WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Compartilhe
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 28/6/2017, 21:16

    Era pega de surpresa pela minha irmã quando estava para sair do tonel. Caindo novamente dentro e brincando com a mesma. A deixando afundar de leve minha face naquele potente aroma roxo. Me sentindo profundamente alegre por ganhar um novo e maravilhoso seguimento de memória sobre nós duas. Assim ficava ali jogada na poupa enquanto a via pulando para fora. Era impossível e sequer me esforçava para guardar a gargalhada. Uma gostosa e longa risada que tiraria meu ar se eu realmente precisasse dele. Contudo só quando conseguia ter fôlego para me espreguiçar, me levantava para poder pular para fora daquele enorme barril.

    "É tão maravilhoso poder ver o seu sorriso. Vou me esforçar para mantê-lo com frequência em sua face." Saindo finalmente lá de dentro, dava uma leve batida na minha roupa. Tirando um pouco da goma de uva mais espessa. Só que não me esforçando muito nessa atitude, dado o fato que aquele vestido estava realmente condenado à prosseguir me servindo nesta noite. Felizmente sempre foi de meu feitio trocar de roupa mais de uma vez ao longo da noite. Logo agora não seria diferente. Assim me divertia com as palavras de Elena e a respondia de forma sorridente.

    - Vai precisar de roupa sim. Mas nada de por este vestido no lixo. Fica lindo com essas manchinhas roxas.

    Fazia mais uma gargalhada antes de ir de encontro com a mão dela. Para a olhar diretamente nos olhos de forma animada e então apenas falar "Vamos?". De tal forma, a puxava de leve para me acompanhar. Trazendo o braço dela para bem perto e podermos andar juntinhas. Assim prontamente saindo do armazém para adentrar novamente no vinhedo. Um outro ambiente extremamente prazeroso de cruzar ao lado de minha irmã. Aproveitava para fazer um estendido passeio com ela. Aberta a escutar qualquer coisa que ela falasse. Só que profundamente apenas apreciando o maravilhoso silêncio de poder estar em paz com aquela pessoa que tanto amei e tanto odiei.

    Quando o caminho estava para terminar, a fui levando para a margem esquerda do campo. Contornando o bosque ao redor da piscina que estava no alto da colina. Para então dar no castelo pela entrada lateral. Chegando naquela entrada que era de esperado estar vazia. Observando calmamente a entrada para a câmara de Plínio, como também observando a entrada que rapidamente levaria para o andar superior que estava o meu quarto e closet. Apontava para o aposento de minha última prole antes de prosseguir a puxando para dentro da casa até meu armário. Onde a deixaria livre para se divertir. Enquanto isso começava a falar com ela em um tom um pouco mais sério.

    - Ali é o recinto de minha prole com conhecimentos ocultistas de nossa herança. Lá dentro você estará segura de qualquer mal. Mas não se preocupe com isso agora. Vou lhe deixar no meu closet para escolher uma roupa nova. Pode relaxar um pouco no meu banheiro o quanto desejar. Apenas apareça no pátio no fim da noite quando eu fizer minha última apresentação de dança. Será perfeito você simular um descontrole e ir embora do recinto por esse caminho que te mostrei até minha prole, Plínio. Enquanto isso farei um bom teatro para sumir com seu carro e ninguém vira atrás de você.

    Olhava serio para ela dando uma parada logo na entrada de meu quarto. Deixando claro minha determinação. Mostrando o quão importante aquilo e ela era para mim.

    - Lhe manterei segura. Saiba disso, farei de tudo para lhe manter segura. Custe o que custar.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 29/6/2017, 11:13

    -Claro.

    Afirmava Elena com um tom feliz de voz, a caminhada então começava e sem pedir por permissões a sua irmã mais velha tomava a sua mão com carinho, segurando-a até a chegada em frente a porta do seu quarto. Apesar do silêncio mantido, a atenção dela era exclusivamente focada em ti. Tudo que você falava, mostrava ou fazia seria prontamente notado e decorado por Elena.

    -Plínio... certo, entendi. Não será difícil fingir irritação, mas dessa vez eu irei ver o máximo possível da sua apresentação! E obrigada irmã, irei aproveitar do banho por alguns instantes.

    Ela enfim olhava na sua direção e a puxava para um abraço, aproveitando-se dos poucos centímetros à mais que possuía em relação à você, para dentro desse afirmar:

    -A sua força é enorme, obrigada por acreditar em mim irmazinha... Mas eu quero muito tomar um banho quente!

    Sem esperar pela suas reação, Elena apenas sorria e rapidamente adentrava seu quarto. Deixando a porta do mesmo aberta e ficando claramente deslumbrada com a linda disposição de adornos dentro do mesmo, para enfim adentrar o banheiro e fechar a porta do mesmo. Dessa forma restou a ti fazer o caminho de retorno a piscina. Sozinha e com uma sensação de constante alegria à ecoar dentro de ti, você se moveu até o topo daquela colina onde existia a piscina da sua propriedade.

    Seus ouvidos já começavam a ouvir algo inesperado quando teus pés já começavam a tocar a grama que circundava o topo daquela breve elevação de terreno:

    -Bem me quer... mal me quer.... bem me quer... mal me quer... bem me quer!

    Eram palavras baixinhas ditas por Letízia! Movida pela ansiedade e apertando os passos você subia as escadas de acesso e já conseguia ver imediatamente a imagem da linda loira com os pés mergulhados na água, o vestido dobrado na altura dos joelhos e duas margaridas no colo, outra já sem pétalas na mão e dois caules da mesma flor já postos ao lado dela. As pétalas brancas já arrancadas estavam a boiar sobre as águas da piscina, a Lasombra distraída com a própria brincadeira já começava a pegar a próxima flor.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 29/6/2017, 12:00

    Fechar a porta atrás de mim gerou uma sensação dolorosa. Como se uma terrível brisa tivesse passado por mim. Estava me esforçando demais para me sentir feliz, só que as pontadas de tristeza funcionavam como profundas agulhas. Me espetando sempre que eu desse uma pequena brecha para elas. Fazendo meu sorriso derreter na minha face, a empalidecendo enquanto descia aquelas escadas. Perdida na memória de minha irmã totalmente desolada e desesperada. "Cogitar que a coisa mais linda de minha irmã, sua alma, foi contaminada para todo e todo o sempre sem revés ou cura, é desolador demais. Pensar na proposta que ela me fez... O quanto de dor ela deve estar sentindo para pedir isso!"

    Aquele intenso pensamento me fazia esticar a coluna talvez umas cinco vezes por todo o percurso que eu fazia. Enquanto realizava um profundo esforço para tentar mudar meus pensamentos novamente. Não podia permitir que curtas alfinetadas derrubassem meu humor com tanta facilidade. Eu estava feliz de verdade a alguns minutos atrás e precisava me equilibrar daquela forma. Me permitir observar as belezas do meu evento enquanto saía novamente da casa ajudava bastante. Forçar o pensamento em vários flashes daquela noite me ajudava também. O alívio final vinha da delicada voz da La Sombra. Ia me aproximando da fonte conseguindo desenhar um sincero sorriso na face. Para então falar em tom baixo e devagar para não a assustar.

    - Eu diria que eu bem te quero...

    Fazia uma quase inaudível risada enquanto sorria para ela. Visualmente aliviada por ter voltado para um momento positivo da noite. "Não posso me permitir ficar sozinha. Minha mente está me pregando peças demais." Assim dava uma leve esticada na coluna enquanto me aproximava de minha convidada e suas flores. Contudo quando estava relativamente próximo dela, mudava meus planos. Pois observava aquela piscina, logo sentindo um pequeno incômodo com minha roupa molhada e cheia de gosma. Para assim fazer um sorriso maroto para Letízia por um milésimo de segundo e então dar um passo em falso para a direita e cair de pé dentro das águas.

    Fechavas meus olhos por um instante na medida que as águas chegavam até meus cabelos. "Vou ter de me maquiar de novo. Mas acho que todos esperam eu aparecer com um visual mais intenso após a virada da meia noite. Tenho tempo." Logo depois deixava as águas tragarem todo meu corpo, sentindo a temperatura dela e me deixando aliviar por alguns segundos. Para só então por meus pés no fundo da piscina e ficar de pé com a água na altura do meu peito. Rapidamente me alertando sobre o que eu via e trazendo um sorriso envergonhado na minha face. "Meu vestido está transparente!" Assim virava meus olhos novamente para Letízia. Era bem mais fácil sorrir agora. Então esticava minha coluna antes de falar.

