WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato V - Novos Ventos

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 15/2/2018, 16:56


    Data: 06 de Outubro de 2005.
    Local: Bosque de Chapultepec I Secc, 11100 Cidade do México, Distrito Federal, México.

    O final da noite não poderia ter sido mais perfeito e por isso, o seu despertar vinha com uma suavidade única e animadora, seus olhos se abriam para encontrar o corpo de Alfonsus e logo sentir o mesmo a abraçando com carinho. Os ecos dos carinhos ainda se apresentavam pelo seu corpo e pelo quarto, a sua vontade era de rir mas acordar o homem daquele sono tão maravilhoso parecia uma crueldade desnecessária.

    Assim sendo, você saia da cama e notava o rastro molhado que fora feito por vocês dois na noite passada, além de notar também a total ausência da pequena. Fechando os olhos você a sentia ainda no quarto de Lotte e pelo ronronar, ela estava a adormir junto da rosa negra. Essa era a primeira vez que você realmente acordava sem ela por perto em anos! E por causa disso, ao entrar no banheiro, só era possível ver os rastros da noite anterior, como as toalhas em volta da banheira e o sangue ali presente.

    A opção mais ágil era então a de usar o chuveiro, ali você poderia se divertir dentro da água quente ao se lembrar de todas as ações que se decorreram na noite anterior, que culminaram em descobertas especiais no final da noite. E enfim vinha a recordação de que a pequena acordaria faminta e as palavras de Iontius deveriam ser seguidas para o bem estar dela. Logo então após a ducha quente, você pode se vestir e seguir até o quarto de Francesco  e Aylena.

    Quarto dos valetes:

    Ao abrir a porta do quarto, você logo notava o ambiente decorado de verde e detalhes em amarelo e branco. Era um quarto até simples, se não fosse pela amplitude e espaço do mesmo, afinal, era claro que existia ainda um closet e um banheiro ali. A cama de Francesco era a mais próxima da janela e ali o homem ainda dormia, todavia, ele não estava com os tradicionais pijamas e sequer estava a usar a venda ou as proteções de ouvido. O sorriso na face do mesmo indicava que ele havia dormido com um sentimento alegre, afinal, ele insistia em dizer que não sonhava.

    A cama de Lena estava arrumada, como se nem tivesse sido tocada! Mas o perfume da jovem russa se manifestava por todo lado, ainda mais intensamente quando você se aproximava da cama de Francesco. O homem claramente estava adormecido, mas havia ao lado dele uma mensagem que era na realidade direcionada a ti. Em uma folha de agenda, estava escrito:

    Mengesagem:
    Oi!
    Boa noite Pita! Estou na cozinha preparando o desjejum para todos. Cesco me informou ontem a noite que carnes e alimentos mais trabalhados serão incluídos, estou cuidando disso!

    Caso queria conversar antes de acordá-lo, eu chego já já. Afinal, eu acho que a senhora entendeu o que ocorreu na noite passada. Enfim, atenciosamente, Lena.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 15/2/2018, 17:30

    Acordar em meios aos braços de Alfonsus me fazia sorrir, um eco que meu corpo ainda sentia da noite anterior, onde nossas paixões e desejos haviam sido compartilhados sem vergonha nenhuma, cuidando para não acordar meu gigante, era com carinho que me retirava da cama, não antes de cobri-lo com um lençol suave.

    Os rastros de nossos amores se espalhavam do quarto para o banheiro, ver a pequena bagunça em volta da banheira me fez rir baixinho, assim como notar a falta da pequena, um fato novo, mas explicado com o cheiro do perfume de Lotte que invadia minhas narinas ao procurar a pequena, ela provavelmente viria correndo quando acordasse faminta, isso se não acordasse com Lotte.

    Rindo disso eu me apressava em tomar uma breve ducha, afinal a banheira demoraria demais e estava uma verdadeira bagunça, algo que me fazia soltar verdadeiros suspiros com as lembranças da noite anterior.

    “Espero que a Lena e o Cesco não queiram puxar nossas orelhas!”

    Terminando o breve banho para ir me vestir com um dos inúmeros vestidos feitos por Lorenz, era com rapidez que eu me dirigia até o quarto de Cesco e Lena, o ambiente ricamente decorado me fez sorrir surpresa, era claro que Melinda havia pensado no melhor até mesmo para meus queridos vassalos.

