WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 20/10/2017, 17:58


    Quarto de Loretta:
    Local: Monteriggioni,Castel Pietraio.
    Data: 17 de Abril de 2016: Inicio da segunda noite do festival.

    O começo da noite de domingo era único, inesquecível e especial. Seria uma data que a sua mente jamais poderia se esquecer, pois era seu primeiro despertar ao lado de sua querida Olympia. Assim ansiosamente seus olhos se abriam em busca da figura dela, para encontrá-la de costas para ti, aninhada dentro dos seus braços e encolhida ali dentro. Ela segurava com as duas mãos a sua mão direita, na altura da própria face e dormia profundamente com um sorriso feliz na face. Os cabelos negros estavam esparramados pela cama, encobrindo também a o pescoço da mesma e algumas partes de suas costas. Todavia, ela dormia totalmente nua, porem coberta pelo mesmo edredom que a cobria nesse momento, certamente o mesmo foi posto por cima de vocês duas durante o dia e a única figura que poderia ter realizado essa façanha atendia pelo nome de Andrea.

    Com um pouco mais de atenção você poderia sentir o cheiro do perfume de acácias que ainda vinha de Olympia, um pequenino mimo que Letízia havia preparado é claro. Assim como também sentia o perfume que vinha do seu banheiro, afinal a porta entre aberta e os vapores dos sais de banhos já lhe atraia a atenção. Assim como a nova decoração do seu quarto, alguns quadros haviam sido propositalmente movidos para  que você ao despertar pudesse vê-los, eram seus favoritos! As janelas fechadas traziam pequenas colagens sobre os espelhos, eram pétalas de rosas que faziam círculos perfeitos, dois anéis juntos que simbolizavam uma união.

    Além disso havia sobre o criado mudo uma pequena bandeja com uma lista de presentes, que dessa vez era bem maior do que a da noite anterior era! Todavia, seu coração não parava apenas ai, afinal, você sabia muito bem o quão especial seria aquela noite para ti. Era também a data da chegada mais precoce de Alfonsus e Fiore!

    Porém nada superava a doçura que era despertar com ela nos seus braços. Seu amor se movimentava suavemente ali, ela parecia sentir que você havia acordado e murmurava:

    -Querida, posso dormir mais um pouquinho?! Me dê um beijo para não e dois para sim...

    Era uma falava bem baixinha em um tom totalmente amoroso e delicado. Ela então se ajeitava suavemente na cama, dando-lhe a chance de sair, mas sem antes inclinar suavemente aquele lindo e fascinante rosto para lhe pedir os beijos.

    Assim você poderia então, depois de beijá-la é claro sentar-se na cama e tomar em mãos a lista de convidados e enquanto a lia, seus ouvidos captavam uma movimentação inesperada pelos corredores. Duas pessoas se aproximavam do seu quarto, eram risinhos femininos e alguns sons de "xiu" vinhos de uma voz mais grave e forte. Essas duas pessoas paravam atrás da sua porta e instintivamente você sabia, pois seu corpo inteiro parecia se acelerar em uma euforia inexplicável: Ali estavam Alfonsus e Evangeline!

    A porta então se abria, a loira francesa colocava parcialmente a cabeça para dentro afim de bisbilhotar o seu quarto. Os lindos cabelos dourados pareciam refletir a iluminação com um brilho tão forte e contagiante que contrastava com o negro profundo e suave dos cabelos de Olympia.

    -Mon amour, você está acordada?! Surpresa! Ainda se lembra de mim né?

    Questionava a francesa com seu sotaque carregadíssimo e exibindo um largo sorriso na face. Logo por cima dela era possível ver a expressão alegre de Alfonsus, o mesmo estava bem diferente, muito mais similar a figura que ele apresentava nos anos dourados de Florença, até os cabelos mais longos se faziam presentes na figura do homem.

    -Boa noite minha rosa, não sabíamos que estava acompanhada, deseja que retornemos depois?

    Questionava educadamente Alfonsus, mas o sorriso na face de Evangeline dizia justamente o contrário. E ela não disfarçava o quanto estava adorando vê-la ali ao lado de Olympia, a verdade era que nem o próprio homem conseguia deixar de sorrir diante daquela cena.

    -Eu estou ouvindo o Alfonsus, que sonho...

    Murmurava Olympia, que mergulhava a face nos travesseiros, mas não demonstrava nenhum incomodo com as vozes.

    O Casal:
    Evangeline:

    Roupas:
    Alfonsus:

    Roupas:
    Nota de Andrea:
    Saudações Loretta.

    Obrigado por sua carta, ela me disse muito e me fez relembrar de tantas outras coisas. Estarei a sua espera caso deseje conversar, mas saiba que esta noite estarei pronto lhe participar das festividades, por tanto, permita-me adiantar-lhe sobre as presenças confirmadas:

    Metello Alteri, Chancellor.
    Belladonna Giordano, prole da Primógena Tremere.
    Ezechiele Bernero, Zelador do Elísio.
    Letizia di Francesco e suas proles Marcella e Elifio.
    Muriel Verrochio e Ariel Verrocchio, prole de Aurélia.
    Alfonsus Masdela Materezzi e sua companheira Evangeline.
    Sabrina Perilli e suas proles, Cecilia, Paola e Veridiana.
    Priscilla Tudisco, Harpia Nosferatu.

    Detalhes:
    -A família Abbiati pede por autorização para que Cecilia Abbiati compareça.
    -As filhas de Soyer também confirmaram suas presenças, assim como Claudia e seus filhos.
    -As proles de Alfonsus também estão presentes, Nora e nossa querida Fiore.
    -Alfonsus trouxe consigo a aprendiz de Pietra Rafaldini, a jovem Luana.
    Legenda:
    -Olympia

    -Evangeline

    -Alfonsus
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 21/10/2017, 16:55

    Era como se eu permanecesse dormindo. Pois acabara de acordar de um sonho para outro. Meus olhos pareciam me desafiar a abrir, afinal eu praticamente não precisava deles. Só no meu tato conseguia sentir o corpo de minha Olympia e era só isso que me importava agora. Com minhas pernas trançadas nas delas e meus braços a enlaçando, eu a sentia por completo. Apenas isso importava e por isso, fiquei alguns bons minutos ainda experimentando aquela maravilhosa sensação. Até a mesma se virar e pedir por alguns beijos. Imediatamente dava dois delicados beijos beijinhos em seus lábios. Para depois por mais uns cinco ali e um último em seu nariz. Dando uma baixa risada por ter passado do número de beijos esperados e então finalmente a deixava descansar mais um pouco com a cama toda para ela.

    Me permitia agora a observar as mudanças dentro do quarto. "Andrea é um grande artista secreto. Fazendo sua arte apenas quando não tem ninguém para o observar. Tão linda..." Cada detalhe do quarto era notado. Inclusive os anéis de união no espelho, junto da manta colocada em cima de nós. Ali eu fazia um som empático baixinho. "Ownnn" Ficando com um sorriso de alívio ao notar que Andrea entendeu tudo e ele estava feliz novamente. A carta dele me obrigava a sentir o choro chegando no entanto. Era uma linda emoção ali imposta que eu sentia. Junto do aroma agradável de sais naturais que vinha com a neblina da porta do banheiro.

    "Os nomes ali dentro me informados me diziam muita coisas. É oficial, esse evento se tornou um conclave. Os Tremeres se interessaram, junto do Chanceler. Até a outra linhagem Nosferata, que deve ter gostado de como interagi com aquele antiguado Primogênito. Sabrina está confiando mais em mim ainda. Letízia e Muriel vão trazer mais pessoas importantes e meu amado Alfonsus está vindo com lindas surpresas, incluindo "ela"! Finalmente minhas harpias favoritas virão também. Meu querido Ezechiele está vindo e sem o título de sangue dele. Até os Abiatti pediram permissão de vir, foram sábios, pois com o nome escolhido eu fico muito aliviada. Parece que uma oportunidade mais intensa está aberta. Não só aceitarei o pedido dos Abbiati como chamarei o Príncipe de Florença para vir aqui amanhã usando meu mentor para conduzir essa chamada. Não vou jogar pequeno quando posso apostar alto."

    Após a leitura da carta ficava a contemplar um pouco os cabelos da minha noiva. Pensando em como seria o contraste do preto do cabelo dela com um véu branco. Contudo, os movimentos na porta do quarto chamavam minha atenção. Para então eu rapidamente puxar um lençol para cobrir meu corpo nu quando via aquelas lindas faces entrando no meu quarto. A carta já estava na mesinha de cabeceira e minhas mãos largavam por um segundo o tecido que eu segurava em profunda surpresa de ver aqueles rostos. Afinal mesmo depois de ler na carta, não havia ainda caído a ficha que a Evangeline estava ali. Como também estava muito feliz com a chegada de Alfonsus, absurdamente feliz e no seu auge com um porte maravilhoso. Assim eu notava que meu tecido caía e o subia de novo para tapar meus seios, já vendo toda minha face corada.

    - Shhh... Podem ficar, mas falem baixo que ela ainda não acordou direito.

    Falava em um tom muito baixo, enquanto olhava para minha querida Olympia perdida em um lindo sonho. Havia um sorriso de puro amor na cena. Para então eu voltar a desviar os olhos para as alegres figurar na minha frente, sentindo a explosão da alegria contagiante deles dentro do meu humor. De breve esquecia o quão pelada eu estava, só que no espírito esportivo e divertido, eu tomava providências. Pegava do meio da cama a fronha do travesseiro usada como venda na minha noiva noite passada e jogava na direção da cara do meu Alastor favorito.

    - Seja um cavalheiro e se tampa Alfie!

    Fazia uma curta risada após meu outro sussurro. Esperando ele atender meu pedido. Para então me levantar deixando a coberta para trás. Olhava para os lados desesperada em achar minha camisola. Porém frustrada com a falha nesta ação, eu dava uma curta risadinha envergonhada enquanto encarava Evangeline. Sem pestanejar corria para dar um forte e apertado abraço nela.

    - Claro que não esqueci de você, minha querida Eva. Já estava triste achando que nunca iria tirar férias. Infelizmente estive ocupada demais para poder te visitar. Esta surpresa é mais que agradável. Vocês chegaram na época mais perfeita!

    Após o abraço, eu já me sentia tomada por uma forte alegria. Então, sem esticar a coluna, me virava para o Alfonsus sem visão e o abraçava de breve, já ignorando meu nudismo. Dando uma bela risada, eram só risadas que eu tinha para oferecer dado toda minha alegria. Assim em seguida me afastava um pouco para o responder de forma totalmente sincera e profundamente empática e animada. Mantendo um tom divertido. Mas ainda em um timbre de voz baixo para não acordar ainda minha amada.

    - Obrigada pelas maravilhosas surpresas Alfie! Minha noite não podia ter começado melhor! E cuidado para não tropeçar, seu bobo.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 21/10/2017, 20:12

    Um lindo sorriso se formava nos lábios de Olympia assim que os mesmos eram beijados por ti com tanto carinho e amor, a mesma ia encolhendo-se a cada instante dentro da coberta e afundando-se nos travesseiros, o sono dela parecia estar em seus minutos finais e ela o aproveitava com toda naturalidade e segurança que sentia por estar ali contigo.

    Os olhos azuis de Evangeline encontravam o seu corpo com velocidade, ela parecia observá-lo sem nenhum pudor, exibindo um sorriso maravilhoso e belo na face. Todavia, não era necessariamente apenas um olhar, ela estava verdadeiramente feliz em vê-la, como se toda a euforia que corria por dentro do seu corpo também estivesse correndo dentro do dela! Já Alfonsus não fechava os olhos inicialmente quando seu lençol caía, assim como também não desviava o olhar, todavia, esboçava um sorriso sutil enquanto os olhos dele escancaravam a admiração que ele sentia por ti, assim ele já adentrava quando você fazia o sinal de silêncio, tomando bastante cuidado na locomoção dentro do quarto.

    Olympia se movia suavemente quando sentia a sua saída da cama, mas emitia apenas um som bem baixinho e manhoso enquanto apertava mais forte a face contra os travesseiros. Alfonsus logo concordava, esticando a mão e tomando a fronha para vendar-se:

    -Certo, certo, afinal de contas seria uma falta de educação diante tantas damas não é mesmo?!

    Dessa forma então o homem se vendava, sem demonstrar nenhum problema com o seu pedido e até acatando-o com uma certa graciosidade e leveza. Eva então enfim adentrava o quarto, encostando suavemente a porta e movendo-se na pontinha dos pés, sendo surpreendia pela sua ação de procurar a camisola, a francesa claramente se divertia ao ponto de levar as mãos sobre os lábios e segurar um riso. Logo em seguida, a sua aproximação nua surpreendia Eva que suspirava feliz dentro dos seus braços, descendo as mãos pelas suas costas e com a esquerda, encontrando a sua nádega. Para em seguida apertar com firmeza, chegando-a a puxá-la suavemente para cima e dizer em seu ouvido bem baixinho:

    -Eu não aguentava de saudades da minha camélia...

    Alfonsus vendado sequer esperava sua ação alegre, o homem alto que exibia uma aparência impecável e muito mais saudável, ao ponto de sua memória reconhecer que o tamanho dos cabelos eram exatamente iguais as da noite em que ele havia lhe recebido em Florença! Era ele então que reagia um pouco desajeitado ao seu abraço, mas ainda assim, firmando temporariamente a mão aberta nas suas costas, ali você sentia o toque naturalmente morno das mãos dele e posteriormente seu corpo desnudo conseguia entender que ele estava inteiramente mais vívido, muito mais do que jamais esteve.

