WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Compartilhe
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 18:52

    As palavras de Rebeka fizeram com que Pietra risse concordando com a mesma, os lobos da Ductus eram cainitas bem preparados para a vida e o combate, com toda a certeza era uma proteção da qual Pietra não dispensaria.

    - Seus meninos sempre tem um lugar aqui Beka, não se esqueça disso.

    A resposta de Sebastian e o abraço correspondido encheram a cainita de felicidade, o sempre austero e preparado Sacerdote era uma das mais notáveis figuras de Berlim, Pietra sempre o estimara e aquele singelo presente era algo que a cainita não se esqueceria.

    A besta miou alto para a italiana quando Eva lhe chamou, curiosa Pietra concordou com um leve aceno, beijando as mãos de Lorenz a mulher sorriu para sua rosa sussurrando.

    - Quando fores descansar leve Luannah contigo, lhe apresente o refugio sim. Mas fique longe da estufa de quadros, você ainda não está forte para ver a tela que eu fiz.

    Beijando a testa de Lotte a cainita ainda a abraçou para lhe dizer.

    - Você me espera aqui, adorei a sua ideia sobre Friederich!

    Rindo antes de se despedir rapidamente, Pietra correu para sua musa para tomar-lhe a mão e esperar ser guiada pela mesma.

    - Sou toda sua Bella, o que queres discutir?

    “ Será que Beka me daria alguns conselhos sobre lidar com ela? Se eu fizer todas as vontades dela logo não irei coseguir me controlar direito. “
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 19:05

    Lorenz concordou com leveza, de maneira não verbal. O seu filho prontamente se encaminhava para o lado de Lunnnah, sentando-se ao lado da pequena e sempre sorridente filha da lua. Lotte te olhava animadíssima e dizia antes de você sair:

    -Perfeito! Perfeito! Vou esperar viu!

    Eva tomava a sua mão com um pouquinho de força, o que já indicava que o assunto seria serio. Assim vocês duas saiam da sala dos lobos, a sua musa andava mais um pouco, ficando bem perto do corredor que dava acesso ao fosso. Olhando em volta ela parecia tomar coragem de falar, mas finalmente a linda loira francesa começava a falar:

    -Lembras de Diane Elsner correto? Minha finada rival... Infelizmente eu acabei por, er...bem... você sabe não é mesmo mon amour. Mas existe algo que ela escondida do público geral, uma prole independente. Erika Diederich é o nome dessa jovem, vendo agora o nosso jardim... Eu me sinto tão culpada por arrancar de Erika a sua mãe, queria muito ficar contigo a noite inteira! Entretanto, nosso Edgard disse que eu preciso resolver minhas culpas para não decair de novo naquela esfera violenta.

    Eva fazia uma longa pausa e colocavas as duas mãos na cintura. Exibindo uma face mais confiante no começo da frase, mas que evoluía para algo triste, um semblante arrependido.

    -Eu estou pensando seriamente em acolhê-la, não sei se ela vai aceitar, mas sinto uma dívida enorme com Diane. Eramos rivais mas eu nunca quis destruí-la, sinto falta dela...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 19:37

    Feliz com a resposta de Lorenz e Lotte, a cainita olhou preocupada para Eva quando a mesma apertou sua mão, a reação de sua besta a deixava tranquila apesar de curiosa com o assunto. Em silencio a cainita se encostou na parede esperando por Eva, dando tempo para que sua musa lhe contasse o que a afligia.

    “ Então é isso. A prole de Diane, é uma preocupação diferente vindo de Eva. Sim Edgard fez bem em ter vindo.”

    Sorrindo para sua musa a cainita puxou uma das mãos da mesma beijando-a com carinho, entrelaçando seus dedos com os de Eva, Pietra ficou assim por alguns segundos antes de responder sua musa.

    - Eu sei que você a admirava, era uma relação estranha a de vocês, mas sei que havia um respeito. Ninguém a culpa pelo o que aconteceu Bella, ninguém vai fazer isso porque eles teriam que julga a outros também. Ed está certo, vá atrás dela converse com ela e lhe diga tudo o que aconteceu. Não sei porque Diane a mantinha escondida, mas não precisa ser mais assim. Se ela quiser terá lugar aqui, ela é uma Seria, imagino que ela queira uma companheira para cantar.

    Esperando as reações de sua musa a cainita abraçou o corpo da francesa com carinho e amor, a besta tentava tomar um lugar naquele abraço e na atenção de sua musa, mais do que nunca a besta queria ficar ali no meio e se refugiar no amor que uma cainita sentia pela outra.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 19:53

    Eva primeiro tomava todo o tempo do mundo para olhar as mãos entrelaçadas daquela maneira, sorrindo suavemente a sua musa não apenas permitia o abraço como prontamente jogava as duas mãos por cima dos seus ombros, bem próximas do seu pescoço. Mas o verdadeiro sorriso feliz vinha quando você mencionava a palavra Sereia, era uma nomenclatura antiga que ela adorava!

