WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 31/10/2017, 14:50


    Quarto de Lorena:
    Local: San Gimignano, Domínio de Marie.
    Data: 17 de Abril de 2016: Quarto de Lorena.

    -Pode entrar querida...

    Dizia a voz feminina bem fraca do outro lado da porta. E assim você adentrava o quarto, já vendo logo de imediato algumas marcas de vitae no chão, pequenos respingos como se alguém tivesse sofrido um fortíssimo golpe ali e sido forçado a cuspir no chão um pouco do próprio vitae. Seus olhos então viam a imagem de Lorena, a anciã Ventrue estava sentada sobre o sofá que dava visão direta para o lado de fora, ali ela estava abraçando as próprias pernas e não tirava os olhos daquela porta de vidro. Com um semblante bem triste na face ela dizia:

    -E mais uma vez eu falhei, é impressionante como eu não consigo deixar de ser uma decepção. Mesmo depois de tantas décadas, acreditei que estava pronta para assumir o controle das situações e veja só o quão errada eu consegui ser? Acredito que deva me acostumar a isso, afinal, nem todos nasceram para liderar não é mesmo Gabrielle?

    Questionava a mulher que estava vestindo apenas um roupão azul marinho que era claramente masculino e muito maior do que ela. Os cabelos da mesma também estavam molhados e ela ainda carregava consigo o perfume de alguém que havia saído do banho a poucos instantes.

    Lorena Pontarelli:
    Legenda:
    -Lorena
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 31/10/2017, 17:17

    Abro a porta de maneira calma e curiosa colocando a cabeça entre a entrada que se abria para logo depois entrar com cuidado, meus olhos observam o quarto de Lorena com um certo sorriso, era muito parecido com o de Marie, só que ao ver Lorena naquele estado me trazia tristeza.

    Ela era a representante do meu clã na cidade, minha anciã, uma figura que deveria causar respeito e medo ao mesmo tempo, na mesma proporção, mas ali estava apenas uma mulher com dúvidas e completamente fragilizada.

    " Realmente você foi muito dura com ela Marie...talvez eu nunca consiga compreender a força que tem, apenas sei que descarrega-lá em seus filhos não lhe trara conforto algum! Que bom que me ouviu e esta descansando agora, seria muito mais doloroso se tentasse remediar as coisas agora!"

    Ouço atentamente cada palavra de Lorena enquanto caminho até a porta de vidro e a abro para assim me sentar do lado dela, da mesma forma, sinto a doce brisa do vento e falo com os olhos no horizonte.

    - Nunca gostei muito de quadros ou essas janelas e portas gigantes que da para ver tudo lá fora. Minha mãe me falava que eram obras de artes, coisas para se apreciar, gosto do natural, sentir o vento e estar na paisagem de um quadro e não apenas poder o ver.

    Encosto meu queixo sobre meus joelhos e viro um pouco o rosto para Lorena.

    - Você acredita em si mesma, não existe erro ou decepção nisso! Vejo da seguinte maneira, se acha que pode ser uma boa líder cabe a você evoluir gradativamente e conquistar seu posto, já está nele na verdade, eu me inspiro em você Lorena, se não fosse seus conselhos eu estaria encalhada ainda. És decidida e sabe o que quer, passa isso para aqueles que estão a sua volta.

    Faço uma leve pausa e sento de maneira normal no sofá, olho para minhas mãos e volto a falar.

    -  É difícil lidar com algo que se move contra você, é como nadar contra a correnteza e a cada tentativa suas forças vão se acabando, até que somos obrigados a apenas boiar e recuperar o fôlego.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 3/11/2017, 10:58

    A brisa morna adentrava o quarto primeiramente com uma força bem grande, movendo os tecidos e fazendo-a fechar os olhos, mas logo aquelas rajadas se acalmavam e iam apenas mesclando-se ao ambiente e trazendo para dentro do mesmo um clima muito mais agradável do que o anterior. Lorena a observava com calma, sorrindo suavemente durante algumas das suas falas, até finalmente sair do próprio casulo dos braços e pernas para sentar-se ao seu lado, passando a mão esquerda por cima dos seus ombros e olhando para as suas mãos.

    -Você é uma querida Gab... Obrigada por suas palavras, de verdade.

    Dizia a mulher com um tom mais calmo de voz, a mesma então se levantava e se movia até ficar na sua frente, estendendo as duas mãos em um convite.

    -Me faz um pouquinho de companhia querida?! Eu, bem, é difícil lidar com uma mãe que exige sempre excelência de seus filhos, eu a amo mas as vezes sinto falta de um pouco de carinho... O carinho que ela sempre deu a meu irmão mais velho. Bem, não posso ficar simplesmente a chorar por não ter nascido com um pau entre as pernas né? Farei o meu melhor e ela terá que dizer: "Obrigada filha, não conseguiria sem você". Até lá, você aceita meu convite Gab?

    Perguntava a mulher com um sorriso suave na face, ainda mantendo as mãos estendidas na sua direção.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 3/11/2017, 16:01

    Sinto a mão de Lorena por cima de meu ombro e coloco a minha sobre a dela com um sorriso simpático no rosto, ela era mais nova que Marie e parecia lidar com mais controle com a situação atual do que sua mãe, mas me caberia julgar aquilo, eram postos e obrigações diferentes para ambas, estava ali para ajudar Lorena no momento.

    Ouço as palavras da mulher após seu movimento e minha mão gradativamente se movia sobre a dela, com um sorriso largo no rosto aceno que sim com a cabeça, em um movimento rápido me levanto e ainda com as mãos dadas lhe dava um abraço carinhoso.

    - Todos estavam precisando relaxar um pouco, tive que fazer muitas massagens, mas com você não sinto isso, o que precisa é de um bom abraço e conversar um pouco! Já sabe a resposta para sua pergunta.


    Com um leve beijo no rosto tomo uma curta distancia ainda segurando sua mão, coloco o dedo indicador no nariz em uma forma pensativa e falo de maneira engraçada no começo para após ficar um pouco mais seria.

    - Eu choraria muito se tivesse um pau! Prefiro ser eu e aproveitar o do Ulisses...ei...não posso disser com toda a certeza, pois sou nova aqui, mas creio que ela ama ambos como iguais, e que até mesmo veja Mauricio como alguém que precisou desse carinho, com você...

    Retiro o dedo de meu nariz e torço minha boca com uma leve careta e inclinando o rosto para o lado.