    -As surpresas sequer terminaram querida, ainda existem muitas outras especialmente preparadas por nós à você. Não houve uma única noite em que teu nome não passou por nossas mentes, logo, trouxemos incontáveis mimos! E bem, como não terei minha visão confiarei em meus outros sentidos não é mesmo? Espero não tropeçar muito!

    Brincava o homem que não era capaz de disfarçar a felicidade que irradiava do forte e grande corpo que possuía, ele estava totalmente aberto aos seus olhos e empatia e isso era natural. Eva então olhava para você e em seguida para Olympia e comentava baixinho enquanto andava na sua direção:

    -Então, que linda cena você nos ofereceu nessa nossa chegada né? Que maravilha vê-las juntas!

    Alfonsus concordava positivamente com a cabeça e se movimentava suavemente pelo quarto, tomando a delicadeza de remover os sapatos com os próprios pés, mantendo-se de meias para evitar qualquer som que pudesse interromper os instantes finais do descanso de Olympia. A sua noiva então murmurava:

    -Alfonsus... eu ainda não estou pronta, meu vestido não chegou de Roma... Ain, não quero ir no baile, é tão chato!

    A fala dela claramente remetia a alguma memória que ela tinha com o gigante Alastor, o mesmo ria e respondia baixinho:

    -Tudo bem querida, você não precisa ir dessa vez...

    Eva estava agora a lhe contornar, afim de observar a arte na janela e comentar bem delicadamente em um tom de voz seguro e respeitando o descanso de sua noiva:

    -Que linda arte na janela!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 22/10/2017, 22:37

    Concordava com a cabeça brevemente sobre a fala de Alfonsus e sorria de forma divertida quando os olhos dele eram escondidos pela venda. Liberando agora por completo minhas mãos de cima de mais seios mesmo sentindo que não estava incomodada com a cena desdo começo. Só que estava sendo divertido brincar com meu antigo mentor e meu humor não podia estar mais melhor. Tão positivo que sequer corava com aquelas mãos quentes da Eva brincando com minha pele. Conseguia apenas dar um baixo risinho.

    Ficava então a contemplar um pouco o cabelo comprido de Alfonsus. "Grande, mas bem trabalhado. Só o vi assim a mais de séculos... Ou ele deixava todo bagunçado em sua profunda tristeza ou o cortava rente em grande rancor. Vê-lo tão rejuvenescido assim me faz me sentir tão jovem e ingênua..." Fazia então um longo e carinhoso abraço no alto homem sem me incomodar com o resto do universo. Era lindo o ver de novo e mesmo a saudade não sendo colossal como era com a Eva, não deixava de apertar menos.

    - Eu adoro mimos! Pode me dar alguns logo! Mas não seja espertinho. Nada de usar suas disciplinas não, fica ai no escuro seu bobo. E sentado.

    Minha voz então vinha em um tom divertido no fim da fala dele. Permanecia é claro falando em voz baixa para deixar a Olympia ainda tendo alguns últimos maravilhosos minutos. Eu terminava minha fala, com o comando para ele sentar, o empurrando para trás. O fazendo cair na larga poltrona do quarto feita em proporções grandes que cabia aquele homem com conforto. Uma baixa gargalhada ocorria após eu ver a reação fácil do homem ao cair sentado.

    Minha atenção então ia para Olympia gradativamente. A fala doce de Evangeline me fazia sorrir com um sorriso tão forte e radiante quanto aquele que eu fazia sob a luz do sol nas danças de uvas. Concordava com o pequeno e delicado comentário sobre a beleza da janela, uma arte que não me fazia deixar de sorrir. Meus olhos iam para lá, contemplando o significado ali imposto com toda minha força. Minha voz vinha de forma poética e meio vaga.

    - Isto é obra de meu sócio e melhor amigo, Andrea Rossellini. Um artista escondido sob a luz do sol e a solidão. Onde só cria beleza quando os olhos de ninguém tocam. Mas respondendo aquela pequena charada, quando uma árvore cai no meio da floresta, ela faz barulho sim. Afinal, mesmo com a criação as escondidas, sua arte brilha aos meus olhos todas as noites. O festival todo foi projeto por meu Andrea e com a participação da Grazzi, é claro.

    Minha fala ia mudando de foco com aquelas pequenas falas em voz alta da Olympia. Sentindo ela tão viva ali a um passo de acordar. Eu suspirava apaixonada escutando aquelas delicadas falas do meu amor e sentava no sofá do pé da cama. Convidando Eva para ficar ao meu lado. Ali eu começava a acariciar por cima da coberta as pernas da minha amada. Só que meus olhos iam direto para a Sereia. Ali eu começava a falar em tom animado. Só que minhas palavras dobravam em duplo sentido enquanto soltava duas sentenças ao mesmo tempo.

    - Espero que tenham feito boa viajem. Ontem foi um dia maravilhoso aqui em casa. Empilhado de convidados. Foi esplêndido ver a casa tão cheia. Finalmente pude sentir o resultado desta morada que empenhei mais de vinte anos para completar. Sinto que investi muito bem meus dias aqui. Ainda mais sabendo que o dia de hoje será mais memorável possível.

    - Ontem eu tive meu primeiro orgasmo minha Luz! Estou tão velha pra dizer isso, mas nem me importo! Estou feliz e noivando! E sequer foi apenas um orgasmo que tive e nem todos foram com a Olympia. Tenho uma linda convidada para lhe apresentar inclusive. E deus! Como fiquei a pensar em ti o dia todo. Afinal foi você anos atrás que meu deu essa confiança toda. Obrigada!

    Minhas ações agora eram já com menos elementos de empolgação e mais de outros elementos. Estava a curtir o momento com calma. Minhas mãos puxavam a coberta delicadamente para cima, revelando os perfeitos pés de minha Juno. Aos quais eu pegava delicadamente com minha mão esquerda. Enquanto a outra mão ia fazer um delicado carinho na mulher que estava a escutar minhas palavras. Meus dedos tetavam de leve o braço dela, como se estivessem a tocar na mais rara porcelana. Meu sorriso permanecia congelado, junto de um misto de curiosidade pela a reação dela. Apenas dava um curto relance para o vendado Alfonsus, me divertindo com a leve brincadeira que eu havia imposto nele.

    Off - Uma Palavra, Duas Mensagens: Teste Manipulação + Furtividade (8d10)


    Última edição por King Jogador em 23/10/2017, 17:11, editado 1 vez(es)
    avatar
    Dados

    Mensagens : 214
    Data de inscrição : 03/05/2016

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Dados em 22/10/2017, 22:37

    O membro 'King Jogador' realizou a seguinte ação: Rolagem de Dados


    'D10' : 9, 3, 1, 7, 8, 2, 10, 5
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 23/10/2017, 00:38

    Alfonsus não demonstrava nenhuma forma de protesto ou resistência as suas ações, assim, logo que você dizia que ele deveria ficar sentado o mesmo até iria procurar um local. Todavia, era a sua ação de empurrá-lo que o surpreendia! Assim o alto homem caia sentado sobre a poltrona larga que o acomodava com perfeição e segurava a vontade de rir ao levar a mão a frente dos lábios. O mesmo então fazia um sinal de positivo com a mão esquerda, indicando que havia concordado com os termos por você apresentados.

    Eva por outro lado, tinha os lindos olhos totalmente livres para acompanhar todas as suas movimentações, primeiramente ela admirava o desenho das pétalas sobre o vidro, concordando silenciosamente contigo e já aceitando teu convite, ela se sentava ao teu lado sobre o estofado de couro que forrava aquele pequeno sofá aos pés da cama. A experiente sereia observava cautelosamente os seus movimentos, não por ter algum receio, mas sim por demonstrar uma admiração constante por ti e por sua beleza.

    -Afinal de contas querida, essa é a sua casa. Sua terra e teu lar... E devo admitir que tens razão, essa noite será especial e memorável! Não é mesmo querida?

    Eva concordava com o homem, mas ela na realidade estava a adentrar o mesmo jogo que você fazia, enquanto as palavras mais comuns eram direcionadas aos ouvidos de Alfonsus que vendado jamais seria capaz de captar as mensagens secundárias. Assim a resposta dela era fragmentada:

    -Sem dúvidas querido! Você vai vibrar com nossos presentes Lotta, mas vamos com calma, nada de adiantar ou estragar as surpresas!

    Os olhos dela suavemente seguiam a sua mão que explorava a coberta e revelava os pés de Olympia, ela seguia para lhe passar a segunda informação:

    -Eu adoro quando você me chama por Luz, sabes disso não é mesmo?! E não se julgue velha, você é maravilhosa! Eu consigo sentir a vida irradiando de ti, seu corpo brilha em uma felicidade pura! Mas tenho que admitir, estou profundamente alegre em ouvir esses palavras saírem dos seus lábios, porque elas significam que eu poderei fazê-la gozar também! Não sei o que me deixa mais ansiosa, a chance de fazê-la ou de ser conduzida por ti...

    As palavras dela vinham carregadas de uma potente força de sedução, pareciam dançar pelas suas orelhas e adentrar a sua mente, trazendo consigo um calor intenso e fantástico! Ela muito nítido, quase palpável, o desejo que ela sentia pelo seu corpo. Sua mão direita enfim tateavam o lindo pé da sua noiva, já Eva se aproveitava para remover as sapatilhas e tocar diretamente os seus pés com o largo e grande pé dela. Era uma carícia lenta, com um toque gélido e suave, você conseguia entender que ela estava a lhe convidar...

    -Boa noite Loretta...

    Dizia Olympia com um tom alegre de voz, a linda e jovem italiana de cabelos negros virava-se sobre a cama e olhava surpresa para a cena. Afinal, no mesmo momento em que ela acordava, o convite de Eva se tornava ainda mais explicito! A francesa dos cabelos dourados simplesmente se abaixava para tomar os seus pés, depositando um beijo em cada um e uma mordiscada no teu calcanhar esquerdo! Oly arregalava os olhos, tentando entender exatamente o que ocorria e desviando os olhos para a figura vendada de Alfonsus. As presas dela se revelavam de uma maneira instintiva, a face da experiente Arconte se avermelhava e assumia um tom totalmente vermelho quando Alfonsus dizia:

    -Boa noite Olympia! E me perdoe, você terá que ir dessa vez. Mas veja o lado positivo, não é um baile enfadonho dessa vez!

    Olympia ria baixinho da fala de Alfonsus para olhar na sua direção e esticar os pés, abrindo os dedos dos mesmos em uma clara tentativa de provocá-la.

    -Não se preocupe querido, eu vou amar cada instante desse festival!

    A expressão na face de sua companheira era dominada por uma mistura de vergonha e lascividade, a presença de Eva não a incomodava, afinal ela sequer havia se preocupado em esconder os seios, mas ela parecia sentir um pouco de vergonha por ver a loira ali a tocar nos seus pés. Entretanto, a imagem do forte Alfonsus de cabelos longos e venda a deixava muito mais empolgada do que você poderia imaginar. Eva então ameaçava lamber a sola do seu pé esquerdo, parando milímetros antes de fazê-lo para perguntar:

    -Olympia, eu posso?!

    Olympia outra vez era pega de surpresa, afinal, ali Eva reconhecia o relacionamento de vocês duas e deixava muito claro que não agiria por impulso e sim com respeito e bem querer de vocês duas, assim silenciosamente a sua noiva apenas concordava positivamente com a cabeça. Alfonsus tentava entender o que ocorria, movendo a face na direção de vocês mas claramente incapaz de compreender a ação de Eva, que enfim, lambia a sola do seu pé esquerdo, começando na base e indo até o topo, parando bem pertinho dos seus dedos centrais.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 23/10/2017, 17:36

    Fazia um sorriso delicado com as falas veladas de Evangeline. Apenas a respondendo só com o mexer de meus lábios a palavra "luz". Então permanecia com aquele semblante alegre, só que este era quebrado com a serai tirando o calçado dela. Meus olhos iam ficando mais intenso e ia notando qual sensação iria em breve me conquistar e eu estava certa. Quando o pé dela toca em meus pés eu sentia um calor correr por meu corpo de forma tão forte que esticava minha coluna em um semblante meio abalado. Só que sem sentir dor, muito pelo contrário.

    Meu foco no entanto abandonavam o pé daquela linda francesa quando minha noiva acordava de vez. Ali eu a via de olhos abertos, encarando aquelas lindas ônix que me fazia suspirar apaixonada. Porém, eu dava tempo para a Olympia absorver aquela cena com calma. Apenas movimentava de leve meu corpo para poder aproximar minha face dela e lhe dar um selinho quando ela se aproximasse. Para então a responder da mesma forma que ela falava, em um profundo tom de naturalidade.

    - Boa noite Olympia... Espero ter dormido bem.

    Após o delicado beijo minha atenção regressava para Evangeline. Afinal esta estava ajoelhada no chão agora! Podia sentir que meu coração estava palpitando. Minhas pernas dava uma pequena tremedeira com aquele toque mais forte. Então o tempo congelava quando a francesa pedia permissão. Ali ficava congelada esperando uma resposta de minha noiva. Tentando ter certeza que ela estava totalmente bem com aquilo. "O que você decidir eu farei, minha esposa..." Quando a permissão finalmente chegava eu depositava meu pé direito no ombro esquerdo da musa de Berlim. De forma bem delicada, com meus dedos acariciando a orelha dela.