    -Fico aliviada que você consiga entender isso mon amour. Não saberia lidar se você me considerasse culpa de alguma forma... E sabe, minha relação com Diane era necessária, sem ela eu não me sentia desafiada e o ócio nunca me fez nenhum bem! Ela era fantástica dançando e a voz dela é um tesouro que eu nunca irei esquecer, como eu odiava ouvi-la cantar! Meu deus! Que ódio que eu sinto só de saber que nunca a ouvirei de novo!

    Havia nos olhos de Eva uma espécie de chama quando ela descrevia a voz da finada rival, um brilho de mais profunda admiração e saudade. Quem poderia dizer que Eva amava sua maior rival?! Ela então continuava a falar:

    -Uma vez eu ouvi a Diana falar que a prole dela era muito delicada para o Sabá, que ela tinha uma alma sonhadora demais e que trazê-la para a espada não faria bem a ela. Nunca entendi, gostava de provocar dizendo que a prole dela era desafinada...

    Ela fazia uma pausa na frase e os olhos dela ficavam marcados por lágrimas, a voz chorosa e o francês natural escapava dos lábios da sua musa:

    Queria tanto ter tido a oportunidade de desmentir isso, de simplesmente... Sabe?! Fazer diferente... Por isso eu não posso cometer o mesmo erro com Erika, tenho que encontrá-la.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 20:20

    O abraço fez com que Pietra relaxasse, de olhos fechados a cianita sentiu cada mudança em sua amada, cada por menor e sentimento que Eva sentia. Abrindo os olhos a italiana sorriu com leveza, era raro Eva abrir-se, era nesses raros momentos que Pietra se mostrava ali, sempre presente e a espera.

    Segurando a face de sua amada a cianita depositou um beijo suave nos lábios de Eva, limpando qualquer lagrima dos olhos da francesa com carinho e amor.

    - Nunca a culparia por nada Bella, fazemos o que é preciso e quando preciso, sempre foi assim e não seria diferente agora. Escute Bella, todos sentiremos falta de alguém que caiu, eu entendo isso, sinto isso tanto quanto você. Entendo também o querer dessa competição, o ócio não faz bem para ninguém, é na disputa que crescemos e quebramos os limites.

    Ainda sorrindo para sua amada a cainita encostou suas testas olhando-a com intensidade, deixando claro o carinho que sentia pela gigante francesa.

    “ Ela amava Diane, a sua forma mas amava. Uma pena que tenha terminado de forma tão trágica, uma fazia bem a outra...”

    - Procure por Erika, lhe estenda a mão e diga que ao nosso lado sua delicadeza está segura, que nenhum mal ira afligi-la. Sabes bem que isso é verdade, nosso jardim ainda pode crescer e sei que ela lhe faria bem, que vocês duas podem crescer juntas.

    Beijando a testa de sua amada Pietra fez questão de cada palavra dita ser em seu melhor francês, uma pequena e singela homenagem a sua musa.

    - Sei que você ira fazer melhor agora Bella, apenas seja paciente e vá com calma. Se Erika for especial ela vai reconhecer seu esforço.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 20:31

    Eram as suas palavras e carinhos que apaziguavam a tristeza que Eva sentia ao falar de sua grande rival por anos dentro da Espada de Berlim. Ela não respondia nada de imediato, na realidade ela apenas a olhava com muito amor e tomava o próprio tempo para retomar uma postura menos fragilizada. Ali nos seus braços a sua musa permanecia até que finalmente, ela concordava com um sinal positivo com a cabeça.

    -Eu farei isso... Aliás, você sabe que eu amo o seu francês não é? É o mais lindo sotaque feminino que eu já ouvi. E sabes que o masculino sempre será o de Bernard, eu sinto tanta falta dele, tanta falta de Paris... Ah minha Pita, parece que eu estava entorpecida! Tudo está voltando com tanta intensidade! Eu tenho que ir, não deixarei essa garota sozinha, mas antes...

    Eva beijava brevemente os seus lábios, de forma estalada e divertida. A sua musa sorria feliz:

    -Eu quero fazer uma coisinha. Você trouxe duas rosas para o nosso Jardim e uma linda tulipa, eu quero trazer algo também, não só a Erika... Pietra, eu quero o Albert!

    Ansiosamente, a loira olhou no fundo dos seus olhos aguardando pela sua reação com uma enorme curiosidade e receio de uma negação.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 22:13

    Calmamente Pietra esperou por Eva, as duas cainitas se conheciam a tempo suficiente para se entenderem e respeitarem o tempo de cada uma. Ver que a postura de sua musa voltava a se erguer, as palavras de sua amada foram escutadas com atenção.