    - Perdoa essa maluca aqui. Mas quando estou um pouco estressada uma boa quantidade de água no meu corpo costuma me acalmar.

    Então eu lentamente ia me aproximando dela. Com um olhar divertido e bastante aliviado. Pois agora eu teria bastante tempo apenas para ela. Poderíamos discutir todos nossos assuntos em paz. E sem mais nenhum protocolo de conduta, afinal havíamos quebrado bastante essa barreira. "Era tudo que eu precisava agora. Poder ser eu mesma sem demonstrar força ou sagacidade o tempo todo." Assim chegava bem perto da Matriarca para com as minhas duas mãos segurar em cada pé dela por debaixo das águas. Para em seguida a encarar pondo em foco diretamente aquelas duas lindas esmeraldas. Prontamente prosseguindo minha fala.

    - Sentiu minha falta?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 29/6/2017, 12:34

    Letízia se surpreendia com a sua chegada, mas não era uma reação negativa de surpresa, mas sim com uma euforia contida que era demonstrada com um largo sorriso e movimentos enérgicos com os pés dentro da água. Ela chegava a ameaçar uma fala, mas acabava por rir da sua ação de cair direto na água.

    -Esse efeito é potencializado quando a fonte é corrente, mas eu entendo perfeitamente o que me diz, minha maluca!

    Respondia Letízia quase que imediatamente após a sua primeira frase. Posteriormente, quando você se firmava sobre o assoalho da piscina e caminhava na direção da loira, essa passava os olhos pelo seu corpo e sorrindo por gostar do que conseguia ver devido a transparência.

    -Se eu senti a sua falta? Palavras não vão ajudar...

    Letízia olhava diretamente no fundo dos seus olhos, um sorriso malicioso surgia na face da linda Lasombra. Demonstrando então uma naturalidade surreal com a água, a mulher jogava o corpo para frente, em um movimento que era suavizado pelo contato extremamente próximo que ela fazia com o teu corpo.

    Ela empurrava os pés para frente, forçando-a a segurar as pernas dela enquanto a mesma se jogava contra o seu corpo, esperando que você fosse forte o suficiente para segurá-la. Assim ela trançava as pernas nas suas costas, mantendo-as na linha acima da sua cintura, tomava a sua face com as duas mãos e beijando seus lábios brevemente.

    -Muito, eu senti muito a sua falta! E saiba que brincar com água na frente de uma filha de poseidon é maldade, tá bem?!

    Enquanto falava, a mulher seguia se ajustando, diminuindo drasticamente a distância entre seus corpos e incentivando-a a segurar a base das coxas dela.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 29/6/2017, 14:14

    Rapidamente soltava os pés dela quando sentia o movimento da mesma. Assim deixava o corpo dela descer pelas águas se encaixando com o meu. Sentindo um gelar tomando meu corpo. Não o frio do toque dela, claro que não, o frio na minha barriga dado a emoção nova e nunca antes experimentada. Segurava as penas dela com entusiasmo. Deixando meu tato conseguir sentir a superfície da coxa dela com bastante liberdade. Minha face fazia um curto tom divertido para as palavras seguintes.

    - É maldade? E brincar com uma Filha de Poseidon dentro da água, também é?

    "Será que um dia eu consigo ter isso com minha Olympia?" Eu então a encaixava com mais delicadeza contra meu corpo. A fazendo ficar amarrada a mim um pouco mais acima da cintura. Para que ela pudesse me beijar com facilidade. Quando ela se afastava do breve beijo, deixava por um instante ainda meus lábios abertos, meio que sem esperar que aquele beijo seria tão curto. Rapidamente fechando os meus lábios em uma pequena expressão de timidez. Mas logo esmaecendo essa ao escutar as últimas palavras da Letízia. Para assim poder sorrir para ela enquanto a respondia.

    - Pensar que nossa reunião podia terminar sendo com roupas formais dentro de um escritório. Seria um desperdício tão grande.

    Fazia minha mão esquerda escorregar até o limiar das nádegas dela. Fazendo um leve tremer dado a ansiedade e o nervosismo. A encarava profundamente com meus olhos intensamente ligados aos dela. Permitindo aquela gostosa sensação de nervosismo me consumir. Me deixando paralisada com aquela bela mulher em meus colos. Pois eu sequer sabia como reagir, não era de minha expertise. Apenas estava agindo de acordo com meus desejos mais imediatistas. O que sequer faziam sentido com meus planos e metas. "Não sei o que estou fazendo. Mas... Isso é tão emocionante..." Assim finalmente tomava coragem de falar. Em um tom bem baixo enquanto demonstrava um alívio em por aquelas palavras finais soltas para fora.

    - Letízia... Meu corpo... Eu... Me possua...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 29/6/2017, 17:38

    Diante suas palavras e ações, pequenas modificações ocorriam na expressão da Lasombra. A euforia parecia arder em algo mais intenso e vibrante, não eram olhos apaixonados ou amorosos, também não eram aqueles repulsivos olhares vazios dos seus netos. Era algo novo, único. Havia sentimento, havia desejo, mas acima de tudo era um olhar sincero. Com uma das mãos ela tomava o teu seio esquerdo, brincando com ele por cima do vestido e chegando a apertar o seu mamilo, puxando-o para cima enquanto falava.

    -Nossa, que pedido lindo. Eu até pretendia responder as suas outras questões... Mas chega de falar!

    Imediatamente Letizia segurava a sua nuca com uma pegada marcante e intensa, para posteriormente beijar-lhe os lábios. Um beijo longo e com a presença de uma língua que tomava a tua sem pedir permissão. O beijo terminava com a mulher apoiando as mãos nos seus ombros para se soltar as pernas de ti. Mergulhando rapidamente para pegar a sua cintura com as duas mãos, demonstrando uma força típica de um cainita habituado com a potência. Ela a levantava e a conduzia até a beirada da piscina, ficando propositalmente em uma região mais rasa onde ela pudesse ficar de pé com o nível de água até a cintura. Adentrando pelo meio das suas pernas, para com as duas mãos abri-las.

    -Coloca uns dedinhos na boca querida... Deixa eu te mostrar só um aperitivo! Me avise quando estiver chegando.

    Sem mais delongas, a mulher aproximava a face, subindo o seu vestido e abrindo o máximo que conseguia as suas pernas. Beijando a parte interior da sua coxa, beijos que faziam o caminho até tocarem a sua área mais intima. Ela se dava a delicadeza de respirar ali, provocando-a com aquela sensação única, para enfim usar a língua para tocar seus lábios. Com a mão esquerda ela iniciava uma penetração com dois dedos quentinhos, que adentravam e brincavam ali dentro, enquanto todo o contorno e especialmente seu ponto mais sensível, o clitóris, era tomado pela língua e pelos beijos da mulher.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 29/6/2017, 20:33

    Sentir meus seios apertados ligava uma excitação nova. Além do frio na barriga. Vinha uma grande e nova expectativa. Trazendo uma sensação estranha com aquele puxão do mamilo, afinal a primeira sensação seria que doeria. Mas trazia um formigamento diferente e muito bom. Só que antes de eu conseguir pensar mais, estava a sentir novamente aquele adocicado sabor do suave hidratante. Como também degustando o aroma de acácias selvagens. Logo tentava corresponder de igual o beijo dela. Rapidamente me sentindo a vontade com aquilo. Mas não havia tempo para me acostumar. Afinal rapidamente a Letízia cumpria com meu pedido.

    Imediatamente ela desaparecia sob as águas e em instantes seguintes me levantava. Logo trazendo um pequeno risinho meu, que estava tomada em profunda emoção. Fazendo um esforço cada vez menor para me sentir totalmente a vontade. Deixando a adrenalina tomar conta do momento e deixar a ansiedade de lado para poder aproveitar cada ação dela. Sentava na borda da piscina já mordendo meus lábios imaginando o que estava por vir. Agora meu olhar era apenas dominado pelo mais profundo desejo. Deixando minhas pernas serem totalmente conduzidas pelos movimentos da La Sombra. Em seguida acatava o pedido da Letízia. Pegando a mão livre dela e trazendo para meus lábios. Tentando brincar com os delicados dedos dela da mesma forma que a língua dela havia me conquistado.