    Ali eu relaxava, ou tentava. Porque a lambida da mulher ia direto no meu ponto fraco. Meus olhos ardiam de emoção ao sentir aquela lambida. Minhas presas caíam para fora imediatamente e dava uma breve mordida em meus próprios lábios. Ficando absolutamente eufórica com a ação e já, sem autorização, conduzindo a ponta de meu pé na direção da boca da francesa, querendo o mergulhar ali. Enquanto isso minha mão continuava acariciando o pé de minha Juno. O qual, após chamar minha atenção abrindo os dedos, me fazia o puxá-lo até minha boca para depositar alguns beijos. Para em seguida começar a falar.

    - Não se preocupe mesmo com esse baile que você vai aturar hoje. Alfonsus veio exatamente para te manter entretida. Não é Alfie?

    Meu tom de voz escondia toda o tesão que corria em meu corpo. Que era muito, afinal minha outra mão já ia de encontro com minha vagina, sentindo um calor maravilhoso ali dentro para eu sentir com cada centímetros de meus dedos. Minha voz possuía um ar de divertimento, afinal estava mantendo Alfonsus literalmente no escuro. O que não só me divertia, mas me fazia me sentir profundamente a vontade para agir daquela forma. Ao ponto de soltar aquelas palavras para minha noiva logo após soltar o pé dela e fazer um movimento com a cabeça na direção do Alastor sentado e vendado.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 23/10/2017, 21:12

    A pureza do sorriso na face de Eva quando você a chamava de "luz" era simplesmente inenarrável, algo que a inspirava e ao mesmo tempo revelava o quanto aquela maravilhosa mulher nutria sentimentos sinceros por ti. Olympia por outro lado só notava a sua aproximação quando de fato seus lábios tocavam nos dela, afinal, os olhos dela estavam travados na figura de Alfonsus. A sua noiva então olhou na sua direção e sorriu, sem nenhuma vergonha de estar com as presas expostas:

    -Boa noite minha princesa, se dormi bem? Tive apenas a melhor de toda a minha vida!

    Assim o pequeno contato entre Oly e Eva ocorria, com a permissão dada a Francesa não recuava um instante sequer dos seus pés, mesmo quando você o forçava para dentro da boca dela. Só que dessa vez, você era totalmente pega de surpresa, porque ela não só abria bastante o maxilar como demonstrava saber exatamente como lhe agradar. Não era apenas como havia sido no primeiro encontro entre vocês duas, nesse momento ela realmente desejava seus pés com todo o calor que tinha dentro do próprio corpo!

    Enquanto Eva se deliciava com os seus pés, Juno olhava na sua direção com um sorriso gentil, para lhe responder imediatamente após a sua fala:

    -Obrigada querida, eu adorarei cada instante do baile, afinal, é o nosso primeiro baile juntas, como um casal! E bem... Isso é verdade Alfie? Viestes para me manter entretida?

    A frase dela era separada por dois tons, o primeiro coberto pelo mais precioso amor que ela tinha por ti e o segundo, totalmente domado por uma onda tão intensa de tesão que ela parecia espelhar a sua ação, mergulhando os próprios dedos na vagina e gemendo baixinho enquanto se estimulava.

    -Mas é claro querida! Sei que por um longo período eu deixei a desejar, mas o passado pertence a ele próprio e eu estou aqui, por vocês duas, minhas queridas!

    Eva fazia uma brevíssima pausa, afinal Olympia não tardava para sair da cama após o seu sinal. Ali a italiana encontrava diretamente os olhos da francesa e ambas sorriam uma para a outra. Eva subia na cama e falava enquanto oferecia os pés a você e direcionava a face na direção dos teus:

    -Deixe-me apresentar a ti o primeiro presentinho!

    Imediatamente após a fala, Eva cravava as presas no topo da sola do seu pé direito, arrastando-a pela carne afim de deixar a ferida exposta e teu vitae escorrer. Suavemente então ela aquecia a mão para escrever na sola do seu pé "Eva".

    -Anos desejando-a, anos sonhando com esse momento. Nós praticamos muito para lhe fazer a mulher mais feliz desse mundo!

    Dizia Eva por entre as falas duplas, para enfim esfregar os dois pés contra a sua face enquanto unia os seus dois com as mãos e começava a chupar seus dedos, lambendo entre eles e esfregando a própria presa na ponta dos mesmo.

    Enquanto isso corria e seu corpo era tomado em prazeres, Olympia enfim chegava até a larga poltrona onde Alfonsus se encontrava. A sua linda Juno dos cabelos negros passa uma mão pelos longos cabelos do homem e deslizava a outra pelo corpo dele, até alcançar o pênis do mesmo e apertá-lo ainda por cima da calça, com vigor.

    -Então cumpra tua palavra e me entretenha, Alfonsus Matterazzi!

    Era possível ver a reação de susto do homem, ele mesmo soltava um breve riso mas não demonstrava nenhuma resistência ou temor. Algo que era de fato importantíssimo, especialmente para ti que sabia das dificuldades que ele enfrentou no passado.

    -Estou a sua mercê querida...

    A fala do homem estremecia o corpo de Olympia, ela mordia tão intensamente os lábios que chegava a feri-los! Assim com bastante agilidade ela abria a calça dele, removendo-a por completo e jogando-a para qualquer direção. Para enfim, abrir as pernas fortes e musculosas do homem e morder por cima da cueca o pênis semi-ereto dele, para logo em seguida puxar o tecido para baixo e começar a usar a boca, engolindo-o e beijando-o até o mesmo assumir uma proporção surpreendente! Afinal, Alfonsus sempre demonstrou uma musculatura e um altura muito acima da média, o órgão sexual dele não deixava de compor dentro da mesma sinfonia e apresentava-se bem grosso e grande, ao ponto de cair para trás assim que era solto pelos lábios de Juno.

    -Nossa!

    Eva brincava ao dizer com um tom abafado, afinal, ela não estava disposta a largar seus pés!

    -Essa é outra surpresa!

    Olympia ria adorando e então comandava à Alfonsus:

    -Mantenha suas mãos no encosto da poltrona, deixe-me lidar com isso sozinha!

    O homem concordava positivamente e a seguinte ação de Olympia era de uma vulgaridade extremamente forte e marcante, afinal, ela subia de joelhos por cima do apoio na frente da poltrona, inclinando a cintura o máximo que conseguia e firmando as mãos na cintura de Alfonsus, para então esfregar a face contra o pênis largo e enorme do gigantesco Alastor e finalmente, começar a usar a boca afim de estimular o homem, demonstrando uma desenvoltura animadora, rindo ao se engasgar e encontrando ali um entretenimento verdadeiramente forte e intenso.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 25/10/2017, 14:45

    Eu podia sentir, ou acreditar que sentia, meu coração bater de tamanha era a emoção de interagir daquela forma com minha noiva. Um curto risinho eu soltava ao ver o quão distraída ela estava a princípio. Depois apenas a observava apaixonadamente enquanto ela soltava aquelas palavras doces. A acariciava na face quando ela falava bem de nosso baile. "Meu, nosso, melhor baile..." Meus olhos então acompanhava a conversa de Olympia com Alfonsus e segurava para não rir com o fato dele não saber o que estava a acontecer. "Ela vai mesmo! Será que eu vou me sentir bem? Acho que vou."

    O ato seguinte era a cruzada de olhos entre Eva e Oly. Ali eu sentia que haviam finalmente concordado completamente sobre o que acontecia. Assim as duas revesavam posições e um frio na barriga vinha com a aproximação da francesa. "Nós vamos... Uau..." Observava mais um pouco as movimentações de minha amada, só que aquela perto de mim agora atraía minhas atenções. Principalmente ao oferecer os pés dela. Sentia minha boca salivar com minhas presas quase caindo de tão expostas. Ouvindo as palavras da mulher eu me perguntava. "O que ela quer dizer quando fala nós praticamos?" Porém meu pensamento logo mudava de foco, afinal ela começava e com tanto amor. "Ela também tem o mesmo gosto que o meu... Isso nunca aconteceu antes... Oh..."

    Era uma explosão de alegria com tesão sentir a mordida de Evangeline. Já encarando a sola dela começava com curtos beijos molhados bem no meio. Para então sentir o arrepio da ferida abrindo em mim, uma dor deliciosa de puro tesão. Para atrair meus olhos para o nome da mulher escrito em mim. Ali fazia um frágil suspiro apaixonado com uma risadinha nervosa. Tremendo de calor nas pernas quando meus dedos eram chupados. Assim eu não conseguia mais me segurar. Minha língua começava a desbravar aquela sola que eu tanto sonhei por longos anos. Brincava com ela como se fosse a primeira vez. Desbravando cada espaço dela com a mesma curiosidade de outrora. Sentindo cada gosto entre cada dedo e o sabor de cada um na medida que os ia chupando com todo o tempo do mundo.

    Minha face ficava totalmente lambuzada. Enquanto sentia meus pés tremerem de calor enquanto estavam dormentes por tanta saliva da linda mulher. Rolávamos na cama naquela ação de chupar e lamber mútua que aparentava não parar nunca. E não era pra parar. O tempo corria e eu ia de um pé para o outro revesando interminavelmente. Enquanto compartilhava com algumas profundas mordidas. Indo direto em algumas artérias. estava disposta a deixar a Sereia morrendo de sede, pois não parava de drenar o sangue dela e ir aquecendo meu corpo inteiro até uma tonalidade febril. Minha mão esquerda ia inicialmente apalpando minha própria intimidade, só que logo decidia ir em busca da vagina da minha Luz, na esperança que ela fosse recíproca.

    Meu foco então ficava mais estagnado, parada agora a chupar apenas o dedão esquerdo dela. Assim me permitia a observar o que ocorria com a Olympia e Alfonsus. Morrendo de medo que eu fosse me sentir enciumada, só que aquele homem me era tão familiar e tão querido que conseguia apenas ficar feliz por ele. Afinal a face dele parecia transbordar de prazer quando a Ventrue abandonava o boquete para finalmente montar em cima dele. Com uma perna em cada lateral da poltrona e o corpo descendo lentamente para se encaixar naquele órgão duro que agora não escapulia de meus olhos. Afinal parte dele ainda ficava exposta mesmo com minha noiva toda sentada ali.

    O movimento de subir e descer da mulher começava e aquilo me hipnotizava. Me tragava a pensamentos profundos de várias forma. O movimento do corpo dela, o pênis daquele delicado homem que sempre me foi tão próximo. Só que acima de tudo, as imagens de prazer dela, deles. Aquilo era forte em minha mente como nada antes fora. "Ela está feliz de verdade..." Pensar em sexo sempre me levava para o passado, para lembranças tão aterradoras que assombravam mesmo depois de meio milênio. Com imagens tão nítidas que sempre voltavam a minha cabeça, o movimento do corpo de meus irmãos, sempre revivia aquela imagem. Porém agora parecia embaçada pois mesmo com minha mente tentando me forçar a recordar daquilo, só a imagem da Olympia com Alfonsus ficava. Pois o sorriso dos dois me cativava. Podia ver a alegria e o prazer. O prazer que embaçava meu passado, trazendo novas imagens para imortalizar em minha cabeça para todo o sempre.

    Naquele momento eu sentia uma explosão de adrenalina. Como uma onda de coragem que nunca experimentei com tanto afinco. Era mais intenso que enfrentar meu neto no meio de uma vila em chamas. Era algo que me permitia pensar no que era impensável, enfrentar algo que parecia indestrutível. Agindo então em puro instinto, eu largava o dedo da Evangeline de minha boca, como tirava minha mão de sua parte intima. Ia me arrumando na cama para ficar cara a cara com ela. A olhando direto nos olhos, esperando que ela notasse a determinação que eu sentia. Junto com o medo que aquela onda de coragem fugisse antes que eu pudesse fazer algo a respeito. Eu dava então um apaixonante beijo em seus lábios com um sorriso novo em minha face. Para então sussurrar em voz baixa para os ouvidos dela.

    - Eva... Vamos esquentar mais! Só que antes, to me sentindo um pouco corajosa... Vamos ali rapidinho?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 25/10/2017, 16:18

    Era uma sensação nova a de total explosão de sentimentos e prazeres, afinal, Evangeline não simplesmente retribuía os seus estímulos, mas ela verdadeiramente encontrava, assim como você, um prazer único e essencial. Era a primeira vez que de fato o teu gosto era compartilhado ao máximo! Foi possível ouvir uma risadinha quando seu suspirar ocorria, a loira não disfarçava o quanto amava tuas pequenas reações e não se importava em deixar alguns pequeninos gemidos escaparem pelo canto dos lábios.

    No exato momento em que a sua mão buscava pela intimidade já umedecida da francesa, a mesma reagia com intensidade e levava a mão ainda gelada ao contato da sua, adentrando-a sem pedir nenhuma permissão e explorando-a com os dedos. Todavia a sua ação de devorá-la logo causava nela um forte gemido, tremendo brevemente, Evangeline ria alegre e preparava-se para se entregar totalmente. O corpo dela se aquecia assim como o teu e ela não recuava diante da chance de provar do teu sangue, cravando as presas na base do seu pé direito e provando do teu vitae ali. Assim vocês duas rolavam pela cama, trocando carícias e realizando desejos antigos que ecoavam com intensidade entre vocês duas. O vitae de Eva era forte, tão forte quando o de Olympia, mas não carregava a mesma pureza, ele trazia consigo alguns traços mais amargos e um teor ferroso mais denso.