    - Ela vê em você um reflexo dela mesma, uma sombra do passado que se perdeu por motivos conturbados e perturbadores...ela quer que sua filha seja muito melhor que ela, que não sofra o que ela sofreu, ela não deseja que seja igual a ela, quer que a supere em tudo! Fora que se um dia lhe questionarem sobre a justiça de Marie, todos iram ver que ela é rígida com seus filhos e por isso dificilmente será questionada sobre questões futuras envolvendo terceiros.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 3/11/2017, 20:28

    Lorena sorria aliviada com a sua resposta positiva, mas aguardava curiosa para ouvir o que você ainda teria a dizer. Para então colocar-se a rir quando você mencionava que preferia usar o "pau" de Ulisses. Ela então aproveitava para puxá-la, praticamente lhe obrigando a ficar de pé e de uma maneira bem divertida a girava, ficando assim nas suas costas e abraçando-a em uma clara brincadeira, simulando uma pegada mais masculina e até um choque das suas cinturas.

    -Eu sempre quis ter um, era muito mais fácil ser homem quando eu era jovem. Poderia simplesmente pegar as moças assim e pronto, sem preocupações!

    Rindo a moça saia de trás de ti e apenas segurava a sua mão, conduzindo vocês duas até a cama enquanto falava.

    -Então já estás a chamar meu irmão pelo nome... Interessante! Além do brasão que carregas consigo, vejo que conseguiu um espaço aqui conosco e isso muito me alegra. Porque eu sei do seu potencial, afinal, você me faz pensar a relação com minha mãe de maneiras positivas e isso é importante... Talvez você tenha razão, homens precisam de mais cuidados pra sarar o tal ego que eles tanto prezam ter. Mas chega de falar da minha mãe, vamos falar do meu irmão! Conte-me, o que sabes dele?

    Perguntava a mulher sentando-se na cama e convidando-a a fazer o mesmo.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 3/11/2017, 21:15

    " Ainda bem que ela é muito forte e consegue lidar muito bem essa situação pesada, como ela é forte, muito igual a Marie, só que como ela mesma disse, um dia ela já foi muito vivida...uma graça de se ver!"

    Faço uma leve cara de desgosto quando Lorena me abraça por trás simulando aquela cena sexual como se ela fosse um homem e falo em um tom meio que de deboche.

    - Credo Lorena, se você fosse um homem e viesse assim para o meu lado eu lhe daria uns peteleco na orelha, não sou qualquer uma não tá!

    Fazendo uma leve careta balançando o pulso de maneira esnobe e depois dando uma quase que gargalhada com aquela situação toda e colocando a mão na boca para conter minha risada. Deixo que ela me conduzisse e a ouço com atenção, sem nenhuma cerimonia espero que ela se sentasse primeiro e quando vejo o gesto me sento ao seu lado me ajeitando na mesma e falando de primeiro modo um pouco brincalhão novamente.

    - Venhamos e convenhamos, eles são todos muito indecisos e não chegam onde querem chegar de uma vez, céus, se não fossemos nós nesse mundo eles ficariam dando voltas para sempre.

    Arrumo meu cabelo de uma maneira pensativa e assumo um ar mais calmo.

    - Bom ele me permitiu e frisou que eu devo lhe chamar de Mauricio, creio que isso quando estivermos a sós, tenho a noção de que se tiver algum ancião conosco ou até mesmo um membro de status elevado eu irei lhe tratar com o total respeito e as formalidades. Sua excelência Mauricio Ricci, O Strategoi, sei que é a primeira prole de Marie e por direito ele é seu sucessor e tem direito a tudo. Fora suas obrigações que seu cargo exige, o que não tem nada a ver com a sua pergunta. Fora isso eu vi que ele é muito racional em tudo que faz, parece que enquanto ele fala com você já arma algumas coisas em sua cabeça e vai apenas encaixando os fatos e depois joga tudo de uma vez sem deixar espaço para erros. Só que aparentemente ele não almeja o principado. Isso é o que sei.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 6/11/2017, 12:21

    Lorena não conseguia deixar de sorrir diante da sua reação, afinal a brincadeira dela era totalmente debochada e tinha um tom sexual que provavelmente não agradariam muitas pessoas, mas a cada instante que você passava junto da mulher você a via sempre manter esse tópico por perto do assunto e sempre demonstrando pouquíssimo pudor.

    -Não seja boba Gab! Eu sei que você não é qualquer uma, mas eu faria de tudo para conquistá-la. Afinal, você parece ser daquelas que pegam fogo e sobem pelas paredes! Além de ser barulhenta!

    O tom de brincadeira não abandonava a mulher, não enquanto o assunto era apenas aquela situação. Todavia, assim que você comentava sobre o irmão dela. A mesma mantinha um sorriso mais carinhoso na face e esticava-se pela cama, fazendo um sinal para você esperar, ela ia até o criado mudo e dali tirava uma foto, retornando com a mesma na mão ela falava enquanto propositalmente a escondia.

    -Mauricio fez a muitos anos atrás um voto de juramento com o clã, ele não irá ocupar cargos na Camarilla mas servirá o clã da melhor maneira que puder. Sempre foi o sonho dele, ver o clã prosperar de maneira racional, coesa e honesta... Sabe, Mauricio é um querido! Nos meus primeiros anos eu era perdidamente apaixonada por ele, antes de namorar com Ulisses. Bem, claro que nunca tive nada com ele porque ele sempre me via como irmã, mas pude bisbilhotar bastante coisa e olha... Se você um dia ver o tamanho!

    A mulher ria da própria fala e em seguida balançava as mãos negativamente no ar, indicando que não iria te empurrar aquele assunto a não ser que você a questionasse.

    -Enfim, quero dizer que você tem uma boa análise dele, mas não é bem apurada. Maurício sempre está a nossa frente, ele se esforça para que assim seja porque sente uma verdadeira felicidade em ser prestativo. Ele é dinâmico, forte, inteligente. É uma liderança que vem de uma forma diferente, ele lidera pelo resultado não pelo direito de, entendes? Enfim se ele lhe deu o direito de chamá-lo pelo nome, ele irá preferir que você o faça sempre que possível. E acredite, meu irmão sabe tudo sobre ti, se não ele faria questão que você continuasse a chamá-lo pelo sobrenome. Agora, dê uma olhadinha!

    Ela esticava a foto na sua direção e aguardava ansiosa pela sua reação.

