ali exposta. Quando ela termina sua segunda frase, a respondo e faço com a mão o convite para ela sentar. Mesmo notando que ela já ia sentar mesmo.

    - Eles não serão punidos de forma alguma. Todos estão cientes que vós és muito bem vinda aqui. Vamos, sente ao meu lado.

    Dava um sorriso um pouco mais aberto ao notar que ela sentava de fato ao meu lado quase que sem eu pedir. Mas dentro de mim me sentia mais feliz ainda. Não que eu quisesse jogar nesta noite. Eu queira era uma boa companhia perto de mim. Alguém que realmente estivesse preocupado comigo, como ela acabava se mostrando estar, não que eu já não tivesse isso de Andrea, mas aqui é diferente. Era um sentimento bem aliviante. Me deixando confortável ao ponto de por meus pés de volta para cima do sofá ao falar com ela tentando passar um pouco de tranquilidade para ela.

    - Estou bastante cansada querida. Trabalhei bastante pela propriedade hoje. Mas não se preocupe, estou muito bem agora. *Fazendo um breve silencio olhando mais nitidamente no olho dela para ela compreender o motivo de eu estar melhor agora, assim sigo.* Bastante ansiosa com os festejos de amanhã inclusive. Pode relaxar descontraída agora, depois de seu translado de Pisa. Fez uma boa viagem do litoral até aqui?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 27/4/2017, 00:29

    -Não, na verdade a viagem foi terrivelmente chata. Sinceramente eu não gosto nada dessa região...

    Comentava Olympia quase que imediatamente após a sua pergunta, mas uma fração de segundos após ela começar a falar "sinceramente", os olhos dela percorriam a sua figura inteira e ela então parava de falar. A atenção dela corria por toda a sala, olhando o chão e notoriamente com a cabeça ela fazia o percurso que o corpo do pobre homem havia feito. A mente dela trabalhava em um silêncio estranho e finalmente, a face dela se mostrava tranquila e relaxa. Nos lábios carnudos daquela bela mulher, nascia um sorriso.

    -Você é e continuará sendo para mim um verdadeiro exemplo de força, Loretta. Não vou perguntar sobre o que aconteceu essa noite, vim para estar contigo no festival. Vamos falar de coisas boas então querida?

    Olympia sorria com mais clareza e abaixando-se para soltar os fechos dos sapatos, retirando-os calmamente e esticando as pernas, mexendo os dedos e em seguida colocando-os no sofá a sua frente.

    -Estou cansadíssima de tantas viagens, requisitei uma pequena janela de descanso aos meus superiores e recebi esse presente. Mas não sei exatamente o que fazer com ele... Duas semanas inteiras, nunca tive isso! Alguma sugestão querida?!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 27/4/2017, 01:40

    - Entendo o que dizes. E francamente Olympia, ainda tem dias que acordo vendo esta paisagem e me dá desgosto de muitas coisas... Mas um dia ainda vou eliminar todos esses pontos negativos...

    Dava uma curta suspirada depois de minha fala. Aquele desgosto pela Toscana... A se eu entendia aquilo. Há dias que eu gostaria de ver todos os vinhedos em chamas. Mas outros que eu gostaria de ver todos eles da forma que eles eram quando o sol os iluminava no meu passado. E existe um lado dentro de mim que diz que isso ainda é possível de ver. Ainda existe solução para esta terra. Basta apenas eu não desistir. Voltar para Florença é muito fácil. Fácil demais. E sou forte demais para agir pelo caminho mais fácil.

    Em seguia ouvia as palavras seguintes de Olympia e sorria para com o elogio dela. Um curto sorriso educado. Em seguida observava detalhadamente a ação da mesma. Sorrindo lentamente quando ela repousava os próprios pés na poltrona a nossa frente, me imitando. Então prontamente com um dos pés usava como uma alavanca para tirar o sapato do outro e largá-lo no chão ao lado da poltrona. Repetia o processo para o segundo pé e então relaxava os dois ali descalços em cima do confortável travesseiro como ela fizera. Em seguida esticava um pouco minha coluna para responder a mesma.