    Vestido usado:

    Meus olhos logo puderem perceber a cama de Aylena arrumada, conhecendo bem a russa era possível saber que ela não havia dormido ali, uma teoria que se confirmava com o largo sorriso de Cesco e a falta de seus comuns protetores. Sorrindo com isso eu me aproximava da cama apenas para sentir o perfume de Lena até mesmo ali, algo que me deixava feliz, percebendo o bilhete era com curiosidade que o lia, as palavras de minha adorada russa confirmavam minhas teorias.

    – Fofos.

    Eu sussurrava antes de beijar a testa de Cesco e ir me sentar na cama de Aylena para espera-la sem pressa.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 15/2/2018, 19:45

    Sentada ali na cama você aguardava pacientemente pela chegada de Lena. Por sorte, a própria jovem sempre foi muito dedicada e atenciosa, por isso mesmo, a sua espera não era longa e de certa forma, era prazeroso poder observar Cesco a dormir com um sorriso tão alegre e puro.

    A porta enfim se abria com cautela, Lena fazia um sinal indicando provavelmente a alguém que a acompanhava para esperar e assim, ela adentrava o quarto e fechava a porta. Ajustando brevemente a camisa branca que ela usava acima da da saia, ela não parecia nervosa ou ansiosa, mas sim um pouco perdida em como lidar com a situação.

    -Oi Pita, digo, Boa noite Pietra. Espero que não tenha demorado muito e que o bilhetinho tenha sido,sabe assim, lido!

    Ela esfregava as mãos e balançava a cabeça. Levantando o indicador, claramente pedindo por um segundo e respirando fundo. Agora ela mudava a postura e andava até você, para esticar as mãos na sua direção e perguntar:

    -Você está chateada Pietra? Não aconteceu de maneira premeditada sabe. Eu mantive a brincadeira de precisar de ajuda para lavar as costas, ele foi um fofo e realmente veio me ajudar quando eu fui tomar banho, os toques causaram efeitos e bem... Aconteceu.

    Ela comentava sem tirar os olhos de você, sendo bem sincera a sua vassala queria apenas se expressar e resolver o assunto antes que alguma desavença pudesse ocorrer.

    Roupas Lena:
    Camisa Branca:
    Saia:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 15/2/2018, 20:03

    Ali sentada na cama de Aylena eu sorria em poder observar Cesco adormecido com aquele gigantesco sorriso, nossos mais recentes anos haviam sido marcados com delicadas noites um na companhia do outro, imaginar acordar ao lado de Cesco apenas para observar aquele sorriso me fazia suspirar.

    “Não posso negar o que sinto por ele, mas fico feliz pelos dois. Aylena é jovem e linda, seria estranho se isso não acontecesse.”

    O adentrar da jovem russa afastou meus pensamentos, arrumando a postura diante do pequeno nervosismo de Aylena eu sorria concordando com seu pedido de tempo, ali eu controlava meu riso, afinal não queria deixar minha querida Lena nervosa.

    Tomando as mãos esticadas de Lena, eu a puxava para se sentar ao meu lado, com carinho a beijava na testa para responde-la em meu mais suave russo.

    - Lena, por favor! Vocês dois são bem grandinhos! Quem sou eu para julga-los? Ainda mais eu?

    Puxando-a para um abraço, meus braços a apertavam com carinho e suavidade.

    – Ouça, eu fico feliz que você tenha vindo conversar comigo, mas não precisa se preocupar comigo mia amata. Eu só quero ver os dois felizes, por isso eu peço que se isso tenha sido só casual deixe Cesco avisado, seria cruel brincar com os sentimentos dele. Tudo bem?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 15/2/2018, 20:46

    Lena sorria aliviada com as suas ações iniciais, um sorriso que se fortificava quando o idioma natal dela era pronunciado por ti. Afinal, havia sido a própria a lhe ensinar o mesmo durante os anos de convívio e esta se deliciava com o seu sotaque. Lena então se entregava ao abraço com bastante ternura e finalizava o mesmo com um beijo na sua face, para lhe oferecer respostas também em russo:

    -Ah Pietra, eu fiquei tão preocupada em ter feito algo errado quando acordei. Digo, não senti em momento algum que tenha sido um erro, afinal, olha aquele homem ali! Mas não sei se envolveu reais sentimentos ou se foi algo carnal, vou conversar com ele prometo! E independente do que seja e o que ocorra entre nós, eu faço questão que vocês dois não mudem a relação de vocês, está bem? Afinal, quem seria eu para fechar um amor tão único e bonito?

