WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 19/12/2017, 11:59


    Sala de Estar:
    Local: Monteriggioni,Castel Pietraio.
    Data: 17 de Abril de 2016: Duas hora antes do festival.

    Você descia as escadas com a certeza de que a sua filha a seguia de perto, só isso já seria o suficiente para lhe alegrar o coração, mas o abraço de Sebastian se mostrava muito mais amoroso do que você esperava. Era ali o primeiro abraço entre vocês dois após o reconhecimento oficial, ele não mais e nunca mais a chamaria apenas por Loretta eras a mãe do belo rapaz que entregava-se aos seus braços, ele sequer tentava lutar contra o fascínio que agora o devorava por completo. A felicidade dele era uma manifestação inspiradora! Porém ele ainda não tinha como lhe oferecer mais nenhuma resposta, além do abraço e do sorriso magnífico.

    Olympia prontamente reagia ao seu chamado, aproximando-se rapidamente para com a mão esquerda oferecer apoio as suas costas, enquanto Evangeline também fazia uma sutil ação de levantar para se direcionar à Luana, abraçando a pequena aprendiz de Pietra com carinho.

    -Eu também pensei algo similar quando vi a situação inesperada em Berlim, mas agora consigo entender que o amor não se contem em barreiras, pelo contrário... Ele as rompe por completo.

    As palavras de sua Juno eram suaves, mas traziam uma verdade poderosa especialmente por tudo que vocês haviam vivenciado juntas no começo desta mesma noite.

    Evangeline conduzia brevemente a pequenina e talentosa bailarina holandesa na direção do sofá da sala, mas a mesma fazia questão de parar e se aproximar, com toda sua diminuta estatura e um lindíssimo sorriso ela comentava:

    -Oi Loretta, peço desculpas por não ter sido capaz de segurar Bash, estava com ele quando ele recebeu uma mensagem. Mas fico bem feliz que tudo tenha dado certo e obrigada por me receber!

    Em seguida ela e Eva iam até o sofá para apenas observar a cena, Olympia mantinha-se por perto enquanto Sebastian começava a voltar do fascínio. Todavia, agora só restava a ruiva na escadaria e ela estava com uma expressão bem tranquila, seus olhos experientes lhe revelavam que por uma breve fração de segundos ela havia desviado os olhos, precisamente quando o sobrenome especial que ela carregava era dito, um sinal claro de incomodo.

    Alfonsus tomava então a jovem Valentina nos braços e olhava na sua direção com um sorriso gentil, concordando com um sinal de cabeça e retirando-se do local para atentar-se aos cuidados necessários para a fome dela.

    A ruiva, agora sozinha e diante de desconhecidos, dava um passo a frente e respirava, para enfim fazer uma reverência formal que agradava os olhos de Olympia.

    -Obrigada pela hospitalidade e sim, você está correta Signora... Sou Mirian Adelaide Berlinguer. Humildemente peço desculpas por ter adentrado seus domínios ontem sem o menor dos cuidados e sem honrar vossa presença, eu realmente nunca tinha vindo à Toscana e só tive acesso a este endereço através de Sebastian. A situação saiu de controle e minha instabilidade falou mais alto do que minha educação, perdoe-me pela indiscrição.

    Olympia suavemente murmurava em seu ouvido durante a formal apresentação da ruiva:

    -Ela recebeu a educação formal do meu clã, mas ela não parece pertencer a ele, existem traços muito emocionais na fala dessa jovem.

    Sebastian enfim começava a conseguir reagir apropriadamente e sem nenhuma cerimonia beijava a sua face com muito amor e carinho, para então olhar no seus olhos e falar apenas:

    -Obrigado Mãe!

    Legendas:
    -Olympia

    -Evangeline

    -Mirian

    -Luana
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 19/12/2017, 18:30

    Não havia mais satisfação que ver toda aquela cena se desenvolvendo da forma que eu desejava. Esperava estar fazendo uma boa demonstração para minha filha. Agora começava a ficar difícil de não focar nela, e como não precisava mais de toda atenção para outras fontes, regressava a olhar para ela com um enorme sorriso. Sorriso esse que virava um suspiro apaixonante escutando a declaração de Olympia. "Somos realmente parecidas. Estamos na mesma página no quesito de paixões agora. Com uma pequena exceção. Preciso falar logo com Letízia inclusive." Minhas palavras seguintes eram rapidamente de resposta para Luana, aquela linda bailarina que conheci brevemente em Berlim.

    - Olá Luana, espero que tenha feito boa viagem. Não se culpe ou se preocupe minha querida, na Itália resolvemos tudo com gritos e abraços mesmo.

    Dava uma curta risada enquanto levava meu foco para Mirian. Eu ficava profundamente satisfeita em saber que havia feito ela admitir o próprio sobrenome. Não que fosse certo que ela iria esconder o mesmo, mas eu não queria que essa oportunidade ocorresse. Notava também o curto desconforto dela, me deixando a pensar. Assim, sem forçar nada, a deixava relativamente exposta. O que era ótimo, pois colocava a Olympia em alerta também e os olhos daquela Arconte eram fenomenais para esse tipo de intriga em potencial, ainda mais com a ruiva sendo uma patrício em potencial.

    - Um prazer Mirian Adelaide Berlinguer, seja bem vinda a minha morada. Aproveite as festividades sem se incomodar com a falta de apresentação da noite passada. Se você se apresentou para meu filho, já está mais que bem recebida.

    Falava de forma bem educada, demonstrando que não havia jogo algum ali. Como realçando a importância de Bash na casa. Não queria deixar nenhum pingo negativo no clima local, apenas me pondo a analisar cada expressão da moça. Só que como eu desejava que ocorresse, Olympia captava algo mais forte do que eu poderia notar. Assim eu ficava intrigada e começava a pensar nas possibilidades que aquilo representava.

    - Interessante... Obrigada pela avaliação. Fico intrigada agora.

    Não tinha no entanto muitas ações para fazer agora. Aquela moça poderia ser tanto algo positivo como negativo e por hora eu só estava vendo os pontos positivos. Acreditando que Alfonsus virá a descobrir algo mais deixava a situação um pouco de lado. Me virando então para meu filho e recebendo dele todo aquele amor que ele tinha para me oferecer. Apenas me deixava ali ser tragada por ele de forma bem delicada e amorosa. Para em seguida o responder com o amor que só uma mãe tem.

    - Não há de quê seu bobinho, meu pequeno Seby. Bom, acho que tenho logo de te dar seu presente, vou apenas ter de pegá-lo para você. Afinal meu filho o merece claramente. Como também tenho de pedir para que preparem um lugar para minha futura nora fazer os vasos dela temporariamente. Me acompanha então até meu escritório e aproveite para me falar sobre aquela menina que você conheceu no aeroporto.

    Assim eu começava a conduzir a cena. Trazendo no meu braço a Olympia comigo e dando um delicado aceno para a Eva, esperando que ela conseguisse já se sentir um pouco em casa. Mas logo eu viria a falar com ela, afinal tinha assuntos importantes para ela. Assim fazia com a mão um sinal de "dez minutos" e com a boca dizia sem som "salão de entrada", falava em francês para ser mais fácil para ela pegar a palavra. Então, começava a ir para meu escritório. Esperando é claro que minha filha viesse ao meu lado para conhecê-lo um pouco.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 19/12/2017, 19:38

    Mirian silenciosamente e com bastante respeito agradecia através de uma reverência a sua fala, a jovem realmente era muito bem educada, muito mais do que os jovens atuais poderiam ser e isso era de fato algo interessante, não tão interessante quanto a fala de Olympia é claro. Aylena se mantinha por perto e suavemente se aproximava para fazer um carinho nos cabelos de Sebatian, o rapaz olhava para a jovem e sorria de maneira educada para a mesma para então, voltar o foco a você e falar.

    -Essa notícia deixara Nina muito feliz! Obrigado mãe, mas sim, vamos! E posso lhe contar tudo sobre essa jovem, ela é uma joia!