    A pequena pausa então ocorria quando o som dos gemidos de Olympia conquistavam o interior do quarto. Afinal, a sua linda Juno estava a literalmente cavalgar por cima do membro ereto de Alfie, ela apoiava as duas mãos no peito do homem e movimentava a cintura com vigor. A face dela expressava uma felicidade pura, assim como um prazer fortíssimo! Assim como Alfonsus que apesar da vermelhidão que cobria a própria face, não conseguia esconder as presas e apertava com força os braços do sofá, ainda obedecendo a ordem que havia sido dada ao mesmo. Os dois estavam unidos, alegres e especialmente entregues a uma sensação encantadora de prazer.

    Eva não tardava para seguir suas ações e logo olhava no fundo dos seus olhos para beijar seus lábios, um beijo lascivo e ao mesmo tempo carregado de uma potente sensação de paixão. Porem, era a sua falava seguinte que fazia o corpo inteiro dela vibrar, ao ponto dela suspirar e lhe abraçar com carinho:

    -Vamos aproveitar dessa coragem então querida... Venha...

    Eva então sutilmente desfazia o abraço e tocava com afeto na sua face, para posteriormente sair da cama e lhe tomar a mão. Para assim, andando na ponta dos pés conduzi-la até a poltrona onde os dois estavam. Era impossível para eles notarem as aproximações de vocês, Alfonsus mantinha vendado e totalmente entregue a situação enquanto Olympia, de costas, praticamente não conseguia manter os olhos abertos... Enfim ali vocês chegavam, a distância de toque e era impossível não ter uma visão mais intensa e próxima daquela cena.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 25/10/2017, 17:09

    Acompanhava a Eva com as pontas do pé. Querendo aproveitar do fato deles estarem distraídos para aflorar ainda mais minha coragem. "Isso tem de vir unicamente de mim." Apertava fortE a mão da francesa no caminho. Uma mistura de apreensão com muito afeto. "Ela me transmitiu essa coragem... Essa mulher... Essa luz..." Meus olhos para ela deixavam muito claro meu pensamento, com um sorriso de pura confiança, não só nela, mas em todos nós. Pois eu me sentia segura e foi com essa segurança que cheguei naquela intensa cena a qual agora provocava uma nova sensação nova em mim. Tesão.

    Era lindo poder ver minha Olympia com tanta energia e garra. "Será que ela brincaria com tanta força assim em mim depois? Eu amaria..." Com esse pensamento feliz em minha cabeça eu começava a me ajoelhar lentamente. Ficando de frente para o Alfonsus sentado, logo entre as pernas dele. Ali eu esticava de leve minha coluna. Para então abaixar a cabeça e ir me aproximando da intimidade conectada dos dois. Tomando cuidado para não esbarrar nos fortes movimentos da minha Patrício.

    Ali eu ficava a encarar as bolas daquele homem com atenção, afinal nunca antes fizera tal ato. Ficava então acompanhando com os olhos bem de pertinho o ir e vir da vagina de minha amada. Fazendo minha próxima ação ser me aproximar ao ponto de meu nariz quase tocar no caule do pênis do Alastor. Onde me forçava a sentir profundamente aquele cheiro dele misturado com o sangue escorrendo dela. Fechava então meus olhos, levava minha mão delicadamente até a perna esquerda da Olympia para, de forma concentrada, enviar uma mensagem até sua mente.

    Fala Telepática:
    - Oly meu amor. Eu estou pronta pra ele... Poderia revesar comigo só um pouquinho? Eu preciso muito disso. Mas deixe ele ainda sem entender nada.

    Me afastava um pouco e me levantava. Para então esperar a Olympia acatar meu pedido. Saindo rapidamente do corpo do homem que eu imaginava ficar confuso no meio do silêncio que se perpetuava no quarto. Ali eu olhava para as duas mulheres. Com um sorriso tomado pela adrenalina, que me deixava esbaforida. "Está chegando o momento! É agora! É agora!" Esperando receber das duas um olhar que crescesse minha confiança. Me recusando a esticar a coluna, apenas enchia meu peito de ar e começava a me aproximar, após agradecer as duas mentalmente.

    Sem muito jeito, eu colocava meus pés no sofá. Só que sem a destreza da Olympia, apenas pisava no espaço entre as pernas do homem e o encosto do braço. Isso com cada um dos meus pés. Me fazendo ficar de pé olhando para o rosto vendado e confuso do meu querido amigo. "Eu sei que você queria me ter como sua prole. Infelizmente nunca o vi como um Senhor, mesmo lhe tendo como meu Mentor. Porque? Porque eu sonhava que um dia o milagre de hoje ocorresse."

    Lentamente começava a dobrar meus joelhos. Com minha mão indo a tatear a ponta daquele pênis que me trazia um novo tipo de calafrio ao sentir o calor. O guiava até minha umedecida vagina e congelava minha respiração. Agindo como se de fato eu precisasse do ar. Pois então eu prosseguia flexionando meus joelhos, sentindo aquele membro largo adentrando minhas intimidades. Minha mente felizmente falhava em trazer imagens do passado, apenas focando naquelas que eu vi dele com Olympia. Assim, corajosa, eu desci até sentir que não tinha mais como descer. Ele estava todo dentro de mim. Então com um sorriso de profundo alívio e sensação de liberdade, eu levava minhas mãos até as vendas dele. As soltando e revelando para Alfonsus meu rosto que estava tão corado quanto meu querido vinho rosé.

    - Oi Alfie.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 25/10/2017, 19:26

    Lado a lado você e Eva se aproximavam, colocando-se então extremamente próximas daquela cena fortíssima. Juno mantinha as pernas sobre os braços de Alfonsus e movimentava-se com bastante dedicação e força em uma ação e ir e vir, ela gemia em meio a uma avassaladora sensação de prazer, era até possível vê-la sorrir enquanto fazia os movimentos. Logo a sua aproximação ocorria, deixando Eva inicialmente preocupada e ao mesmo tempo ansiosa, a loira dava um passo para o lado, tentando ver o que você estava fazendo. E ali você assistia as movimentações de um ângulo inusitado e extremamente próximo, os detalhes eram fortes, assim como o cheiro masculino de Alfonsus que se misturava com o perfume do vitae de sua noiva que você já havia aprendido a amar. Porém, você estava tomada por uma forte coragem e logo tocava na perna esquerda da jovem de cabelos escuros, a patrício fazia uma pequena pausa e olhava na sua direção, abrindo um sorriso alegre para enfim sair de cima do homem.

    Alfonsus movimentava a cabeça, tentando entender o que acontecia. Era possível notar que agora ele estava respirando e a venda improvisada ajudava a conter um pouco do suor que escorria pela testa do homem, manchando o tecido em vermelho. Aquela simples imagem fazia Olympia suspirar, ela não conseguia agora apenas olhar para o Toredor... Tanto os olhos negros dela quanto os olhos azuis de Sereia tinham você como foco, no momento exato em que você olhava para elas, as duas davam as mãos e ficavam lado a lado. Eva movia os lábios para que você pudesse ler: "Estamos aqui" e enquanto isso Oly parecia emanar uma fortíssima confiança à você e não deixava de lhe olhar com muito amor e carinho, para balançar a cabeça positivamente em um sinal de confirmação.

    Assim era a sua vez, seu momento. As memórias embaçadas já não importavam mais, porque você sentia ali o contato com o corpo quente de Alfonsus, era uma sensação diferente, afinal a temperatura dele era muito mais vívida e latente e o tato com o corpo dele muito mais suave e natural do que o esperado. Apesar é claro de todos os traços mais masculinos que ele obviamente possuía, era a vida que se manifestava nele que a surpreendia. Assim que o toque da sua mão encostava no pênis dele, seus ouvidos ouviam um som abafado e bem baixinho escapando dos lábios de Alfie, logo então você iniciava a ação da decida, Evangeline e Olympia se aproximavam, cada uma assumia um lado, Olympia a sua direita e Eva a sua esquerda. Mas nenhuma delas demonstrava insegurança ou medo, elas apenas se mostravam presentes na sua visão periférica.

    Seu corpo então era invadido por uma sensação quente fortíssima, o pênis dele lhe conquistava e se acomodava totalmente dentro de ti, por alguns instantes você chegava a ter uma sensação de que o mesmo pulsava de tanto tesão. O tamanho e a grossura eram desafios que você superava bravamente, seus lábios por pouco não liberavam um forte gemido, todavia, o controle era seu e de mais ninguém naqueles instantes inicias de superação e descobrimento. E enfim a venda era removida, sua fala ecoava pelo quarto e Alfonsus olhava diretamente nos seus olhos.

    Era como se o próprio tempo parasse, o som das respirações dele reverberavam e preenchiam o ambiente. Os olhos do homem tremiam milimetricamente e começavam a serem vagarosamente tingindo por um tom avermelhado, o maxilar forte dele se movia para formar um sorriso e posteriormente uma expressão de surpresa. A boca então se abria um pouco, os lábios se moviam em uma falha tentativa de falar algo, as mãos saiam da poltrona e tocavam sua cintura, um toque firme, quente e com ternura.

    -Loretta... Você está, nós... Loretta...

    A mão de Eva então tocava seu ombro esquerdo, assim como a de Olympia. Posteriormente as duas mãos desciam até a parte central das suas costas e a francesa dizia:

    -Diga Alfie, o que você sonhou tantas noites em dizer à ela. É esse o momento.

    Olympia sorria enquanto conduzia as suas mãos para os ombros do homem. Alfie enfim conseguia falar:

    -Meu coração é teu querida.

    Sua Luz e Sua Juno então pareciam ter combinado a ação em conjunto, pois a sincronia era simplesmente perfeita. Juntas elas sinalizavam positivamente com a cabeça, ambas olhavam para Alfonsus e o homem enfim reagia, as mãos dele desciam mais um pouco na direção das suas nádegas e ele trazia a conduzia, fazendo-a subir e descer lentamente. Inclinando-se para frente, o gigante e forte homem se aproximava apenas para olhar a sua face, os olhos dele vibravam em alegria e amor. Um amor puro e honesto que havia o devorado sem que ele pudesse resistir, ali o sonho que você tinha em torno do milagre era exposto também por ele, era um sonho compartilhado, sempre fora, mesmo sem vocês dois saberem.

    Alfonsus então conseguia sorrir, o ritmo das movimentações conduzidas por ele começavam a cadenciar em um ritmo mais acelerado, as presas do homem se mostravam poderosas e totalmente dominadas pelo tesão que ele sentia ali por ti. Era tudo verdade, o desejo, o prazer, o carinho e especialmente o amor. Aquele homem a amava com toda a força que tinha e você sabia exatamente qual era a dimensão dessa força, afinal, ela estava dentro de ti agora! Era uma união que nenhum de vocês dois esperava, mas que para alivio de ambos ocorria. Uma nova conexão, um novo significado. O som do encontro dos seus corpos ressoava como uma melodia maravilhosa e amorosa, não era apenas sexo e isso os conduzia para um fascínio em uníssono.

    Você se entregava totalmente aos olhos dele e ele se entregava totalmente aos seus, uma admiração mútua, um amor capaz de mover montanhas. Você era amada, querida, admirada e nutrida por ele. As penetrações se tornavam mais fortes, seus lábios não mais aguentavam reter o prazer que derretia o seu corpo, suas garras fixavam-se nos ombros do homem ao ponto de rasgar-lhe a camisa. Suas presas, fora do seu controle avançavam contra o pescoço do mesmo e ali cravavam-se para retirar de lá o que lhe pertencia, um vitae que a nutriu por tanto anos e lhe forneceu a possibilidade de hoje ser a força que és!

    Não haviam mais espaços para borrões agora, não me meio a uma dança das rosas tão fantástica! Havia espaço sim para Juno e seus olhos de ônix que beijava apaixonadamente a Luz dos cabelos dourados e olhos de safira, das mãos delas que invadiam suas intimidades. Havia espaço para o olhar de Alfonsus que a reconhecia com a mulher mais linda desse mundo, que a amava e desejava. Seu corpo era totalmente inundado por um prazer indescritível, seus gemidos só eram abafados quando os lábios do homem enfim se encontravam com os teus! Ali ele a fazia quicar e movimentar a cintura, ali ele forçava a própria musculatura para ir e vir, o tempo era simplesmente escravizado por vocês! Seus orgasmos a faziam tremer e ferver, teu vitae escorria pelas suas pernas sem nenhum pudor e assim o final daquela dança chegava. Com um jorrar poderoso e quente que lhe preenchia como nada nesse mundo jamais foi capaz de fazer, seus olhos enfim se focavam na realidade a tempo de ouvir Alfonsus confessar:

    -Eu te amo Loretta. Por ti... Todos esses anos, os vivi para me tornar um homem melhor por ti...

    Olympia então complementava:

    -Nós a amamos Lotta.

    Dizia a jovem que surgia por trás de ti, fazendo um carinho gentil nos seus cabelos e beijando sua face. Eva então sentava no braço da poltrona e sorria para finalizar a fala:

    -Mon amour, como você se sente?