    Feliz com o rumo da conversa, Lena segurava sua face com as duas mãos e beijava seus lábios com suavidade. Não era uma ação lasciva ou de qualquer conotação assim, pelo contrário, era intimo mas em um sentido amigável e familiar.

    -Já que estamos bem, minha mente não deixa de imaginar o susto que ele vai ter se nós duas estivéssemos ao lado dele quando ele acordar! Isso seria maldade né? Melhor só acordar ele com calma. E bem, temos um desjejum exagerado ali fora a nossa espera!

    A fala final da jovem vinha com uma sinceridade que lhe surpreendia, afinal, quando a sempre exagerada e super prestativa Lena defina algo como "exagero" era simples imaginar um banquete real a espera de vocês.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 15/2/2018, 21:24

    O alivio de Lena enchia meu coração de carinho, afinal eu amava a jovem russa de olhos argutos e um senso de humor único, até mesmo o russo que me orgulhava em falar havia sido ela que me ensinara, não havia como negar o carinho que sentia pela jovem, ainda mais quando seu russo era tão lindo e maravilhoso.

    – Apenas tenha calma quando conversar com ele sim? Eu sei ele é realmente charmoso, tenha certeza de que você não fez nada de errado, nada mesmo! Obrigada por entender mia amata, só não quero que ninguém saia machucado disso.

    O suave beijo meus lábios me fizeram apertar Aylena com carinho, afinal era bom saber que não havia reais problemas entre nós duas ou naquela situação. Rindo com o possível susto de Cesco eu concordava com a mesma, não seria nada agradável para o galante Francesco acordar com nós duas no mesmo quarto.

    – Acho melhor evitarmos esse susto não? Faça-me um favor, caso veja a tulipa saindo de fininho a impeça sim? Quero apresentar os brotos para Helena, e assim que puder apresentar você e Cesco também.

    Esperando a reação de Aylena para então me levantar e ir acordar Cesco, eu sorria ao ver o belo e gigantesco sorriso de meu velho amigo.

    “Realmente é difícil resistir ao charme desses italianos! Espero que a pequena não demore muito, caso contrário ela vai perder esse banquete, ou não a Lena deve ter trazido comida o suficiente para alimentar um exército. ”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 00:18

    -Pode deixar, eu vou conversar com ele sim! Prometo! Jamais faria algo que pudesse ferir alguém desse lindo jardim. E bem, para chamar a comida é só bater duas palmas tá bem? Os vassalos da Lady Melisande são uns fofos! Agora...

    Comentava Lena em seu idioma natal, parando a frase para tocar na ponta do seu nariz e exibir um sorriso brincalhão.

    -Vou lá cuidar para que Luana não escape pro lago como fez ontem, isso vai me ajudar a tirar uma imagem de nós três numa cama!

    Ela mostrava a língua e ria baixinho, era nítido como ela brincava com a situação e logo ela escapava do seu colo para ir andando alegre, quase que saltitante para o lado de fora do quarto, deixando-a sozinha com Cesco. E essa era a ideal oportunidade de despertá-lo, algo que ocorria sem nenhuma interrupção e de maneira bem natural, como vocês já haviam se acostumado a fazer.

    -Boa noite Pietra...

    Comentava Cesco assim que o primeiro sopro de vida lhe vinha. O homem então respirava fundo e olhava na sua direção, a face do mesmo então escalava para uma cor rosada, ele havia percebido que certamente estava despido debaixo da coberta e que não haveria como disfarçar.

    -Teve uma boa noite querida? Eu devo admitir que a minha... Bem, saiu um pouco dos planos e do controle. Está tudo bem?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 00:48

    As palavras de Lena apenas demostravam o quão preciosa era minha amada Lena, rindo sobre o mencionar dos vassalos de Lady Melissande eu concordava com a pequena dica dada. O aperto em meu nariz e a clara brincadeira da jovem russa me fizeram morder o ar em uma provocação, algo natural quando se convivia muito com a jovem travessa.

    – Se ela fizer manha avise que as mordidas na barriga ainda não terminaram, acho que isso deve resolver. Obrigada mia amata.