    - Duas semanas inteiras de presente? Realmente é muita coisa... Não saberia ao certo dizer a melhor forma de você aproveitar esses dias livres. Porque você não passa um tempo aqui em casa descansando até saber o que fazer com eles? Afinal isso pode levar um bom tempo.

    Falava minhas palavras com um sorriso no rosto. Dando um tom divertido em minhas palavras. Deixando claro a minha brincadeira de não saber o que ela deveria fazer com os dias de folga e ao mesmo tempo dizendo o que ela deveria fazer. A olhava nitidamente em seus olhos, sem um pingo de vergonha de desviar meu olhar. Como se eu quisesse me perder ali dentro da mente dela. Por todo o tempo que me fosse oferecida. Deixava um sorriso empático na minha face depois da ação e então me ajeitava um pouco no sofá mais uma vez.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 28/4/2017, 17:09

    -Ficar aqui até decidir o que fazer com todas essas quatorze noites. É uma excelente ideia... Entretanto, Lorreta, eu acabei trazendo comigo muitas malas e três membros do meu rebanho, isso não será um incomodo?

    Olympia começava a frase sem olhar para você, com uma expressão pensativa e até distante, todavia ela forçava uma pausa e durante essa a mulher virava a face na sua direção e terminava de falar todo a frase com os olhos conectados aos seus. E ela ficava ali, simplesmente olhando nos seus olhos por vários segundos, até formar um sorriso sutil. A ação seguinte da mulher foi a de virar o corpo para frente e levantar os braços, realizando um gostoso e preguiçoso espreguiçar, jogando as pernas para frente, abrindo os dedos dos pés e mexendo-os vagarosamente, para então firmar os pés no móvel central, dobrando os joelhos para enfim jogar o tronco para trás. O som do estofado do sofá segurando o corpo dela chamava muita atenção e Olympia abaixava os braços, juntando os dedos e esticando-os o máximo que conseguia. Era um longo ritual de relaxamento que você presenciava pela primeira vez!

    Terminando com as mãos sobre a própria barriga, Olympia cruzava as pernas e deixava o pé direito caindo sobre o esquerdo e a milímetros de distância dos seus pés.

    -Loretta, eu preciso conversar muitas coisas contigo. Alguns assuntos não serão nada confortáveis outros podem ser muito positivos. Primeiro eu gostaria de começar com um dos assuntos pouco confortáveis. Um informante me revelou há uma conspiração dentro dos Ulfilia, e eu terei que agir cedo ou tarde. Sei que você está cansada, podemos adiar essa conversa, mas eu sinto a necessidade de lhe explicar alguns pontos...
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 28/4/2017, 23:46

    - Mas de maneira alguma. Esta Villa é grande o suficiente para dar conforto para todo o seu rebanho. Não se preocupe com isso.

    Prontamente sorria para ela enquanto a respondia de imediato. Deixando claro o quanto aquela notícia me alegrava, mas claramente sem estender muito o sorriso. Cortava o mesmo lentamente enquanto tocava de leve em meu cabelo e me ajeitava mais uma vez no sofá. Ficava então a observar ela se espreguiçando. Era uma experiência única ver alguém tão antigo quanto eu agir desta forma. Afinal eu mesma sempre fui um ponto fora da curva. Ver aquele ato tão natural e íntimo, unicamente para meus olhos desfrutarem, não tem preço. Era uma mensagem de conforto e confiança que me fazia derreter por dentro. Mesmo eu tentando manter uma face mais amena e apenas a observar com empatia.

    Antes dela voltar a falar eu notava a presença dos pés dela cruzados logo no meu lado esquerdo. Sentia um curto frio na barriga naquele momento. Um sentimento que mesmo depois de morta, ainda era capaz de sentir. Mesmo que em raríssimas ocasiões, e essas sempre englobando Olympia. Afinal ela era a única capaz de me fazer ficar tão alerta e relaxada ao mesmo tempo. Era como se tivéssemos duas conversas ao mesmo tempo. Uma em nossas cabeças falando sobre assuntos conturbados e outra em nossos corpos pedindo por um pouco de descanso e intimidade. Dessa vez a parte de nossos corpos à conversar seria nossos pés. Assim, com a suavidade de uma libélula, levava meu pé esquerdo à tocar na sola do esquerdo dela. Lentamente o acariciando com a ponta de meus dedos. Esperando uma resposta do dela. Enquanto isso, com nada mudando em minha face, prosseguia o assunto dela com um olhar sério, porem interessado e reconfortante.