    Um choque era a primeira reação que vinha em minhas pernas. Trazendo um arrepio que corria por toda a minha espinha. Retesando meu corpo inteiro para só alguns segundos depois relaxar. Aquele beijo seguido da respirada quente e sensível me deixava totalmente arrepiada. Mas eram aqueles dedos que me dominavam. Pois agora eu sentia algo único e especial. Mais precisamente, eu não sentia algo ruim, não sentia dor. Assim ia me concentrando em apenas lamber os dedos dela, cada vez mais rápido na medida que eu sentia meu corpo me respondendo em profundo prazer. A língua dela trazia a mim uma emoção nunca antes sentida. Eu me sentia quente.

    Uns baixos gemidos iam saindo dos meus lábios. Ofuscados pelos dedos dela. Enquanto ia gradativamente perdendo todo o tato das minhas pernas afundadas na água. Mesmo minha sapatilha encharcada não me era mais sentida. Pontualmente eu ia desligando toda a minha visão, com o mundo ficando embaçado, quase em um borrão branco. O segundo sentido a ir embora era meu olfato que só conseguia sentir acácias pelo ar. Meu paladar me abandonava, apenas me dando a noção de uma pressão naqueles lindos dedos na minha boca. Minha audição se mantinha apenas nos ecos de meu próprio gemido. Até que o tato se despedia de mim, apenas ficando a me trazer significados compreensíveis por aqueles dedos quentes dentre de mim. O resto não existia e só o prazer predominava.

    Assim uma sensação rapidamente tomou conta de mim. Era como a morte total do ar, só que de uma forma maravilhosa. Uma explosão de adrenalina que me acordava em um instante, para rapidamente me desligar novamente. Largava os dedos de Letízia enquanto deitava minhas costas no chão da borda de piscina. Meu corpo inteiro tremia enquanto sentiatudo abaixo da cintura ardendo numa emoção que parecia não ter fim. Deixando minhas pernas contorcidas ao experimentar aquele prazer. Para só então me trazer um alívio mergulhado naquele infinito prazer enquanto sentia algo escorrer nas minhas pernas. Era quente.

    Soltava um baixo gritinho abafado por meus lábios comprimidos um contra o outro. "Isso é o prazer que eu sempre almejei em ter? Eu pensava que era apenas um instinto primal de meu corpo. Mas esse prazer... É de verdade, é legitimo. Tantos anos só para esse dia chegar. Agora me sinto livre." Sentia um curto lacrimejar se aproximar de meus olhos. Só que felizmente meu prazer era mais forte e me barra de pensar naquele momento de forma triste. Era especial sem sombra de dúvidas. Sequer sabia como reagir à todo meu corpo dormente como estava. Só que não mais tinha nervosismo ou apreensão sobre aquele momento. Podendo me permitir olhar para Letízia sorrindo.

    - Querida... Isso foi tão especial. Você não tem ideia de quanto e por quanto tempo eu precisava disso.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 29/6/2017, 20:58

    Suas costas estavam quase totalmente postas contra o piso que circundava a borda, aquele maravilhoso calor que escorria de suas intimidades era cuidadosamente tomado pelos lábios da linda Lasombra, breves beijos e lambidas eram feitas para conter todo aquele calor líquido.

    Finalizando com uma mordida na parte interna da sua coxa esquerda, a pequena mulher saia gentilmente do meio das suas pernas para sentar-se na beira da piscina e se deitar ao teu lado. Abrindo um sorriso na face, com os lábios ligeiramente manchados pelo teu vitae!

    -Loretta, sua bobinha...

    Dizia a mulher ao notar as lágrimas que estava a escorrer dos seus olhos. Aproveitando-se outra vez da própria agilidade que exibia, Letizia virava de lado, apoiando o cotovelo no piso e subindo o corpo dela por cima do teu, abrindo bem as pernas e apoiando os joelhos ao teu lado, mantendo o teu tronco passando por entre eles. Em uma doce ação ela limpava suas lágrimas com as mãos, para enfim segurar a sua face pela pontinha do queixo.

    -Eu quero ver essa expressão mais vezes, seu sorriso tão livre e alegre, uma entrega tão sincera. Obrigada por compartilhar esse momento comigo querida, todas nós precisamos disso, acredite em mim! Mas eu tenho um pedido... Quero mais! Você ainda é minha né? Ainda quer que eu a possua? Porque a recíproca é verdadeira!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 29/6/2017, 21:48

    As falas dela me eram captadas atentamente. Enquanto sentia um alívio com aquela gota de lágrima sendo tirada do meu rosto. Era como se minha energia negativa estivesse sido colocada para fora. Me permitindo esticar a coluna enquanto me esforçava para poder ficar sentada novamente. Observando atentamente as duas hipnotizantes esmeraldas enquanto buscava palavras para a responder. Afinal precisava me recompor daquele pequeno baque que eu havia passado, junto também de todo aquele enorme prazer. Minha fala então vinha num baixo tom de confissão.

    - Eu possuo memórias tão pesadas sobre meu passado envolvendo minhas privacidades, que nunca achei que isso agora fosse possível. Não acho que vai haver muitas pessoas no mundo que eu vá conseguir me sentir tão a vontade como com você.

    Dava então uma engolida em seco. Cogitando se deveria falar em voz alta minhas palavras seguinte. Havia uma intensa lista de motivos para que eu não falasse. Principalmente pelo medo de admitir em voz alta. Afinal quanto mais oficial eu tornasse aquilo em minha mente, mais dor eu sofreria caso tudo desandasse no futuro. Contudo eu não estava disposta a segredos agora. Sem falar que eu não queria, sequer podia desistir de caçar aquilo que minha alma tanto quer para poder se sentir feliz.

    - Existe na verdade outra pessoa... Ela também está nessa festa. Mas com ela... É um especial diferente. De uma forma que não sei explicar. Por isso quero poder matar de uma vez esse meu trauma para então seguir em frente. Afinal preciso aprender muito ainda sobre "isso".

    Mostrava meus dois dedos, indicado e do meio, da mão direita e dava uma leve balançada enquanto falava "isso". Para então mergulhar em uma profunda vergonha por ter sido tão específica. Por imaginar fazer aquilo com a Olympia. Com o receio de agir no futuro de forma tão amadora quanto eu tava sendo agora. "Que mico que estou passando. Dá vontade de mergulhar nessa piscina e nunca mais sair." A única coisa que me dava força para lutar contra aquela vergonha toda era meu tesão. Pois este ainda estava muito forte e queria muito o corpo da Letízia. Principalmente depois de sentir aquela mordida cujo o prazer ainda corria em minha mente como um eco. Me fazendo a responder com desejo no rosto.

    - Sim! Ainda sou sua e vou te compensar propriamente. Só não se acanhe com minha falta de experiência... Mas onde peco em conhecimento, desfruto de vontade de descobrir o seu gosto.

    Dava uma pequena mordida em meus lábios na medida que me virava diretamente para ela. De breve passando minhas mãos até as pernas dela. Fazendo um delicado movimento para as abri-las o máximo que desse. Olhando com atenção para os detalhes. Me contendo de ir direto até lá, afinal queria mais que apenas matar meus desejos. Queria poder realmente compensá-la. Assim me dava ao luxo de ficar ali contemplando por um instante. Inicialmente olhando para os pés dela. Trazendo deliciosas lembranças de mais cedo com a Olympia. Um momento especial que me deixava ali fascinada por um instante. Para só então desviar meus olhos até as intimidades dela enquanto ia lentamente me aproximando.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 29/6/2017, 22:18

    A face da loira mulher assumia uma expressão profundamente empática diante a sua primeira fala, soltando o teu queixo e tocando com a ponta do indicador no meio dos seus seios para também confessar, mas que iria acompanhá-la por muitos anos.

    -Não importa o quão cruel foi o passado, é com nossos punhos que forjamos um futuro melhor. Não se dê por vencida, encontre pessoas capazes de lhe ensinar o que há de belo para ser visto, sentido e tocado... Foi a lição que eu aprendi e me fez abandonar as trevas. E veja só, hoje eu tenho você!

    Em sequência ela voltava a se deitar ao seu lado e buscando o céu com os olhos, ouvindo suas palavras seguintes e soltando um pequeno risinho abafado com a sua vergonha.

    -Não se preocupe com isso, eu vou te ensinar tudo! Para quando você e essa patrício em especial, não haja tempo para inseguranças, você estará prontinha!

    As palavras dela eram intercaladas por um sorriso maroto, sorriso esse que mudava quando você tomava a inciativa de tocar as pernas dela, suavemente ela as abria sem nenhuma vergonha para exibir a linda e rosada intimidade que possuía.

    -Porque você não começa a descobrir o meu gosto do jeito que tanto anseia querida? Eu sou sua lembra, é só tomar!