    Tomando meu tempo para respirar e acordar Francesco, meus labios já fechavam a ferida aberta em meu pulso enquanto eu ouvia o cumprimento de meu amigo, me sentando na cama eu sorria de forma marota diante de sua pequena vergonha.

    – Tive um sono restaurador meu querido.

    Respondia em nossa lingua natal apenas para beija-lo na testa com carinho, ainda sorrindo eu não conseguia esconder que sabia do ocorrido.

    – Não se preocupe, a Lena veio conversar comigo. Ela tinha medo de ter feito algo errado, até parece que eu tenho toda essa moral pra julgar vocês!

    Comentava antes de desabar em um riso suave, não havia porque ser má com Francesco, ele era meu mais velho e melhor amigo, e uma de minhas eternas paixões.

    “ Eu só quero ve-los felizes, isso me enche de orgulho.”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 01:04

    Francesco nunca conseguia deixar de sorrir diante da sua pronuncia do italiano, especialmente por causa do sotaque toscano que vocês dois possuíam e exibiam com orgulho. O homem deixando um pouco da vergonha de lado, ria junto de ti e também se sentava na cama, mas com a delicada preocupação de manter as cobertas por cima da cintura.

    -Ela a respeita profundamente Pietra, tu és para ela o maior exemplo feminino que ela já teve na vida. E bem, como nós nunca determinamos os limites da nossa relação, acho que é até compreensível essa vergonha que sinto não é? Afinal, meu coração sempre estará apaixonado por ti e feliz pela sua alegria.

    Francesco verbalizava com habilidade, mas você via que ele estava a falar muito justamente para se acalmar e para diminuir qualquer tipo de duvida ou confusão que ele mesmo estivesse a passar. O mesmo então ousava puxá-la para um abraço mais intimo e cheio de ternura, para beijar a sua face e rir um pouco da situação.

    -Devo agradecer a Deus por ter sido você a me encontrar assim e não Eva! Imagina só! Serio, imagine por alguns instantes!

    Enquanto ele falava, você sentia a pequena acordando no quarto de Lotte. Era algo suave que era estimulado provavelmente pela comida que esperava no corredor!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 01:26

    Ouvindo as palavras de Francesco meu coração se enchia de amor e carinho, Aylena me era preciosa e querida, alguém com quem eu havia compartilhado inumeras conversas, alguém que aos poucos havia conquistado meu coração e amor.

    – Ela é uma menina especial, será grande em seu devido tempo, até lá quero cuidar dela como uma filha. E sim entendo sua preocupação meu querido, não quero prende-lo, não quando sabemos bem que ambos temos desejos. Eu sempre vou amar esse seu charme e a forma que voce fica vermelho quando está com vergonha.

    Admitia enquanto ria um pouco, abraçando Francesco eu respirava fundo sentindo o toque quente de meu amado amigo e confidente, suas palavras porem arrancavam risos verdadeiros de meus labios.

    – Tenho quase certeza que ela só te acordaria depois de aproveitar a situação! Sim isso é muito Eva.

    O respondia ao beijar de leve a ponta de seu nariz, ainda rindo eu sentia a pequena despertar na companhia de Lotte, ao que parecia o cheiro da comida finalmente havia sobrepujado perfume da rosa negra, o que deixava a pequena inquieta é claro.

    “Ela deve estar com muita fome, não seria de se estranhar é claro!”

    Me soltando dos braços de Cesco eu tomava suas mãos para beijar e comentar.

    – Vá se vestir, voce deve estar com fome e a pequena já acordou por conta do cheiro. Ela vai amar se banquetear com voce.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 12:14

    Ainda dentro do abraço de Cesco, você ouvia uma simples resposta para o mesmo:

    -Nossos sentimentos nunca serão uma prisão Pita, são belos demais para ferir.

    E assim o mesmo concordava com um notório balançar de cabeça sobre a sua fala de Eva e chegava a fazer uma dramática face de assustador e amedrontado, para então sorrir ao receber o beijo. O homem seguia a lhe observar e diante da sua fala, ele novamente concordava, agora de maneira mais suave e menos expansiva.

    -Certo, é de fato melhor que eu já me arrume e se estou faminto, a pequena deve estar rugindo de fome ou roendo algo, se eu bem conheço aquela arteira!