    “ Bernard... O que terá acontecido com ele? Ela o ama tanto, ele era tão encantador. ”

    Sentindo as mudanças de Eva a italiana a apertou com carinho, o beijo divertido arrancou um riso de Pietra mas as palavras de Eva derreteram por completo a besta que se sentava no chão segurando as lagrimas de felicidade. Pietra apertou Evangeline nos braços chegando a levanta-la num rápido rodopio para depois de colocá-la no chão dar pequenos saltinhos mal contidos.

    - Ahhh Eva. Ele te ama tanto, vai ficar tão feliz! Um tritão, teremos um tritão!

    Ainda em felicidade Pietra puxou a face de Eva beijando-a inúmeras vezes, para então balançar a cabeça se controlando um pouco mais.

    - Sabes bem que eu nunca abraçaria Albert, ele é teu filho, sempre foi. Mas tenho um pedido Bella, precisamos deixar Theresa mais acostumada as tarefas, isso serve para Aylena também. Quando elas estiverem seguras, será o momento de abraça-lo, assim não deixamos a Espada desfalcada, afinal muitos vêm até aqui para se abrigar. Estas de acordo Bella?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 23:12

    Evangeline ria alto, segurando-se nos seus ombros para rodopiar junto contigo. Aquela explosão de alegria era uma das sensação únicas que apenas almas gêmeas como as suas poderiam vivenciar, eram risadas que a levavam para um passado distante, para as primeiras noites do amor entre vocês duas. Foram aquelas divertidas e leves risadas que a afirmara: Evangeline havia retornado.

    -Uffa! Que maravilha! Um tritão, um belo tritão! Nosso!

    Diz a ofegante musa dos cabelos dourados, que imediatamente era coberta pelos seus beijos e carinhos, retribuindo com a mesma intensidade e empolgação.

    -Tá, calma! Eu não esperava que você fosse amar tanto assim a ideia, tinha preparado até um discurso poxa vida! Mas tá bem, ai que alegria! Er, tá! Sim! Vamos deixar que ele as prepare bem, mas eu vou contar a notícia pra ele! Posso né? Não seria maldade?!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 23:35

    As risadas trocadas entre as duas cainitas, enchiam o coração de Pietra a ponto de transborda-lo de amor e carinho, até mesmo a resposta das caricias de Eva deixam a italiana extasiada, abraçando-a com força Pietra não contia a felicidade que sentia.

    “ Mia amata, como é bom ter você de volta! “

    Rindo do comentário de Eva a ciainita concordou com um sinal afirmativo quanto a ideia de contar a Albert sobre seu abraço.

    - Desculpa Bella, mas você tinha que ver a cara dele quando eu disse que o abraço dele dependia de você! Foi tão fofa e triste. Não você não causaria mal nenhum em contar para ele. Aliás seria interessante que ele pudesse indicar alguém que pudesse tomar as tarefas dele, afinal nossa família está crescendo e precisamos de vassalos pra cuidar de todos nós.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 23:42

    Eva levava as duas mãos até a face, escondendo a boca e soltando um barulho baixinho e delicado, flexionando a vogal "a" para que essa soasse em um tom penoso e ao mesmo tempo, amoroso e delicado.

    -Tadinho Pietra!

    Comentava a sua musa que logo em seguida piscava os olhos algumas vezes, abrindo um sorriso maroto na face. O corpo dela parecia mergulhar em um mar de pura empolgação e alegria.

    -Eu mal posso esperar para contar para ele, acho que farei no final da noite. Já sei, vou bancar de doente, para ele me acudir e levar pro quarto, quando ele me botar na cama vou sussurrar: "Seja meu tritão, querido, meu eterno Albert"....

    Eva contava o plano de maneira divertida e descontraída, fazendo encenações teatrais e várias caras e bocas, até a voz fraca de alguém a beira da morte ela realizava. Essa era a mulher que havia arrebatado o seu coração em Paris, a sua intensa e vibrante musa.

    Enfim, ela segurava a sua face para beijar seus lábios mais uma vez, agora de maneira breve e carinhosa.

    -Agora tenho que ir minha Pietra, cuide do nosso jardim tá bem?!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 23:57

    A reação de Eva fez com que Pietra risse concordando com as palavras da mesma, a clara mudança deixava a cainita perdidamente feliz e apaixonada pela mesma, a velha paixão que ardera nos primeiros anos de sua união.

    - Eu sei, mas não podia rouba-lo de você. Ele sempre foi seu, sempre seu filho.

    A cainita teve que segurar as gargalhadas quando viu a encenação de Eva de como contaria a novidade para Albert.

    - Ele vai amar Bella, tenho certeza de que vai!

    Recebendo o beijo de sua musa com um largo sorriso a cainita a viu se afastar com carinho, olhando para sua besta que se recuperava no chão Pietra sorriu ao estender a mão para levanta-la.