    - Digamos que hoje foi um dia para lidar com muitos nomes negativos. E a noite não estaria completa se não tocássemos no tópico referido a essa Família. Sinta-se a vontade para abordar este assunto. Estou em boas capacidades de raciocinar sobre o tema. Afinal não é o cansaço físico que vai tirar minhas forças cognitivas. Fale-me então dos pontos referentes a essa conspiração, Olympia.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 30/4/2017, 03:37

    -Obrigada!

    Respondia Olympia de forma educada por você fornecer conforto para o rebanho dela, logo a anciã de pele alva e descalça sentia o toque dos seus pés e reagia com um arrepio claro e nada discreto. O corpo dela era tomado por uma tremida suave que começava nos ombros e terminavam nos joelhos, os dedos dos pés dela se contraiam e a cabeça caia levemente na sua direção. Ela então desviava os olhos da sua imagem, um pouco envergonhada com o que havia ocorrido. Entretanto, a perna direita dela relaxava com o seu toque e escorria suavemente sobre a outra, até que ele tocasse seu pé, ainda era um toque suave onde apenas os dedos se conectavam, o frio daquele toque a surpreendia bastante, então gentilmente Olympia movia os dedos, fazendo-os tocar as pontas dos seus, era um pedido silencioso por mais daquele carinho feito por ti.

    Voltando a face para o encontro da sua, Olympia começava então a revelar uma informação inesperada que mudaria bastante o cenário das próximas noites. Com uma expressão bem tranquila na face, como se nada demais tivesse acontecido ali.

    -Em minha última missão, ao lado de Masdela. Ocorreu na região da Sicília, onde um núcleo anarquista ameaçava uma forte expansão, encontrei informações valiosas sobre essa região onde estamos agora. A principal força que financiava o nucelo anarquista de lá, era a família Sforza, que nutria as máfias e essas serviam como verdadeiros pelotões mortais contra a Camarilla da região. Felizmente, pude agir mais rápido do que eles e o derramamento de sangue não ocorreu. Então, pude interrogar alguns membros cainitas dessa concentração anarquista. Eles me revelaram que os Sforza forneciam armas e drogas, enquanto os Ufilia eram seus credores. Isso reforça minha suspeita antiga, a de Lisandro e Guiseppe serem aliados de Enzo Sforza. Além de ilustrar que as famílias estão trabalhando fora do radar do Arauto local, preparando-se para algo maior, uma grande guerra... A boa notícia é que foi meu querido amigo que me convenceu a vir para cá, trazer pessoalmente à você essa informação, ele inclusive soube do seu festival e me enviará um vestido.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 30/4/2017, 23:20

    - Então temos uma grande possibilidade de haver um pacto de cooperação entre essas duas famílias. Posso até imagina o número de sanções que a Camarilla fariam contra os Ufilias se isso viesse a público comprovadamente. Afinal a Arauto gosta de fazer transgressores de exemplo. Mas não só isso, me pergunto também como ficaria a já fragilizada relação dos Sfrorzas com os Giovannis locais. Benito poderia ser ver bem acuado... Guerra é deveras inevitável...

    "Benito poderia ir atrás de mais alianças nesses tempos conturbados para a sua visão independente. Mas o orgulho dele sempre o cegou. Talvez eu realmente tenha feito minha iniciativa no momento certo. Mas tenho de permanecer cautelosa." Eu sorria de leve com a informação que ela me passava. Ficando pensando internamente na dupla que os dois formava. Afinal é a Arconte de "Marfim" fazendo uma missão com Alastor poderoso. Apenas os via como amigos, vê-los em missão deve ser incrível. Assim dava mais uma esticada em minha coluna para prosseguir falando.

    - Fico feliz que nosso amigo em comum lhe convenceu a vir trazer esta informação. Pois ela deveras alegra meu dia. Como também me alegra saber que ele lhe enviou um vestido, fico curiosa imaginando o quão belo este será. Um amor em pessoa o Masdela é.