    Cesco então se levantava da cama, totalmente ausente de vergonha por estar despido, ele caminhava até o armário para pegar uma peça de roupa de baixo e em seguida, ao banheiro para vestir um roupão azul escuro e fechá-lo. Enquanto o homem se arrumava de maneira breve e a vontade, você sentia a pequena passar farejando dois carros de comida que esperavam junto de dois vassalos do lado de fora. Ela parecia curiosa por não identificar algumas coisas e animada por farejar a presença de ovos fritos, bacon e queijos.

    E como era de se esperar, a pequena invadia o quarto correndo. Soltando um alto gemido de fome e se atirando nos braços de Cesco, dramatizando bastante a cena, como se estivesse a morrer de fome! O homem inevitavelmente ria e olhava na sua direção para perguntar:

    -Lena preparou algo correto? Se não, acho que serei devorado por esta aqui!

    Afirmava o homem que já tinha a mão esquerda totalmente entregue as mordiscadas da sua besta.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 13:17

    A resposta simples, mas bela de Cesco me fez suspirar aliviada, nos amávamos em liberdade, algo que ecoava para todos em nossa volta, um eco que trazia consigo apenas bons resultados e sentimentos.

    “Esse coração é um das mais belos e gentis que eu pude conhecer, são abençoada por ele me amar.”

    A representação de Cesco diante de minhas palavras me fez rir, afinal era bem possível que essa realmente acontecesse entre Eva e Cesco. Soltando meu amado amigo para que este pudesse se levantar era minha vez de deitar em sua cama ainda quente, algo que me fez rir baixinho.

    – Aquela arteira entrou em uma briga de mordidas com Helena e fez Alfonsus rir como nunca disso!

    Comentava rindo ao da cena da noite anterior, sentando-me para acompanhar os movimentos de Cesco, eu sentia a pequena farejar as bandejas do lado de fora, ela estava bem animada com os cheiros já conhecidos e desconhecidos, algo que fazia até mesmo meu estomago roncar de leve.

    Quando Cesco saia do banheiro, era atacado por uma esfomeada pequena, as reações de meu amigo e amor me faziam rir concordando com o mesmo.

    – Ela disse que era um banquete bem grande, então deve ser enorme mesmo!

    Batendo palma duas vezes como indicado por Lena, eu sorria ao ver a pequena quase devorar a mão de Cesco.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 14:39

    Francesco ria só de imaginar como teria sido a briga de mordidas entre Helena de Troia e a sua pequena. Na realidade, o bom humor dele era notório e ele não deixava de sorrir e rir das pequenas interações que ocorriam até a chegada dos dois homens que serviam a Lady Melissande. Ambos com uniformes e uma postura impecável, eles adentravam o quarto de maneira silenciosa, deixando ali os carrinhos de comida e se retirando após fazerem uma reverência. Eram dois jovens nativos da região, de cabelos escuros e cortados da mesma forma, um deles parecia ter cerca de dezesseis anos, já o outro era mais próximo da idade adulta. Eles então se retiravam e a pequena corria para puxar um dos carrinhos na direção da cama de Lena, Cesco movia o outro, assim os dois carros ficavam lado a lado e entre as camas.

    -Ela sempre exagera, impressionante... Mas bem, deixe-me ser um pouco intrometido e perguntar sobre a situação em que nos encontramos. Esta noite, algo de especial precisará ser preparado querida? Poderei ajudá-la de alguma forma?

    Questionava o homem que agora abria as tampas dos carrinhos, para revelar os vários pratos de comidas quentes que ali haviam. Era literalmente um buffet de opções que iam des de pratos exóticos como guacamole e tacos, até purê de batatas e de ervilha, sufles, ovos fritos, linguiças, bacon e até algumas tiras de carne. As sobremesas era apenas frutas cortadas e guardadas em potinhos, claramente para serem consumidas após a alimentação. E haviam jogos de talhares para três pessoas.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 15:36

    As risadas de Francesco me deixavam feliz e calma, seu bom humor sempre fora uma marca de sua personalidade, uma qualidade que admirava em muitos aspectos, já que era ele que muitas vezes aliviava as pequenas tensões da noite.

    Observando os vassalos de Lady Melisande se retiraram, era com presa que a pequena puxava o primeiro carrinho para perto da cama, sentando-se ali ela pulava feliz enquanto esperava ser servida por Francesco.