    “ Essa noite está sendo maravilhosa. Espero que termine tão bem quanto começou incluindo Masdela. “

    Pietra reconheceu o olhar de medo de sua besta, a figura de seu irmão de abraço estava ligada diretamente a figura de seu senhor, mas no íntimo as duas torciam para que ambos fossem diferentes.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 9/5/2017, 00:48

    A loira finalmente se encaminhava para resolver os assuntos referentes a Erika, uma mulher que você sequer era capaz de imaginar como parecia, mas que de qualquer forma, instigava algo que Eva não poderia deixar para trás: a honra de sua maior rival.

    Você então se virava com a intenção de voltar para a sala do bando de Rebeka quanto era surpreendida por uma das cenas mais divertidas que você já havia visto na noite, no exato momento em que você virava o corredor para chegar novamente a sala, seus três filhos estava ali de pé a fingir uma conversa qualquer. Lunnah e Lorenz agiam com maestria naquela situação de puro improviso, já Lotte parecia um pouco confusa.

    -Nossa, você já viu a nova coleção de roupas do Ralph Lauren? Fantásticos! Até pensei em começar a fazer um investimento para daqui alguns anos conseguir comprar um!

    Dizia Luannah.

    -Não seja inocente irmã, é só uma marca. A verdadeira arte de uma bela roupa esta nas mãos de um alfaiate, não em marcas que fazem coisas em escala de produção, arte é algo único. Faremos assim, eu te faço um vestido e você o compara com essezinho ai...

    Respondia Lorenz.

    -Er, bem...do que agente tá falando?!

    A sua besta começava a rir, afinal, era óbvio que os três haviam saído logo atrás de vocês duas e haviam espiado a conversa inteira. E pela naturalidade com que Luannah puxava o assunto, o plano tinha sido dela! E era a sua tulipa que balançava a cabeça negativamente olhando para Lotte.

    -Você nem tentou Lotte!

    Lorenz ria encabulado com a situação. E a rosa negra cruzava os braços e fechava a face em um uma expressão de birra e com um bico enorme.

    -Não vale, vocês começaram a falar de coisas que eu não entendo nada!

    Luannah ria da irmã e se escondia atrás de Lorenz, já que Lotte ameaçava correr atrás da mesma. Lorenz balançava a cabeça negativamente e olhava para você.

    -Então, Eva finalmente vai abraçar Albert?! Que maravilhoso mãe!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 9/5/2017, 01:26

    Pelo caminho de volta até a sala dos Lobos a cainita esbarrou com suas três crianças, a forma nada natural da reação de Lotte acabou por entregar o que os três neófitos haviam feito, rindo disso Pietra teve que se segurar na parede para não perder o equilíbrio já que sua besta a usava como apoio.

    - Seus...

    “ Eles virão tudo... Mio Dio! De quem foi essa ideia?!”


    Cruzando os braços e tentando parecer séria a cianita ainda ria para suas rosas e tulipa.

    - Eu amo vocês, mas da próxima combinem um assunto antes... Sim Eva pretende abraça-lo, eu já imaginava que um dia isso aconteceria, só não sabia quando. Agora por favor finjam que não sabem de nada, ela vai adorar contar isso e seria uma pena estragar a surpresa.

    Recuperando-se por completo a cianita beijou a testa de Lorenz com carinho.

    - Acho que precisarei de mais vassalos mio amato, tens alguém em mente para me indicar? Porque se esse jardim continuar a crescer precisarei de um exército logo logo. Vá descansar, eu irei sair com Lotte.

    Abraçando Luannah com carinho Pietra bagunçou de leve os cabelos da filha da lua comentando.

    - Sei que está em cima da hora, mas amanhã quero que vá ao baile das rosas comigo. Lorenz está frágil demais e rosas negras não são permitidas, você é minha aprendiz e ninguém a incomodará por ser uma filha da lua.

    Voltando-se para Lotte, Pietra a tomou pelo braço mordendo-lhe a face com carinho para só então beija-la.

    - E você vem comigo, temos alguém para visitar não?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 9/5/2017, 11:56

    Lunnah soltava uma risada baixinha e descontraída em resposta a sua primeira fala e concordava com um movimento positivo de cabeça sobre manter o segredo. Lotte mantinha os braços cruzados e exibia um sorriso um pouco sem graça, afinal, ela havia estragado o disfarce! Já Lorenz gentilmente concordava, para falar logo após receber seu beijo.

    -Eu entendo perfeitamente, manteremos esse segredo com cuidado. E talvez eu tenha sim alguém, irei descansar um pouquinho e irei revisar alguns possíveis candidatos.

    Luannah sentia o seu abraço e ouvia suas palavras, mas não esboçava nenhuma reação além de uma eufórica surpresa.

    -Acho que ela aceitou mãe...

    Brincava Lorenz, já esticando a mão para puxar Luannah para mais perto dele. Lotte por outro lado adorava receber aquela mordida na face e soltava um barulho engraçado antes de falar:

    -Nah!

    Sorridente agora, a sua rosa negra se despedia temporariamente dos irmãos:

    -Se cuidem viu, nada de tentar morder o nosso irmão sem mim viu Luannah! Até logo!