    Ele se virava então para olhar na direção de Mirian, assim como você fazia com Eva e pequenas mensagens eram trocadas pelos dois através de um inglês bem rápido e silencioso. Seus olhos acompanhavam a resposta positiva de Evangeline que concordava e então de maneira gentil ao fazer um gesto, convidando Mirian e Luana para uma conversa.

    -Venha Lena! Ou devo começar a chamá-la por irmãzinha?!

    Comentava o teu filho mais velho que claramente já entendia a situação, Olympia suavemente cruzava o braço dela contigo e seguia feliz ao seu lado. Lena respondia com bastante orgulho e felicidade.

    -Você está correto irmão, seria o mais apropriado sim!

    Bash então alegremente estendia o braço para sua irmão e juntos eles seguiam lado a lado e logo atrás de você e Olympia que conduziam o caminho até o escritório. Durante o caminho, Bash já começava a falar:

    -Giana D'Abreo é seu nome, considerei bastante quando a conheci no aeroporto em trazê-la comigo afim de torná-la minha vassala! A jovem estava a se apresentar no saguão de embarque, com nada além de um violino. Ali ela fazia uma performance incrível mãe, de tanto talento! Quando eu me aproximei e perguntei porque ela estava a tocar a resposta dela foi: Porque muitas dessas pessoas aqui estão ansiosas, nervosas, tristas ou agitadas. Assim como eu as vezes fico e a única coisa que me acalma é meu violino, se eu puder alcançar uma pessoa aqui, já estarei feliz por ter ajudado!

    Olympia comentava sorridente:

    -Mas que iniciativa louvável e doce! Porque não trouxe querido?

    Bash pensava alguns instantes e comentava em seguida com a face um pouco vermelha:

    -Estava ansioso para ir buscar Nina em Paris, minha mente estava totalmente confusa, quase desisti de embarcar mas foi ela que me inspirou. De certa forma, ela é a responsável por tudo isso que ocorreu, apenas com a música dela!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 19/12/2017, 20:45

    Notava a ação de Aylena no Sebastian de forma curiosa. "Ela arrisca alto. Lembra a mim mesma..." Só que não me mostrava surpresa e sim satisfeita. Ainda mais quando nossa caminhada começava e o braço de minha Juno me guiava. Olhava para trás apenas mais uma vez vendo aquelas três moças para trás a conversar, imaginando os possíveis temas em pauta. Porém meu foco logo mudava para Bash e Lena a conversar de forma tão descontraída. Como se um já aceitasse a existência do outro.

    Caminhava de forma pensativa. Imaginando como seria fisicamente a tal da Giana. "Será que será amor a primeira vista como com a Lena? Será que conquistarei com o tempo? Será que dará certo?" Eram muitas dúvidas e algumas respostas pareciam me assustar. Então eu decidia deixar a curiosidade um pouco de lado, focando no agora. Mas claro que antes, comentando com meu filho sobre minha vontade de conhecê-la.

    - Uma jovem dedicada unicamente para a arte. E violino é tão lindo. Era exatamente o que eu queria e esperava de você. Tome seu tempo para apresentá-la para mim, mas não me faça esperar muito. Seria maldade isso.

    Sorria para ele depois de deixar claro minha leve ansiosidade. Me focando em seguida na caminhada novamente, até depois das escadas abrir a porta de madeira maciça do escritório. O lugar estava como eu havia deixado, adorava apreciar aquele cômodo. Me lembrava no entanto do pequeno episódio de dois dias atrás onde quebrei a mesa numa crise de raiva. Incrivelmente Andrea a substituiu com maestria. "E pensar o quanto mudou de lá para cá. Apenas dois dias..." Com minhas mãos fazia um gesto para todos ali se sentirem a vontade lá dentro.

    - Pronto cá estamos. Aylena, tome a liberdade para fuxicar todos os cantos desse lugar, é meu escritório e possui todos meus documentos acerca de minhas contas e da minha empresa. Na minha mesa central terá documentos detalhados explicando tudo que precisa saber sobre essa sala. Se guie por sua intuição e me surpreenda amanhã.

    Minha fala era primeiramente para Aylena. Jovem a qual eu olhava com muito orgulho e confiança. Esperando dela só coisas fantásticas e mais uma vez me mostrando vulnerável à mesma caso ela decidisse tirar proveito de mim. Não seria assim para sempre, mas era necessário construir confiança. Meu foco seguinte era pegar o celular na mesa e mandar uma curta mensagem para Andrea pedindo que em regime de urgência achasse a melhor argila na região e montasse um ponto artístico para a jovem Tina. Provavelmente no saguão na frente do estábulo que momentaneamente deveria estar vazio. Enquanto escrevia, olhava para Oly e acariciava o braço dela.

    - E Oly, aproveite também desse lugar. É seu tanto quanto meu. Suas moças vão precisar de uma gerência bem elaborada para poderem se manter focadas vivendo aqui conosco inclusive. Esse lugar é o pivô para construir a infraestrutura que elas precisarão.

    Depositava um beijo amoroso em seus lábios. Já sonhando com nosso futuro casadas ali. Em conhecer cada uma das meninas dela. Não havia nada que me deixasse mais feliz naquele instante. Foi com essa felicidade que me movimentei até uma gaveta para pegar um singela chave de prata e ir até meu filho para a entregá-la e começar a falar em uma voz melosa com um profundo sentimento de amor envolvido.

    - Qunato a você, meu filho. Tome essa chave, mas não vou ser má e te deixar em dúvidas. É a chave da propriedade de Villa Montecastello. Fica do outro lado dos meus campos e comprei tem alguns meses. A casa está sem moradores tem algumas décadas, mas uma governanta mantém o lugar funcionando na capacidade mínima. Possui o mesmo espaço que a minha casa, só que sem nenhuma decoração ainda. Imagino que é o melhor lugar possível para você montar seu domínio nesta terra. O que me dizes?

    Imagens de Referência:
    Escritório:

    Chave:

    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 21/12/2017, 21:35

    De braços dados a irmã mais nova, Bash exibia um pequenino sorriso com os lábios e concordava ao afirmar:

    -Claro mãe, não se preocupe eu não vou fazê-la esperar muito! Até porque eu também tenho medo de perder o contato com ela, já inclusive pedi para Annalisa entrar em contato com ela para podermos trazê-la aqui o mais rápido possível!

    Assim vocês quatro seguiam a uma caminhada tranquila até o escritório, Lena abria um maravilhoso sorriso ao ver o interior do local e suavemente desprendia-se do irmão e ouvia as suas palavras enquanto já andava pelo ambiente, analisando o posicionamento dos móveis e mais especificamente, ela parecia desenhar o ambiente inteiro dentro da mente, analiticamente como Alfonsus fazia.

    -Obrigada mãe! Deixa comigo vou olhar tudinho aqui! Farei você ficar orgulhosa de mim, pode ter certeza disso!

    Comentava a jovem que já ia rapidamente encontrando seu caderno de finanças de maneira inteiramente intuitiva, demonstrando uma sintonia enorme com a sua arrumação mais pessoal e intima. Por outro lado, assim que você mencionava o nome de sua Juno, a mesma beijava a sua face e olhava com amor na sua direção, sem conseguir ainda parar de sorrir. O sorriso só sumia para que os lindos lábios volumosos dela formassem um beijo para receberem os teus com bastante amor.

    -Obrigada por pensar em minhas meninas, minha princesa! Provavelmente precisaremos de mais alguns computadores aqui ou...

    Lena apontava para a parede lateral, especificamente para três pontos e afirmava:

    -Ampliar a rede e os pontos de acesso para que mais computadores possam funcionar independentemente e sem riscos.