    Perguntava Eva, que gentilmente ajeitava os cabelos de Alfonsus. Afinal, você se sentia de fato diferente, algo novo havia se manifestado dentro de ti, uma sensação de empoderamento cativante. Você estava livre, alegre e sendo amada por eles.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 27/10/2017, 11:44

    Fazia um belo sorriso com as primeiras falas de Alfonsus. "Sim, você está dentro de mim!" As palavras de confissão dele em seguida era respondida com uma coração mais forte e um calafrio tomando todos os cantos do meu corpo. Ali eu não conseguia mais agir por conta própria. Deixando todo meu corpo ser tomado por aquela força, por aquela paixão e aquele tesão. Ali eu era apenas uma extravasão de mim mesma. Podendo sentir todos os sentimentos que sempre me privei sem sequer pensar em nada. Era apenas algo a ser sentido e não raciocinado.

    Meu corpo inteiro tremia enquanto meu paladar ardia com aquele forte e ferroso sangue de meu antigo Mentor. O mundo ao redor de mim ia ganhando foco novamente, podendo ver aquelas duas lindas mulheres ao meu lado. Com elas logo ali, eu me sentia profundamente segura, protegida e amada. Como ainda adorava a sensação de onde eu estava sentada, não havia mais nenhuma dor ali. Apenas um calor que me fazia me sentir feliz e aliviada. Só que eram as palavras de Alfonsus que conquistavam minha atenção. Me fazendo despertar daquele transe e olhá-lo profundamente em seus olhos.

    - Alfie... E eu estou a me apaixonar por esse homem que estou a ver pela primeira vez... Ou estou errada... Isso sempre esteve a acontecer... Dês da primeira vez que nos vimos... Era o destino.

    "Esses olhos são tão novos e tão antigos para mim..." Não me distraía daqueles olhos por sequer um segundo me lembrando da primeira vez que os vi. Me lembrando de todos os belos momentos em nosso palácio em Florença. Só que agora eu via mais que apenas aquele olhar antigo, havia um lindo brilho novo ali. Porém havia ainda algo a mais, era meu próprio reflexo em seus olhos, onde eu via uma moça tão feliz e livre. Não havia preço para aquilo e fora ele que me dera isso. "Foi você Alfonsus. Você que me ajudou a derrotar meu passado... Alfie..."

    - Como também, era por isso que eu nunca poderia ser sua prole. Afinal temos que juntos cuidar de nosso pequeno grande rei problemático. Nosso. Com nós dois unidos. Eu e você...

    Terminava a frase depositando um delicado beijo em seus lábios. Fazendo um profundo suspiro enquanto voltava para a posição original e relaxava ainda no colo daquele homem. Acariciava de leve a face de minha amada e sorria pelas movimentações de Evangeline. Para então me lembrar do que ainda estava dentro de mim e então com um tom mais descontraído falar com as duas.

    - Ai meninas... É tão bom ficar sentada aqui! Não acham?

    Um curto risinho era solto por mim. Enquanto acariciava suavemente o peitoral daquele homem com minhas mãos, para em seguida levá-las cada uma para uma das moças ao meu lado. A pergunta final de Evangeline me fazia pensar um pouco. Só que a resposta vinha rápida e ainda em um tom divertido e principalmente, um tom absolutamente livre. Enquanto com as pernas tentava me enrolar por trás das costas do Alastor.

    - Eu me sinto cansada... Mas não quero sair desse colo. Porque não me leva para a banheira Alfie? Caberia nós quatro lá e eu amaria ser um pouco paparicada enquanto nos preparamos para noite. Mereço um paparico de vocês, não?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 27/10/2017, 14:47

    O brilho nos olhos de Alfonsus diante das suas palavras era simplesmente mágico, ali o homem não só a admirava, ele realmente não conseguia esconder os sentimentos maravilhosos que tinha por ti e especialmente o quanto ele amava a sua beleza.

    Assim que você começava a falar, Alfonsus sorria e concordava positivamente. Enquanto Olympia começava a beijar delicadamente o seu ombro, enquanto descia as mãos pelo seu corpo, a esquerda parava em seus seios e os estimulava com carinho e a direita seguia a descer bem devagar até apoiar-se na sua coxa direta. Eva por outro lado iniciava a ação de tirar a blusa cinza de gola alta do homem, afinal o blaser já havia sido removido por sua noiva. Suas falas continuavam, até você enfim se referir a Alfonsus como "eu e você", os olhos do homem brilhavam mais intensamente e as presas dele se faziam mais presentes. As mãos dele firmavam nas suas nádegas e você sentia o membro dele tensionando-se dentro de ti, assim vocês dois trocavam um beijo breve e quente e ele respondia:

    -Eu senti por você não ser minha prole, sabes disso. Mas você tem razão, era o destino! E que destino maravilhoso! Saiba que estou pronto para estar ao teu lado, irei aos poucos mostrar que estou aqui por nós. Todos nós.

    As duas jovens concordavam, Eva até ensaiava uma resposta, mas a sua brincadeira acabava por fazer todos ali rirem um pouco. A francesa então aproveitava para seguir o tom divertido:

    -Eu sou suspeita sabe?! Vocês precisam experimentar dormir assim, é tão gostosinho!

    Olympia ria baixinho e completava:

    -É maravilhoso mesmo! Mas esse seu comentário me deixou curiosa viu Eva!

    A francesa sorria, o clima descontraído teria continuado ali por horas. Mas sua fala chamava a atenção de todos e as duas lindas mulheres suavemente davam espaço para que a movimentação seguinte ocorresse. Alfonsus apenas concordava positivamente e beijava seus lábios, para enquanto estivesse a beijá-la, firmasse as mãos na sua cintura e em uma só ação, colocar os pés no chão e levantar-se. Era uma força muscular muito acima da de qualquer homem, mas era executada com suavidade por ele, até com um certo carinho para que você não sentisse nada além de uma maravilhosa sensação de tesão, afinal, era possível sentir o enorme pênis dele empalando-a de uma maneira deliciosa.

    -Você merece muito querida, relaxe e nos deixe amá-la. Mas antes...

    Ele fazia um sorriso divertido na face, fazendo-a quicar naquela posição exatas três vezes. Seu corpo inteiro fervia e derretia, suas pernas tremiam intensamente em meio a uma onda de tesão que era simplesmente incontrolável, era surreal como ele conseguia fazê-la se sentir daquele modo. Enfim ele iniciava a caminhada, bem lenta para que você sentisse profundamente cada pequena mudança e movimentação, fazendo curtíssimas paradas para mover a sua cintura. Eva os acompanhava de perto, mordendo os lábios ela parecia em transe pelos seus gemidos, totalmente fascinada por eles. Já Olympia assumia a frente, abrindo a porta do banheiro e já entrando na água.

    Vocês dois então faziam a entrada e o líquido quente e perfumado já tocava na sua pele, dando-lhe uma suave sensação de relaxamento. Eva era a ultima a entrar, ela se esforçava para escapar do fascínio pelos sons que escapava pelos seus lábios. Junto então dava começo as carinhos, posicionando-se por trás de ti, a linda mulher começava a massagear suas costas, distribuindo beijinhos, mordidas e carinhos.

    Enfim, teu corpo começava a ser muito bem tratado pelos três ali presentes. As fortes e grandes mãos de Alfonsus acariciavam basicamente toda a sua região mais intima, incluindo seu clitóris, suas nádegas, nem seu ânus escapava daquelas carícias que lhe fazia soltar gemidos deliciosos. Enquanto isso você recebia uma massagem completa das duas moças, cada uma assumia uma lado do seu corpo, usando óleos perfumados, elas massageavam seus braços, seu tórax, seus seios, teu pescoço e nem seus pezinhos que estavam debaixo da água, escapavam. Era um longo e amável ritual apaixonante e completo, muitos beijos trocados entre todos, pequenas declarações sendo sussurradas e durante todos esses longos minutos, você sentia aquela poderosa ereção dentro de ti, preenchendo-a e fazendo-a feliz. Ali vocês de fato estávamos unidos, todos vocês.

    O final do banho então se aproximava e Olympia não resistia, a linda ventrue roubava um longo beijo de Alfonsus e dizia:

    -Eu estou realmente feliz em poder compartilhar isto contigo, com vocês. Mas tenho de dizer algo importante, nós iremos nos casar!

    Nesse instante a loira estava literalmente abraçada nas suas costas e provava do seu vitae. Fazendo uma curta pausa ela brincava:

    -Vamos? Uau, certo. Quero usar um vestido de cauda beeeem longa!

    Alfonsus ria e Olympia também, a própria Ventrue respondia em meio a risos alegres:

    -Loretta e eu sua bobinha! Aliás, nós vamos mesmo né querida? Digo, é o que eu mais quero!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 31/10/2017, 12:05

    Ser levantada pelo homem me fazia suspirar em prazer, porém eram as quicadas que me faziam gemer alto. Era a mistura de um gemido com uma risada em pura alegria. Minha boca ficava mais aberta possível e não deixava nenhum som sair desapercebido. Um sorriso transbordado de prazer não se escondia de minha face por todo o percurso enquanto com minhas pernas eu apertava ao máximo as costas daquele homem para sentir seu pênis me espetar até o talo.

    Dentro da água eu não deixava aquele membro escapar de dentro de minha vagina. Acariciando as bolas do mesmo no primeiro instante que sentisse que estava mais amolecido. Porém, enquanto isso, eu ficava a me divertir com todas as pessoas ali na banheira. Enchendo de beijos minha Juno inicialmente. Soltando uma profunda mordida deliciosa no meio de seus seios. Passando por dezenas de beijinhos em sua face. Para em seguida falar em voz baixa em seus ouvidos.

    - Vamos fazer disso uma rotina, meu amor? Sem falar que... Adorei te ver com tanta energia... Eu ganho um ataque seu assim em mim? Precisávamos também comprar umas coisinhas para só nós duas...

    Me sentia corada depois daquela confissão e ia ao paparico da Evangeline. Primeiramente puxando o pé dela para fora da água para depositar alguns beijos e depois o soltava em meu colo, logo onde as minhas intimidades e as de Alfie se uniam. Ia então me encostando nela que estava atrás de mim até roubar um longo beijo de seus deliciosos lábios. Em seguida falava em voz bem baixinha com ela.

    - Nunca mais vou deixar você ficar tão longe de mim, ou viverei no escuro sem minha Luz... Nós aqui podemos dividir a cama para você, basta pedir... E amei ver o quanto você deseja meus pés... Temos de brincar mais com isso...

    Os toques de Alfonsus em minhas intimidades me faziam soltar um gemido sempre forte e maravilhoso. Só que ao sentir meu ânus sendo explorado de leve era uma nova sensação de descoberta e ali eu gemia de forma muito mais aguda. Quase a babar de emoção. Então ia acariciando o peitoral do homem até chegar com meu corpo bem perto do dele. Ali fazia alguns movimentos maravilhosos com minha cintura para cima e para baixo, me sentindo empalada a cada instante. Então sussurrava para ele.

    - Preciso compensar todo o tempo perdido com você. Quero te sentir dentro de mim de todas as formas possíveis... Meu Alfie... Meu...

    Gemia de leve quando a francesa mordia meu pescoço e me entregava para ela. Me deitando em seu colo. Mas sem mexer minha própria cintura, para prosseguir com aquele pênis dentro de mim. Assim escutava as palavras de Eva olhando para cima rindo enquanto praticamente me escondia sob seus lindos seios. Olhava em seguida para minha noiva com o mais forte de meus sorrisos. Concordando antes mesmo dela terminar de perguntar.

    - Mas é claro que vamos! É o meu maior sonho. Por você eu deixo até a Toscana para trás. Por você, mais nenhum objetivo existe...

    Eu a puxava então para cima de mim, a deitando em meu colo. Deixando aquela banheira em um profundo mar de confusão com todas aquelas pessoas empilhadas de forma maravilhosa. Acariciava os cabelos de minha Juno enquanto dava um profundo e apaixonante beijo em seus lábios. Beijo esse que demorava longos segundos e a enchia de minha saliva e meu amor. Para só depois me afastar e olhar para os outros dois na cena e rir para eles enquanto prosseguia falando.

    - Acho que já achamos os padrinhos do nosso casamento. Afinal, consegue pensar num homem melhor para nos levar no altar ou uma dama mais apropriada para preparar nossos vestidos e guardar nossas alianças?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 1/11/2017, 15:27

    Sua mão ia ao encontro das bolas de Alfonsus apenas para reforçar os estímulos necessários para que aquele grande membro continuasse extremamente ereto dentro de ti, o calor ali era surreal e maravilhoso. Tão maravilhoso quanto o gemido suave que escapava dos lábios de Olympia quando a sua boca abocanhava um dos seios dela, o corpo jovial da linda ventrue tremia um pouco e a mesma então murmurava para ti uma resposta:

    -Vamos querida, vamos sim fazer disso uma rotina! E bem... Eu fui bem intensa né? Mas acho que você tá entendendo bem o porque de tanta empolgação! E vai ser um delicia fazer o mesmo contigo, meu amor, só vamos mesmo precisar de uns aditivos!

    As falas dela vinham acompanhadas de um sorriso malicioso e bem feliz, era impressionante como ela não demonstrava quase nenhuma vergonha em assuntos mais íntimos, pelo contrário! Ela chegava até a beijar seus lábios e a sua face corada logo em seguida, para assim abrir espaço e ir massagear as bolas de Alfonsus enquanto beijava as suas costas. Abrindo espaço então para que a sua ação com a linda loira francesa, a sua luz entregava o pé com enorme prazer a ti, chegando a gemer quando sentia o beijo ali e posteriormente esfregando-o entre o pequeno espaço que havia entre o seu corpo e o de Alfonsus, para beijá-la com bastante intensidade e paixão.