    Lotte então apenas lhe dava alguns segundos, para imediatamente dar uns pulinhos de alegria e começar a andar rápido para a qualquer direção, ela procurava a saída mas não fazia a menor ideia de para onde ficava.

    -Vamos! Vamos! Eu quero tanto visitar o meu pai!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 9/5/2017, 14:16

    Feliz com a resposta de Lorenz, Pietra concordou com um aceno positivo para seu filho, o homem sempre observador era um ponto de apoio que a cainita havia aprendido a apreciar.

    “ A opinião de Lorenz conta muito, além do mais precisaremos de alguém com braços fortes para ocupar o lugar de Albert.”

    Rindo da reação de Luannah a cainita se despediu de sua rosa branca e sua tulipa com um leve aceno, tomando a iniciativa de guiar Lotte pelo caminho certo Pietra não parava de rir e adorar o pequeno som que a neófita fazia ao ser mordida.

    - Nós duas vamos com toda a certeza surpreende-lo! Isso me lembra que talvez a prole dele esteja com ele, ela deve estar passando pelas mesmas dificuldades que você e Lorenz estão tendo. Então teremos que ter um pouco de paciência e cuidado, a força do sangue dela pode me afetar e sobrepujar você, mas não guarde rancor mia figlia.

    Passando de leve a mão sobre os cabelos negros de Lotte, Pietra não perdeu tempo em dar mais uma mordida em sua filha só para ouvir o pequeno som que a mesma soltava.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 9/5/2017, 16:47

    Vocês duas caminhavam sem muita pressa em direção a saída dos corredores do Sabá, o malefice já estava próximo que o indicava que não iria realmente demorar muito até que vocês estivessem do lado de fora do seu refúgio.

    Lotte reagia sorridente a segunda mordida carinhosa, encolhendo-se e fazendo o mesmo barulho meigo que sempre fazia ao receber as suas mordidas, a sua rosa negra mostrava a língua para você de forma divertida enquanto fazia uma careta. Para só então levar a mão onde você havia mordido, fazendo um pequeno carinho na região.

    -O meu pai é um homem poderoso, eu sentia isso todas as noites que passava com ele. Imaginar que a prole dele seja mais forte que eu é até compreensível, mas me assusta um pouco saber que ela pode alcançar você mãe. O vitae é realmente algo especial, devo aprender a força dele...

    Enquanto vocês duas passavam pela saída lateral do Malefice, sem a necessidade de cruzar literalmente a boate ou a galeria, usando os corredores dos funcionários, Lotte continuava a falar com tranquilidade.

    -Conheci ela ontem, Yalin Kizilkaya! Uma moça fantástica, Cassandra a nomeou como nossa sacerdote. O alemão dela é meio ruim, difícil de entender na verdade. Mas acho que você vai gostar muito dela! Tão exótica... meu pai escolheu bem a primeira prole.

    Finalmente vocês saiam, era mais uma noite fria da cidade de Berlim e seu corpo prontamente sentia essa sensação. Lotte seguia até uma motocicleta estacionada em frente a boate e olhando para você, tirou a própria jaqueta de couro e lhe estendeu.

    -Posso levar agente até a casa do Friederich?!

    Veículo de Lotte:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 9/5/2017, 17:49

    Por mais que tentasse, Pietra não conseguia esconder o quanto adorava o pequeno barulho que Lotte fazia ao ser mordida, rindo com suavidade para sua prole a mais velha a guiava com maestria para fora do refúgio.

    As palavras de Lotte eram escutadas com atenção por Pietra, o simples fato de sua rosa negra se dirigir a Friederich como Pai deixava a cainita profundamente feliz, havia sido o homem que escolherá aquela pequena rosa e a cuidará com tanto carinho, um presente que Pietra nunca esqueceria de ter recebido.

    - Não se preocupe quanto a isso, nos primeiros dias quando a besta ainda está se acostumando a sua nova condição ela tem uma força grandiosa, quando isso passar será a diferença de experiência que irá determinar nossa força. Entenda, quanto mais velho o cainita for mais forte ele pode ser, o vitae é apenas umas das fontes de força, na verdade é a força primaria de um cainita. Uma hora eu tenho certeza de que você aprenderá a força de seu vitae, mas tenha paciência temos tempo para que você aprenda e  tempo para ensina-la.

    Beijando a face de sua filha, Pietra sorria escutando cada palavra sobre a prole de Friederich, havia visto Yalin e como ela era encantadoramente exótica e bela, concordando com Lotte sobre a escolha de Friederich sobre sua prole.

    “ Friederich sempre teve um bom gosto inquestionável. Espero que Yalin se torne uma líder tão boa quanto ele, a Espada ganharia muito com isso.”

    Do lado de fora Pietra sorriu ao receber a jaqueta de sua filha, sentindo o frio como nunca antes a cainita olhou curiosa para a moto que Lotte apontava e a proposta feita.