    Olympia se surpreendia com sua filha e balançava a cabeça positivamente. Em seguida ela ia até Lena, para observá-la de mais perto. E foi nesse breve distanciamento entre vocês que a sua ação junto da chave e o presentar de Bash ocorriam. A reação do rapaz era magnífica e genuína, como ele sempre fora:

    -E eu ainda gritei contigo hoje... Mãe, me desculpe! E obrigado, muito obrigado! Já estava a maquinar aqui em minha mente como iria dizer a você que pretendia comprar uma casa na região e você me prepara essa linda surpresa! Enfim eu terei meu domínio na terra que me acolheu e tudo me proveu!

    O rapaz não pegava de imediato a chave, afinal ele tinha uma prioridade: Lhe abraçar e beijar a sua face com ternura e todo o amor que possuía por ti e você sempre soube que não era pouco.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 21/12/2017, 23:32

    As primeiras palavras de Sebastian me deixavam de leve um pouco chateada. Nada que fosse perceptível facilmente, só que minha ansiedade em ver aquela jovem estava gritante. Seria uma forma totalmente nova de amor, um outro estilo de filha. A emoção se mostrava enorme, como o medo de nada dar tão certo quanto deu com a minha Lena. Era uma mistura de ansiedade, receio e muita emoção.

    - Claro! Tome seu tempo!

    Mesmo em um pequeno desespero interno me mostrava bastante educada ali. Para então poder ver o que eu esperava ver da minha querida filha. Sabia que podia confiar nela, mesmo a conhecendo tão pouco, eu simplesmente sabia. Deixava assim ela tomar o controle dos meus documentos e ficava apenas observando em um delicioso silêncio que só era quebrado pelos beijos da minha Juno. "Alguém já começou fazendo pontos no jogo dos beijos." Por um curto segundo fazia um sorriso lascivo me lembrando de nosso jogo, mas logo levava minha voz para um tom apaixonante enquanto respondia a fala dela.

    - Nossas meninas agora... Vou precisar de um bom tempo para ficar só com você e elas.

    Havia em mim essa clara e forte vontade de conhecer tudo que possível sobre a mulher mais importante de meu coração. Da mesma forma que ela se misturou com minha família na noite passada, quero fazer o mesmo agora. Conhecer cada moça, saber os sonhos, medos e qualidades de cada uma. Amá-las como parte de minha família. Era difícil esconder o sorriso por imaginar essas cenas. Foi com esse sorriso que presenteei meu filho com aquela chave. Para então mergulhar naquele abraço e poder me sentir morna e rejuvenescida. Então com uma voz animada o respondia.

    - Faz bem gritar, mostra que de inglês você só tem sua origem e nada mais. Você é filho desta terra e de mim e isto é o suficiente para me deixar feliz. Agora vamos aproveitar um pouco dos nossos convidados e quando quiser, pode ir bisbilhotar seu presentinho, filho.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 22/12/2017, 02:42

    Lena tomava a liberdade de sentar em sua cadeira, sorridente a jovem ajustava a cadeira para a altura dela que era inferior a sua começava a literalmente, abrir as gavetas começar a organizar alguns pequenos arranjos de canetas, documentos e informações. A ação dela era inicialmente observada por Olympia, mas não por todo o tempo, já que a sua fala fazia os olhos dela procurarem os teus.

    -Nossas meninas... Ainda parece um pouco de sonho sabe querida?! Um sonho maravilhoso! E não se preocupe teremos todo o tempo do mundo, todo tempo!

    Ela dizia feliz enquanto se movia na sua direção e na de Bash e propositalmente também participar do abraço, envolvendo vocês dois com força. Você se pronunciava ainda dentro daquele amoroso abraço familiar e quando o mesmo chegava a seu fim, Sebasitan olhava no fundo dos seus olhos e dizia:

    -Eu a farei orgulhosa mãe, depois de tantos anos eu finalmente sinto que minha hora chegou. Essa é a minha terra, essa é a minha família e eu moverei o céu e a terra para fazer o certo diante de todos os erros que cometi. Mas antes...

    Ele se virava para Olympia e olhava para a ela com muito carinho e ousava dar um passo na direção da linda jovem e beijar-lhe a face. Olympia não só permitia como sorria feliz e ameaçava uma fala, mas era Bash que se mostrava mais rápido ao falar:

    -Bem vinda a família Olympia, muito obrigado por fazer minha mãe poder sorrir assim, você realizou um dos meus maiores sonhos. A fez feliz. Tens minha eterna gratidão e agora, sem mais formalidades não é mesmo?! Vou poder abraçá-la e apertá-la sempre que quiser!

    Ele terminava a fala e puxava Olympia para um abraço. A sua Juno correspondia com ternura e ao terminar o abraço, apertava as bochechas de Bash e falava:

    -Você está certíssimo fofo, somos família agora Bash eu vou adorar esses carinhos e já vou adiantando logo! Se não me presentear com um lindo poema até o final desta noite, lhe boto de castigo!

    O rapaz ria e beijava as duas bochechas de Olympia e afirmava:

    -Isso não será nenhum problema! Será uma felicidade enorme!

    E assim, enfim Bash pegava a chave e a guardava no bolso da calça. Para ir até Lena e beijar o topo da cabeça da mesma e espiar o que ela estava fazendo, havia entre os dois uma amizade já consolidada que naturalmente evoluía sem precisar de maiores estímulos.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 27/12/2017, 15:02

    Minha primeira reação era apreciar as ações de minha Lena. "Alfonsus, como você conseguiu acertar tão perfeitamente? Será que eu também acertei assim contigo?" Não conseguia esconder minha satisfação. Estava curiosa sobre o que ela iria descobrir naquela mesa. Afinal meus netos haviam acabado de comprar um equipamento perigoso e eu não cancelei a compra. Também tem os documentos de minha empresa se enraizando dês dos tempos que fora uma das primeiras guildas livres de Florença e todas as atas das reuniões das guildas até os dias de hoje. A papelada sobre a recém compra da casa do meu filho também estava logo ali. Como a receita do meu vinho Rosé. Tantas informações, tantos segredos. Nada escondido dos olhos dela. O incrível é eu não sentir um pingo de medo com minha exposição. O que eu sentia era forte e sequer conseguia deixar sem sussurrar.

    - Já estou orgulhosa...

    A minha atenção então ficava focada em minha Olympia, meu querido amor. Após o abraço que recebia dela junto de meu filho, não escondia um beijo de afeto na face dela  enquanto um arrepio quente me conquistava. Morrendo de felicidade de poder fazer esse ato privado na frente de meu filho, sem vergonha alguma e ainda com a aprovação dele. Deixava então na mente dela uma singela mensagem, enquanto minha face ia ficando avermelhada.

    Mensagem para Olympia:
    Minha Juno... Lena será minha filha, mas mais que isso, será nossa filha. Espero que ela te deixe tão feliz quando já está me deixando. E se você quiser fazer mais parte desse vínculo entre eu e ela, seria ideal se a alimentasse nesses próximos dias antes de eu abraçá-la. Assim o elo dela seria com nós duas para sempre. Seria maravilhoso, não achas?

    Esperava uma reação facil de meu amor, para só depois de sorrir delicadamente mudar o foco. Assim, rapidamente meus olhos caíam nas palavras de Sebastian e eu balançava minha cabeça em negativa com um de seus comentários. Para então, com uma voz maternal super protetora, logo comentar.

    - Fico feliz de escutar sua determinação. Mas deixe de ser bobo filho. Você nunca errou, o mundo que errou contigo, sempre foi meu perfeitinho pequenino principezinho.

    Não havia um pingo de deboxe na minha voz, mesmo que leigos em me conhecer achasse o contrário. Era um amor tão forte que não conseguia conter e me fazia soltar as palavras mais doces que possuía. Me recusava também em deixar meu Bash se culpando por toda sua dor. Chega desse passado doloroso. Assim eu podia ver em seguida Olympia tomando conta da situação. Se mostrando ser também uma presença materna em potencial e aquilo me alegrava muito. Como o fato dele já aceitá-la assim. Enquanto eles conversavam levava minha mão aos cabelos de minha Juno para acariciá-los de leve esperando minha deixa.