    -Eu não quero mais passar tanto tempo longe de ti, minha Loretta. Obrigada por nos receber assim, eu sonhei em vê-la assim, tão pronta para receber tudo que você sempre mereceu! Eu não quero dividir apenas a cama contigo, quero dividir tudo! E acho que acabei amando mais do que o esperado essa coisinha com os pés né? Vamos brincar sempre com eles!

    Ela respondia animadíssima e com um sorriso enorme na face, mantendo o pé ali, a francesa se inclinava para puxar a face de Olympia e começar a beijá-la e até mesmo a morder o pescoço da mesma. Tudo isso ocorria no mesmo instante em que você ganha um espaço para interagir com Alfonsus, o homem olhava no fundo dos seus olhos quando você fala que queria senti-lo dentro de ti de todas as formas possíveis. Ali o pênis dele tensionava com vigor e lhe arrancava um gemido alto, ele firmava as mãos na sua cintura e dizia enquanto a levantava suavemente:

    -Temos então uma longa missão a cumprir, afinal são muitas décadas não é mesmo minha querida, minha Loretta... Eu desejo com todas as forças que possuo, por isso, peço que sinta o a intensidade da minha paixão e desejos por ti.

    A suavidade era quebrada quando a glande do homem tocava o seu ânus, afinal, em uma fração de segundos você sentia uma estocada tão poderosa que seu corpo parecia derreter inteiro, um tremor surreal a dominava e um grito forte estourava pela sua garganta. Aquele pênis enorme e quente adentrava totalmente ali enquanto o pé de Eva esfregava sua intimidade frontal, Alfonsus tomava a liberdade de então fazê-la rebolar e quicar ali em cima por diversas vezes. Seu corpo era totalmente controlado pelo homem e sem forças ele era amorosamente recebido pelos braços de Eva. Olympia olhava a cena com as presas expostas, para prontamente as cravar em seu pescoço, a sua noiva então alimentava-se de ti enquanto você começava a falar novamente. Ela fazia uma curta pausa para sorrir com os lábios totalmente tingidos pelo teu vitae e responder:

    -Eu a amo querida, minha noiva, minha princesa. Será um casamento tão lindo, especialmente com esses padrinhos queridos! Só será um verdadeiro desafio os manter distante da nossa lua de mel não é mesmo? Aliás, vocês não tem direito de negar o convite!

    Dizia Olympia com um tom mais imperativo, Eva ria animada e levava uma mão até seus seios e a outra ia propositalmente até sua vagina, adentrando-a com dois dedos ela respondia:

    -Vai ser uma honra! Eu quero! Obrigada! Escolherei os mais lindos vestidos, que sejam fácies é claro de serem removidos e que valorizem essa beleza que eu vejo em vocês! Minhas queridas!

    Alfonsus olhava nos olhos de Olympia e a mesma se inclinava para ir até o homem, ali os dois se beijavam e trocavam sorrisos lindos. Era uma forma de concordar sem precisar dizer uma única palavra! Sua noiva então fazia um carinho gentil nos cabelos do homem e dizia para ele:

    -Obrigada Alfie...

    E enfim ele respondia:

    -Será difícil segurar as lágrimas de felicidade quando eu estiver a levar vocês duas para o altar, mas prometo segurá-las para ter meus olhos em perfeito estado para simplesmente admirar a união de vocês duas.[/size]

    Eva suspirava apaixonada e dedicava-se beijar os seus lábios enquanto Alfie e Olympia voltavam a se beijar. Nesse momento você sentia novamente as mãos do homem conduzindo o seu corpo, mas dessa vez a cadência era mais firme e constante!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 4/11/2017, 04:54

    Era impossível segurar o sorriso e os suspiros apaixonado após cada pequena resposta de meus queridos amores dentro daquela maravilhosa banheira. Conseguia apenas conter muitas lágrimas de minha face, deixando apenas meus olhos brilharem em profunda alegria enquanto ia acariciando cada uma daquelas pessoas que já possuíam tanto espaço em meu coração. Gemia então de leve com o toque de minha noiva em minhas costas, gemido esse que prosseguia com os carinhos do pé da minha querida Evangeline.

    Meu corpo em seguido era tragado por um enorme gemido quando Alfie me levantava para me penetrar em meu ânus. Já o sentia amolecido para suportar aquele largo membro e a dor era pequena se comparada com meu calor. Assim meu rosto todo ardia esticado no mais intenso dos sorrisos enquanto gemia bem agudo fazendo um som próximo de "Sim". Minhas mãos rapidamente iam para as outras duas moças e as apertava na medida que aquele enorme prazer ia devorando meu corpo e minha boca não parava quieta até eu me sentir completamente preenchida.

    - Estou no paraíso...

    Falava com a voz meio trêmula. Mas não me deixava a abater e tentava tomar proveito de cada segundo daquela cena. Com liberdade e um pouco de velocidade, não deixava Eva tirar o pé dela de minha intimidade. Pelo contrário, o fazia afundar ali, sentindo o dedão dela de leve entrar dentro de mim e ficava a esfregá-lo pelos meus lábios internos. Para em seguida soltar e esperar que ela fizesse o movimento sozinha. Pois eu começava a tentar rebolar, mesmo me sentindo totalmente corada pela ação. Fazendo um movimento cíclico junto de um subir e descer. Deixando junto que aquele maravilhoso homem me conduzisse. Não precisava de muito tempo para meu corpo umedecer em minha vagina com o movimento da Eva. Assim a largando e a deixando vir para meu lado para me beijar enquanto os dedos das mãos dela continuavam a me prover prazer.

    Minhas mãos entravam nas intimidades da francesa enquanto minha outra mão tentava o mesmo na minha noiva, na expectativa de conseguir chegar até ela no meio daquela bagunça corporal que estava a banheira naquele momento. Ficava nesta posição então, encostando minhas costas para trás e sentindo aquela pressão em meu ânus me levar para uma segundo explosão no meio de um longo beijo na Eva. Gritava um gemido de puro prazer em seus lábios e ia então me contorcendo em puro prazer daquele orgasmos. Com o corpo todo tremendo eu me sentia exausta e muito satisfeita. Lentamente ia então saindo do pênis do Alastor com meu corpo todo bambo. Para então com minhas últimas energias buscar o colo da Olympia e deitar ali esbaforida. Apenas olhava uma vez nos olhos dela com um pedido silencioso por carinho. Para só depois de receber um pouco e conseguir voltar um pouco de energia eu finalmente falar fragilmente.

    - A gente... Pode ter mais depois de algumas horas? Eu não tenho muita resistência. To bem exausta. Mas nunca tão feliz em toda minha vida... Meus queridos... Amo todos vocês... Vou precisar de um pouco de ajuda se quiserem me ver no festival hoje e ai de vocês se me deixarem lá embaixo sozinha por muito tempo. Longe de vocês é como ficar sozinha agora...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 6/11/2017, 13:10

    A sua primeira fala tinha um efeito extremamente poderoso em Alfonsus, era possível vê-lo sorrir dentro de um sentimento maravilhoso e até ver uma lágrima de felicidade escorrer pela face do mesmo, era claro que o paraíso ao qual você mencionava não estava sendo visitado apenas por ti. A cena era então conduzida por um tesão que parecia sair de controle, afinal, o dedão de Eva dentrava com maestria e agilidade a sua vagina e ali se movimentava bastante! Não era algo simples de se fazer e exigia da loira uma plasticidade que ela exibia com orgulho e alegria. Alfonsus também tomava a liberdade de agir e as movimentações do homem faziam seu corpo perder totalmente o controle, afinal, o largo membro dele estava dentro de ti assim como o pé de Eva estava! Olympia se mantinha por trás do seu corpo, oferecendo-a suporte e carinhosos beijos, até mesmo levando as mãos na sua cintura e literalmente ensinando-a com muita ternura como se movimentar com cuidado ali para que a dor fosse mínima e o prazer máximo. Eva no entanto exibia um pouquinho de egoísmo ao roubar as suas duas mãos, colocando-as nas intimidades dela em um suplica por atenção que era prontamente respondida pelos seus dedos que ali mergulhavam.

    A forte cena de prazer era brevemente interrompida com o seu grito de prazer, um gemido altíssimo que trazia para teu corpo uma potente onda de sentimentos positivos e uma alegria que você ainda não tinha experimentado, algo próximo de uma verdadeira euforia deliciosa. Olympia a ajudava a desencaixar do membro de Alfonsus que permanecia ereto, sua noiva a conduzia com suavidade para dentro dos braços dela e a abraçava com carinho. Eva murmurava algo no ouvido de Alfonsus enquanto limpava a face do mesmo que ainda estava marcada por algumas lágrimas.

    -Nós vamos sim querida e não se preocupe com resistência, é como a dança, precisa apenas de prática para se acostumar com a intensidade dos movimentos. Mas acredite, meu amor, você foi maravilhosa aqui em cima.

    Respondia Eva que se ajustava na banheira enquanto segurava com as duas mãos o membro de Alfonsus e logo em seguida levava a boca ali, mordendo primeiramente com as presas e alimentando-se do vitae do homem, fazendo-o perder um pouco o foco da cena, mas em seguida ela o inseria na boca e iniciava uma ação que lhe surpreendia bastante e era admirada tanto por ti quanto por Olympia.

    -Nós iremos sim ajudá-la com tudo que precisar querida, estamos aqui exatamente para isso meu amor... E não se preocupe, não temos a menor intenção de deixá-la sozinha, pelo contrário!

    Alfonsus respondia com um pouco de fraqueza na voz, afinal, Evangeline dedicava-se com muita vontade e usava a boca e a língua com uma habilidade que deixava Olympia boquiaberta!

    -Eu preciso aprender isso... Digo! Er... Ain!

    Comentava Olympia que escondia a face atrás dos seus cabelos e ria envergonhada, Alfonsus também sorria e Eva sequer recuava. Enfim Alfonsus perdia o centro de equilíbrio e tombava para trás, apoiando as mãos pesadas sobre a borda da banheira. Olympia enfim dizia:

    -Eu quis dizer que quero muito fazer mais, muito mais! Só que depois, isso depois! Se não não conseguimos ir no nosso próprio festival né? Temos obrigações e lembra da missão né Alfie?

    O homem murmurava:

    -Ajudar Loretta a alcançar todos os sonhos e objetivos dela...

    Enfim Alfonsus ejaculava, ela algo diferente, não era apenas vitae e a coloração também era claramente única, um tom mais rosado. Mas que infelizmente não era possível ver totalmente, afinal, Evangeline o tomava inteiro com a língua e ria enquanto fazia aquela ação. Enfim a loira sentava-se sobre o corpo esbaforido de Alfonsus e comentava sorridente:

    -Lotta! Nós vinhemos pra ficar do seu ladinho! Não se preocupe, de verdade! Aliás se preocupe sim, afinal vai ser difícil me manter longe desses seus pezinhos! Mas Olympia tem razão, temos que prepará-la para o festival! Por sorte você já nasceu linda não é mesmo querida? E sobre sua roupa, trouxemos vestidos maravilhosos para você provar!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 6/11/2017, 16:52

    - Obrigada pelo elogio, acho que aprendo fácil...

    Dizia com um lindo sorriso no rosto após o elogio da Eva. Meus olhos depois iam para o movimento dela chupando o pênis daquele homem. Quase que não escutava as palavras do Alfonsus depois. Me permitia a apenas rir baixinho para a reação da Olympia, mas não desgrudava os olhos da Evangeline. Sentia uma água tomando conta da minha boca. Claro que eu escutava as palavras dele e concordava de breve. Mas prosseguia com aquele olhar fechado até a Eva tirar o membro da boca e começar a falar. Ali eu me jogava de boca nele. Chupando rapidamente a Glande com a intensão de sentir seu sabor. Era verdade que eu estava exausta, estava, mas eu tinha de saciar esse último desejo antes de começar a festa. Não durava muito no entanto aquelas lambidas.

    - Pronto! Eu tava curiosa com o sabor...

    Olhava para todos e rapidamente corava. Regressando para a posição de conforto no colo da minha noiva. Mas saboreando com aquele maravilhoso gosto na minha boca. Minha fala era uma mistura de prazer com vergonha que eu sentia o quão maravilhosa era. Só que então suspirava e com um sorriso diferente começava a falar a respeito das lindas falas de todos ali.

    - Certo! Festival! Nossa... Tem muitas coisas para fazer. Mas se vocês realmente querem me ajudar, vou ter de ser mandona agora, porque são muitas coisas.

    Finalmente me levantava da banheira. Com um semblante um pouco pensativo na face. Ia de encontro com a toalha mais próxima, a puxando para mim e começando a me enxugar enquanto me virava apontando para o Alfonsus com um sorriso bobo, adorando dar a impressão que estava mandona.

    - Primeiro você Alfie. São dois pedidos que eu tenho. Inicialmente tenho de deixar claro. Você não está aqui só para realizar meus sonhos. Está aqui pro seu irmão também, e o Bash que ser o Príncipe do Ducado da Toscana. Como eu estou vendo a minha enorme lista de convidados influentes e todos os fatores positivos ao nosso redor, acho que não tem porque comermos pela beirada. Chame o maravilhoso do Mauro para conversar com vocês dois amanhã, como você não quer, deixa ele permanecer com aquela nossa linda cidade. Afinal não estou afim de brigar com a Arauto e não precisamos disso para conseguir o sonho de meu filho.