    Letízia se ajustava sobre o piso, criando uma pequena distância entre vocês e prontamente levantando os pés na frente da sua face.

    -Comece por eles, não temos pressa alguma! Você os quer não é... São seus!

    As palavras dela vinham acompanhadas do mover daqueles lindos pés, delicadíssimos, perfumados e muito bem cuidados. Com traços finos, com dedos que faziam uma perfeita escala de crescimento proporcional. Aqueles sensuais pés pareciam dançar eroticamente diante seus olhos, provocando-a como você nunca antes havia sido atiçada! Letízia era única e cativante!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 30/6/2017, 01:41

    Sorria para ela logo no fim de sua primeira fala. Assim, ficava ali observando as estrelas por alguns instantes. Com a cabeça para os céus apenas escutando as palavras dela. Me sentindo absolutamente aliviada. Havia sido mais um passo que eu havia dado em prol de apagar meu passado negativo. "Essa noite mais uma vez está se provando ser inesquecível." Em seguida ficava com o rosto envergonhado quando Letízia facilmente solucionava o singelo e simples mistério de quem era a pessoa que eu amava. Olhava de leve na direção dela, sem saber muito bem como reagir. Logo apenas pensava nas sentenças dela para tranquilamente soltar aquelas palavras ao ar.

    - Obrigada por estas palavras. Também não me sinto mais sozinha, como me senti por tantos séculos. Hoje sei que terei pessoas especiais quando eu mais precisar. E em breve precisarei muito.

    "Não apenas de você por perto, mas das várias pessoas que conseguiram se tornar especiais para mim. Eu pensava que esse evento seria apenas uma demonstração de poder. Mas ele demonstra mais que isso. Ele demonstra o quão amada eu sou."

    Sorria com meu próprio pensamento. Finalmente dando atenção novamente para a Letízia. Lentamente me aproximando dela depois de a contemplar e escutar suas palavras. O desejo ia crescendo dentro de mim. Até aquele movimento dela me barrar. Pois ela me congelava por completo ao oferecer seu próprio pé. A fala tão sagaz dela me deixava totalmente envergonhada. Fazendo um sorriso com uma expressão de quem não sabia onde esconder o rosto. A proposta dela me soava mais que forte. Pois era algo que eu nunca havia pensado com clareza. Sempre sendo um pensamento no limbo de minha mente. Só agora ganhando vida com minhas palavras.

    - Eu quero... Muito!

    Apos falar, olhava diretamente nos olhos dela. Forçando minha vergonha a ir embora. Pois eu estava a vontade ali e deveria permanecer a vontade. "Não posso ter vergonha do que eu sou o do que eu quero. A Olympia ficaria satisfeita comigo agora." Lentamente ia levando minhas duas mãos para segurar o pé esquerdo dela. O tocando inicialmente com muita delicadeza, como se fosse uma obra de arte. Podia notar aquele calor correr novamente em meu corpo enquanto começava de leve a salivar. Sentindo o desejo me devorando como toda. Só que antes de agir, decidia raciocinar um pouco sobre aquele pensamento inconsciente. Para assim me confessar brandamente enquanto desviava o foco alternadamente dos dedos dela para seus olhos esmeraldas.

    - Sabe... Eu na minha infância sempre amei muito danças sobre as uvas. Era algo muito especial para mim. Muito íntimo e pessoal. Logo ver alguém descalço termina sendo para mim algo bastante íntimo também. Assim, poder usufruir dessa privacidade ao meu bel prazer, sempre foi algo que me cativou profundamente. Talvez cativar não seja a palavra certa...

    Não precisava haver uma palavra agora. Na verdade não precisava haver mais nenhuma palavra. Finalmente conseguia agir sem nenhum receio, sem nada me segurando. Botava minha língua para fora sem hesitar por nenhum segundo e tocava na altura do calcanhar do pé da Letízia. Deixando ela ali por um instante para sentir seu sabor. Para então a começar a subir por toda a sola. Da forma mais úmida possível. Até chegar na ponta do polegar. Em seguida repetia o processo em inúmeras linhas paralelas para alcançar cada dedo. Desbravando toda aquela sola. Sentindo o sabor exótico daquela ímpar excentricidade da Matriarca La Sombra. Por este momento não tirando em instante algum meus olhos daqueles mágicos dedos alinhados em forma de escada.

    Quando finalmente sentia que não resistia mais, levava o polegar a minha boca. Deixando minha língua lá dentro a brincar com ele. Sentindo toda sua estrutura e formato de sua unha. Enquanto meus olhos agora finalmente buscavam a feição de Letízia. A olhando de forma que não houvesse mais vergonha dentro de mim. Assim, me sentindo devorada por aquele prazer, levava minha mão direita para dentro de minha vagina. Com bastante delicadeza e vontade. Para começar a acariciar meus lábios na medida que não resistia mais àquele tesão absoluto. O qual não se mostrava não parar nunca. Agora que eu ia passando por cada dedo. Dando atenção dobrada em todos e no espaço entre eles também. Podendo apreciar completamente todos os sabores dela, não deixando um pedaço intocado para trás.

    Devo ter passado uns bons minutos naquele primeiro pé. Uma quantidade similar no segundo. Enquanto minha mão ia me esfregando com mais intensidade num ritmo longo e gradativo. Assim, sentindo meus desejos a flor da pele, dava uma breve mordida no calcanhar da Letízia. Mas mordia com minhas presas, próximo a artéria dela, para sentir um pouco de seu vitae antes de deixar o ferimento fechar. Lambia meus beiços a encarando com um olhar que não sabia seu significado. Para então diminuir minhas presas novamente e finalmente começar a beijar as pernas dela. Fazendo um longo caminho cruzando toda sua coxa esquerda. Indo lentamente até o meio das penas delas. Me obrigando a me ajoelhar para chegar ali. Para então por meus joelhos um pouco separados um do outro, me permitindo ainda me masturbar na medida que meus lábios iam de encontro com os dela.

    Quando eu chegava ali era nítido que ficava um pouco confusa. Sem saber ao certo como agira. Me deixando em primeira ação apenas apreciar o sabor daquela mulher. Enquanto ia contornando os lábios internos, sem saber ao certo o que achar ali. Tentando ser bastante cuidadosa no clitóris dela. Então a encarava mais uma vez. Sorrindo de emoção, não só era um sorriso maroto. Havia ali alegria genuína por estar com a coragem de agir assim, como também aquele prazer que só me fazia querer sorrir e ser feliz. Então ia me apoiando mais e mais nela. Permitindo levar minha mão livre até os lábios vaginais dela. Penetrando de leve meus dedos ali dentro com bastante calma. Podendo ficar ali a lambendo e a acariciando por dentro enquanto a observava degustar daquele prazer. Ficando nesta rotina o tempo necessário para a deixar tão feliz quanto eu estava. "Me sinto tão nova e livre agora."


    Última edição por King Jogador em 2/7/2017, 19:23, editado 1 vez(es)
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 30/6/2017, 11:14

    A frente dos seus olhos haviam pés delicados de uma mulher que certamente nascera em um berço de ouro, eram sem dúvida alguma pés de uma verdadeira princesa, já que nem sequer haviam pequenas marcas típicas de dançarinas ou de esforço pesado durante a vida mortal. Com uma tonalidade alva especial, suavemente menos opaco do que o branco de suas pernas, provavelmente devido aos cuidados rotineiros com cremes hidratantes e esfoliantes.

    Tua lingua então pode explorar o tato aveludado daquela sola, começando pela base mais firme enquanto um traço refrescante se esparramava pela sua linguá, era uma sensação única, afinal havia muito cuidado investido naqueles aveludados pés. O perfume brando de lavandas dominava teu olfato enquanto aquele frescor brincava de entorpecer a sua língua. As unhas de Letizia eram pintadas apenas com uma base transparente e eram milimetricamente cortas em busca de uma perfeição vaidosa surpreendente. Letízia chegava a ajudá-la a explorar os pés dela, abrindo os dedos o máximo que conseguia e até chegando a mover sem nenhuma vergonha, o dedão dentro da sua boca.

    Seus olhos conseguiam ver pela percepção periférica a feição de prazer da loira, que exibia as presas e se masturbava intensamente enquanto assitia você se deleitar com os pés. Chegava então o momento da tua mordida, arrancando um gemido maravilhoso da mulher que vinha atrelado um breve tremer das pernas dela. Tua boca então era inundada pelo vitae doce e potente da anciã, era sem nenhuma dúvida o mais saboroso e inebriante vitae que já havia tocado tua garganta.

