WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato XI - O Poeta

    Compartilhe
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2509
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Jess em 18/7/2017, 23:46

    Escondendo o rosto nas mãos para fingir vergonha, Pietra mostrou a língua para Eva no meio da brincadeira, já que o tom usado pela musa entregava quem das duas era a comportada das duas.

    – Boba, estragou meu disfarce!  

    Brincando com o cabelo de Soyer ao ver que este brincava com o de sua besta, Pietra sorriu com as palavras de seu irmão, concordando com um aceno positivo, a italiana continuou a brincar com os cabelos deste com carinho.

    – Vai ser divertido ver como essa relação vai evoluir. Sinto que Alfie vai fazer bem a todos e nós a ele.

    Observando o pedido de Eva a Sebastian, Pietra encarou sua musa de forma curiosa, aquela nova faceta de sua amada era encantadora e estimulante, ainda mais quando está deixava escapar um pouco de seu antigo comportamento.

    “ Fico aliviada em saber que ela não pensa em Yer desse modo... Mas que ele é charmoso ele é, não dá pra contestar.”

    Rindo de seus pensamentos, Pietra se recostou no sofá comentando de maneira suave.

    – Podemos pedir para que Lorenz apresente os candidatos e com a ajuda de Yer você escolhe Ettie? O que vocês dois acham disso?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4080
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 27

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Danto em 19/7/2017, 00:54

    -Mon amour... eu não sei se amei mais a sua ideia ou ouvi-la pronunciar esse apelido!

    Afirmava Evangeline que esticava a mão direta na direção de Pietra, afim de tocar a face de sua amada e sorrir graciosamente para a mesma.

    -Perfeito, assim então será!

    Respondia Soyer, logo em seguida Eva retomava a fala:

    -Ah sim, hoje ocorrerá a apresentação de Thesa e Lena, será que apresentar o Francesco também faria sentido?

    Ela fazia a questão enquanto se ajeitava abaixo das pernas de Soyer, afim de se aproximar mais dos irmãos e poder tocar a face do rapaz, fazendo uma pequena exploração da mesma enquanto a admirava. Soyer apenas aceitava, fechando o olho e perguntando curiosamente.

    -Apresentação dos vassalos? Como isso funciona exatamente?!

    A ação de Eva tinha um significado inusitado, era um costume que ela tinha no passado e não se mostrava a bastante tempo: memorizar a face das pessoas queridas através do tato. Para sempre recorrer a essas memórias em situação de conflito.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2509
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Jess em 19/7/2017, 10:25

    Observando com carinho a interação entre Eva e Sebastian, Pietra fez um leve bico de divertimento quando sua musa brincou com o apelido novo dado por Soyer. Passando a mão pelos cabelos de seu irmão a italiana sorria satisfeita.

    A besta encolhida e deitada sobre Sebastian ainda ronronava baixo e continuamente, ela já não dormia mas observava com carinho a cena, ainda mais quando Eva brincava com as faces de Soyer.

    “ Ettie, Yer aprendeu bem a encantar as pessoas, até parece que lançou um feitiço na minha indomável Bela e a transformou em uma gatinha chamada Ettie.”

    Ouvindo a questão levantada por Eva e a pergunta de Sebastian, Pietra sorriu ao ponderar sobre o assunto.

    – Acredito que se as meninas não se importarem, seja melhor apresentar Francesco com elas. Agora quanto a apresentação, é um costume da Espada fazer isso. Apresenta-se os vassalos diante dos outros membros para demonstrar posição, e principalmente para segurança dos vassalos. Assim nenhum outro membro da Espada poderá tocar neles sem sua permissão, isso serve para os membros de seu rebanho também. Não é exatamente um problema que tenhamos em Berlim, mas é bom manter certas tradições.

    Sorrindo ao relembrar o significado do suave toque de Eva, Pietra a beijou na testa com carinho, suas mãos  continuavam a brincar com os cabelos macios de Soyer, um costume quem sempre tivera quando seu irmão se deitava sobre seu colo.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4080
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 27

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Danto em 19/7/2017, 13:30

    -Entendi, que interessante! É uma tradição que eu de fato desconhecia, espero que as distancias entre as nossas seitas de fato diminuam. Vou me esforçar para isso, afinal, quero poder vir aqui sempre que quiser!