    - Sabe que eu nunca andei em uma moto. Eu adorei a ideia mia figlia, acho que isso deixa o que estamos fazendo mais especial ainda!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 9/5/2017, 18:59

    -Nunca? Sério?! Mãe você vai adorar!

    Comentava a Lotte, sorridente a sua filha andava até a lateral da moto, abrindo ali o bolsa lateral da mesma que era revestida de couro, mas parecia ser feita de fibra. De dentro ela tirava um capacete de semi-proteção, ou seja, que iria cobrir apenas o topo da sua cabeça. Prontamente ela esticava a mão para pegar o capacete que estava encaixado no retrovisor da moto dela. Ela esperava você vestir a jaqueta para imediatamente dar vários pulinhos ao vê-la vestida daquela forma.

    -Você ficou perfeita assim, deveria usar mais jaquetas!

    Animadíssima ela subia na moto e aguarda por você. No momento em que você estava finalmente encaixada atrás dela a sua filha comentava enquanto vestia o capacete.

    -Me abraça bem forte tá?! Vamos lá!

    Imediatamente ela virava a chave e seu ouvidos eram tomados pelo som poderoso do motor, a sua besta estava empolgada como nunca! Correndo em volta da moto enquanto Lotte a manobrava, para então saltar e adentrar o seu corpo. A euforia dela parecia correr por você com velocidade, um leve arrepio te dominava e uma mistura de medo e ansiedade se apresentavam naquele coquetel de novas informações. Lotte enfim acelerava com força a moto e essa seguia com agilidade e potência pelas ruas da cidade de Berlim. O vento frio se chocava contra seu corpo, mas seu coração batia com muita intensidade, Lotte se divertia enquanto desviava de carros e ia realmente bem rápido pelo trânsito sem nenhuma insegurança.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 9/5/2017, 20:20

    Rindo da surpresa de Lotte, Pietra concordou com a cabeça sobre nunca ter andado em uma moto, feliz com a resposta de sua filha a cainita vestiu a jaqueta para então receber o capacete e coloca-lo sobres os longos cabelos castanhos.

    OS pequenos pulos de Lotte sobre a jaqueta vestida arrancaram um riso de Pietra, sentindo o perfume de sua filha preso ao couro e o cheiro da própria roupa a cainita gostou do que viu e ainda mais do toque do tecido.

    - Sabe eu gostei. Vou passar a usar mais coisas assim, fiquei tempo demais usando vestidos e acho que enjoei deles.

    Esperando Lotte estar em cima da moto, Pietra sorriu ao ver a animação de sua besta sobre aquele passeio, a besta claramente não escondia a empolgação daquelas mudanças correndo sem parar em volta das duas cainitas.

    Segurando com força o corpo de sua filha Pietra sentiu a besta voltar para dentro quando a partida foi dada, o vento em seu rosto foi a primeira coisa que a cainita de olhos fechados sentiu, o misto de euforia e o frio do vento invadiram Pietra por completo.

    “ Isso é tão bom! Porque eu demorei tanto pra fazer isso?”

    Abrindo os olhos a cianita viu como sua filha controlava aquela gigantesca moto sem problema nenhum, apertando-a com cuidado a italiana riu de alegria aproveitando aquele passeio.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 9/5/2017, 22:10

    17 de Março de 2002, Berlim.
    Nona Noite

    Palácio de Köpenick:
    Entrada:
    Palácio:

    Vocês duas cruzavam várias ruas em altíssima velocidade, havia ali uma felicidade incontestável em todo o corpo da sua rosa negra, era como se a percepção sobrenatural dela premeditasse a movimentação dos veículos, assim, ela cruzava a pista de fluxo contrário e muitas outras coisas sem a menor problemática e com risco mínimo.

    Enfim vocês chegavam em frente ao palácio de Köpenick, os portões naturalmente fechados a noite indicariam que seria necessário pedir autorização para entrar. Isso envolveria normalmente telefonar para Enzo, o vassalo de maior confiança de Friederich. Todavia, a missão era secreta e Lotte parava a moto a alguns metros da entrada. Já descendo da mesma e abrindo um sorriso divertido.

    -Mãe, se agente pedir permissão não vai dar certo. Então vem comigo, eu já fiz isso algumas vezes só pra testar como era o sistema do Enzo e descobri umas falhas...

    Com um sorriso maroto na face, Lotte andava ao lado do muro branco até parar ali, se abaixar e contar alguns segundos, pegando uma pedra e arremessando contra a base de uma das câmeras de segurança, era um arremesso preciso que não tinha a intenção de quebrar o objeto mas sim, tirar ele do eixo como se uma ave ou algo assim tivesse esbarrado no mesmo. Em seguida ela literalmente saltava para cima do muro, sentando no meio do mesmo, com uma perna para fora e outra para dentro da propriedade, esticando a mão ela te convidava.

    -Vem! Vem!