    Os seus beijos pelas pernas dela a fazia abri-las totalmente, entregando-se a você sem nenhuma vergonha e removendo as mãos que anteriormente lá estavam. Seus olhos então encontravam curiosamente pelinhos aparados e depilados em um risquinho. A vulva com os pequenos lábios dessa timidamente expostos em sua tonalidade rosada. Aproximando-se para ter outra surpresa interessante, o odor do vitae era controlado pelo perfume de acácias!

    Sem falar nada, a loira primeira soltava gemidos bem baixinhos e abafados com a sua tímida exploração inicial das intimidades dela, em seguida ela ajeitava as costas para olhar diretamente à você, com um sorriso divertido na face. Suavemente ela conduzia uma das mãos para a região íntima e começava a lhe guiar, apontando onde e como os estímulos deveriam ser feitos. Não era nada além de um cuidado que ela tinha em realmente lhe ensinar como fazer! Quando você acertava as ações, os gemidos lindos e finos da matriarca deixava bem claro o quão prazeroso era. Assim alguma porção de minutos se ia, até ela simplesmente deixá-la livre, deitando-se no chão e permitindo que você terminasse sozinha...

    A estranheza com o tato delicado, úmido e inesperadamente quente já havia ficado para trás. O perfuma das acácias lhe ajudava a quebrar o receio de interagir diretamente com o vitae da mulher, além disso a segurança que ela lhe provia a deixava bem confortável para sentir todos os espasmos corporais daquela região extremamente sensível dela.

    Enfim os gemidos dela cresciam, ver que os teus estímulos estavam a funcionar era uma sensação maravilhosa, mas nada comparado a beleza que era assistir aquele corpo feminino se entregar ao prazer. Não havia beleza maior nesse mundo! O orgasmo dela chegava e seus lábios eram surpreendidos pelo sabor do vitae dela outra vez.

    -Uau, você aprende rápido Loretta! Mas venha aqui...

    Letízia não lhe dava tempo de agir propriamente, ainda com o vitae dela em seus lábios e surpresa por tantas informações e sensações, a mulher a convidava para um beijo longo e delicioso. Finalizando com uma mordida forte no seu lábio inferior, as presas dela quase adentravam a sua carne, causando-lhe um choque de prazer  poderoso.

    -Acho que precisamos levar isso para algum lugar privado! Não aguento mais usar essas roupas!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 30/6/2017, 16:05

    Aquele sabor ferroso tomava meu paladar de forma absolutamente especial. Sem nenhum tom da típica amargura. Trazendo novamente um calor dentro mim que parecia não querer nunca parar. Um calor tão bom e agradável de se sentir. Me permitindo fazer um sorriso com meus lábios sujos antes de receber aquele beijo. O qual eu compartilhava sendo tão recíproca o quanto podia. Podendo notar que a vergonha inicial havia passado e sequer ela podia ser uma barreira agora para minhas emoções e sentimentos. Então concordava com as palavras da La Sombra. Prontamente me levantando e oferecendo minha mão para ela pegar e me acompanhar enquanto a convidava.

    - Vamos então para o seu quarto. Não aguento mais essa roupa grudenta em mim.

    Assim puxava a mão dela para me acompanhar. Rapidamente entrelaçando meus dedos com os dela. A acompanhando para fora da piscina. Antes passando ao lado das sapatilhas dela ao largo da piscina para que a mesma não as perdesse. Para então descer pela lateral externa que fazia o caminho que eu tinha feito minutos atrás. Evitando passar pela parte movimentada do festival. Aqui o máximo que poderia cruzar por nós seria mordomos totalmente focados em suas tarefas. Logo ia para a entrada de trás da casa principal. A olhando de breve nos olhos, fazendo um sorriso um instante antes de esticar a coluna. Assim começando uma conversa novamente.

    - Ai Letízia... Agora que você já sabe bem precisamente sobre os meus desejos, preciso pedir sua ajuda. Não posso perder a oportunidade de ter duas semanas com a Olympia aqui em casa sem fazer nada a respeito. São tantas décadas sem conseguirmos fazer muitos avanços. Não posso fazer nada abrupto, só que não posso não fazer nada...

    Dava liberdade para a Letízia me responder. Enquanto prestava atenção nas palavras e reações dela, a ia guiando pelo corredor dentro da casa na direção do quarto ao qual seria dedicado para ela. Já cogitando que as malas dela foram colocadas lá dentro. "Mal espero para ir para a banheira!" Assim fazia todo caminho até chegar na porta de entrada. Ali no entanto, ao invés de diretamente a abrir, eu jogava de leve a minha acompanhante contra a porta. Esperando que ela agisse como eu queria. Para então a engajar em um profundo beijo. Com minha mão indo contra a maçaneta e abrindo a porta atrás dela. A fazendo entrar de costas perdida no meu beijo. Realizando meus últimos movimentos com as mãos ainda livres, antes de a agarrarem por completo, serem de fechar a porta e ascender as luzes.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 30/6/2017, 19:44

    -Ah! Você lembrou delas, que galanteadora!

    Brincava Letízia que já estava animadíssima ao seu lado quando você fazia aquela pequena volta para buscar as sapatilhas que a pertenciam, rapidamente ela as vestia para não ter que caminhar descalça pela área não revestida por pisos da sua propriedade.

    -Duas semanas? É tempo suficiente para conquistar qualquer coração! Confie em mim, já lidei com outros cainitas desses caminhos de poder e controle, o sonho deles é encontrar alguém que os controle sem que eles notem!

    Ela respondia enquanto ainda era guiada por ti pelo caminho que era traçado até o quarto dela. A anciã parecia extremamente confortável e alegre, por isso mesmo ela deixava a guarda totalmente baixa e era surpreendida quando tinha o corpo tomado daquela forma. Chocando-se contra a porta, a linda loira soltava um gemido sensual e exibia as presas, o beijo que então se seguia era lascivo e intenso! Ela levava as mãos na direção das suas costas, descendo-a para agarrar-lhe as nádegas com força.

    Finalizando o beijo ela sorria e dava quatro passos para trás e sem pedir sua autorização, segurava o teu vestido e dizia:

    -Primeira dica, não dê ordens e não faça demandas. Tome o que é teu, os olhos dela dirão o que é seu e o que não é. Preste atenção... Lembre-se de como a Dominação funciona e você entenderá!

    Letizia então animada e com as presas expostas, dava um passo para trás. Permitindo que você olhasse o quarto especial que Andrea havia separado para a mulher, tomando inclusive o cuidado de enfeitar a cabeceira da cama com um lindo quadro inspirados nas paisagens do mar mediterrâneo. O quarto era amplo, possuía um pequeno closet que guardava as malas da mulher, além de um portal que dava acesso ao banheiro.

    A filha de poseidon então começava algo novo! Os olhos dela buscavam por você e com um olhar que você conseguia reconhecer, era exatamente como Olympia a observava! Mas havia algo à mais, os olhos dela não só te notavam mas diziam exatamente o que ela desejava: que você removesse o vestido dela. Ainda em silêncio, Letízia separava suavemente os braços do corpo e relaxava os ombros. Os olhos dela corriam pelo teu corpo como se fossem donos do mesmo! Era incrível! Sem perceber, suas mãos já iniciavam o movimento de obediência. Mas quem fazia o primeiro passo era a própria Lasombra! Levando as mãos as alças e soltando totalmente o vestido, para que o mesmo deslizasse pelo lindo e escultural corpo feminino que ela possuía.

    -Entendeu? Mostre o que é seu, exibia o que é dela! Agora que a primeira lição foi dada, tire logo esse vestido antes que eu faça uma loucura!
    Imagens referênciais:
    Quarto de Letízia:
    Quadro:
    Malas:
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 2/7/2017, 20:18

    Parecia um antigo sonho sendo realizado. A memória de poder entrar daquela maneira dentro do lindamente decorado quarto não seria esquecida. Assim apenas me entregava ao desejo enquanto em seguida ficava a absorver as palavras dela. "Eu realmente agi assim hoje mais cedo com a Olympia sem saber. Ela de fato adorou..." Minha feição demonstrava curiosidade e fascínio em compreender algo tão explícito na minha frente. Me trazendo inúmeras vontades de na mais tranquila noite seguinte poder passar um tempo prolongado com minha amada. Afinal não podia perder a oportunidade.