    Fazia uma pequena pausa ali. Esperando ele responder, como também pensando nas palavras para meu próximo pedida. Prosseguia passando a toalha em meus ombros e tórax até prosseguir a falar.

    - Meu outro pedido é bem pessoal. Pedi para o Sebastian me trazer uma menininha para ser minha nova flor. Sim! Eu quero ser mãe de novo e dessa vez de garotas lindas e delicadas. Só que essa pequena precisa de uma irmanzinha... Você poderia encontrar essa irmanzinha querido?

    Ali eu soltava um profundo sorriso. Já imaginando minha família crescer. Tendo proles que viriam apenas com pureza, sem traumas. Eu me sentia totalmente positiva com isso, preparada e ansiosa, muito anciosa. Não conseguia esconder um lindo sorriso esperançoso saindo de minha face. Enquanto isso eu já saía da banheira e ia completando de me enxugar. Então me virava para minha Luz.

    - Estou já morrendo de ansiosidade para ver esse vestido que me escolheu. O ultimo que ganhei de ti uso com muita frequência e adoro cheirá-lo quando sinto muito sua saudade. Mas vou precisar de você para outro assunto muito delicado. Sobre o Eunuco... É muito doloroso falar sobre isso e só você aqui conseguiria entender totalmente o que eu tenho para pedir. Por isso, quando pudermos, vou pedir para conversar contigo sobre isso.

    Dava uma esticada profunda na coluna no meio da minha fala. Mas respirava bem fundo e sorria confiante para a francesa. Em seguida olhava com muito carinho e afeto para minha noiva. Suspirando apaixonadamente devagar. Enquanto isso sentava na frente da cômoda interna do banheiro com o intuito de começar a me maquiar, só que não desviava o olhar da patrícia e começava a falar delicadamente.

    - Do meu amor eterno eu quero seu braço branquinho enrolado com o meu a maior parte do tempo! Mas infelizmente vamos ter de politicar também. Os Abbiati estão querendo muito se reunir comigo em segredo neste festival. Eventualmente vou me encontrar com eles. Até lá seria ideal você me conseguir provas concretas daquela aliança dos Sfrozas com os Ulfila.

    Ali eu suspirava um pouco. Me sentindo desapontada comigo mesma. Odiava ter de mandar tanto com pessoas que eu tanto amava. Mas tinha um propósito e esperava muito que eles entendessem. Com um sorriso mais empático eu focava em todos eles antes de expor minha frustração comigo mesma.

    - Eu sei... Eu sei... Queria poder só beijar vocês a noite toda. Mas existe mais de trinta convidados e não posso perder essa oportunidade.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 6/11/2017, 23:03

    A sua ação rápida surpreendia a todos! Olympia quase as segurava em meio a um reflexo de preocupação, chegando inclusive a tocar as duas mãos na sua barriga, Eva soltava um pequeno gritinho de surpresa e Alfonsus paralisava imediatamente. Ali você sentia o membro dele em seus últimos instantes de ereção, o peso, o tato, o cheiro, eram todas sensações únicas. Mas especialmente o calor e o sabor eram marcantes em demasia, infelizmente o seu cansaço e o dele faziam com que a experiência fosse curta, mas o homem a admirou profundamente enquanto você sentia o gosto forte daquele membro na sua língua.

    -Loretta! Eu... Uau!

    Comentava o homem que pela primeira vez em todos os anos de convivência contigo, simplesmente era incapaz de formular uma frase! Algo que fazia as duas mulheres ali presentes rirem em pequenas expressões de diversão. Olympia a recebia de volta no abraço bem carinhoso até você enfim levantar da banheira. A sua noiva suavemente deslizava pela agua para sentar junto de Eva no colo de Alfonsus e ali os três permaneciam, admirando-a e ouvindo suas palavras.

    -Seu filho? Que coisa linda de se ouvir querida! Enfim houve a chance de vocês se encontrarem como família! Isso enche meu coração de alegria! Especialmente quando finalmente Bash tem uma ambição novamente não é mesmo? Aposto que é essa a grande surpresa que ele tem para me contar que não poderia mais esperar! Aquele garoto é sempre muito dramático!

    Ele comentava sorridente, enquanto fazia pequenos carinhos pelos corpos de Olympia e Evangeline, elas aproveitavam o espaço para se lavarem e trocarem pequenos olhares de desejo e sorrisos meigos.

    -Certo, Príncipe do Ducado da Toscana. Isso combina muito com nosso Bash, irei pessoalmente enviar um convite à Mauro e como o conheço, ele virá em regime de urgência atendar ao chamado. E acredito que a figura da Arauto será um pequeno empecilho, mas nada que nós não consigamos manusear, não é mesmo?!

    O homem depositava um beijo na face de cada uma das mulheres e se levantava da banheira, era a primeira vez que seus olhos poderiam aproveitar da visão da nudez total de Alfonsus daquela maneira. Apresentando-se como um corpo masculino que parecia ter sido esculpido à mão pelos deuses gregos, o homem se movimentava até uma toalha para começar a se secar, parando bem ao seu lado a uma curtíssima distância e falando:

    -Infelizmente eu não vou poder sair para procurar uma candidata querida, isso se dá a seguinte questão: Eu já trouxe uma! E a venho preparando a algum tempinho, junto de Eva, especialmente para essa ocasião!

    Eva era então a segunda a sair da água, Olympia aproveitava agora o espaço que tinha para mergulhar totalmente na banheira e permanecer ali por alguns instantes. A loira comentava sorridente enquanto ainda se mantinha nua sem nenhuma pressa para se secar ou vestir-se.

    -Jura? Ah, Lotta como você é linda e querida! Mas não se preocupe, entendo a natureza do assunto e saiba que estou junto de ti para lidar com qualquer coisa, logo, quando for o momento apenas me chame e diga, estarei prontíssima!

    Evangeline comentava enquanto ia para trás de ti, tomando um pente em mãos e começando a pentear seus cabelos com bastante carinho e cuidado. Você ouvia o som da banheira, era a saída de Olympia da mesma, sua Juno vinha rapidamente buscar uma toalha, andando na pontinha dos pés para não molhar muito o chão do banheiro e ao se embrulhar em uma bem larga, linda jovem dos cabelos negros concordava contigo e afirmava feliz:

    -Será um prazer querida, passar a noite inteirinha de braços dados contigo! Quero que todos me vejam junto de minha princesa! E que notícia interessante, os Abbiati? Normalmente eu falaria para você tomar cuidado, mas eles não são burros de tentar algo diretamente assim. Irei providenciar provas concretas, já tenho um pequeno plano em ação, devo colher provas no final dessa noite!

    O carinho mais imediato que você recebia após a sua última fala era do próprio homem, os dedos dele delicadamente tocavam sua face com muita ternura, o tato morno dele ainda se mostrava presente.

    -Seus olhos ficam encantadores quando você começa a agir como a matriarca dessa linda família querida... Existem compromissos e tarefas a serem cumpridas, sabemos disso, mas nada nos impede de trocar alguns beijos e carinhos nos intervalos não é mesmo?

    Ele tocava com o polegar nos seus lábios, fazendo ali uma curtíssima carícia que trazia uma conotação sensual bem nítida. Eva suspirava enquanto ainda cuidava dos seus cabelos e Olympia ficava com a face bem corada, mas concordava com o homem:

    -Algumas escapadinhas não são má ideia sabe?!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 7/11/2017, 23:00

    Ficava passando minha língua por toda minha boca enquanto ia degustando aquele sabor intenso masculino que se esmaecia em meu paladar. Olhava para o trio de rabo de olho enquanto escolhia um pincel delicado para contornar meus olhos. Para começar a passar um pó rosado na minha face. Deixando minha pele mais jovial e brilhante, só que sem exagerar muitos nos produtos. Não esquecia de por em meus cabelos o creme que a Letízia tinha me dado. Enquanto isso respondia ao Alfonsus  com um delicado sorriso na face, me recordando do meu último momento a sós com meu filho.

    - Sim, meu filho finalmente começou a lidar positivamente com o passado dele. Graças a isso consegui tratar ele como o filho que ele é, como também ele está empolgado em ser Príncipe. Não imagino que venha a ser um processo complexo, só precisamos não faltar o respeito com a Arauto e chegar num acordo descente com ela. Fora isso, só garanta que o Mauro venha amanhã, pois será o último dia das festividades e eu tenho muitos planos.

    Quase errava o lápis de olho quando escutava as palavras seguintes do homem. Sorria de forma intensa e esticava minha coluna só para poder suspirar de forma apaixonante. Sentindo um delicioso calafrio só de emoção pura. Fazia um som meio agudo e terminava rápido a maquiagem para me virar mais uma vez em um tom animadíssimo. Não me privava de olhar para toda a extensão do corpo de meu querido mentor, sem esconder o tom de total aprovação. Mesmo me sentindo a ficar totalmente corada.

    - Você já tinha uma candidata? Que amável! Eu realmente me sinto preparada agora e quero ter lindas filhinhas, ainda mais para elas terem minha noiva me ajudando a cuidar delas. Não me faça esperar muito até conhecê-la!

    Após aquela linda informação que eu escutara, falava para Eva sobre meu pedido delicado. Ali olhava de forma tranquila para os meus outros dois amores. Transferindo um olhar determinado e delicado ao ponto de garantir que ambos não ficariam estressados por terem escutado o nome de meu detestável senhor. Sorria em seguida ao ver a naturalidade da Sereia andando em nosso banheiro. Para então, me permitir a relaxar enquanto a bela mulher cuidava de meus cabelos espalhando o creme que eu ganhara da Lasombra por todas as extremidades de meu couro cabeludo de desse formato para meus delicados fios de cabelo. De forma que durasse a noite toda.

    - Obrigada pela compreensão Eva. Até lá tenho várias pessoas para te apresentar. Acho que você vai amar aqui na Toscana. Mas deixa eu ver esse seu cabelo aqui agora.

    Quando ela terminava era a minha vez de realizar o mesmo nela. Deixava a francesa se maquiar enquanto começava a penteá-la vagarosamente. Para começar a fazer algumas tranças em seu cabelo e prendê-lo em um coque, como se eu estivesse forjando uma coroa de ouro com seis pilares onde cada um era uma das tranças douradas. Ria quase que mentalmente ao notar minha Juno se divertindo sozinha na banheira e olhava de forma alegre para ela ao notá-la andando na ponta dos pés. Quando enfim terminava com o cabelo da francesa ia de encontro com minha noiva para beijá-la delicadamente e conduzi-la para a cadeira de maquiagem.

    - Sua vez amor. Deixa eu cuidar da minha Juno! Bom... Não se preocupe. Sou exagerada muitas vezes, mas sei tomar cuidado. Considere que estamos no olho da tempestade. Apenas temos de garantir que os holofotes nunca saiam daqui enquanto o resto do mundo perece no redemoinho.

    Ali eu focava em maquiá-la com muito cuidado. como se ela fosse uma obra prima especial. Me certificava de fazer um grande contraste em sua face entre o branco e o preto entre os pós faciais e os pinceis mais escuros. Mas garantia de deixar um pouco de cor mais rosada em suas bochechas, revelando um pouco de sua vida e beleza escondida. Sorria satisfeita com o resultado depois de alguns minutos atenta ao que eu fazia, como se estivesse a esculpir uma complexa e perfeita obra de arte. Para então completar e suspirar observando o trabalho bem feito.

    - Claro que uns beijinhos ao longo da noite serão muito apreciados. Essa noite vamos ter nossos festejos dentro da casa, o que ajuda ainda mais... E podemos jogar um joguinho. Quem me beijar mais até próximo do fim da noite ganha minhas intimidades só para si até o dia seguinte.

    Meus olhos brilhava com o polegar do homem em minha boca e não paravam por toda minha fala. Assim, enquanto me pronunciada dava um olhar lascivo na direção de todos ali enquanto pegava um batom de tonalidade roxa para passar em meus lábios. Fazia o movimento com certa sensualidade. Notando a ação de cada um presente. Concluía então meu embelezamento passando duas fragrâncias em mim. Uma rajada de essência de Acácias no ombro esquerdo e uma rajada de Camélia no direito. Assim me direcionando para a saída do banheiro, já contando em receber o vestido que meus amores escolheram para mim.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 8/11/2017, 21:19

    Seu olhar de aprovação lançado em direção a seu antigo mentor fazia o homem corar e desviar os olhos, era uma reação envergonhada que você nunca havia sequer sonhado e ver ele fazer e de fato ocorria, com uma suavidade tangível que fazia a própria Evangeline sorrir em aprovação. Todavia, o homem esforçava-se para controlar a vergonha e retornar a atenção a ti, suspirando apaixonado antes de enfim dizer:

    -Comecei a pensar nisso em 2005 quando Pita adormeceu, afinal, uma jovem fantástica não poderia simplesmente ficar a merce desse mundo não é mesmo? Por tanto, eu e Eva a adotamos com a esperança de um dia... Bem, o dia chegou! Era uma das nossas várias surpresas e ela fica ainda melhor com esse teu pedido querida, você irá adorá-la!

    Ele afirmava com convicção na própria escolha e o mencionar do nome de Pietra trazia para todos os presentes expressões lindas, afinal, todos ali naquele banheiro tinham uma história de proximidade com a segunda prole de Elonzo que havia adormecido no começo desse século. Posteriormente era a vez de Eva receber os cuidados da suas talentosas mãos, afinal, você já havia terminado a sua! A loira não demorava para se sentar animada e fechar os olhos, entregando-se totalmente aos seus cuidados. Assim que ficava pronta, a loira se levantava e ia na direção de Alfonsus, tomando o homem com os braços e beijando o peito do mesmo, os dois ficavam ali então juntos enquanto você dedicava-se a maquiar a face de Olympia.