    “Será difícil um dia Lena ser comedida, mas ela não faz por mal.”

    Me aproximando do carrinho para olhar curiosa as comidas exóticas eu sorria diante da pergunta de Francesco, pensando por alguns instantes para balançar cabeça de forma negativa e responde-lo.

    – O maior perigo agora seria a pequena Tulipa correr para o lago, mas Lena ficou de impedi-la, afinal como vou apresentar a tulipa molhada e suja? Não que Helena se importe, mas é bom manter a tulipa na linha. Renz agradece se não tiver que limpar mais roupas molhadas.

    Percebendo os três grupos de talheres eu sorria com leveza diante desse pequeno detalhe, eu acabaria usando os da pequena para dar espaço a Lena no gigantesco banquete ali preparado.

    – Irei apresentar os brotos a Helena logo no começo da noite, Melinda irá precisar de atenção, mas acredito que ela vá demorar um pouco para acordar. No mais, acredito que as coisas estejam bem meu amado, se quiseres descansar fique a vontade, mandarei chama-lo se houver necessidade, mas acredito que isso aqui vai ficar bem movimentado com a chegada do resto do Jardim.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 16:27

    Enquanto você se pronunciava, Cesco fazia questão de montar um prato bem balanceado com vegetais cozidos, carnes e purê para que a besta comesse. A mesma olhava para o prato e fazia uma expressão chorosa, apontando para as frutas, todavia, o homem beijava o topo da cabeça da mesma e a entregava o prato. A mesma o colocava a frente dela na bandeja e começava a comer sem cerimonias, fazendo até uma pequena bagunça por preferir usar as mãos para morder o bife.

    -Entendi, de fato não é uma boa ideia apresentar a pequena tulipa dourada como uma menina suja e toda bagunçada! E Renz ficaria furioso de novo! E bem, fico feliz em saber que terei um pouco de tempo para descansar... Não me leve a mal querida, mas existe algo inspirador nesse castelo e eu adoraria poder desenhar.

    As palavras finais de Cesco vinham ao seu ouvido como uma sinfonia maravilhosa, afinal, o mesmo tinha um talento especial para o desenho a mão livre, baseado basicamente apenas em grafite e imaginar um desenho deste das maravilhas naturais que os rodeavam faziam a besta, mesmo que de boca cheia, soltasse um alegre som pelos lábios.

    A cena só era interrompida com a abertura da porta pela mão de Lena. Ela trazia a tulipa, que outra vez estava de maio! Puxando a pequena pela orelha a Russa demonstrava o lado mais forte dela:

    -Não é não! A senhorita está tendo a orelha puxada porque tentou usar de Ofuscação para fugir! Nada disso mocinha, a sua mãe havia deixado bem claro ou pretende levar mordidas outra vez?!

    Luana olhava na sua direção, surpresa por encontrá-la ali. Ela escondia a face com as mãos e falava em um tom arrependido:

    -Desculpa Mammie, eu não fiz por mal. É que no lago eu me sinto em casa! Prometo me comportar, sem mordidas na minha barriguinha! E por favor, pede pra russa malvada largar minha orelha?!

    Lena entrava no quarto, puxando a tulipa e fechando a porta. A face dela era séria, mas você a conhecia o suficiente para saber que ela não estava de fato irritada, mas sim a se divertir com a cena ao modo dela. Cesco, fingia que nem via o que ocorria e compartilhava com a sua besta uma das comidas locais que recebia o nome de "taco".
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 17:58

    A pequena careta da pequena diante do prato montado por Francesco me fez rir, insistindo em se ater nas frutas era com certa temosia que ela aceitava comer a iguarias servidas por Cesco. As palavras de meu amado me alegravam o suficiente para que pulasse no mesmo lugar e desse palminhas felizes.

    – Eu sei, esse lugar é tão lindo! Tenho vontade de passar noites inteiras esculpindo e pintando. Descanse bem Cesco, você merece, mas não se esqueça de me mostrar seus desenhos.

    Comentava ao pegar uma pequena fatia de bacon apenas para aprecia-la com calma, a alegria de minha pequena com a simples ideia de Cesco era demonstrada com um gemido alegre por entre toda a comida, algo que me fazia rir ao mastigar a pequena peça de bacon.

    A entrada chamativa de Luana e Aylena me faziam engolir o mais rápido possível o bacon mastigado, ouvindo as palavras das duas eu cruzava os braços para encarar a pequena e arteira tulipa.