    Em seguida vinha os olhos esmeraldas da Letízia. Junto daquele comando não verbal que fazia meu corpo inteiro querer possuí-la. Cumprindo o desejo dela de tirar sua roupa, o qual fazia com suavidade para apreciar cada segundo. Paralelamente, recebia em troca o prazer de poder degustar com meus olhos a vista, não tirando os olhos de todas as partes íntimas da La Sombra que fazia meu corpo esquentar só por ver. "Essa reunião perdeu o controle da melhor forma possível." Podia apenas contemplar enquanto ia compreendendo mais a fundo as palavras dela. Sentindo claramente o que eu devia fazer agora. Como também o que eu deveria fazer no futuro.

    - Poucas palavras e você já abriu bastante meus olhos. Vamos ver se eu consigo mesmo aprender rápido.

    Ia então trazendo minhas mãos para meu próprio corpo. Tocando no tecido molhado com suavidade enquanto não desgrudava meus olhos da Matriarca. Sem fazer nenhuma expressão, deixando minha face totalmente à interpretação dos desejos dela. Assim começava o movimento de me despir. Tirando por cima aquele vestido que já estava pesado graças às uvas e a água. Imediatamente usava meus próprios pés para tirar meus sapatos. Assim ficava completamente nua na frente dela. Por um segundo levando meu braço direito na direção dos meus seios. Simulando uma face de vergonha que meu sub consciente pedia para eu fazer.

    Todavia era apenas parte de minha ação completa. Pois imediatamente em seguida, ia trazendo um sorriso mais lascivo para minha face. Enquanto ia descendo meus braços e revelando por completo meu corpo pálido para ela, a primeira a poder ver diretamente a minha exposição. Trazendo um frio delicioso na barriga acompanhado de um calor melhor ainda vindo das minhas pernas. Junto de todo o processo, não tirava meus olhos dos dela. Fazendo uma profunda concentração para poder ver além do que era visto. Ver ela por completo. Emanando na direção dela uma intensão clara. Apenas uma palavra. Tentando deixá-la mais clara que a neve, emitida pelos meus olhos. "Vem". Contudo jamais falava nenhum comando. Apenas revelava o que ela podia ter, enquanto observava o que eu queria. Assim completava falando.

    - Não precisa mais se segurar...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 3/7/2017, 11:08

    Os lindos olhos verdes da Lasombra percorriam todo o seu corpo, admirando-o e desejando-o de uma maneira extremamente sincera e explicita. Ela procurava os teus olhos e abria um sorriso com o que via, um sorriso que desaparecia tão rápido quanto havia surgido. Por alguns breves segundos, você não teve a certeza se havia funcionado ou não aquela tentativa de "controle".

    Três segundos. Essa foi o intervalo que seu corpo teve que esperar, uma eternidade que era recompensada pela impulsiva ação da Lasombra de avançar contra o seu corpo, tomando-o pela cintura com bastante força. Ali ela deixava claro que você seria totalmente dela! Com o uso da potência ela a removia do chão e a jogava contra a cama, enquanto seu corpo ainda se acostumava com o quicar das molas, a pequena anciã subia por cima de você, acariciando seus dois seios e aplicando uma intensa mordida no seu pescoço, inciando uma alimentação do teu vitae!

    Seu corpo parecia a beira de uma explosão! Era uma sensação deliciosa, mas por mais incrível que pareça, era apenas o começo! Já que uma das mãos da mulher descia pela seu corpo, durante essa ação os dedos dela pareciam arder em chamas! Eles então adentravam o seu corpo, derretendo-o de imediato! Mas dessa vez não havia muito espaço para delicadeza, já que os dedos adentravam a sua intimidade, fazendo pequenos movimentos giratórios e já eram retirados, para adentrarem outra vez, em um ritmo rápido e intenso!

    Letízia largava o seu pescoço e olhava no fundo dos seus olhos:

    -Segunda dica: Aprenda o que é tesão...

    Ela sorria antes de começar a beijar o seu colo, mordiscando um dos seus mamilos, esfregando a presa sobre o mesmo. A mulher continuava a descer, até finalmente chegar entre as suas pernas, abrindo-as completamente para aplicar um forte mordida bem próxima da sua virilha!

    Mais alguns minutos se passavam, seus gemidos e seu corpo já haviam perdido totalmente qualquer tipo de controle, eles apenas obedeciam à ela! Todavia, inexplicavelmente ela se levantava com os lábios sujos pelo seu vitae que escorria pela lateral da boca da mulher, descendo vagarosamente pelo pescoço da mesma.

    -Venha Loretta!

    Puxando-lhe pelas mãos, a mulher a conduzia para o banheiro. Para o mais rápido possível, ligar as torneiras da banheira, adentrando a mesma de imediato, ainda com a água rasa e fazendo um sinal para que você também fizesse o mesmo.

    Ali dentro, a mulher a deitava para que as sua nuca encostasse no contorno da banheira. Por alguns instantes ela adorava apenas observar aquela deliciosa água quente escorrer pelo seu corpo e encher a banheira, mas posteriormente ela tomava outra ação.

    Segurando o seu pé esquerdo e beijando-o com carinho, levando a boca até o seu dedão e chupando-o de uma só vez. Para então esfregar a face contra a sola do seu pé e sorrir, exibindo as presas para posteriormente, fincá-las junto do teu calcanhar. Realizando outra maravilhosa alimentação! Sorvendo o teu vitae com vigor por vários instantes. Satisfeita ela fechava a ferida com a língua e se adiantava para fazer o mesmo com as outras que ela havia esquecido de selar.

    Finalmente, ali dentro da banheira cheia de água, seu corpo era inteiramente dominado e explorado por Letízia. A mulher não só tomava, ela doava carinhosamente a cada instante. Controlando a situação, para lhe ensinar exatamente onde estava cada ponto sensível do corpo feminino, usando é claro o teu como objeto de estudo!

    Após aqueles longos minutos submersas por água, vitae e muito prazer, vocês se encontravam outra vez em um gostoso abraço. A linda Lasombra encostava na outra extremidade da banheira e a puxava, para que as suas costas fossem de encontro aos seios dela, afinal se ela estava cansada, você estava exausta!

    Abraçando-a com carinho, Letízia afirmava:

    -Que reunião inusitada! Mas me diga Loretta, quando começou a tua relação com a linda patrícia dos mais belos lábios da Itália?
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 3/7/2017, 14:40

    O meu corpo explodia de prazer todos os instantes naquela cama. Tirando minha perspectiva total sobre o tempo. Incrivelmente sequer pensava nele, não queria. Apenas me deixando ser guiada, para em seguida adentrarmos aquela banheira com aquela água deliciosa. Relaxava rapidamente com aquela água purificando meu corpo. Ali eu achava que já estava totalmente saciada e podia apenas relaxar. Contudo era pega novamente de surpresa. Com aquele calor mais uma vez subindo em meu corpo. Estava claro que a fonte daquele prazer era infinita.

    Ver o meu pé mergulhando na boca dela me trazia uma sensação explosiva. Notar que ela estava compartilhando aquele mesmo prazer que eu sentia era maravilhoso. O calor em minhas pernas ficava tão intenso que tinha que levar minha mão direita para me masturbar novamente. Enquanto com meu outro pé, esfregava suavemente a vagina da La Sombra, trazendo o máximo possível de prazer para ela. Minhas presas estavam totalmente expostas, tão para fora que pareciam que estavam para cair. Quando a mordida chegou em meu pé, só consegui abraçar a perna da Letízia e tascar outra mordida, esta na sua batata da perna. Cravando fundo os dentes e puxando com a boca o máximo possível de vitae enquanto o impulso passava.

    Assim toda minha visão foi ficando turva na grande mistura de prazer que ia passando pelos meus olhos. Sentia todos meus sentidos gritarem de alegria enquanto a Matriarca me dominava por completo. Podendo apenas apreciar cada segundo. Degustando até a última gota. Para então deitar relaxada no colo dela. Totalmente exausta do esforço, me fazendo ficar esbaforida, mesmo que a ação fosse meramente automática. Sentia o carinho dela naquele abraço e sorria para o teto do banheiro enquanto começava a responder.

    - Faz muito tempo...

    Lentamente ia levando minha memória para aquele momento no passado. Trazendo vários flashes de recordações. Várias boas e várias ruins. Sendo difícil julgar quais predominavam. Contudo como agora eu estava em total alegria e satisfação, conseguia me focar apenas nas lembranças positivas. As pronunciando com uma voz carregada de nostalgia.