    Enquanto isso em outra conversa, esta corporal, meu pé não descansava. Contudo esperava alguns instante para agir, como se tivesse brincando com a expectativa alheia. Então bem devagar com meu polegar esquerdo eu ia descendo pela sola do pé dela. Apreciando a suavidade da pele dela. Fazendo um suave e delicado caminho passando dês das pontas dos dedos até o calcanhar. Para então terminar com toda a suavidade do mundo logo no tornozelo. Não havia forma mais forte de causar um arrepio. Assim então afasto meu pé por inteiro e o descanso a uns cinco centímetros de distância dos dela.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 1/5/2017, 14:29

    Olympia olhava com atenção para as suas palavras, fazendo pequenos movimentos de concordar com a cabeça durante sua fala inicial, entretanto, quando a sua segunda fala começava e seu pé a tocava daquela forma, os olhos de Olympia se fecharam completamente. Um sorriso tímido surgia na face da mesma e dentro dessa quietude ela se esforçava para não demonstrar um outro arrepio enquanto aceitava com felicidade o seu toque.

    Entretanto, quando você o interrompia e movia o pé para longe. Olympia ainda de olhos fechados tateava com o pé esquerdo o ar, abrindo os olhos surpresa por não a encontrar mais ali. Em uma fração de segundos você pode ver na profundeza dos olhos dela e daquela face pálida e pouco expressiva, um susto, uma sensação que beirou algo similar ao pânico, isso não chegou a durar dois segundos! Mas ocorreu! E só chegava ao fim quando ela te encontrava com os olhos, sorrindo então aliviada um sorriso lindo e maravilhoso, Olympia levou o indicador na frente dos lábios e pediu silêncio.

    Tirando os pés do móvel central e se ajeitando brevemente no sofá, abrindo um bom espaço entre vocês duas, para então virar-se de costas e subir as duas pernas na altura das coxas por cima do braço do sofá, em seguida ela soltava o corpo. Uma queda de precisos três segundos e vinte e quatro milésimos, um arco perfeito de noventa graus. A cabeça dela então caía como uma pluma no seu colo e ali ela fechou os olhos, cruzando os braços na altura da barriga e deixando as lindas pernas penduradas para fora fora do sofá. Olympia se certificava que agora você não sairia de perto dela, pelo menos não nesse final de noite.

    Em silêncio o corpo dela te dizia coisas claras e nítidas, primeiro que ela estava exausta e segundo que a mesma havia sido pega totalmente de surpresa. Em seguida aquela pose tão tranquila e confiante, como se ela extraísse da sua companhia uma força especial, dizia aos seus olhos algo lindo: Você era essencial para ela.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 1/5/2017, 23:48

    Ver Olympia fechar os olhos formando aquele sorriso tímido era muito gratificante. Poder sentir que posso deixá-la feliz como ela me deixa. O sentimento de reciprocidade é inabalavelmente gratificante. Eu observava curiosa todas as ações delas, mas imediatamente sentia o medo que causei nela por um instante. Não era minha intenção exatamente e estava disposta a compensar. Assim não pude ficar mais feliz quando ela começou a agir para deitar em meu colo. O silêncio já nos devorava agora, aquele maravilhoso e emocionante silêncio. Onde que com qualquer outra pessoa soaria estranho e conturbador, ali era perfeito. Uma combinação empática esplêndida.

    Meus olhos não desfocavam dos de Olympia em momento algum. Totalmente fixo, quase sem piscar, aproveitando cada milésimo de segundo daqueles mágicos momentos. Fazia um olhar profundo, vendo cada peculiaridade das cores dos olhos dela. Cada pequena mancha, cada parte da essência de seu brilho. Meu sorriso deixava claro o quão feliz eu estava naquele momento. Entretanto eu também estava tão cansada quanto ela. Minha simulação de respiração que veio a seguir deixou isso bastante explícito. Todavia não terminaria aquele momento mágico tão cedo. Não depois de tantos anos de espera para que este instante finalmente chegasse.