    Comentava Soyer que logo após a fala, deixava um suave e gracioso bocejar lhe escapar pelos lábios.

    -Que lindo! Aposto que você realmente não dormiu direito né Yer?

    Questiona Eva, que era rapidamente respondida pelo jovem:

    -Não Ettie, eu não consegui. Fechei meus olhos e só conseguia ver a Pita, fiz vários desenhos tentando imaginar a sua face! Acabei ficando inquieto e fiz o voo pra cá durante a tarde...

    A loira sorria e gentilmente olhava para Pietra enquanto iniciava a ação de tirar os sapatos do irmão da italiana.

    -Temos uma hora e meia até a apresentação, algo em torno disso. Então, porque você não tira um cochilo querido? Nós cuidamos de você, né Pita?

    As palavras de Eva já vinham acompanhadas de uma inesperada ação: A francesa removia as meias do rapaz para começar a massagear diretamente os pés dele, fazendo o corpo dele iniciar uma gostosa reação de relaxamento.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2509
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Jess em 19/7/2017, 13:49

    Sorrindo para seu irmão, Pietra concordou com este acenando de maneira breve, o bocejar de Sebastian fez a besta suspirar interrompendo o ronronar desta.

    – Eu também espero que isso se torne realidade Yer, afinal assim eu terei meu menino sempre que eu quiser!

    Os movimentos delicados de Eva e a proposta feita por esta arrancaram um suspiro de Pietra, o claro carinho que Eva usava para cuidar de Sebastian era uma surpresa agradável e magnifica.

    “Ela sente falta de Bernard, Yer é um menino crescido e tão carinhoso que isso deve ajudar Bela. Espero que nada de ruim tenha acontecido a Bernard, ele era tão bom e carinhoso.”

    Beijando a testa de Soyer com carinho, a italiana levantou a cabeça deste para cruzar as pernas de maneira confortável, voltando a apoiar a cabeça de seu irmão em sua coxa Pietra sorriu ao concordar com sua amada.

    – Ettie tem razão, nós duas vamos cuidar de você então descanse um pouco Yer.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4080
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 27

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Danto em 19/7/2017, 22:22

    -Obrigado Rita, obrigado Ettie...

    Murmurava o rapaz que acabava por não resistir mais do que alguns brevíssimos instantes, fechando os olhos e exibindo um lindo sorriso delicado nos lábios enquanto adentrava um sono calmo e profundo. Muitos cainitas decaiam a um estado de "semi morte" quando dormiam, Eva mesma parecia desligada, mas o rapaz ali deitado no colo de Pietra não deixava de sorrir, como se estivesse mergulhado dentro de um lindo e interminável sonho perfeito.

    Os minutos se passavam e quando finalmente o sono dele estava consistente e incontestável, Eva levou os olhos na direção da amada e confessou:

    -Seus irmãos de abraço são fantástico Pietra, os dois! Eu sei, Alfie não deveria mais ser chamado assim, mas nossa! O seu passado parecia tão, mas tão encantador! Deve ter sido assustador para você, ver tudo ser perdido... Pra mim foi mais simples, eu não tinha nada. Mas nossa, eu fico aqui a admirar o Yer... Sem conseguir imaginar a minha vida sem ele! Se eu falar de Alfie então, meu coração já dói de saudades!

    Respirando fundo, a mulher falava em um tom bem baixinho. Usando o espanhol apenas por uma pequena diversão, para complementar:

    -Mon amour, como deve ser a minha relação com o Cesco? Ou melhor, como será a sua com ele? Porque é fácil notar que ele é importante... Não quero sabe, me empolgar!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2509
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Jess em 19/7/2017, 22:43

    Sorrindo com carinho, Pietra continuou a acariciar cuidadosamente os cabelos de Sebastian, aos poucos o sono dominou o cainita enquanto o silencio era mantido entre as duas amantes em respeito ao sono ainda leve de Soyer.