    - Ocorreu em Florença em mil seiscentos e sessenta e oito. Foi num baile exclusivo para a linhagem de Elonzo e seus amigos mais próximo. Era a data de aniversário de um ano de meus netos e todos foram comemorar. Só que na verdade era um esforço em grupo para superarmos o falecimento de parto de minha filha, Ermínia Giovanni Soyer.

    "Isso faz mais tempo que deveria. Será que estou tempo demais buscando esse improvável sonho? Quando logo aqui do meu lado já tem alguém me oferecendo exatamente aquilo que eu tanto precisava? Mas eu não posso desistir dela... Ontem tivemos algo tão especial. Eu estava na posição que a Letízia está agora. Então será que ela estava sentindo a mesma alegria que estou sentindo agora?"

    - Era engraçado ver todos aqueles cainitas paparicando bebês. Ainda consigo rir daquelas cenas. Contudo apenas nas lembranças, pois na época eu não estava sorrindo. Precisava ainda aquietar meu luto e olhar para os gêmeos a noite toda não estava me ajudando. Assim fui me sentar com a única convidada que estava isolada da festa. Assim eu conheci a Olympia.

    Meus pensamentos me levavam para um caminho escuro cheio de dúvidas. Felizmente minhas memórias traziam um sorriso mais forte em minha face. Me fazendo apenas sentir que estava falando mais do que a La Sombra queria ouvir. Contudo eu precisava me desabafar. Mas não podia renegar o afeto que ela me oferecia neste momento. Assim acariciava de leve as pernas dela de forma bastante meiga a medida que continuava falando.

    - Era para ser apenas uma conversa polida. Só que me perdi naqueles poderosos e determinados olhos de ônix que me inspiravam profundamente. Assim, não consegui mais parar de conversar com ela. Até alguns anos depois nossos encontros se tornarem particulares. Porém nunca cheguei a tocar naqueles lábios...

    "É difícil, eu sei que é. Sempre soube que seria difícil. Todavia apenas de me lembrar disso fico tão feliz. Não me arrependo das escolhas que fiz. Eu escolhi a mulher certa. Um dia farei tudo isso valer a pena. E poderei ser eu mesma ao lado da pessoa que amo."
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 3/7/2017, 15:10

    -Tempo é só um coadjuvante em nossa existência querida...

    Comentava Letízia, dando uma abertura para uma resposta a cerca de todas aquelas suas confissões tão pessoais. Usando umas das mãos para fazer suaves desenhos circulares com o indicador sobre o seu tórax.

    -O nome da sua filha é lindo. Ermínia Giovanni Soyer... Eu consigo quase que poder tocar o tamanho do amor que esse nome desperta dentro de ti. Nunca tive filhos biológicos, Deus não me deu esse dom.

    Revelava Letizia com um verdadeiro tom de pesar na frase, ela então movia a face de encontro aos seus cabelos e mergulhava o nariz ali, apreciando seu perfume para enfim retomar a fala:

    -É impossível não desejar tocar naqueles lábios, me sinto até constrangida em assumir que fiquei surpresa com a beleza de Olympia quando a vi pela primeira vez... Ocupávamos postos contrários, ela Arconte e eu Ductus do meu finado bando ainda na Espada de Caim. Mas querida, não se preocupe! Você não está mais sozinha nessa situação, eu adoraria poder brincar de cupido e ajudá-las a finalmente se encontrarem. Afinal, eu vi aquelas maravilhosas rochas negras a observarem a sua dança. Ela conseguia demonstrar um fascínio maior do que o próprio Sebastian!

    A troca de experiências e verdades continuava a ocorrer entre vocês duas, não havia espaço na fala de Letízia para nada além de uma profunda e sincera alegria. Como se a mesma desejasse a muito tempo ter um contato intimo como esse era.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 3/7/2017, 16:50

    - Ela estava mesmo feliz me vendo?! Jura?!

    Minha voz dava uma curta desafinada com minha rápida fala. Sendo dita logo depois da última sentença de Letízia. Era para ser apenas um pensamento, mas eu estava tão a vontade que o pensei em voz alta. Estava no entanto tão feliz que nem me incomodei a me sentir envergonhada. Apenas dei uma curto suspiro apaixonado para então adentrar um assunto mais severo.

    - Você pelo menos tem a benção de seus filhos de sangue. Não é a mesma coisa e até hoje ainda não tive uma relação assim. Mas é algo especial também, aproveite o lado bom dessa dádiva. Eu no caso aproveito meus herdeiros biológicos.

    Fazia uma pequena pausa enquanto buscava com minhas mãos as dela. Segurando cada um pelas costas e de leve entrelaçando os dedos antes de prosseguir falando.

    - Está perdido em gerações distantes, mas a família mortal que me acompanha é descendente de mim. Poder vê-los crescer sempre foi algo emocionante. Claro que estou amaldiçoada a ver a morte de todos. Mas aprendi a observar apenas a face positiva. Pois olhando neles consigo ver toda a família positiva que eu poderia ter tido e me deixa explícito pelo quê eu estou lutando agora.

    Fazia então uma curta pausa. Para então me deslocar pelo colo da La Sombra lentamente. Para poder olhar nos olhos dela enquanto dizia as palavras seguinte. Com uma voz coberta de determinação. Disposta a honrar cada palavra dita ali.

    - Nós duas realmente passamos por situações pesadas... Simpatizo com a dor que você enfrentou em seus últimos anos na espada. Pois saiba que de agora em diante não precisa mais passar por essas dores sozinha. Lutaremos juntas contra elas. E por isso que iremos juntas para a guerra.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 3/7/2017, 18:21

    O desafinar inicial provocava uma boa risada na loira, ela respondia com um sorriso positivo na face e uma simples ação de concordar positivamente com a cabeça. Tua segunda fala então veio e a fez ficar pensativa, era agora a vez dela de levar os olhos para o teto do banheiro, simulando até uma longa ação de respiração.

    -Não sofremos apenas uma maldição querida, existem bênçãos atreladas à elas. Podemos prover a nossa família, deixar que o ciclo de existência dela seja menos sofrido e que os abusos e absurdos dos nossos passados os alcance. Sim, a morte os acometerá... Mas com nossos dedos podemos fazê-los viver bem até a inevitável máxima da vida, a morte.

    Dizia a anciã enquanto aproveitava os dedos das suas mãos com os próprios, movimentando-os suavemente em uma pequenina brincadeira delicada. A Lasombra permitia a tua movimentação na banheira, exibindo um forte sorriso na face.

    -Fico aliviada por olhar esses lindos cabelos negros que tens, porque temos tanto em comum! Vamos dividir nossas dores, nossas alegrias e muito mais, faremos porque confiamos uma na outra. E são por esses votos que iremos sim juntas à guerra!

    Levantando-se da banheira e olhando aos arredores à procurar uma toalha, ela sorria ao perceber que haviam dois conjuntos de toalhas amareladas sobre a pia.

    -Por isso eu já tenho que lhe afirmar. Precisamos encontrar um candidato à Príncipe, a Arauto não é capaz... O sangue dela pode ser forte, mas ela já deixou claro que não compreende a necessidade das famílias, me expôs a uma irritante humilhação e talvez eu tenha à ameaçado, isso pode justificar a ausência dos patrícios locais no teu festival.

    Colocando as mãos na cintura e fazendo um pequenino bico com os lábios, fazendo uma voz mais dramática e charmosa.

    -Eu sei da sua preferência pelo sangue azul, mas você não vai escolher os Patrícios locais à mim né?
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 4/7/2017, 14:19

    Escutava as primeiras palavras dela concordando com a cabeça. Quando nossos olhos se chocavam, eu apenas conseguia sorrir ao ouvir as suas palavras. Assim que ela terminava sua segunda fala, me aproximava. Para provir um beijo suave na face dela. Sem nenhuma lascividade, apenas um gesto de confiança. Afinal um aperto de mãos já era formal de mais. Assim a acompanhava, me levantando e indo de encontro com uma das toalhas. Enquanto raciocinava com as palavras dela. Esperando sua pausa para a responder.

    - Então tem dedo seu na ausência deles, interessante. Em todo o caso isso não muda a realidade atual. Pois como sequer um aviso precário sobre a recusa de vir recebi, fica-se claro que a Arauto vai apenas lidar comigo como se eu fosse parte de uma das famílias. O que de certo modo é verdade, todavia meu clã funciona de forma distinta. Eu poderia usar minha influência em Florença para conseguir o meu título de Primogênita, porém não quero dever favores mais do que já devo. Em conclusão, eu já estava a pensar como você sobre um novo príncipe na Toscana.