    Assim fiz um leve movimento com meu quadril para elevar a cabeça de Olympia com muita tranquilidade. Sem dar a impressão que estava saindo, levantei rapidamente minha perna esquerda. Fazendo passar por debaixo dela enquanto me virava para ficar na mesma posição que ela estava. Agora com minha perna esquerda entre o encosto do sofá com os travesseiros e a lateral do corpo dela. Em seguida levantava minha perna direta do chão para ficar totalmente deitada no sofá com ela exatamente no meio em meu colo. Fiz mais um curto movimento trazendo ela um pouco mais para cima no meu colo. Com muita suavidade para não deixá-la desconfortável. Fazendo a cabeça dela se encostar na minha barriga enquanto minhas costas relaxam na lateral do sofá. Meus olhos não desgrudaram dos dela em momento algum, mesmo agora com meu corpo relaxado e encostado, ficávamos juntas deitadas. Minhas mãos lentamente iam de encontro com as dela se eu notasse que ela estivesse realmente confortável com a situação. Assim o silêncio prevalecia unido de nossos sorrisos.

    "Olympia... Obrigada por fazer parte de minha vida. Só você para realmente me deixar feliz no mesmo dia que tive tantos transtornos e pertubações. Nunca irei encontrar outra pessoa como você. Por isso nunca deixarei você partir. Ficarei sempre com você. Minha Olympia..."
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3217
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Danto em 2/5/2017, 20:16

    Olympia não só demonstrava um profundo conforto em depositar a cabeça sobre a sua barriga e ficar perfeitamente encaixada entre as suas pernas, acima de tudo ela estava feliz. De olhos fechados a mesma sentia as suas mãos e prontamente fazia um semicírculo no ar, contornando as suas mãos e tomando-as para ela. Colocando então as suas mãos na parte superior da própria barriga, sua ultima ação era tomar a sua perna direita e puxá-la para o mais perto possível, assim ela se colocava literalmente entre as suas duas pernas.

    Assim, em um maravilhoso silêncio vocês duas seguiram por todos os instantes finais daquela conturbada noite. E o sono começava a finalmente chegar, dizendo à vocês duas que o sol nasceria em breve. Era a hora de terminar aquele contato, porque o sofá claramente não seria um local adequado para um sono confortável para as duas.

    Olympia então soltou as suas mãos e espreguiçou-se outra vez, o corpo dela pressionava o seu com intensidade, como se a mulher estivesse a jogar todo o peso sobre você. Terminando, ela gentilmente colocava a mão no seu joelho direito, conduzindo sua perna para o lado até que ela tocasse o chão, assim ela finalmente virava o corpo e se colocava de pé. Entregando as duas mãos para você com um convite para que você também se levantasse.

    -A sua noite foi difícil, Loretta. A minha foi apenas cansativa, permita-me então dizer até amanhã. Devemos dormir bem para nos apresentarmos perfeitas no festival não é mesmo?!

    [Ultima ação para o final do ato]
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 538
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por King Jogador em 3/5/2017, 07:49

    Sentia a força dela para com o meu e saía de meu transe. Estava era por horas perdidas em pensamentos. Nenhum que no caso eram sobre meus dramas do passado, sobre meus problemas do presente, ou sobre a guerra do futuro. Estava perdida em pensamentos mais distantes, misturados das sensações mais felizes possíveis. Assim sorria enquanto ela se espreguiçava, e um calafrio me vinha quando sentia o toque dela no meu joelho que se comportava como ela queria agora. Esperava lentamente ela se levantar. Por um lado triste por este momento estar acabando, mas por outro com muito sono para prosseguir ali. Segurava então a mão dela para me levantar e respondê-la.

    - Olympia, eu... Eu estou realmente exausta. Vamos então descansar para podermos recuperar nossas forças para amanhã. Sinto que será um dia muito especial para nós duas.

    O que eu não faria para levá-la para minha cama agora? Não, nada acima de descansar. Mas poder dormir abraçada ao tato de sua linda e fria pele. A minha Olympia. Como eu queria isso. Como eu queria isso.

    Eu não largava a mão dela naquele momento. Ficava olhando para os olhos dela. Talvez por dois precisos segundos em total silêncio. Como se estivesse implorando que ela lesse meus pensamentos. Para só depois eu lentamente largá-la para podermos nos dirigir para nossos quartos separados. O sono estava ficando latente demais e apenas cogitar em chegar na minha cama já era de certa forma um pensamento positivo.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato II - As Duas Chamas

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 14/12/2017, 08:02