    Foto:
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 6/11/2017, 16:19

    Coloco as mãos no rosto e falo de uma forma envergonhada.

    - Ai céus, você também ouviu...

    Viro meu rosto para o lado e resmungo comigo mesma em tom de indignação com o ocorrido e até mesmo mudo o semblante para algo mais bravo.

    - Eu falei, da próxima vez tem que ser na minha casa, lá pelo menos e só uma multa que pago pelo barulho...ai que vergonha gente.

    Espero Lorena com calma e respiro fundo com uma cara de " fazer o quê né!", pela minha reação anterior, logo começo a prestar mais atenção em sua fala, e começo a fazer caras e bocas de maneira fofa quando ela começa a falar de Mauricio, mas minha expressão muda quando ela fala do tamanho do "documento" do irmão, fecho os olhos e aceno que não com as mãos.

    - Não, não, não...isso não quero conhecer dele não, já tenho um que me da um trabalho lascado! Não sou tão moderna assim não.

    Coloco a mão no peito respirando fundo e rindo de tudo aquilo, mas logo volto a ouvir as palavras de Lorena, cruzo as pernas e fico completamente focada em suas palavras, afinal, aquele era o homem para quem eu iria prestar serviços nas próximas noites, fico realmente admirada com tantos elogios dados a ele e no momento que me é mostrada a foto, viro o rosto com uma risada alegre.

    - Nossa, ele é lindo mesmo...caramba! Tó ferrada!

    Continuo com a risada balançando a cabeça negativamente, viro meu rosto novamente para olhar mais um pouco a foto e falo de uma forma calma.

    - Acho que entendi, ele é um líder que esta e deseja acompanhar sua equipe e aqueles abaixo dele, e não um chefe que manda sentado confortavelmente em sua cadeira. Mesmo sabendo que ele deve fazer isso, ainda sim é um pouco assustador saber que um ancião sabe tudo sobre você. Coisa boba de gente nova...e por que ele fez esse juramento, acho que ele se daria muito bem em qualquer cargo da Camarilla?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 8/11/2017, 18:19

    A mulher calmamente observa todas as ruas reações e antes de responder qualquer coisa, simplesmente se jogava para trás, caindo sobre a cama e claramente não se importando com o fato do roupão estar caindo-lhe pelos ombros vagarosamente.

    -Querida, venha aqui. Você precisa aprender a capacidade de abstrair essas normas e contextos que nos são solidificados com tanta intensidade todas as noites. Nós somos os responsáveis por muito, mas quem é de fato responsável por nós? Não se preocupe com barulho gerado por ti noite passada, não foi nenhuma novidade para ninguém... Ulisses tem a função de cuidar das moças da nossa família, não se esqueça disso, irá evitar possíveis problemáticas.

    Ela fazia uma curta pausa na fala e olhava na sua direção, a expressão dela começava a fazer uma decadência em direção a algo bem mais triste e até melancólico.

    -Eu não quero que você me entenda de uma maneira equivocada, não sou uma velha pervertida que fica lhe dizendo esses disparates atoa. Tão pouco estão tentando lhe obrigar a se deitar com meu irmão, eu jamais faria algo tão... tão vil... A verdade é que eu tenho poucas oportunidades para realmente aproveitar a vida que existe dentro dessa maldição. E você me lembra muito como era a minha vida antes de todas essas obrigações, desculpe-me se acabo por passar uma imagem errada está bem?

    A mesma então forçava uma longa respiração e fazia um sinal para você se aproximar dela.

    -É sim assustador qualquer um saber sobre sua vida sem que você saiba da dele, mas não se preocupe. Não com Mauricio, ele apenas cumpre o dever dele, não é nunca será algo que ele usará para manipulá-la ou humilhá-la. Agora, será que eu vou ter que chorar para ganhar um abraço? Como é que funciona eim Gab?!

    Protestava a mulher, fazendo uma expressão mais carente e exibindo os lábios de maneira caricata.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 8/11/2017, 20:38

    Com a atenção completamente focada em Lorena sorrio ao me deixar ao seu lado com o rosto virado lhe observando, com um olhar pensativo falo de maneira calma com um sorriso fraco esperando que ela terminasse toda sua fala.

    - Compreendo suas palavras Lorena! Acredito que ninguém está por nós, quando digo isso é que sempre estamos olhando para o futuro e em um contexto geral e nunca exclusivamente para um, fomos transformados em Ventrues e o peso que carregamos em nosso nascimento é algo único para cada.


    Com a mão direita fico a arrumar o cabelo dela de maneira letárgica e abro um sorriso sincero e largo.

    - E quem disse que eu me sinto angustiada ou que suas palavras me tragam algo ruim ? Agora você vai me escutar Lore, tenho vergonha das coisas que você diz sim, só que de uma maneira boa! Posso parecer esse molde de bondade e de moça correta, mas eu adoro essas conversas sem nenhuma etiqueta e pudor, interiormente eu prefiro assim, só não demonstro. Acho que é por ser nova ainda.

    Faço uma leve careta me aproximando dela com um sorriso meio provocativo e falo de uma maneira divertida, lhe dando um doce beijo no rosto.

    - Uhm...deixe-me ver! Eu trabalho com agrados você me agrada e eu lhe agrado, sou assim sim! E vem logo aqui minha linda, mulherão da porra.Você já me agrada por si só.

    Começo a rir e dou um abraço forte em Lorena deixando meu corpo por cima do dela já que ela estava deitada.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 12/11/2017, 20:38

    Um riso divertido escapava dos lábios da mulher de cabelos escuros que estava agora deitada por baixo de ti, suavemente ela passava os braços pelas suas costas e a apertava em abraço mais forte.

    -Querida! Você acaba de me fazer lembrar de algo maravilhoso que podemos tirar daquele fatídico dia onde tudo saiu errado! Lembra de quando eu estava contigo no closet do Elísio e eu pude tocá-la, aquela sua reação foi tão fofa!

    A mulher ria novamente, deslizando vagarosamente a mão esquerda pela suas costas e levantando-a apenas para aplicar um tapa sobre a sua nádega. A mesma ria bastante em seguida e mostrava-lhe a língua.

    -Agora que me deu liberdade, trate de aprender a lidar logo com ela viu! Aliás, quer conversar sobre algo Gab ou deixará que eu escolha o assunto? Só adianto, se depender de mim, podemos acabar falando sobre coisinhas sem nenhum pudor!