    - Isso mesmo! Somos uma linda e bela família. Agora Seby, cuide bem de sua linda nova madrasta. Vocês precisam politicar um pouco com meus convidados. Também tenho alguns encontros marcados e a hora já está correndo. Preciso correr se eu quiser passar mais tempo com vocês relaxadamente pelo resto da noite.

    Assim eu via que era hora de prosseguir minhas ações. Tinha outras pessoas para encontrar, com Letízia encabeçando a lista. Porém antes precisava conversar com Eva a sós. Não era uma conversa que eu realmente queria ter, mas eu precisava e confiava que a minha Luz me faria ter forças para falar tudo que eu precisava sem ser mais doloroso do que o esperado. Mas antes de fazer qualquer gesto para sair dali, me focava um minha filha. Para não esconder meu sorriso de aprovação sobre a forma dela tomar o espaço para ela. Ali eu demonstrava o quão feliz eu estava com ela, não precisava de nenhuma palavra. Apenas um sorriso e um piscar de olhos para deixar claro o quão especial era aquilo tudo para mim.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 29/12/2017, 15:09

    A sua filha não necessariamente olhava na sua direção, apesar de você sentir que ela estava a prestar atenção em seus movimentos, no entanto, os olhos dela estavam muito mais interessados em vasculhar os documentos e organizar algumas coisas que ela certamente usaria no futuro próximo, Olympia olha surpresa na sua direção, paralisando por alguns instantes com um sorriso maravilhoso na face.

    -Eu irei cuidar muito bem dela mãe! E não se preocupe, nós iremos sim...

    A fala de Sebastian era interrompida pela ação mais impulsiva de Olympia. A sua lindíssima Juno puxava a sua face sem nenhuma vergonha ou preocupação para beijar seus lábios de maneira apaixonada, um longo beijo que atraia a atenção de seus filhos que observavam encantados e curiosos. No fim deste, Olympia olhava no fundo dos seus olhos e dizia:

    -Eu não poderia deixá-la ir sem uma resposta apropriada. Será maravilhoso querida, simplesmente maravilhoso!

    De maneira bem intrometida, Lena questionava curiosa:

    -O que será maravilhoso?

    Bash olhava para a moça, segurando o riso por causa da forma mais bruta que ela usava para questionar Olympia. A patricio então virava para Aylena e afirmava feliz:

    -Enquanto a noite do teu abraço não chega querida, eu irei alimentá-la e assim quando for abraçada por Lotta será como a nossa filha. Não é maravilhoso?

    Sebastian concordava mesmo que a pergunta não fosse para ele enquanto suavemente buscava a sua mão esquerda, para fazer um carinho bem gentil na mesma. Lena então saia da cadeira para correr na direção de Olympia e abraçá-la.

    -Você tem razão! Então, também chamarei você de mãe!

    Era possível ver o quanto aquele abraço parecia purificar e aliviar Olympia que realmente tinha que se esforçar para não derramar algumas lágrimas.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 2/1/2018, 20:18

    Meus olhos estavam focados em meu filho, me fazendo ser totalmente pega desprevenida pelo beijo do meu amor. Só que meu corpo automaticamente reagia a abraçando com força com minhas mãos correndo pelo corpo dela. Quando eu sentia o beijo mais intenso minhas mãos desciam até as nádegas dela e imediatamente paravam quando eu me tocava quem era a plateia. Ali eu ficava totalmente vermelha como um tomate maduro e ficava meio estática apenas deixando a Olympia agir em meu corpo. Quando ela finalmente terminava eu apenas conseguia falar poucas palavras em voz baixa, ainda morrendo de vergonha.

    - Uau Juno... Adorei!

    Com a Lena mudando o assunto eu sentia um alívio após meu curto descontrole na frente de meus filhos. "Eu costumava ser certinha. Isso ficará no passado de agora em diante? Não importa... Eu estou tão feliz..." Mesmo em meus próprios pensamentos eu não perdia o foco da conversa e sorria como Bash ao notar a forma intrometida da Lena falar. Ficava ainda mais feliz com a resposta de Olympia, notando dela a total aprovação daquela ação que era bem distinta do meu modo de agir. Afinal eu estava acostumada a falar sempre com palavras escondidas e eu tinha de me acostumar a não guardar nenhum segredo, por mais bobo que fosse de meus filhos.

    - Minha linda filha! Vou ter de acostumar a não ficar falando por debaixo dos panos próximo de ti. Mal habito meu de Florença. Um dia te leciono tudo sobre a cidade. Mas por hora, chega de falar do futuro, vem cá vocês duas.

    Enquanto eu falava as duas se prendiam em um lindo e maravilhoso abraço que faziam meus olhos brilharem. Assim eu não me continha e ia para perto para puxar as duas para meus braços e senti-las ali comigo.Claro que não deixava o meu filho sozinho e olhava na direção dele o convidando para se juntar. Para assim fazer um longo suspiro enquanto me relaxava naquela maravilhosa sensação de possuir uma maravilhosa família. Estava chegando a hora de eu começar a agir naquela noite, mas tinha ainda um último minuto para eu aproveitar daquela cena. Para só então eu ir para o andar debaixo da casa, só que o agora que importa e ali eu comentava pelo meio de meu suspiro seguinte.

    - Minha linda e maravilhosa família...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 5/1/2018, 17:44

    Olympia se entregava totalmente durante o beijo, não era apenas você que esquecia da pequenina plateia que as cercavam nesse momento e assim que a sua fala ocorria ela abria os olhos negros dela e exibia uma expressão de puríssima vergonha, afinal, ela não havia demonstrado nenhuma resistência a sua mão, pelo contrário! Lena parecia um pouquinho envergonhada também, mas ela não resistia ao seu convite e corria para participar do abraço, mas Bash reagia de maneira diferente.

    O rapaz que havia compartilhado contigo muito mais do que a grande maioria dos membros da sua casa e que era a séculos uma presença constante e fundamental em sua vida parava por alguns segundos, sorrindo em um puríssimo encantamento pela cena e por fim, ele se aproximava para abrir bastante os braços e envolver vocês todas em um abraço apertado e falar:

    -Obrigado por serem essas magníficas flores que decoram e abrilhantam meu jardim. Minha eterna rosa moscada, minha mãe e grande inspiração. Minha queridíssima violeta branca, grande amiga e nova sogrinha amada e por fim, a mais frondosa e bela orquídea, minha irmãzinha!

    Bash era quem controlava a duração do abraço e só as soltava quando assim desejava, liberando-as do abraço para que então vocês pudessem todas obterem mais um pouquinho de espaço. Bash no entanto fazia um curto sinal, pedindo para Oly ficasse ali e assim vocês duas se despediam brevemente, apenas com um amoroso olhar.

    Então, sozinha mas nunca mais solitária, você caminhava sorridente e distraída pelos corredores da sua própria mansão, indo novamente na direção do grande salão decorado por sua filha, até ser literalmente atacada por uma força que a desequilibrava e agarrava com intensidade! Sua besta quase rugia de tão grande que havia sido o susto, porém, o perfume lhe era familiar e ao mesmo tempo, nostálgico.

    -Achei uma rosa distraída a saltitar pelos corredores da minha casa, como poderia eu ficar sem agarrá-la e aproveitar de seu maravilhoso perfume?

    Era uma voz que lhe fazia tremer de alegria, uma voz da sua família e que pertencia a alguém que você não via a algum tempo. Era Fiore! A própria! Radiante como uma filha de Alfonsus agora e linda como sempre fora.