    As palavras de Eva chamaram a atenção de Pietra, tomando uma das mãos de sua musa a italiana apenas sorriu, escutando-a com carinho e atenção. Beijando a mão de Eva a italiana a colocou sobre seu coração para responder-lhe em seu espanhol sussurrado.

    – Eles fizeram falta Ettie, muita falta. Mas toda a vez que eu olhava para você e a via sorrir, meu coração palpitava e me dizia que valia a pena! E veja só, valeu a pena cada instante mio amore, cada instante. Alfie e Yer são meus irmãos de abraço, não é estranho vê-los assim, mas Yer sempre será meu menininho e agora Alfie é mio amore, como você.

    Cuidadosamente a besta se retirou de cima de Soyer dando espaço para que Pietra a puxasse o suficiente para deita-la sobre o toreador, assim a italiana beijou a testa e os lábios de sua amada com carinho.

    “ Eu tinha você Bela, e era só isso que me importava. O medo me anestesiou e depois o trabalho, agora a dor já passou e nós os temos de volta mio amore.

    Cuidando para acariciar os cabelos dos dois, Pietra mordeu de leve o nariz de sua amada de forma carinhosa e feliz.

    – Quanto a Cesco, ele sempre foi um amigo, não o tratarei de forma diferente e ele não agira de diferente disso Ettie, mas que ele é um homem charmoso não podemos negar. Não se preocupe, seja você mesma e ele a amará por isso.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4080
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 27

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Danto em 19/7/2017, 23:29

    Evangeline ajeitava-se de acordo com o convite de Pietra, exibindo um lindo sorriso enquanto o fazia. Naturalmente, as mãos de Soyer abraçavam o corpo da francesa e o jovem soltava um breve suspiro, murmurando baixinho em inglês:

    -Estou tão feliz...

    A ação delicada do jovem fazia a face de Evangeline derreter em um deleite carinhoso e a fazia fechar os olhos, colocando as mãos sobre as do rapaz e aninhando-se sobre o mesmo.

    -Você é tão romântica Pietra, sabe eu não tenho respostas eu só posso dizer que a amo, com todo meu corpo e toda minha alma e queria agradecê-la, por me dar um irmãozinho tão fofo!

    Falava baixinho a francesa que finalizava:

    -Cesco é charmoso, um homem que certamente causa algo em mim. Mas você tem razão eu tenho que parar de me preocupar, serei apenas eu mesma e sabe... Estou gostando do meu novo eu!

    [Off: Ultima ação para o final do ato]
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2509
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Jess em 19/7/2017, 23:55

    A reação natural de Sebastian arrancou um suspiro de Pietra, a cena era encantadora e linda aos olhos da cainita, até mesmo a besta suspirou de amores por ver isso sentando-se no chão da sala com um enorme sorriso no rosto.

    Rindo baixinho das palavras de Eva, Pietra a beijou nos cabelos para começar a brincar com uma mecha daquele mar dourado que tanto amava, enrolando delicadamente o dedo na mecha para solta-la e voltar a repetir o processo.

    [color=#D6A467] – Todos os italianos são românticos Ettie, nunca confie em um que diz não ser, ele mente. Que bom que você gostou do Yer, porque ele te amou mia bela.

    Suspirando ao ver o quão relaxada Evangeline estava, Pietra apenas aproveitava aquele momento intimo e belo que se desenrolava sem nenhum medo, a cainita sorria sem ao menos perceber enquanto a besta se deitava no chão observando a cena com carinho.

    [i] “Tão lindos! Meu menino voltou e ganhou uma irmã carinhosa! Nosso jardim irá crescer tanto.


    Passando delicadamente a mãos sobre os canelos de Eva, Pietra suspirou ao ouvi-la, usando seu frances a italiana beijou a face desta sussurrando.

    – Seja sempre essa Bela maravilhosa que você é! Estás tão magnifica e viva Eva!

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato XI - O Poeta

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 25/9/2018, 03:00