    Ela sorria alegre aguardando a sua reação, já com o ombro direito totalmente exposto e faltando pouquíssimo para que o esquerdo também se revelasse.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 12/11/2017, 21:26

    Fico onde estava mesmo me ajeitando nos braços de Lorena e ria também de tudo aquilo, com uma expressão pensativa me inclino um pouco para poder olhar a mulher e falo.

    - Lembro, mas o que podemos tirar? Ahh Lore eu ainda fico envergonhada com essas coisas sabe, é meio novo e eu sempre fui muito quieta!

    Meus olhos iam abrindo cada vez mais a medida que a mão da ancião percorria minhas costas e no momento do tapa meu rosto se afunda em seu peito com extrema vergonha, minhas mãos seguram fortemente seu roupão, minha fala soa de forma baixa e envergonhada.

    - Céus, que vergonha...é...eu...ai! Eu não sei lidar com essas coisas de forma normal!

    Me mantendo da mesma forma solto o roupão de Lorena e deixo minhas mãos apoiada em seu ombro, viro meu rosto para assim poder ficar praticamente deitada em cima da mulher, minha expressão agora era completamente pensativa, minha fala soa de forma baixa no começo para assim tomar um normal gradativamente.

    - Sabe!...nem mesmo sei se deveria falar isso com você, devo parecer uma menina que não sabe lidar com nada! Mas eu fiquei pensando no que falou sobre o Ulisses, isso dele cuidar das mulheres da família, estou confusa agora, eu gosto dele...é como se ele fosse meu porto seguro e lá eu consigo pensar com clareza e me sentir segura comigo mesma.

    Minha expressão mudava para algo mais preocupado, como se estivesse a procura de uma resposta para esse novo sentimento e desconfiança dentro de mim, me viro para a anciã com os olhos bem abertos como se fosse uma suplica para que ela não ri-se ou debochasse dessa minha insegurança.

    - Ele é muito mais velho que eu, e se ele só tiver feito o que fez por quê sentiu pena de mim Lore? E se só estiver cumprindo seu papel, seu trabalho! Minha outra metade se manifesta livremente na presença do Jô, com carinho e afeto, mas com Ulisses é apenas eu...faz muito tempo que não sei o que amar alguém...talvez eu tenha perdido esse meu lado e só tenha realizado minhas necessidades...eu não sei mais...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 15/11/2017, 13:55

    A anciã não deixava de exibir um divertido sorriso, inclusive, a mesma ria um pouco diante da sua reação de vergonha, porém assim que você soltava o roupão folgado da mulher a mesma olhava curiosa para as suas ações, afinal, o tecido caia e naturalmente se abria revelando o tronco nu da mulher que tinha uma aparência mais experiente, a mesma no entanto apenas contentava-se em abraçar sua cintura e ajeitá-la ali deitada sobre ela.

    -Não sinta vergonha das suas inseguranças Gab, o maior de todos os nossos problemas somos nós mesmas, não tratar dessas inseguranças, não sentir ou atentar a suas verdadeiras necessidades, medos, prazeres, fobias, alegrias. Afinal, a besta se alimenta da falta de razão, forçando-se por dentro das nossas fraquezas para nos proteger. O problema é o custo por essa proteção...

    Lorena fazia uma curta pausa na fala para olhar no fundo dos seus olhos e transmitir uma segurança, deixando claro que não estava a debochar de ti mas sim a compartilhar as próprias experiências dela.

    -Ulisses é um homem único. Ele é gentil demais para agir por pena, não acredito que seja essa a motivação dele, mas entenda... Você passou por uma traumática experiência e isso ainda trará várias mudanças a sua forma de perceber o mundo. Os braços vivos dele o ajudou a regressar saudavelmente, afinal todos sabemos o quanto a humanidade lhe é preciosa, acredito sinceramente que Ulisses queira o seu bem, mas o trabalho dele é cuidar de todas nós. Se você tiver disposta a uma relação onde o seu homem precise atender as necessidades, inseguranças, ausências e medos de outras, não acho que será um problema. Eu não consegui lidar muito bem com isso, mas por favor, peço para que não o entenda como um oportunista ou um falso. Os sentimentos do homem são sempre reais, ele aprende a nos adorar e a cuidar de nós, retribuindo sempre da melhor maneira possível, ele ganha a noite dele ao ver um sorriso verdadeiro em nossas faces.

    Em seguida, ela dava uma apertada mais forte na sua nádega e ria ao trazer o assunto de Joseph à tona:

    -Então quer dizer que há uma confusãozinha ai dentro de ti sobre a figura do seu vassalo! Quem diria!? E eu aqui já havia até considerado perguntá-la sobre a disponibilidade dele, afinal, ele parece ser bem habilidoso!

    A mulhe ria um pouco, apenas para em seguida beijar a sua face e afirmar:

    -É impossível para alguém como você simplesmente perder a capacidade de amar. Só te digo uma coisinha querida: Cuidado com a força dessa palavra. Para nós, criaturas eternas, ela tem um potência acima do esperado!
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 15/11/2017, 16:18

    Fico a ouvir todas as palavras de Lorena com atenção dando um leve pulo quando minha bunda era apertada novamente e soltava um sorriso alegre para então falar ainda um pouco pensativa enquanto minhas mãos começavam a arrumar o roupão novamente de maneira calma mas ainda sim deixando um grande decote ali.

    " Ainda sim existem muito mais dúvidas que gostaria de compartilhar, a questão é que no momento eu que devo lhe ajudar e não o contrario, o engraçado é que sempre falo que existem pesos que não devemos carregar sozinhos, mas no final somos Ventrues, orgulhosos em assumir um papel e demonstrar para todos que estamos no controle da situação!"


    - Você é uma foda Lore!Não me importo se ele cuidar de outras, mas só cuidar...e se a outra fizer como eu e for pra cima dele? Não vai ter santo que vá me segurar!...sinto que estou mais próxima de mim mesma agora, segura e confiante, a questão é que isso me gera dúvidas que nunca tive sobre mim e até onde eu consigo chegar.


    Faço uma leve pausa para me inclinar para cima e olhar o torso quase que descoberto de Lorena e sorri com aquela imagem e voltar a falar.

    - Eu acredito em tudo que fala sobre o Ulisses e sei que ele é um ótimo homem com um carácter único, é que já sofri uma ver por acreditar em alguém e quando eu descobri não foi nada agradável...era como ter minha besta exposta...só tenho medo de perder a razão um dia com ele. Não quero machuca-ló de nenhuma forma, não ele. É como ver aquilo que toda mulher quer ver e ter em um homem e lá está ele...