    Fiore:

    Roupas Fiore:
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 6/1/2018, 21:40

    Meus olhos brilhavam mais uma vez com as palavras de Bash. "Minha família... E ela só vai crescer e crescer!" Aquele abraço me deixava revigorada e cheia de energia para todo o resto da noite. Eu não iria parar por um segundo sequer. Afinal aquilo que me dava força esta mais forte do que nunca. A emoção é tanta que esticava minha coluna enquanto ia lentamente saindo do abraço, me encaminhando para a porte, mas sem antes distribuir beijos no ar para cada um ali presente. Claramente agora o que mais me deixava feliz eram as últimas palavras de Bash, um delicioso calafrio me tomava me fazendo esticar mais uma vez a coluna antes de me despedir.

    - Seu jardim é tão lindo filho... Acho melhor eu ir indo ou irei ficar toda chorosa aqui. Um beijo meus amores!

    Assim, em um suspiro de profundo amor eu me virava e saía do aposento. Começando a andar pela mansão. Cada lembrança daquele começo de noite podia me tragar por anos a vir ainda. O que me deixava não só avoada com meus próximos passos, como me deixava sem perceber de forma alguma a presença de Fiore. No meio do abraço eu levava um enorme susto que só mudava o tom quando sentia o cheiro dos cabelos de minha amada descendente. Não conseguia segurar um pequeno risinho de alegria que fazia minha besta se calar totalmente.

    - Fiore! Minha Fiore! Como eu sinto falta da minha linda e pequena rosinha! Você está tão linda! E ainda me da calafrios maravilhoso de te imaginar com esses dentinhos. Pode também me dizer se o Alfie está te tratando bem, sei que sempre pergunto e sei que ele sempre te trata bem, mas você é minha protegida querida!

    Segurava as mãos dela enquanto falava. Minha fala vinha rápido como sempre era quando me encontrava com ela. era uma mistura de nostalgia com emoção. Quase apertava seus dedos dado minha animação. Para em seguida a dar mais um apertado abraço, este bem longo e delicado. Acariciando o cabelo dela, para depois me afastar lentamente. Mas voltando a segurar as mãos dela. Então a olhava de cima a baixo e sorria prosseguindo com minha animada fala.

    - Ai Fi... Tanta saudade de você. E vejo que seu bom gosto continua! Adorei suas roupas, como também suas lindas botas!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 10/1/2018, 18:08

    -Vamos cuidar logo dessa curiosidade!

    Respondia Fiore, mostrando bem os lábios e em seguida abrindo-os para exibir as presas bem notórias ali presentes, não era tão pequenas quanto você imaginava, na realidade pareciam réplicas das suas! A jovem então ria baixinho e ia soltando do abraço para conseguir parar na sua frente e entrelaçar os dedos delas com os teus.

    -A resposta é sempre a mesma Titta! Alfie é o meu Pai, ele é forte, justo, tem uma mão pesada e é meu norte, meu porto, meu chão e meu maior professor. Eu o amo e ele me trata super bem, como uma filha de verdade, é como se eu o conhecesse des de sempre, sabe? Ah, claro que você sabe!

    Fiore então notava o seu olhar pelo corpo dela e soltava suas mãos para apoiar as mãos dela na cintura, exibindo-se ao seu olhar como sempre fazia e ria diante dos elogios.

    -As botinhas são lindas né? Mas meus pezinhos tão apertadinhos aqui... Será que você poderia ajudar eles a respirar um pouquinho?! Só um pouquinho Titta!

    Pedia Fiore com uma voz manhosa, fazendo um enorme chame para conseguir o que realmente queria.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 12/1/2018, 15:03

    Já havia visto as presas dela antes. Mas era algo que sempre me animava ver, pois eram lindas e traziam um forte significado. Após viver tantos anos no ciclo da vida de minha família, vendo lindas pessoas nascendo e sendo enterradas, poder sentir que a uma eu pude dar algo a mais é uma sensação especial. "Ela fez por merecer assim que cativou meu coração. Como Giorgina fez." Assim eu sorria me perdendo em pensamentos fortes.

    "Eu paguei caro por quebrar a roda natural da vida uma vez no passado, só que dessa vez apenas me sinto mais e mais incentivada em fazer de novo. Afinal terei uma linda filha e se o Seby se apressar logo, duas filhas. Só que eu não posso esquecer os erros do meu passado, existe sabedoria na preservação do círculo que a Linha de Ossos crê. Eu escuto com atenção as palavras de Plínio. Preciso ler o livro dele quando eu puder. Como crescer minha família imortal sem trazer distúrbios para o equilíbrio que eu criei? Existe uma resposta? Algum Capaddócio ou Giovanni já respondeu essa pergunta antes?"

    Meus olhos rapidamente voltava a focar nos olhos de minha linda descendente, praticamente minha filha. Só não a chamaria de filha por sempre sentir uma atração extra por ela. Varias oportunidades no passado que quase me arrisquei, mas sempre faltando a coragem para tal e terminando naqueles pequenos joguinhos com uvas para saciar meus desejos. Mas agora eu estava era focada na beleza e na alegria daquela jovem. Me fazia sentir que tudo valeu a pena no final. A respondia então de forma animada, revelando também um profundo orgulho junto de minhas presas.

    - Tão linda Fi! Você puxou a família, parece eu olhando num espelho!

    Não me contia em dar um beijo na bochecha dela no meio da na minha animação. "Alfie merece um presentinho pela filha que ele me deu e pela filha que ele cuidou tão bem. Que tipo de presentinho ele vai gostar? Eva disse que ele gostaria de me jogar contra a parede, colocar de quatro e pegá-la por trás... Ai que vergonha... Mas acho que eu poderia gostar... Ficava por um segundo com o rosto um pouco rosado, mas logo focava novamente na minha Fiore com o mais belo dos sorrisos a respondendo em tom delicado.

    - Que bom que o Alfie está cuidando bem de você, ou ele ia apanhar bastante! Bem... Fico tão feliz em poder lhe ver assim tão viva! Acho que se ele recusasse lhe abraçar você seria minha filha agora, pois eu não poderia viver sem esse seu lindo rosto. Falando nisso eu tenho duas noticias bem importante para te contar...

    Antes de eu a falar sobre minhas novidades a voz manhosa dela me tragava para um suspiro empático. Fazendo um som tipo "ownnn" e não conseguia esconder mais tom avermelhado de minha pele facial. Pois eu entendia o que ela estava pedindo e eu me aproximava já olhando para uma poltrona próxima. Mas logo um rápido pensamento vinha em minha mente. "Nós nunca agimos assim como eu estou pensando agora! Será que... Eva!" Levava um pequeno susto que escondia com minha face vermelha como tomate e uma voz hesitante no meio do meu sorriso doce que tentava esconder meu desejo.

    - Fi... Elas tão bem apertadas mesmo. Mas eu amassei todas as uvas maduras ontem. Acho que a gente não poderia brincar...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 15/1/2018, 16:04

    -Eu ouvi de uma linda moça de cabelos negros e olhos azuis que, tudo ocorre por que assim deve ser. Meu Pai poderia ter sido o teu, eu poderia ter sido a sua filha, mas nada disso nos impediu de nos tornarmos uma família não é mesmo?!

    Comentava Fiore com um largo sorriso na face após receber beijo na bochecha, em seguida a linda jovem não deixava de sorrir diante da vermelhidão da sua face e a puxava para um abraço carinhoso. Ali ela então tomava as suas mãos e dizia contente:

    -Poxa... Assim não tem graça! Já sei, agente faz de conta! Vem!

    Tomada por uma alegria que havia surgido nela após o abraço, a linda rosa de Alfonsus literalmente lhe puxava pelas mãos até o banheiro mais próximo, adentrando o mesmo e fechando a porta para rir baixinho e correr na direção da pia, saltando para sentar-se sobre esta, ela balançava os pés. Exatamente como fazia após uma longa noite de amassar de uvas.

    -Nossa! Eu sempre fico tão cansada com isso Titta, você faria a gentileza de ver se meus pés estão bem? Acho que o esquerdo tá um pouco dolorido sabe?!