    E assim que você aceitava o convite, vocês duas desciam dentro da propriedade de Friederich, havia no centro uma praça lindíssima que separava a casa menor da mansão principal. A essa hora, Enzo certamente estaria em sua própria casa ainda, o que dava a vocês em torno de vinte minutos até conseguirem invadir sem serem notadas. A sua filha fazia um sinal, indicando que vocês iriam entrar pelos fundos, provavelmente pela cozinha ou alguma entrada de funcionários.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 9/5/2017, 22:44

    De cima da moto e abraçada a Lotte, a cainita ria feliz, a clara capacidade de controlar aquele veiculo de maneira excepcional de sua filha, fazia com que Pietra se orgulhasse de sua rosa negra.

    Quando Lotte parou a moto, Pietra desceu dando alguns pulinhos para descarregar toda a adrenalina que sentia devido ao passeio, rindo a cainita guardou o capacete enquanto ouvia as palavras de sua rosa, o sorriso maroto de Lotte deixava claro que a mesma conhecia um meio de entrar.

    “ Ela é tão magnifica! Isso com toda a certeza vai deixar Friederich de boca aberta!”

    - Bom mocinha você sabe o caminho melhor do que eu, então vá na frente!


    Seguindo sua filha, Pietra viu sua besta assobiar pela forma simples e bem elaborada que Lotte usava para burlar a segurança do castelo, rindo só de pensar em como Enzo reagiria a isso a cainita não pensou duas vezes ao se impulsionar para o muro e receber a ajuda de Lotte para atravessa-lo.

    - Quantas vezes você já fez isso mia amata?

    Sussurrava Pietra a sua filha quando sua besta corria a frente, brincando pelo gramado a besta ria livre enquanto sua cainita se preocupava em agir rápido e sem barulho.

    “ Espero que ela não chame muita a atenção aqui fora. Friederich pode desconfiar de alguma coisa. “
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 10/5/2017, 16:23

    Lotte demonstrava uma enorme felicidade em estar realizando aquela pequena "arte", como uma criança levada ela se movia silenciosamente e com bastante atenção, guiando o caminho e respondendo a sua pergunta apenas com os dedos, apresentando todos os dedos das mãos e depois, mais quatro dedos da mão esquerda. Exibindo a língua brevemente enquanto mostrava quantas vezes ela já tinha feito essa invasão.

    Assim, vocês duas andavam com agilidade até o fundo daquela enorme mansão. Lotte fazia um sinal pedindo para vocês pararem logo ao lado de uma porta de saída lateral, contando alguns segundos até que a porta fosse aberta e um dos seguranças saísse para fumar. O homem de pele negra e careca, usava o típico terno da staff do Enzo e caminhava sem maiores preocupações, com um celular em mãos e um cigarro já acesso nos lábios.

    Lotte dava uma breve acelerada para segurar a porta antes que essa batesse e agindo pelas costas do homem, ela chamava a sua atenção quando o segurança já havia aberto uma distancia segura da porta. Vocês duas então finalmente adentravam o palácio que servia como refúgio de Friederich, atravessando vários corredores e seguindo para o segundo andar, até que enfim, acontecia a chegada em uma das várias lindas salas daquele palácio. As vozes de Friederich e de sua prole se faziam presentes, ecoando pelo ambiente. Era um diálogo em alemão e soava bastante informal.

    Sua filha apoiava a mão na madeira do arco de entrada para a sala e espiava o interior daquela linda sala enquanto a conversa entre os dois lá dentro se fazia agora mais nítida e seus olhos castanhos encontravam imediatamente a figura de Friederich de pé, enquanto Yalin também de pé o encarava com intensidade:

    -...continuando então dessa forma eu vou conseguir parar, entendi! É algo muito estranho não é? Mas o Senhor sabe que não era minha intenção correto?!

    O alemão dela era lindo, exótico e impreciso. As consoantes soavam abertas e as vogais fechavam antes da hora, Eva certamente iria morrer de amores por aquela pronuncia. Friederich respondia à prole:

    -Primeiramente, és minha prole e não há necessidade de usar termos tão formais enquanto estamos a sós. E não te preocupes Yalin, o rapaz não se machucou tanto quanto você imagina, entendo que isso possa assustar um pouco, todavia, compreendo que não tenha feito com intenções equivocadas. A força do teu vitae é enorme, tu irá aos poucos se acostumar.

    Respondia com a voz sempre cofiante e forte o seu amado Friederich, ele estava um pouco diferente do que você se acostumou a ver nas noites mais recentes. O cabelo dele estava idêntico a como era nas noites que vocês passaram juntos na Espanha, a postura dele estava relaxada e tranquila, as roupas também indicavam que ele não estava a esperar por visitas.