    -Meu amor, adorei! Olha só, é como se eu estivesse jovem de novo!

    Comentava sua Juno ao se olhar no espelho e sorrir alegre.

    -Você não é exagerada querida, você é ambiciosa e não há nada de errado com isso, pelo contrário. Tolos são aqueles que pensam pequeno, você é grandiosa querida, sua mente apenas acompanha seu espírito.

    Afirmava a sua querida noiva com total fé nas próprias palavras, para assim se levantar, se espreguiçar e seguir na direção de Eva afim de olhar de perto o penteado que você havia feito na loira. Alfonsus estava agora bem perto de ti novamente, os olhos dele estavam simplesmente encantados com o brilho dos seus e ele até abria suavemente a boca para se pronunciar sobre o desafio, mas Eva falava imediatamente:

    -Amo desafios! Adorei! Amei a ideia, prepare-se Lotta! Seus lábios vão ser atacados!

    Ela exibia um sorriso mais sapeca na face, mostrando as pressas e ameaçando uma mordida no final da fala. Alfonsus enfim conseguia falar:

    -Eva você é muito afobada! Enfim, que notícia interessante, o festival será dentro de sua linda casa, assim podemos... Perdoe-me queridas, mas eu irei ganhar esse jogo.

    Olympia era a única que não parecia muito a vontade com a brincadeira, não por uma questão de insegurança mas sim por uma simples vergonha de trocar tantos beijos em público.

    -E você lá quer saber de beijos Alfie? Você quer é outra coisa com a Lotta, coisas do tipo, jogar ela contra a parede, colocar ela de quatro, pegá-la por trás... Você quase não tá se controlando!

    Respondia Eva, claramente já dentro do jogo e provocando o homem que mais uma vez ficava com a face corada e tentava se defender:

    -Eva! Por favor, eu não sou movido apenas em torno dessas peculiaridades, saiba que...

    A fala do homem era interrompida pela declaração firme de Olympia.

    -Vocês não terão a menor chance!

    Eva arregala os olhos e Alfonsus olhava na direção de Olympia com um sorriso de aprovação na face. A sua Juno estava com as mãos na cintura e exibindo uma postura de bastante confiança, para afirmar logo em seguida:

    -E vamos nos arrumar! Saindo do banheiro, vamos vamos! Evangeline por favor onde estão os vestidos, iremos nós três decidir as roupas de Loretta para a noite. Afinal ela é a anfitriã e deve ser o centro de todas as atenção, quero minha noiva fantástica!

    A mulher marchava para a direção da saída do banheiro, puxando gigante homem pela mão. Eva olhava para você e comentava no pequeno intervalo em que haviam ficado apenas você e ela no banheiro:

    -Sua noiva é... Uau! Né?

    A francesa sorria e com bastante agilidade contornava o seu corpo, colocando as mãos nos seus ombros e conduzindo-a para a saída do banheiro com cuidado. Do lado de fora, vocês duas se deparavam com a imagem de Alfonsus sentado sobre a cama e Olympia sentada no colo do homem, usando uma das mãos para estimular o pênis do mesmo, Eva então beijava a sua face com carinho e corria para a entrada do quarto, abrindo-a com velocidade e puxando uma mala que havia sido esquecida no lado de fora.

    -Eles estão aqui dentro, Lotta sente-se deixe-me prepará-los de maneira apropriada.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 10/11/2017, 14:53

    - Tanto tempo assim? Uau! Ela deve estar tão curiosa também. Já a amo só de imaginá-la! Obrigada meu amor! Mil obrigadas! Se não fosse esse momento tão quente, eu iria chorar por horas de tanta emoção!

    Respondia rápido o Alfonsus com um curto beijo delicado em seus lábios e ia a me focar em maquiar as duas mulheres. Ficava sorridente com a reação depois das duas para com minha arte em embelezá-las. Mas corava com os comentários da Olympia, sentindo orgulho de deixá-la feliz com algo que eu fiz nela. As palavras seguintes dela de confiança me deixavam meio esbaforida. Como se eu fosse a buscar palavras para respondê-la, mas não conseguia nada além do sorriso e um suspirar. Mas era com a animação de todos ali após minha brincadeira proposta que eu realmente me via a corar. Inicialmente um pouco arrependida de deixar minha noiva em tanto desconforto, mas quando ela respondia positivamente, só conseguia rir a respondendo logo após.

    - Assim vocês me matam de felicidade! Sinto que estou descobrindo uma nova e maravilhosa mulher em mim e tudo isso graça a vocês, meus amores. Certo, vamos saindo...

    O comentário seguinte da Evangeline com seu "uau" era respondido com um estranho e largo sorriso. Algo bem infantil, como um sonho realizado que eu sequer conseguia processar. Apenas concordava com a cabeça para ela e adentrava meu quarto enquanto soltava a toalha num suporte ainda na porta do banheiro, adentrando o recinto totalmente nua. Ali eu via a Olympia já a brincar mais uma vez com o membro do Alfie. Era mais uma cena quente e deliciosa de se observar. Mas sentia uma pequena inveja do tom afoito dela estar apenas para ele, eu também queria ser atacada por ela. Assim, de forma um pouco divertida eu fazia um biquinho para minha patrício com um tom descontraído de desaprovação. Para em seguida me virar para a Eva. Observando aquela grande mala entrar no quarto.

    - Você realmente veio preparada! Afinal chegaram muito cedo e já com mala e tudo! Mas vamos! Mostra essas roupinhas, porque vindas de você eu já sofro de anciedade pelo que verei!

    Me aproximava da mala, encostando minhas mãos nela. Olhava para a francesa fazendo uma cara de profunda curiosidade com o que estava ali dentro. Enquanto isso empinava um pouco meu traseiro na direção dos outros dois e rebolava um pouquinho. Só que sem desviar a atenção da sereia enquanto eu a respondia. Para só depois concordar com ela e planejar ir a direção da cama para me sentar, caso eu não fosse impedida.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Danto em 12/11/2017, 21:57

    Olympia soltava um suave gemido abafado ao se encaixar no membro de Alfonsus assim que as mãos dela haviam deixado-o ereto outra vez, com os olhos entreabertos ela olhava na sua direção com uma expressão confusa diante do seu biquinho. Uma curta confusão que logo se transformava em um lindo sorriso, em contra partida, Alfonsus ainda exibia uma face totalmente avermelhada e tocava vagarosamente nos próprios lábios, sorrindo sozinho por ainda conseguir sentir o sabor dos seus lábios nos dele.

    -Lotta, chegamos durante o dia! Eu não queria passar nem mais um segundo longe de ti, afinal eu finalmente consegui minhas primeiras férias! E não fomos nóas que trouxemos nossas malas né?!

    Comentava Evangeline com um sorriso divertido na face, afinal ela estava se referindo a Olympia e a mesma parecia enfrentar uma verdadeira dificuldade para parar de rebolar sobre o membro de Alfonsus! E todo esse impeto claramente deixava a loira bem contente. No entanto, assim que você passava pela frente da sua noiva, você sentia as mãos dela agarrando as suas nádegas com força. Era literalmente um bote! Ela então beijava a sua nuca e murmurava:

    -Vem cá, espero que não esteja muito cansadinha... Porque meus dedinhos estão com saudades!

    A jovem então a puxava com intensidade, literalmente conduzindo seu corpo para sentar-se sobre o dela. Era possível ouvir um suspirar de Alfonsus, afinal o peso de vocês duas agora exigia ainda mais do homem. Olympia ajeitava-se para que vocês ficassem entre as pernas dele. Ali ela deslizava a mão esquerda para a sua intimidade, adentrando-a com velocidade para possuí-la com dois dedos, as ações de sua noiva era bem impetuosas e ágeis, vindo com um tesão urgente que precisava ser saciado imediatamente! Em seguida, ela ousava empurrar o indicador e o dedo do meio na sua boca, para umedecê-los e em seguida levá-los até seu clitóris, enquanto toda essa estimulação poderosa e intensa ocorria, você ainda sentia os pés dela deslizando suavemente sobre os seus. Ali ela falava outra vez no seu ouvido:

    -Sabia que se você usar a sua cintura eu serei obrigada a usar a minha também?!

    Evangeline estava um pouco longe de vocês e fazia uma ação extremamente sensual para abaixar-se até alcançar a mala, mantendo as pernas totalmente firmes no chão e usando apenas a cintura para ir até a mala, exibindo-se totalmente aos seus olhos. Uma ação que fazia Olympia suspirar e causava uma estocada de Alfonsus em sua noiva, que naturalmente acoava pelo corpo dela até o teu! Enfim a loira se levantava com três opções de vestido ainda nas devidas proteções de plástico. Mas ela parava ao se deparar com a cena e comentava:

    -Vocês são uns pervertidos!!! Parem já com isso ou eu irei perder o controle e ai de vocês se vocês não conseguirem me aquietar!

    Protestava Evangeline, nesse momento Alfonsus comentava baixo com vocês duas:

    -É realmente difícil viu...

    Eva cuidadosamente apoiava os vestidos sobre a poltrona onde Alfonsus originalmente havia sido conduzido e marchava na direção de vocês enquanto falava:

    -Pelo visto vocês precisam de ajuda para se expressar sem usar suas partes íntimas né? Eu farei isso, mas não ousem parar! Afinal porque você pararia não é Alfie? Afinal, veja quem estão no seu colo, sua Loretta e sua Olympia. Quantos sonhos não com a Arconte de Marfim e quantas vezes eu não tive que usar a face de Loretta em algumas brincadeirinhas?! E não tente achar que eu esqueci de ti Olympia, pedindo-me constantemente por livros sobre sexo, sobre como era ser amante de uma mulher e especialmente, por me pedir para passar em Roma e trazer sua mudança para cá! E Loretta, lembra do que eu lhe disse? Eu prometi fazer você se sentir tão amada e maravilhosa como eu a via, como é poder ter tantos amores querida?

    Evangeline finalizava a longa fala dela com um beijo profundamente apaixonado nos seus lábios, enquanto tocava nos seus seios com as duas mãos. As palavras dela claramente provocavam todos vocês, intensificando as ações de Olympia e Alfonsus.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 522
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por King Jogador em 15/11/2017, 19:08

    - Todos vocês de férias... Interessante como eu fui pega de surpresa sobre seus planos e como esse festival se encaixou perfeitamente.

    Eram as primeiras palavras que soltava de forma descontraída para Evangeline enquanto ela se pronunciava a respeito de quem trouxera as malas. Sorria para Olympia em seguida e notava o quão arriscado fora a ação dela. Me fazendo suspirar apaixonadamente em saber o quanto ela havia se arriscado para ficar comigo para sempre. "Meu amor... Farei tudo valer a pena para sempre." Assim que eu me virava presa naquele belo pensamento eu caía no bote dela e não me contia em dar uma risada alegre. Só que a mesma se transformava num gemido quando o sussurrar da minha noite vinha em meu cangote e o corpo dela possuía o meu todo.

    - Não ligue pro meu cansaço, seja má comigo um pouquinho...

    Respondia com uma voz trêmula enquanto me abria por completo para ser conquistada por aquela maravilhosa mulher. Abria minha boca para umedecer ao máximo os dedos dela depois de uma curta chupada e então ficava a sentir aquele prazer infinito. Tentava ainda observar as ações da francesa com a mala, mas ficava quase impossível. Para assim que eu escutava a segunda fala da minha amada eu começava a rebolar no meu máximo em cima dela. Mesmo demandando de mais força que eu de fato possuía naquele momento.

    Assim que Eva mostrava os vestidos eu apontava com a mão tremendo para a opção da direita. Mas eu não havia ainda prestado muita atenção nas escolhas e apenas sorria envergonhada para Evangeline enquanto ela ia protestando e se aproximando. As palavras seguintes dela me deixavam surpresa e eu me sentia me corando imaginando as cenas íntimas que Alfonsus pedira. As falas sobre Oly ajudavam a me deixar mais vermelha ainda. Só que como eu não era capaz fisicamente de me mexer, apenas relaxava sobre o corpo dela. "Ela é uma fofa... Todos eles são... Como os amos... Como estou feliz!" Minha voz vinha apenas após o beijo muito bem correspondido na linda sereia. Minha segunda fala tinha um pequeno tom descontraído e divertido.

    - Eu sequer tenho palavras para expressar o quão feliz eu estou... E vocês, seus pervertidos lindos! Se eu já não tivesse nua em cima de vocês acho que morreria de vergonha. Mas agora estou aqui e sou de todos vocês.

    Com um sorriso forte na face me concentrava agora na visão da francesa. Compreendendo como ela conseguira de fato cumprir a promessa que me fizera a tantos anos atrás. Assim fazia um olhar provocativo para a mesma. Abrindo ainda mais minhas pernas e colocando maldosamente minhas mãos cobrindo minhas intimidades. Para em um tom meloso e um pouco lascivo prosseguir falando.

    - Eu tenho um plano secreto para te aquietar depois. Então vem logo aqui enquanto to de pernas abertas e toda vulnerável...

    Conteúdo patrocinado

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato VIII - O Prelúdio da Segunda Noite

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 23/11/2017, 01:42