    – Kleine, o que eu disse ontem? Quero te apresentar a Helena, como faço isso com você toda molhada e suja? Além do mais Melinda estava naquele lago, ela tem ligação com a tenebrosidade, não sabemos se ele é realmente seguro por hora. Então comporte-se e vá se vestir. Caso contrário eu mesma mordo sua barriguinha!

    Comentava ao puxar de leve as bochechas de Luana, acenando para que Lena soltasse a orelha da pequena tulipa eu me mantinha calma, embora houvesse uma leve vontade de rir daquela cena.

    “É difícil ficar brava com ela, mas é pra segurança dela! Quando Sir Lancelot chegar ele vai cuidar dela.”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 19:46

    -Será um desafio não colocá-la nos meus desenhos Pietra, ou esquecestes que és e permanecerá sendo, para toda a eternidade a minha musa?

    A pergunta de Cesco era especialmente charmosa, especialmente por ser pronunciada no idioma natal que vocês compartilhavam. A pequena de boca cheia suspirava apaixonada e sorria com as bochechas preenchidas na direção de Cesco, ela parecia ter adorado em especial a pasta de abacate com temperos! E estava a experimentá-la com absolutamente tudo, enquanto você, mastigava um pouquinho de bacon.

    A entrada da Tulipa marcou uma mudança de cena, especialmente porque agora ela parecia de fato arrependida. Lena enfim soltava as orelhas da tulipa que vinha suavemente na sua direção, para se ajoelhar e encaixar a cabeça entre as suas pernas, apoiando o queixo no seus joelhos.

    -Desculpa de verdade Mammie! Eu vou me comportar a partir de agora, prometo! Juro! Não precisa ameaçar a minha barriguinha, eu vou ser uma boa menina. Não sabia que havia algo perigoso no lago, se soubesse não teria os preocupado desas maneira... Mammie perdoa a tulipa dela?!

    Lena sorria e se sentava ao seu lado, construindo para si um prato generoso com legumes e verduras e alguns pedaços de carne, mas nada de exagero além do saudável, ela mantinha uma regra dura sobre a própria alimentação para manter uma saúde sempre impecável e uma beleza afiadíssima.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 16/2/2018, 21:05

    A delicada declaração de amor de Francesco não so arrancava suspiros de meus lábios como fazia o mesmo com a pequena, ela de boca cheia sorria feliz enquanto eu não escondia o amor em meus olhos.

    – Nunca me esqueceria disso. Meu coração sempre estará junto ao seu meu querido, és muito mais do que um amigo.

    Respondia a Francesco com carinho e delicadeza, o charme natural e seu galanteio faziam com que meu corpo estremecesse ao imaginar quando deitaríamos novamente a desenhar e conversar sem compromissos.

    “As próximos noites prometem serem cheias, mesmo assim seria bom dar mais atenção a Cesco.”

    A mudança de Luana me fez olha-la com claro questionamento, eu não gostava de ter que lhe chamar a atenção, já que seu espirito livre era tão parecido comigo em sua idade, mas certas responsabilidades deveriam ser mantidas, e a segurança de Luana era uma delas.

    – Vou acreditar em você kleine, não sabemos se o lago realmente está perigoso, mas é melhor não arriscar. O que seria de meu coração e jardim sem minha tulipa?

    Perguntava antes de passar um guardanapo em minhas mãos e boca apenas para beijar a testa de Luana, passando a mãos por seus cabelos eu sorria mais aliviada para minha bela filha e aprendiz.

    – Logo Eva vai chegar e ela vai querer tomar visitar o lago, você pode ir com ela sem medo, mas até lá espere um pouquinho sim? Sir Lancelot também está vindo e ele vai cuidar de você. Agora vá se arrumar, fique linda para conhecer Helena.

    Levantando minha tulipa com carinho, eu beijava suas faces e apertava de leve seu nariz, um gesto carinhoso de amor.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 16/2/2018, 23:54

    As pequenas declarações trocadas por vocês era apenas uma das várias formas que vocês aprenderam a manifestar seus sentimentos, haviam várias outras, todavia nessa situação esta era a escolhida e ambos ficavam bem com isso. Assim, Cesco sorria alegre e a comer sem nenhuma pressa.