    Mordo meu lábio inferior com uma expressão mais ousada, minha mão direita acaricia a coxa da ancião e depois lhe dava um leve tapa para então começar a rir de maneira alegre e falar de uma forma mais descontraída.

    - Particularmente eu vejo Jô como um filho! Mas minha outra metade se alegra ao vê-lo, e a senhorita quer dar uns catos nele é?

    " Não fique com ciumes de nada disso minha querida, acho que o quê a Lorena diz é verdade você sente algo a mais por Joseph, só lhe peço que tenha paciência para que nós duas possamos nos encontrar e ter a certeza daquilo que buscamos...por hora só peço que esteja comigo!"

    Me firmo sobre meus braços acima de Lorena como se não a quisesse deixar sair dali de baixo e falo um pouco mais seria, ainda sim com um sorriso carinhoso no rosto.

    - Tenho muito ciumes dele! Ele é quase eu de calça jeans e com um pinto, minha metade masculina. Já até falei para Marie que não queria ele com ninguém, mas se eu fizesse isso ele se quebraria com o tempo e não é isso que eu quero, por tanto se quiser algo sinta-se a vontade, mas só não quero comentários sobre suas ações, afz, ai já é de mais para minha imaginação...só espero que se ele conseguir algo, que te faça gritar muito de prazer.

    Termino minha frase com um risada calorosa e me aproximo de Lorena para lhe dar um delicado beijo no rosto e outro na ponta do nariz, finalizando com uma piscada de olho.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 18/11/2017, 00:44

    Lorena não demonstrava nenhuma resistência as suas ações, tanto quando você abria ou quando deixava o profundo decote aparente com aquele roupão masculino folgado que a mulher usava. E especialmente diante do tapa dado na coxa firme e gelada dela, afinal, diante deste ela só sorria e mordiscava o lábio inferior de maneira bem leve.

    -E qual mulher em sã consciência não vai desejar o Jo? Nem que seja só um pouquinho? Não venha me julgar!

    Ela comentava de maneira divertida, claramente arrumando uma desculpa esfarrapada para provar um ponto. Assim ela mantinha o sorriso até enfim,rir bastante da sua fala final.

    -Olha, eu também! Porque estou precisando relaxar! E não tem nada melhor que umazinha bem firme para me fazer acalmar os ânimos, costumava ser vinho, mas infelizmente né... Enfim... Gab, deixe-me questioná-la sobre duas coisas.

    A mulher olhava diretamente para a sua face e perguntava em seguida:

    -Primeiro, tens interesses em mulheres?

    Exibindo um sorriso maroto durante alguns segundos, ela a surpreendia com outro tópico:

    -Segundo, quais mudanças você tem sentido dentro de ti, no teu corpo e por ai vai, após o amaranto que ocorreu?
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 18/11/2017, 12:00

    Ainda me apoiando sobre meus braços por cima de Lorena, ouço sua palavras atentamente e sorrio com certa duvida em minha expressão, jogo meu corpo para o lado ficando deitada ao seu lado, com delicadeza fico acariciando os cabelos da mulher enquanto falo sorrindo.

    - Nossa eu realmente não o vejo dessa forma, e relaxe Lore, quem sou eu para lhe julgar! Ambos são livres como homem e mulher para fazerem o que bem entender.

    Não havia dentro de mim nenhum dúvida ou incerteza sobre minha escolha sexual, parando com as caricias repouso minha mão sobre o peito de Lorena o apertando as vezes de maneira sutil e sorrindo de forma divertida enquanto fala.

    - Uhm...mulheres não! Mas gosto de ver seus corpos, apreciando mesmo a beleza sem nenhum interesse sexual, talvez com o tempo eu mude de ideia, mas no momento não é algo que me gere dúvidas, e nossa que peito gostoso de apertar!


    Mostro a linguá para ela e desço a mão um pouco mais na altura da cintura por dentro do roupão e mudo um pouco minha expressão, com as unhas fico a aranhar suavemente aquela região, meus olhos não mantinham o foco em nada e era como se eu mergulhasse dentro de mim mesma, profundamente.

    - Fisicamente me sinto mais forte, muito mais forte mesmo, resistente, rápida, feroz...internamente as mudanças foram muitas, é como ter sido ele por alguns minutos e esses minutos foram anos e anos, sinto dentro de mim uma raiva e que pode se transformar em ódio a qualquer momento, ela o mantem dentro de mim, fragmentos daquilo que ele foi um dia, mas ela é mais forte e cruel, fica sentada em cima de seu cadáver como uma rainha que se senta em seu trono e devora suas lembranças com vontade, não sinto mais tanta compaixão,matar não é mais um problema um matiris tão grande, defender aquilo que amo é o que realmente importa agora.

    As lembranças voltam em flashs pausados e podia ver claramente minha besta tão pálida quanto qualquer outro cainita que já tivesse visto e com seus olhos vivos como brasas encandeantes na escuridão total, seus caninos sempre a mostra e aquele sorriso malicioso no rosto, me aproximo muito mais de Lorena deixando nossos corpos juntos, meu braço para por de baixo de seu pescoço e o flexiono para assim ficar lhe acariciando o ombro praticamente jogando o roupão para o lado.

    - Vejo as coisas mais preto no branco agora, sem muito encanto ou até mesmo da forma que sempre vi, tenho a noção de que sou um demônio, só que ao mesmo tempo que cabe a mim solta-ló ou não! A confiança que sinto é muito maior, assim como as novas dúvidas que surgiram me forçam a buscar conhecimento sobre eu e ela. E o desejo de realmente completar meus objetivos se tornaram mais claros...ainda sim...é como estar sempre suja e desesperadamente procurando me limpar! E por isso tento manter minha mente clara e ser justa com aqueles que merecem!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 18/11/2017, 17:57

    Seus carinhos nos cabelos da experiente Ventrue a faziam fechar brevemente os olhos e suspirar relaxada, até era possível ver a musculatura dela cedendo ainda mais e o tato da pele da mesma ia se tornando mais convidativo e suave.

    -Mas fique tranquila querida, eu prometo não abusar de nenhuma possível situação, acredito que seja só um fogo que precisa ser apagado, nada além disso viu! E se for, eu irei lhe avisar de antemão.