    Ela esticava primeiro o pé direito, mas fazia questão de mover aquelas lindas botas. A moça fazia uma cena perfeita que realmente trazia a sua memórias vários encontros assim, claro que em outros ambientes e situações, mas havia um realismo interessante naquela brincadeira inesperada.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 26/1/2018, 00:52

    A primeira fala dela me fazia suspirar alegre. Rapidamente concordava com a cabeça relembrando como nossa família está agora com mais vida do que nunca antes foi, mesmo com todos os pesares que sofrera. Não importando o numero de traumas, no fim o amor e a união familiar prevaleceu. "Queria que você estivesse aqui para presenciar seu maior sonho, meu Pequeno Grande Príncipe." Ainda com um sorriso na face eu prontamente respondia ao comentário de minha amada Floriana.

    - Claro que é. Essa tal moça tinha muita razão. Ontem eu pude ver como o mundo ao meu redor se tornou um palco para a felicidade de nossa família. Estou feliz por todos nós.

    Minha fala terminava em um profundo tom poético enquanto ficava a apreciar todos aqueles pequenos momentos. Só que Fiore não me dava muito tempo para isso, afinal ela rapidamente me deixava toda vermelha. Imediatamente me tocava que a Eva deveria estar metida na história e isso só me deixava mais envergonhada ainda, no entanto feliz também. No meio daquela confusão e me contendo, eu apenas respondia a ela em voz baixa me permitindo ser conduzida. Minha voz chegava em tom confuso, mas rapidamente eu confirmava o que achava que estava a ocorrer. Me deixando muito ansiosa, receosa e alegre.

    - Faz de conta?

    Dava passadas rápidas para não perder o ritmo da adorável filha de meu amado Alfie. Mas assim que entrávamos no banheiro sentia meu estômago esfriar como se estivesse mais uma vez com borboletas ali dentro. Um sentimento familiar que eu tivera diversas vezes na noite passada inclusive. Um estranho e ao mesmo tempo fantástico sentimento. Ali eu me permitia a observar o pequeno teatro da minha escolhida. Não conseguia, mesmo com toda a vergonha, esconder meu alegre sorriso em ver aquela pequena encenação ocorrendo. O realismo dela ia lentamente abaixando minha guarda enquanto me aproximava dela com a intenção de tirar suas botas.

    - Claro... Claro Fi. Deve estar bem dolorida. Acho que uns beijos não seriam de todo mal...

    Ainda havia uma breve hesitação em minha fala, mesmo com eu tentando participar da encenação. Mas eu já havia quebrado grandes barreiras e estava agora apenas sentindo a mesma hesitação que sempre tivera no passado com a própria Fiore. Afinal eu nunca havia feito com ela o que eu almejava na época. Só que agora não havia mais nenhuma amarra e então eu prontamente tirava as duas botas dela. Quase que ao mesmo tempo, para poder segurar cada tornozelo dela com uma de minhas mãos, trazendo os pés para próximo de mim. Ali eu os observava por um instante, não me permitindo deixar de contemplar cada parte deles, só que no final colocava meus olhos contra os olhos de Floriana. Apenas esperando as palavras dela, pois de certa forma eu estava agora congelada.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 29/1/2018, 14:51

    Nas suas duas mãos agora estavam os pés de Floriana, um par de pés bem brancos e acostumados com muitas atividades de força como a dança e o amassar de uvas. Onde o segundo dedo tinha quase que literalmente o mesmo tamanho do dedão, isso se não fosse um pouquinho maior e cujos dedos eram todos bem finos e longos, afinal, ela sempre tivera de comprar números maiores do que o esperado para o tamanho dela de sapatos. A jovem sorria bem feliz, mas logo voltava para o personagem que estava encenando e fazia essa mudança com muita naturalidade e agilidade, inclusive, a mesma abria a torneira para pegar um pouco de água e jogar sobre a testa para simular um pouquinho de suor.

    -Nossa, as vezes eu fico até com inveja de você sabe? Afinal, suas pernas são bem fortes por causa da sua situação e eu aqui com minhas perninhas finas tentando lhe acompanhar! As laterais estão bem doloridas, acho que pisei meio em falso, porque não começar com os beijos por ali Titta?! E eu ficaria bem grata se os massageasse um pouquinho também enquanto eu retomo meu folego antes de voltarmos pra casa....

    A jovem mais uma vez saia do papel apenas para piscar na sua direção, claramente cedendo-lhe a permissão e confirmando que estava tudo bem. Em seguida ela se jogava mais ainda para trás e encostava as costas na pia, as mãos se firmavam na beirada da mesma, a jovem parecia se equilibrar de maneira bem perigosa, exatamente como ela fazia durante os tempo de respiro e descanso entre as danças sobre as uvas.

    -Nossa eu estava com tanta saudade de poder fazer isso contigo! As uvas lá na Alemanha ou são importadas ou são simplesmente horríveis! Uma vez eu fiquei com saudades e resolvi ver como era feita a bebida local, cruzes, como eu odeio cerveja!

    Comentava a jovem que passava agora a misturar a brincadeira de ir ao passado junto contigo com um assunto mais moderno, ela estava a desafiar a sua percepção, afinal, os dedos dos pés dela se movimentavam em um claro convite enquanto a mesma se comunicava com uma naturalidade cativante e alegre.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 30/1/2018, 14:20

    Minha vergonha era um pequeno obstáculo. Já havia a derrubado inúmeras vezes dês da noite passada. Porém a Fiore me trazia uma antiga nostalgia que vinha com a maior de minhas travas consequentes de minha vergonha. Por muito pouco que a Floriana não se tornou minha companheira. Com poucos empurrões e o mundo agora seria totalmente diferente, mas o mundo que eu atualmente vivo é tão belo que não fica para trás nenhum arrependimento. Logo posso apenas aproveitar aquilo que no passado não tive. Meus desejos ficavam mais fortes que aqueles receios antigos e então me ajoelhava por completo na frente da pia. Fazia um olhar um pouco maroto com o começo de minha fala.

    - Minhas pernas podem até serem mais fortes, mas quando começam a doer, nada sacia a dormência...

    Piscava de leve os olhos encarando minha Fi. Só que logo depois observava apenas e unicamente os pés dela. Analisando cada dedo e matando a saudade daquela visão. Sentia um enorme calor dentro de mim e minhas presas saíam boca a fora sem eu sequer perceber. De leve ia escutando as palavras de minha amada Floriana enquanto me segurava para não agir numa tacada só. Tinha de participar do joguinho que ela tinha proposto e isso me deixava com meus desejos mais ainda na flor da pele. Minha voz tremia em puro tesão enquanto falava a um pouco menos de um palmo de distância dos pés dela.

    - As laterais então... Tadinha, ainda teve de fazer uma longa viajem também... Sem falar que teve de tomar cerveja, que terror, tadinha... Espero que volte para Berlim com um bom estoque do meu vinho dessa vez. Mas vamos resolver essa dor agora...

    Inicialmente aproximava meu nariz para sentir o aroma do pé dela pela primeira vez sem o cheiro de uvas. Então, não tinha mais como me conter. Sentia apenas minha língua correndo pela sola esquerda dela de baixo para cima explorando toda a superfície. Para completar com inúmeros e bastante umedecidos beijos na lateral dolorida de seu pé. Minhas mãos ficavam massageando ambos os pés enquanto meu movimento revesava entre beijos e lambidas. Para ir rapidamente perdendo ainda mais meu controle e esfregando minha face inteira ali e me lambuzando de leve.

    Eu repetia em seguida o mesmo processo no outro pé.Só que agora minha outra mão não massageava mais o pé livre dela, pois meus dedos iam de encontro com minha intimidade. Eu só me tocava que estava a me masturbar após mais de um minuto realizando a ação. Olhava então nos olhos de Fiore com um olhar lascivo e sem nenhuma vergonha mais. Assim finalmente ia para o dedão direito dela e crava minhas presas ali.