    Enquanto falava com ela, ia me enxugando com tranquilidade. Dando tempo para ela ir absorvendo as palavras enquanto as dizia pausadamente. Observando as reações dela ao decorrer das palavras seguintes e minha sugestão sendo pronunciada.

    - Precisa ser alguém que não pertença as famílias. Ou senão nunca conseguirá evitar ter pelo menos a hostilidade de uma delas. Porém precisa ser alguém com profundas raízes locais e que não siga a política intransigente da Arauto. Eu estava pensando no Sebastain. Analise bem,
    ele não quer viver sobre a sombra do legado do Senhor dele em Florença, preferindo ter o seu próprio. Aqui também é onde vive toda a família dele, tanto biológica quanto sanguínea. Incluindo o fato de haver legitimidade de sua linhagem com a região. O que achas?


    Finalmente enrolava a toalha sobre o cabelo. Deixando meu corpo sem necessidade de se enrolar em nada, afinal não podia estar me sentindo mais a vontade. Assim me encostava na bancada do banheiro de costas para o espelho. De leve sugerindo que ia almejar os produtos de beleza dela. Enquanto a observava mais uma vez para terminar meu raciocínio a questionando sobre a sua opinião.

    - Se concordar com a ideia, temos que tirar rápido proveito da situação momentânea. Afinal metade dos represantes das famílias e metade do conselho primogênito está reunida. Seria perfeito assoprar a ideia em seus ouvidos. Como também na cabeça de Sebastian, o qual já tem uma Primogênita e duas Harpias lhe prestando lealdade. Acha um bom plano?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 4/7/2017, 15:54

    Um sorriso empático de Letizia lhe foi oferecido após aquele beijo por ti dado à ela. Em silêncio ela também tomava o tempo necessário para enxugar o corpo e passar suavemente uma outra toalha pelos cabelos afim de remover apenas o excesso de água.

    Ela parava ao teu lado junto a pia, mas em uma posição contrária a tua, ela encarava diretamente o espelho e esticava a mão na direção do mesmo para primeiramente, desenhar um coração sobre a superfície tomada pelos vapores e posteriormente limpar o máximo que conseguia o espelho, em uma triste brincadeira de alcançar uma ausência, um vazio estranho e não natural. O reflexo dela era apenas uma expressão fosca e de mal gosto, sem brilho e difusa.

    -Sebastian... É de fato um plano interessante...

    Respondia a mulher que sorria diante a própria brincadeira estranha ao seus olhos, esses se esforçavam para desvendar o teor daquele "humor negro" e só conseguiam pensar em uma única resposta: Ela desafiava os próprios demônios a todos os instantes! Essa é a força de Letízia di Francesco!

    -Antes de irmos em busca de Sebastian, permita-me entregar a ti o que prometi! Porque não experimenta um enquanto seguimos a debater as estratégias para colocar uma coroa sobre aquela linda face? Minha recomendação é, conquistar o apoio do clã Gangrel que já se mostra interessado em ti.

    Ela se desencostava da pia e andava lentamente na direção do quarto, seguindo até o closet e abrindo uma das malas. Toda a ação era feita sem a presença de roupas ou toalhas. Enfim ela retornava com uma pequena bolsa de mão e colocava sobre a pia.

    -Aqui estão os produtos que havia comentado! Teus cabelos ficarão radiantes com esses cremes para pentear, prometo!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 464
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por King Jogador em 4/7/2017, 23:23

    ”Seu reflexo…” Olhava para a brincadeira dela no espelho e fazia um sorriso empático. Quando ela se afastava dali me aproximava para colocar desenhando a letra “L” antes e depois do coração. Logo olhando para ela novamente com um semblante feliz. Indiretamente dizendo que estarei agora ao lado dela para ajudar nessa luta que a mesma enfrenta. Então esperava ela trazer a bolsa com os produtos de beleza e logo soltava uma exclamação com minha voz vindo em um impulso de alegria.

    - Ora! Que surpresa maravilhosa! Com certeza que vou aproveitar um pouco disso agora. Se eu tiver empolgada amanhã podia até pintar o cabelo. Sugeriria alguma cor?

    Começava então a pegar um dos cremes dela, logo após tirar a toalha de cima de minha cabeça. Paralelamente, segura junto um pente fino, para ir passando contra o meu cabelo observando a Letízia pelo espelho. Fazia a ação com muita delicadeza para garantir que aquele produto ficaria em perfeito estado dentro de todo meu couro cabelo de forma uniforme. Usando meu perfeccionismo ao máximo nesta ação. Enquanto isso adentrava o assunto anterior em um tom cauteloso e pensativo.

    - Devo admitir que estou curiosa com as intenções que fizeram o Primogênito Nosferatus e a Primogênita Gangrel se deslocarem para minha morada. Mas meu interesse se volta mais para a Sabrina Perilli. Ela possui bastante história e mora inclusive bem perto daqui. Vou precisar descobrir mais sobre o interesse deles. Provavelmente irei primeiro conversar com ela. Você deveria buscar o Sebastian.

    Quando terminava com o cabelo. Ia em busca de um pó branco. Como também de um batom de cor forte e um perfume. Não me esforçando muito para escolher exatamente um ou outro. Afinal qualquer produto naquela bolsa já era para mim de total confiança que seria muito bem repercutido na minha aparência. Assim sorria para a Letízia com o batom recém colocado em mim. Para então prosseguir falando em um tom bem amável.

    - Bom minha querida Acácia... Será que você teria um vestido para me emprestar. Adoraria passar o resto da noite sentindo o seu cheirinho.

    Off – Teste de Destreza + Maquiagem + Rapidez 8d10


    Última edição por King Jogador em 5/7/2017, 16:34, editado 1 vez(es)
    avatar
    Dados

    Mensagens : 204
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Dados em 4/7/2017, 23:23

    O membro 'King Jogador' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 10, 3, 4, 4, 7, 8, 5, 8
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2826
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IV - O Festival

    Mensagem por Danto em 5/7/2017, 16:10

    Era nítido o olhar alegre que a Matriarca fazia quando notava que ao lado do solitário coração, haviam agora um pequenino L. Alegremente ela observava as suas ações, colocando uma mão na cintura e levando a outra na direção do seu cabelo, tocando nas pontas do mesmo.

    -Eu até cheguei a pensar em loiro, mas não... Você vai ficar perfeita com um tom mais acastanhado. Irei pedir para a minha vassala trazer algumas tinturas e escolheremos! Mas eu já sei qual será a conclusão!

    Respondia Letízia e não comentava abertamente sobre os nomes e pessoas citadas, mas que claramente esboçava uma antipatia pelo Nosferatu e uma curiosidade sobre a Gangrel. Além de uma notória simpatia pela ideia de ir interagir com Sebasitan.

    -Deixe-me ajudá-la sim?!

    Comentava a loira quando você iniciava a sua ação de maquiar-se, ela então a auxiliava com a indicação de produtos, afinal eram todos novíssimos e de altíssima qualidade. Ela parecia ser uma profunda estudiosa da indústria moderna dos cosméticos!

    Todavia a grande alegria dela, provavelmente a maior de todas vinha após a sua maquiagem ficar pronta. Assim você a questionava acerca do vestido, chamando-a de "Acácia". Os olhos dela eram tomados por uma avermelhar e os pulmões dela dragavam todo ar que aquele pequeno corpo poderia segurar. Posteriormente, ela escondia os lábios no interior da boca e começava a abanar a face que era invadida por uma tonalidade rosa.

    Liberando os lábios, ela dizia euforia enquanto os mesmos sorriam.

    -Eu sou a sua acácia?!

    Sem pensar, a mulher soltava um agudo grito de alegria e batia uma palma, para saltitar brevemente por alguns segundos e avançar na sua direção com um poderoso abraço, removendo o teu corpo do chão e fazendo um breve rodopio.

    -É claro que sim minha linda! Venha, venha! Ai meu deus, desculpa a alegria! Eu amo profundamente acácias, é o único tão de dourado que me faz lembrar do de minha mãe!

    Tomando a sua mão, a mulher a conduzia para o interior do quarto, afim de finalmente buscar as malas e começar a procura de um vestido para ti e outro para ela.

    -Vamos precisar de alguns anéis também! Até brincos, mas antes, sente-se quero ajudá-la com a sapatilha!
    Roupas escolhidas:
    Para Loretta:
    Para Letízia:

      Data/hora atual: 23/9/2017, 11:36