    Os suaves apertões no seio direito de Lorena a fazia exibir um sorriso mais maroto, além disso era fácil de mais notar as reações positivas e aniamdas dos mamilos dela. Todavia, durante sua fala sobre suas escolhas sexuais ela não deixava de exibir um bico enorme de protesto.

    -Ain, que pena que você não gosta... Porque eu ia adorar sugerir que você apertasse mais algumas coisinhas!

    Ela ria bastante se divertindo, umas risadas que eram interrompidas pela sua ação de arranhar, prontamente ela olhava na sua direção como se estivesse verdadeiramente disposta a devorá-la e atacá-la, um olhar que fazia o seu âmago se revirar em um desejo estranho e potente, um desejo que não lhe pertencia! Como se os fragmentos masculinos daquele Brujah estivessem a reagir diante do olhar sensual e vulgar daquela mulher.

    -Gab, você não é um demônio que precisa urgentemente se limpar. Você é sem nenhuma dúvida um dos corações mais belos que já caminharam por esse mundo e acredite em mim, eu já conheci muitos! Grande parte de nós, cainitas, perdemos os valores reais em torno da humanidade. A humanidade é violenta, é assustada, é amorosa, é real! O cainismo tornou-se por séculos uma verdadeira ilusão, contos de superioridade e domínio. Mas não se preocupe em excesso, apenas o suficiente, eu sobrevivi a isso em minha juventude... Você também irá!

    Finalizava a mulher que movia os ombros para enfim se libertar totalmente do roupão, desviando os olhos de ti e ficando com a face avermelhada ao pedir:

    -Assim, já que você gostou deles. Porque não dá uma atençãozinha pra eles? Só um pouquinho! Quem sabe até com a boca?! eim?!
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 19/11/2017, 00:48

    Os gestos e falas de Lorena me causam algo, desejos e sensações que pertenciam a outro em um passado que se refletia no presente, afinal, ele estava dentro de mim agora, me encolho ainda mais sem me afastar dela, era como buscar conforto em minha própria vergonha, minha fala soa de maneira baixa e abafada por estar tão próxima assim.

    - Não sei o que seria de mim sem todos esses conselhos que vocês me passam, sou muito agradecida por cada momento assim, é como se pudesse pular diversas fases de um ensinamento longo e pesado.

    " É como deseja-lá, lhe arrancar esse roupão e poder te-lá para mim, só minha! É isso que sinto? Você deseja em contra partida possuir Lorena? É estranho conversar com você assim em minha cabeça é como se estivesse me punindo por deixar que ela e Jô tenham algo...se for só um desejo dele eu me recuso a ceder, caso seja o seu é algo que podemos trabalhar..."


    Meus pensamentos fluíam com força enquanto permanecia a olhar para Lorena, não apenas lhe olhar nos olhos mas algo se aflorava dentro de mim e meus olhos demonstravam tal desejo em te-lá, vento a mesma com o torso completamente nu me fazia respirar de forma acelerada, minha mão sobe sua cintura ainda com as unhas e para em seu seio direito deixando o bico em meio aos meus dedos o segurando firmemente.

    Me aproximo de maneira perigosa como se estivesse em um transe, minha voz soa fraca e pausada,fico a fechar os olhos enquanto sentia seu cheiro como um animal que tentava se controlar de alguma forma.

    - Algo dentro de mim quer! Quer arrancar seu roupão e lhe possuir agora,ouvir suas baixarias em sussurros no meu ouvido... sei que é ele se manifestando de alguma forma...ou seria eu mesma já que ele agora vive dentro de mim? Não sei responder a essa questão...e se eu me forçar a controlar esse desejo e depois ele vier muito mais intensificado em uma situação fora de contexto!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 23/11/2017, 20:13

    -Gab, porque não começa a pensar ao contrário querida? Afinal, você nos tem agora. E o que será de você junto de nós, ao nosso lado... Ao meu lado?!

    Respondia a mulher com um sorriso que nascia naquele rosto avermelhado. A mesma respirava com uma breve dificuldade enquanto os olhos percorriam a sua face, especialmente seus lábios. Porém sua ação com a mão em direção ao seio dela a fazia soltar um gemido baixinho e abafado, ela fechava parcialmente os olhos e os girava para trás enquanto arrepiava-se inteira, era fácil sentir o corpo dela tremer e o tronco propositalmente se levantar afim de convidá-la para toques mais intensos e diretos.

    A tua fala fazia os olhos de Lorena se abrirem novamente, a experiente anciã Ventrue olhava no fundos dos seus olhos e lhe oferecia uma resposta:

    -Então querida porque não unimos o útil ao agradável?! Eu adoraria ver toda essa sua vontade, especialmente direcionada a mim. Afinal, uma grande parcela do meu tesão vem justamente da posse e eu não consigo permitir que qualquer um me possua, mas você se mostrou forte querida. Mais forte do que essa essência que agora faz parte de ti, você irá mudar e isso não é ruim, existe sempre algo positivo em nossas mudanças e poucos se dispõe a fazê-las...

    As pernas de Lorena iam se abrindo vagarosamente enquanto ela falava, ao ponto de que no final de sua fala, os joelhos delas estavam a tocar diretamente a sua cintura! Ali ela enfim dizia:

    -Se quiser, podemos até improvisar algo mais masculino para que você me possua, tenho uns brinquedinhos logo ali no armário
    ! Ou podemos ser mais femininas... Eu vou adorar de qualquer forma, mas não somente sobre mim né? Me diga Gab, como você quer me possuir?


    Era a primeira vez em toda sua vida que alguém lhe dizia palavras tão vulgares e ao mesmo tempo, tão honestas e fortes. Ela não estava brincando, era o que ela sentia verdadeiramente naquele momento e isso lhe causava um turbilhão de emoções, sendo possível sentir a necessidade latente em ter aquela mulher, especialmente porque você sabia o que ela significava, um exemplo a ser seguido, uma líder disposta ao novo, uma mulher que apesar de suas falhas é e sempre será nobre. E esta por sua vez, mordiscava o lábio inferior e apertava as suas nádegas por cima da calça com as duas mãos dessa vez, puxando-a para mais perto e olhando no fundo dos seus olhos, quase a suplicar por uma reação.