    Os enormes olhos negros da sua filha buscavam por você, esperando a sua reação e autorização para invadir aquela sala.
    Objetos e Npcs em cena:
    Sala de Estar:
    Friedrich von Köln:

    Roupas:
    Yalin Kizilkaya:

    Roupas:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 10/5/2017, 23:24

    Pietra teve que segurar o riso ao ver a resposta silenciosa de sua filha de quantas vezes já havia invadido o refugio de Friederich daquele modo, seguindo com cuidado Lotte a cainita observava sua besta correr de um lado para o outro sem se importar, a besta sabia claramente que estava segura e se divertia com isso.

    Um ar surpreso se apossou de Pietra quando a infiltração foi feita, a saída do segurança bem estudada e os movimentos rápidos de ambas as cainitas garantiram que a entrada das duas fosse silenciosa, a besta ainda fez questão de mostrar a língua para o segurança antes de correr atrás de sua outra metade.

    “ Não provoque a sorte!”

    Ralhou mentalmente a italiana enquanto seguiam pelos corredores, subindo para o segundo andar a cianita suspirou ao ouvir as vozes antes mesmo de chegar perto da sala, escutando atentamente a forma única de Yalin falar a cainita segurou a besta para que a mesma não estragar a surpresa ao tentar correr e ir abraçar Friederich.

    A cena que se desenrolava fez Pietra sorrir orgulhosa do que via, era claro a força que a jovem aparentava ter e a postura tão relaxada de Friederich era um pequeno premio a ser saboreado.

    “ Ele parece bem, não está tenso ou contrariado. Isso é bom, voltou a ter confiança e se assemelha ao jovem que conheci em Madrid.

    Sorrindo para os olhos negros de Lotte, a cainita fez uma pequena contagem regressiva com os dedos antes de abrir a porta e soltar a besta, a besta eufórica não perdeu tempo em correr diretamente para Friederich, mas sentiu uma pontada de duvida se abraçava ou não Yalin, por fim a duvida foi sanada e a mesma abraçava o corpo do Ventrue com força e carinho.

    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2958
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 10/5/2017, 23:59

    A contagem feita por ti deixava a sua filha eufórica, ela ameaçava várias vezes uma corrida, mas quem entrava primeiro era a sua besta que após a breve duvida se atirava para abraçar Friederich. O homem reagia de maneira discreta, como se algo tivesse caído no colo do mesmo e por isso ele chegava até a olhar para o alto. Assim, vocês finalmente adentravam a sala:

    -Surpresa!

    Gritava Lotte entrando correndo pela sala, Yalin saltava pra trás e mostrava as presas acuada. Mas imediatamente começava a rir por reconhecer a imagem de Lotte, a sua rosa negra corria desgovernada na direção da jovem Ventrue, abraçando-a com força e imediatamente mordendo a bochecha da mesma. Yalin dava vários tapas em Lotte lutando para se livrar. Friederich por outro lado sumia do sofá deixando a sua besta confusa, aparecendo de pé ao lado do mesmo com a mão direita sobre o peito e uma deliciosa expressão de susto. Com os olhos arregalados e claramente boquiaberto ele parecia ter dificuldades para entender o que você e sua filha haviam feito.

    -Eu não acredito... Vocês duas... Pietra você está... Alguém me explica essa invasão?!

    Os olhos dele encontravam a sua figura e a surpresa dele virava uma mistura nova de confusão e admiração, ele estrava a sua roupa e a sua postura mas ao mesmo tempo as achava lindas e fascinantes. Enfim, ele abria os braços em um gesto carinhoso.

    -Boa noite Pietra! Eu nunca, nem em mil anos iria esperar isso! Vejo que acertei em minha escolha não é mesmo?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1676
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 11/5/2017, 01:16

    Quando Lotte correu para dentro da sala Pietra não conteve mais o riso, a cainita tentava descobrir se sua besta ou sua filha era a mais ansiosa e brincalhona naquela situação. Encostando-se no vão da porta a cainita observou as reações de Friederich e Yalin.

    “ Ele não vê minha besta... Mas a sente, isso é bom... Ela deve ficar triste por não ser vista, mas logo vai esquecer isso. “

    A besta não perdeu tempo ao ver o tamanho da bagunça que Lotte fazia com Yalin, correndo para as duas a besta se atirou no meio do abraço querendo sua parcela de atenção também. A reação de Friederich fez com que a cainita corasse, a surpresa estampada nos olhos de seu amada e a falta de reação do mesmo era um presente magnifico.

    - Mio amato... Eu adorei tanto essa ideia que não pude deixar de fazer.

    Comentava a cainita ao se aproximar, quando os braços de Friederich se abriram a cainita não perdeu tempo em abraça-lo, apertando-o com força e carinho para beijar de leve os labios do homem.

    - Ela é maravilhosa Friederich, um presente lindo e perfeito. Nossa rosa negra.

    Depositando a cabeça sobre o ombro de seu amado a cainita virou seus olhos na direção das duas neofitas sorrindo enquanto sussurava.

    - Yalin é linda mio amato, sempre tiveste bons olhos.

      Data/hora atual: 22/10/2017, 17:16