    Enfiava todo o dedo dela na minha boca e chupava seu sangue sem nenhum puder. Começava a ficar esbaforida no meio de uma explosão de adrenalina e desejo intenso. Me fazendo ir de encontro com cada dedo acelerando minha velocidade acima dos padrões razoáveis de um humano. Corria por cada dedo de ambos os pés os chupando e mordendo com minha mão ainda livre a massageá-los. O ritmo ia só crescendo e crescendo até sentir minhas pernas a tremeres e um líquido escorrer pelos meus dedos após um longo gemido vindo de mim. Ali eu finalmente parava e olhava para Floriana novamente de forma esbaforida.

    - Ai Fi... Você não tem ideia de como eu queria isso... Após tantos anos... To toda vermelha de vergonha agora né?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 31/1/2018, 00:20

    -Cerveja é muito ruim Titta! Não sei como conseguem gostar daquela coisa amarga!

    Protestava Fiore com uma expressão de real desgosto pela bebida de cevada produzida pelos germânicos e que de fato fazia bastante sucesso a muitos séculos afinco entre os mortais. Todavia, vocês duas sabiam que não era sobre bebidas alcoólicas aquele encontro, a própria Fiore acabava por sair do papel quando a cena ficava de fato mais quente, as presas dela se revelavam quando as suas também o fazia e a jovem respirava bem fundo com o passar das suas ações, até chegando a perder um pouco do equilíbrio e rir baixinho. Não havia vergonha alguma na moça e ela claramente adorava ver como você se entregava, ousando até mesmo empurrar um pouco a sola contra a sua face quando você tentava apenas se lambuzar um pouco. Mas enfim você encontrava a sua própria forma de ir ao fim e a moça escorregava da pia para se ajoelhar na sua frente, era a primeira vez que vocês duas ficavam tão próximas assim.

    -Loretta, você é lindíssima! Ainda mais tão vermelha assim. Eu não conseguia entender todas os detalhes antes, mas agora, tudo ficou bem claro e aos poucos eu pude entender o que realmente havia entre nós duas.

    A jovem agora beijava a sua face com leveza e começava a limpar o excesso de gotículas de vitae que haviam ali.

    -Mas agora nós somos iguais não é? Não acredito que precisaremos nos preocupar com vergonhas ou pequenos limites, sei muito bem que há algo forte entre ti e meu Pai... Mas também não vejo isso como um problema, meu maior sonho sempre foi vê-la feliz! E se meus pés podem deixá-la assim eu os deixarei sempre a sua disposição minha amada Loretta.

    A jovem então ousava puxar os dedos que você havia usado para se estimular em meio ao climax da cena que havia terminado, para então chupá-los sem nenhum pudor e rir em seguida.

    -Um pouquinho mais gostoso do que eu havia imaginado!

    Ela piscava e por fim abria os braços para lhe convidar para um abraço carinhoso.

    -O que acha então da minha proposta querida? Vamos reconstruir a forma da nossa relação?! Se sim, eu adoraria um aperto daqueles beeeem quentinhos!
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 31/1/2018, 10:19

    Era um riso aliviado e contente que eu soltava assim que o orgasmo passava e Floriana desconstruía a personagem. Era a última sombra de meu passado sobre minha própria sexualidade que havia acabado de ser conquistada. Não havia mais nada para trás que me incomodasse. O que faz ser mais fácil andar para o futuro sem receios, apenas com a convicção e a capacidade de não errar novamente nas falhas do passado. Então ali eu me permitia a suspira aliviada enquanto minha querida Fiore se ajoelhava na minha frente. Com minha mão limpa acariciava o rosto dela enquanto falava.

    - Eu sempre soube o que havia entre nós, era legitimo e forte. Mas você não sabia e eu era um poço de hesitações. Se poucas coisas tivessem ocorrido diferente nós seriamos companheiras agora. Porém de minha parte não há arrependimentos, estou feliz em como as coisas evoluíram e na pessoa que você é agora, minha Fi.

    Ali dava um delicado e gentil beijo nos lábios dela. Sorria de forma um pouco tímida, mas deixava o sentimento para trás no instante que ela chupava meus dedos. Soltando apenas um baixinho gemido de profundo prazer. Então olhava para ela de forma um pouco mais marota para então a responder.

    - Então me diga, minha linda flor italiana, que tipo de relação você gostaria de ter com essa envergonhada e pervertida aqui?

    Enquanto falava já a aproximava de um abraço quente e delicado para com meu corpo. Só que enquanto isso deslisava meus joelhos em direções oposta me deixando um pouco mais exposta para antes dela poder me responder eu sussurrar no ouvido dela em um timbre cheio de desejos.

    - E se você quiser sentir mais desse sabor quentinho, pode ir na fonte caso desejar.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 31/1/2018, 20:50

    Fiore a abraçava com carinho, porém a sua fala mais ousada fazia a jovem soltar uma risada bem leve enquanto as mãos dela corriam pelas suas costas de uma maneira bem lasciva e intensa, arranhando-a brevemente até chegar no tecido e ali parar para então olhar no fundo dos seus olhos e responder:

    -Então quer dizer que a minha Titta é uma mocinha bem empolgada, aposto que a Eva esteja se aproveitando dessa situação! Mas eu tenho uma resposta sim para lhe oferecer, eu adoraria lhe derrubar no chão deste banheiro e fazer tudo que eu sempre sonhei em fazer, mas... Não sem a autorização da sua noiva. Quero que tudo entre nós duas seja verdadeiro e sincero, ou seja, também avisar ao meu namorado!

    Ela sorria de maneira bem diverta, claramente tentando surpreendê-la com a notícia e logo em seguida roubando-lhe um selinho dos lábios e a convidando a se levantar. Essa era de fato a Fi que você havia lecionado e educado, uma mulher firme em seus próprios ideias e sempre extremamente determinada.

    -Fora que meu Pai ficaria uma arara e me colocaria de castigo se eu causasse o teu atraso! Você sabe como ele é pontual! Ainda mais depois de Renz começar a comprar tantos relógios magníficos para ele usar! Então, Titta, o que achou da minha proposta? Podemos ser amantes!

    Ela sorria feliz e confiante de que estava a tomar a melhor decisão. Mas ao mesmo tempo, os olhos dela buscavam pelos teus em uma tentativa de interpretar as suas mínimas reações e expressões.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 31/1/2018, 22:40

    Fazia uma breve risada quando Fiore falava sobre Eva, de leve concordando com a cabeça. Então eu escutava as palavras dela com bastante atenção, fazendo um sorriso ameno. Enquanto isso minhas mãos acariciavam a pele dela de forma quente e bastante delicada. Fazia um baixinho gemido de prazer ao ser arranhada, mas logo eram as palavras dela que me chamavam a atenção. Ali eu logo me tocava em meu amor e rapidamente falava em tom um pouco acelerado. Mas logo me acalmando, afinal eu mesmo estando pouco tempo com a Olympia, me sentia como se já estivesse casada com ela por mais de duzentos anos.

    - Olympia! Deus, estava tão animada aqui... Assim que eu puder eu falarei com ela, minha Juno é uma mulher maravilhosa, posso sentir que ela ficará feliz por nós duas. Mas você tem de avisar logo ao seu namorado! Se você não experimentar de meu "vinho secreto" até o fim dessa noite sua Titta vai ficar tristinha...

    No fim de minha fazia um curto tom de manha. Acompanhando o tom divertido que ela fazia. Mas não conseguia esconder o arrepio e o sorriso bobo ao receber o selinho por ela. Assim ficava a contemplá-la enquanto escutava sua proposta e ali eu suspirava um pouco pensativa.

    - Amantes... Adorei esse termo! Me sinto tão moderna! Vir para o interior novamente foi como nascer de novo. Você devia ficar um tempo aqui na Toscana. Lhe garanto que é mais aconchegante que lá em Florença.