    Última edição por Danto em 23/11/2017, 21:19, editado 1 vez(es)
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 23/11/2017, 20:53

    Era como apreciar uma refeição tão esperada, o cheiro e a textura como algo divino a ser experimentado, minha boca abre de forma suave ao ver seu corpo trepidar e se arrepiar, minha visão fica conturbada ao que me ocorria a volta e foca exclusivamente na pele, minha mão percorre seu corpo até as proximidades da intimidade dela, sem continuar, ficando ali brincando com leve arranhões e caricias.

    - Me desculpe por ainda ser reprimida, mas para ele não irei entregar nada, que se remoa e conviva com isso.

    Minha fala contêm certo ódio e raiva do Sforza que me referia, lhe negando tudo e todo desejo que ele pudesse manifestar, escorro minha mão ainda mais pelo corpo de Lorena, lhe arranhando as coxas pela parte de dentro. Minha boca abria novamente em um movimento tremulo e fecho os olhos com a respiração falha enquanto sinto seu doce cheiro.

    Minhas unhas arranham com mais vigor a parte interna de suas coxas e ainda ao lado dela com a cabeça encostada me inclino para lhe dar um doce beijo, lento e demorado para assim poder sentir todo aquele desejo que transbordava dentro de mim e me faziam ficar tão receptiva a ela naquele momento.

    - Feminina!

    É minha unica fala, fraca enquanto abro os olhos por um breve momento para poder apreciar aquele belo rosto, minha mão acaricia seu rosto de forma sutil até chegar na nuca para por fim poder lhe puxar os cabelos e deixar seu pescoço desprotegido e veraneável, assim lhe dando diversos beijos e lhe mordiscando aquela área.

    " É como comer um pêssego, só que me deixa excitada, e quero que ela sinta o mesmo!"


    Meus caninos começavam a crescer em meio ao êxtase que sentia e meus músculos ficavam cada vez mais rígidos, no final de tudo ele fazia parte de mim agora e eu parte dele.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 28/11/2017, 19:47

    Lorena sorria diante da sua resposta e balançava a cabeça negativamente quando você pedia desculpas, mas logo concordava com um breve aceno da mesma, ajudando-a a negar a ele qualquer coisa.

    -Adorei sua resposta Gab, mas não precisa se desculpar. Não pra mim querida!

    Ela até pretendia seguir falando mas suas ações a roubavam o ar e dos lábios dela só escapavam gemidos baixos e ofegantes, o corpo dela se entregava facilmente ao teu e especialmente quando suas mãos exibiam o pescoço branco e vulnerável, seus lábios enfim começavam a tatear aquela pele gelada e pálida da anciã que levava dois dedos para dentro da própria boca, chupando-os para controlar a vontade mais forte de gemer alto.

    -Gab, eu não consigo deixar de lembrar de como o seu corpinho é maravilhoso! Porque não me mostra ele de novo querida? Afinal, se eu serei possuída por ti, posso esperar o reciproco não é mesmo?!

    Comentava a mulher com uma voz extremamente sensual, levando os dedos umidificados pelo próprio vitae na direção dos seus lábios, até enfim tocá-lo e conquistar um pequeno espaço para assim levar a mão livre até a sua calça, abrindo o zíper da mesma em uma ação bem rápida.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 28/11/2017, 21:50

    Minha respiração é falha com pequenas pausas como se estivesse a perder o folego, um sorriso lascivo brota em minha fase e modo o canto da boca em um sinal claro de desejo, deixando assim meu canino completamente exposto ao canto mordiscado.

    Não havia resposta para aquela pergunta, não algo que devesse ser falado naquele momento que ambas estávamos nós entregando. Meu lábios tremem com seu toque gélido, inclino minha cabeça lentamente para o lado com o queixo tremulo e a linguá para fora, meus olhos se fecham e começo a lamber seus dedos da base até as pontas para por os repousar dentro de minha boca.

    " Assim você apenas me alimenta e aumenta ainda mais desejo em lhe possuir, desejo que cresce a cada contração, arrepio e respiração de seu corpo! Seu abafado gemido é como um gatilho, um botão que faz meu corpo desejar o seu!"


    Meus olhos abrem de maneira vagarosa enquanto minha mãos começam a retirar minha calça e ajudando a mão livre de Lorena nessa ação, me delicio com cada expressão feita pela mulher, acaricio seu rosto com delicadeza, minha mão escorre pelo seu pescoço e torso para por fim começar a retirar minha blusa, fazendo com que me afastasse lentamente enquanto retiro seus dedos de minha boca.

    Por fim, meu corpo semi nu estava ali, me deixando apenas de calcinha na frente da anciã, a deixo me olhar por alguns instante com uma expressão provocativa e me viro lentamente ficando de costas para ela, minha voz soa de forma baixa e cheia de desejos, só que ainda sim eu desejo provoca-lá a me ter e falo com essa intenção enquanto caminho calmamente para a janela enquanto olho para trás passando a linguá pelo meu lábio até chegar em meu canino.

    - Talvez essa pequena olhada já tenha sido o suficiente, não? Dizem que quando se quer algo devesse agarra-lá com força, caso o contrario, ela escapa!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 30/11/2017, 20:32

    Era possível ver claramente o tesão percorrer o corpo de Lorena enquanto estar se deliciava em observar a sua ação de lamber os dedos dela, uma expressão que se intensificava diante do remover das suas roupas e parecia sair de controle quando você de costas começava a caminhar, apenas de calcinha, até a janela. Seus ouvidos conseguiam ouvir a mulher saltar da cama e pelo canto dos olhos, você a via literalmente correr até você!

    Era uma corrida comum, com passos leves que tocavam o piso de madeira do quarto e causavam estalos secos. Mas foi a força da pegada seguinte que a fez suspirar! As mãos geladas da anciã puxavam a sua cintura com veemência, fazendo teu corpo se chocar contra o dela, encaixando-o perfeitamente ali. Os seios dela se esfregavam vagarosamente pelas suas costas enquanto ela tomava a liberdade de morder o seu pescoço. Uma mordida fortíssima que fazia suas pernas tremerem! Ela era forte, muito mais forte do que aparentava! Era uma mordida sem as presas sobrenaturais, mas com todos os dentes naturais ali presentes, as mãos dela logo subiam até os seus seios e a mordida se convertia em beijos delicados que subiam rumo a tua orelha, para ali dizerem:

    -Então é melhor eu usar toda a minha força e deixar bem claro que eu te quero e não vou, em hipótese alguma, deixar que você escape, Gabrielle!