    Sorria para Fiore de forma bem animada. Totalmente devorada por meus desejos, mas os segurando em uma deliciosa ansiedade. Ali eu então dava mais um curto selinho nela para rir um pouquinho em tom baixo antes de me levantar a ajudando no processo oferecendo delicadamente minha mão. Enquanto realizava tal ato, prosseguia a falar para no final expor minha curiosidade à inesperada revelação de Fiore. Meu tom era unicamente de curiosidade, mas era difícil esconder toda a alegria de me sentir tão livre e direta com aquela mulher.

    - Mas isso se eu não for deixar seu namorado com muita saudades. Preciso admitir que estou um pouquinho surpresa. Hummm, quem é o sorto?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 2/2/2018, 12:38

    Fiore a observava com atenção e um alivio surgia na face da mesma quando ela entendia que as suas expressões eram positivas, ela então concordava contigo quando você afirmava sobre a sua Juno e logo comentava:

    -Eu nunca faria algo para deixar a minha Titta tristinha, nunquinha!

    Um sorriso mais sapeca se formava na face da jovem que ria diante da sua afirmação sobre se sentir mais moderna, com cuidado então ela virava o seu rosto na direção do espelho e começava a limpá-lo com o uso de um lenço umedecido, havia não só carinho no toque dela, mas também uma precisão de quem sabia o que estava a fazer.

    -Não vou dizer que Berlim é feia, seria cruel. A cidade tem seu charme, especialmente a vida artística que é fantástica! Meu Pai inclusive fez um baile para comemorar a minha graduação! Enfim, o sortudo é um lindinho tão fofo! Seu nome é Gabriel Lefeuvre, ele é patrício, filho de Lucinde! Ele tem cabelos avermelhados, uma postura bem firme e é tão cortês! Além de ser bem apaixonado e vivo para um Ventrue, sabe, ele foi abraçado e mantido na humanidade... Não é fantástico?! Enfim, espero poder apresentá-la a ele no futuro próximo! Meu pai o aprovou, depois de fazer o pobre rapaz correr nu pela noite de geada de Berlim enquanto soletrava um enorme poema de juras. Não quero nem ver o que ele vai fazer quando minha irmãzinha arrumar um pretendente! Acho que eu tenho uma fotinha dele aqui comigo, quer ver?

    A jovem agora removia as pequeninas manchas da sua face e sorria ao seu lado diante do espelho, para então buscar a bolsa que trazia para checar o horário enquanto aguardava por suas reações e falas. E parava como aparelho em mãos, sem saber se lhe mostrava ou não o namorado.
    avatar
    King Jogador

    Mensagens : 627
    Data de inscrição : 07/12/2015

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por King Jogador em 2/2/2018, 17:50

    Ficava sorrindo com a primeira reação da Fiore. Era maravilhoso finalmente ter uma relação com ela de forma tão direta. "Sempre sonhei com isso. Poder ser eu mesma na frente de todos que amo." Suspirava de leve em tom apaixonante ao recer aquele delicado tratamento para ficar com minha face limpa. Assim escutava atentamente as palavras dela antes de finalmente responder com uma sincera alegria e surpresa.

    - Um filho da Lucinde! Que notícia agradável! Quase fico com pena dele dado como Alfie é, mas não esperaria menos dele...

    Ria um pouco ao comentar sobre o Alfie. "Sabia que você seria um ótimo pai para ela... E você acertou muito bem em quem deveria ser minha filha, realmente nos entendemos bem..." Assim eu imediatamente me lembrava de avisar sobre a relação que eu estava a construir com ele. Mas como a Floriana já se mostrava estar ciente, o que até me surpreendia, eu ia a falar do outro assunto que tinha para passar para ela.

    - E bom... Como você já sabe que eu e seu pai estamos tentando construir uma relação recentemente, só tenho uma novidade para te contar. Eu decidi que é hora de imortalizar a nossa Gi. Não vou abraçá-la no entanto, afinal sua sobrinha ainda quer ser mãe e preciso saber como ela almeja se transformar, já que não precisa ser necessariamente eu a senhora dela, se é que você me entende. Até lá farei o que você sabe que nunca faço e a manterei bem alimentada. O que acha?

    Era estranho para mim pedir autorização para alguém sobre uma ideia minha. Minha teimosia sempre foi de mover montanhas, mas se há no mundo alguém mais importante para Giorgina que eu, essa pessoa seria a Fiore. Logo a opinião dela me é de muito valor. Outro ponto importante era deixar claro que poderia ser a ela a fazer o elo com a minha querida valete, se assim as duas desejarem. Após a resposta dela eu notava a hesitação de minha querida em mostrar a foto de seu namorado. "Ela está preocupada que isso me magoe. Talvez magoaria profundamente se eu estivesse ainda dentro naquela nuvem negra que me consumia. Mas não sou egoista e estou realmente feliz por ela."

    - Não precisa ficar receosa de me mostrar a imagem dele. Estou muito feliz por você, de verdade! Só espero que ele não seja do tipo ciumento. Pois eu adoraria de verdade passar um tempo com minha amante aqui na Toscana. Precisamos ainda fazer um piquenique no meio dos campos de trigo, plantar, colher e principalmente amassar as uvas, colocar em barris minha edição especial e principalmente ficar na varanda abraçadas sentindo a brisa quente do interior mexendo com nossos cabelos.

    Falava com um sorriso meigo na face, emanando minha confiança para ela. Minha mão direita ia então acariciar de leve o rosto dela enquanto eu prosseguia falando. Me esforçava de leve para fazer um tato bem quente e ao mesmo tempo muito delicado com as costas da minha mão. No fim de minha fala soltava um suspiro sonhador esperando a reação dela.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 4022
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Danto em 5/2/2018, 19:26

    -Um não, o primeiro e único! Não que isso tenha sido um fator sabe, juro que não foi! É que ele era tão gentil, sempre um verdadeiro homem sabe? Ele fazia por educação, até minha irmã propor uma brincadeira de espiarmos a aura dele e lá estava, o abestalhado estava apaixonado por mim! Demorou, mas acabamos por nos entender, ele foi paciente... E tão respeitoso, difícil conter os elogios sabe?!

    Era a primeira vez que você via Fiore falar daquela forma de um homem, havia um sentimento verdadeiro latente tanto nas palavras, quanto nas maneiras com as quais ela se movimentava e movias as mãos.

    -Não sei exatamente o que está a acontecer entre você e o meu Pai, Titta, mas eu espero que vocês possam curar as feridas que existem em seus corações. De verdade! Agora, sobre a Gi... Ela quer ser mãe, sempre quis né?! É muito cuidadoso de sua parte dar a ela essa chance, especialmente porque ela seria bem infeliz se fosse abraçada antes disso! Enfim, eu talvez tenha uma sugestão, o que achas que ao invés de dar a ela apenas o seu vitae, você não faz o mesmo que o meu Pai fazia contigo em Florença? Diluindo em doses, vitaes de queridos e confiáveis, para que a tua fome e saúde fosse mantida, mas que nenhum laço forte e incontestável fosse criado?

    Ela comentava de maneira bem tranquila, apesar de você nunca ter de fato contato a ela sobre isso, não seria estranho presumir que ela havia feito um verdadeiro questionário em busca de informações sobre tudo que lhe dizia respeito com o próprio Pai, afinal, Fiore sempre quis o teu melhor e isso nunca fora uma dúvida.

    -Você adoraria é? Pois eu amaria essa ideia! Nossa, eu quero tanto, tanto participar de uma colheita de novo! Por favor, Titta, quando for criar outra nova remeça não deixe de me avisar, quero participar de tudinho! E essa ideia do piquenique, eu amei! E aqui está o Gabriel!

    Ela enfim mostrava a tela do celular para você, era possível ver a mão da jovem tremer suavemente. Afinal ela não sabia exatamente como isso iria lhe afetar e mesmo estando muito feliz por toda a situação, ela ainda não conseguia deixar de se preocupar contigo.

    Gabriel Lefeuvre:

    Conteúdo patrocinado

    Re: Primeiro Arco de Loretta: Ato IX - A Segunda Noite do Festival I

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 18/8/2018, 15:45