    Tomando todo o controle da situação, a mulher virava contigo na direção da cama, ainda posicionada nas suas costas. Os joelhos dela batiam contra os seus e ditavam o ritmo da caminhada, enquanto as mãos dela exploravam seus seios com fervor e intensidade. As presas dela enfim apareciam e tua musculatura inteira se enrijecia em um reflexo de sobrevivência que era logo recebido por uma lambida suave e lenta no pescoço, seguido do roçar da pontinha das presas por cima das sua pele, a mesma brincava em fingir mordidas, sabendo exatamente até onde poderia pressionar a sua pele para não causar feridas mas sim, espasmos de prazer que pareciam implorar para que aquelas presas enfim penetrassem a sua carne... Algo que não ocorria, ainda.

    -Se por acaso eu estiver fazendo demais, encontre um jeito de me avisar porque eu sinceramente não sou mais dona do meu próprio corpo, afinal, este só pede pelo seu!

    Dizia Lorena no momento em que vocês duas voltavam até a proximidade da cama, pois ali, ela a empurrava contra a própria cama com vigor. Seu corpo se chocava direto contra o colchão e quicava! Prontamente suas coxas eram seguradas com firmeza pelas mãos dela que arranhavam enquanto subiam até a sua calcinha para literalmente, rasgá-la! Nesse momento, sua besta delirava de prazer e até a essência daquele hospede indesejado demonstrava total entrega.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 531
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Miac em 30/11/2017, 21:17

    Meu sorriso apenas aumentavam ao ver as reações de Lorena, assim como sua pequena corrida até mim, o que me fazia virar completamente o rosto para a janela e fechar os olhos sentindo o vento bater em meu corpo, era a mesma sensação de reviver as lembranças de poder sentir o calor de um dia ensolarado, só que ele estava dentro de mim ,um calor acolhedor e cheio de boas energias.

    Solto um suspiro forte quando sinto que ela me pegava pela cintura e me puxava para junto dela, minhas costas se contorciam ao sentir seus seios pressionados a mim. Reviro minha cabeça em meio as mordidas dadas em meu pescoço o que me fez levar meu dedo indicador até a boca para poder morde-los com força na tentativa de abafar meu gemido. Me viro para ela ainda a morder meu dedo e aceno positivamente com a cabeça adorando as ações dela.

    " Céus ela realmente sabe onde e quando encostar em mim...tó me perdendo aqui! Está tão intenso, que não consigo pensar direito..."


    Suas mãos acariciando meus seios me fazia entrar em quase um transe, no momento que via as presas dela as minhas se mostravam da mesma forma, mas meu corpo reagia de forma a querer lutar contra aquilo, minhas mãos seguram as dela com força também em uma tentativa clara de tentar me desvencilhar daquilo, só que tudo mudava no momento que ela me lambia e o roçar de seus caninos em meu pescoço me faziam revirar os olhos e contorcer meus pés em passos falsos.

    " Somos nós duas a quem ela está agradando...eu me lembro disso! Tito e Cassandra estavam a fazer o mesmo só que de forma mais intensa, tão intensa que ali era quase notório a presença apenas de suas bestas. "

    Viro meu pescoço para o lado em total submissão e desejo para ser possuída por ela, mas meu corpo era jogado para a cama enquanto ela falava, mudo minha feição para algo como suplica em desejo por aquela mulher, no momento em que minha calcinha era arrancada solto um gemido mais bestial com as presas completamente expostas, minhas mãos puxavam os lenções com força não me importando se eles iriam rasgar ou não, meu corpo se contorcia e falo de maneira promiscua.

    - PUTA MERDA! Isso é bom de mais.

    Puxando um travesseiro qualquer que havia vindo junto com o lençol eu o coloco com força em meu rosto e solto um grito de tesão alto e que agora era abafado.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3572
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Danto em 4/12/2017, 16:18

    -Mas eu ainda nem comecei Gab!

    Respondia Lorena em um tom provocativo de voz, era a sua primeira vez com uma mulher e isso certamente a deixava tensa e ansiosa. Mas não era apenas isso, quem estava agora nas suas costas era um anciã, muito mais poderosa e experiente do que você e a sua besta parecia adorar a sensação de submissão que surgia sem que ela realmente tivesse que se impor sobre você! Seu corpo instintivamente se preparava para ser tomado pela mesma violência que havia dilacerado o último tecido que restava em seu corpo. Mas toda aquela selvageria era cortada, por um beijo carinhoso na sua nuca, Lorena apoiava as mãos no colchão ao redor do teu corpo e dizia suavemente:

    -Eu farei com que você se sinta poderosa, viva, forte e satisfeita. Não estou aqui para apenas te possuir, eu quero lhe oferecer algo inesquecível...

    A mulher fazia então uma descida enquanto beijava suas costas, as mãos dela agora firmavam na parte de trás das suas coxas e a abriam em uma ação rápido e vigorosa, contrapondo o carinho dos lábios que já não escondiam mais a presença das presas poderosas delas, que agora erram arrastadas por cima da pele da sua nádega esquerda. Em seguida os polos de força e suavidade se invertiam, as presas mordiam com força a sua coxa esquerda, em uma região extremamente intima e próxima da sua virilha enquanto a mão direita dela buscava a sua intimidade, tateando-a superficialmente em um jogo que fazia teu corpo inteiro vibrar em um tesão incomparável! Você queria que ela fosse gentil na mesma intensidade que a desejava da maneira mais vulgar e intensa possível!

    -Teu vitae é uma delicia querida, mas ainda não é a sua vez. Eu quero apenas a Gabrielle aqui, depois eu irei me atentar aos seus desejos está bem?!

    Era a voz de Lorena, que ainda estava bebendo de seu vitae! Mas como?! Sua percepção dos fatos estava difusa e seu corpo parecia totalmente fora de controle, mas a voz dela parecia ter sido direcionada a sua besta! Um acordo que era aceito sem que você participasse da negociação. Uma forte corrente elétrica era disparada dentro de ti, um orgasmo inusitado e que você só era capaz de sentir enquanto ainda era viva! Teu coração se acelerava e sua respiração vinha a tona com tudo! Ali você se sentia viva como a muitos anos não sentia. Totalmente exposta e sem sua besta pra lhe proteger, assim você se apresentava a Lorena que agora virava o teu corpo com cuidado e se posicionava entre as suas pernas, para te estimular ali com a língua e os dedos.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Primeiro Arco de Gabrielle: Ato VII - Primeiros Passos

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 24/2/2018, 13:10