    A cena com a Tulipa ocorria sob os olhares atentos de todos, especialmente os de Lena que parecia absorver alguma lição daquilo, uma ação que a mesma sempre fazia em busca de aprendizado. Já a própria Tulipa ouvia cada uma das suas palavras e ia concordando com elas com o avançar da sua fala.

    -Certo! Não precisa pensar nisso, a sua Tulipa tá logo aqui e ela vai tomar jeito! Especialmente agora que o Sir Lancelot está vindo e a Eva vai me levar pro lago quando chegar!

    Dizia a pequena sorrindo, animada ela se levanta com a sua ajuda e ria diante do aperto de nariz, para correr empolgada e bem agilmente se retirar do quarto em uma corridinha, que mais se assemelhava a um saltitar. Agora Lena conseguia rir baixinho e comentar:

    -Vocês acreditam que ela tentou se ofuscar de valete pra sair do quarto? Ela só esqueceu de Ofuscar o tamanho!! Logo, fui ao corredor e vi um homem micro andando na direção da saída!

    Francesco ria diante da fala de Lena, assim como a própria besta também fazia.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 17/2/2018, 00:22

    Saber que haviam diversas formas de amar Cesco me satisfazia profundamente, a troca de palavras carinhosas nos alimentava e continuava a solidificar nossa relação, o sorriso dele era um indicativo se seu amor, algo que nunca esqueceria.

    A sagaz e pequenina tulipa parecia entender bem minhas preocupações com sua segurança, assim como a pequena e extremamente importante visita a Helena, concordando com suas palavras eu sorria feliz ao ve-la correr saltitante para ir se trocar, ainda assim não era difícil de notar a forma como Lena observava a forma como eu lidava com Luana, algo que me deixava feliz, já que muito do que aplicava hoje havia aprendido da mesma forma.

    “Independente de quem a abrace, ela será grande e sabia, isso me deixa feliz, fiz bem em escolhe-la como vassala.”

    Rindo da pequena cena descrita por Lena eu a abraçava de leve para beija-la na face e lhe responder com carinho.

    – Não podemos dizer que ela não tentou! Obrigada por impedir a pequena fuga dela.

    Levantando-me para beijar a testa de Cesco e Lena eu sorria ao comentar de maneira leve.

    – Eu vou ter com Alfonsus e ver quem de nós dois irá fazer companhia a Helena nesse começo de noite. Comam bem meus amados.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 17/2/2018, 14:23

    Francesco ainda ria da história contada por Lena enquanto você a agradecia, já a moça exibia um sorriso bem largo na face ao receber o beijo na face e respondia a ti de maneira bem despojada, como sempre o fazia:

    -De nada Pita, foi bem divertido poder puxar a orelha de alguém pela primeira vez sabe?!

    A sua ação de se levantar era observada pela pequena, a mesma não parecia muito inclinada em terminar de comer ainda, afinal, ela sequer tinha começado as frutas! Ela logo olhava para Cesco, com uma expressão manhosa, este então sorria gentilmente ao falar:

    -Claro Pita, iremos nos alimentar bem e assim que terminarmos irei levar a pequena até você, esta bem?!

    Dessa forma, uma curta despedida era feita e você retornava para o quarto que já começava a lhe parecer até um pouco como "casa", afinal, não faltava conforto ou liberdade para neste você fazer o que quisesse.

    Quarto:

    Ao adentrar o quarto, você logo notava uma pequena bagunça na cama. Pelo visto, Alfonsus já havia acordado, mas por preguiça havia voltado a dormir depois de se embolar com as cobertas, fazendo um verdadeiro bolo de cobertas e instintivamente, estava a abraçar o travesseiro ao qual você havia usado para dormir. Era um pequeno costume que você aprendera sobre o seu gigante, enquanto dormia, os perfumes e cheiros o estimulavam bastante! Assim sendo, você fechava com cuidado a porta e adentrava totalmente o quarto.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 17/2/2018, 18:11

    As risadas de Francesco e palavras brincalhonas de Lena me fez suspirar feliz, afinal a jovem russa havia feito um ótimo trabalho.

    – Devo dizer que você tem talento para isso Lena.

    A recusa de minha pequena em me seguir arrancou um riso suave de meus lábios, afinal ela havia adorado a comida e não estava disposta a pular a sobremesa feita de frutas, já as palavras de Cesco a tranquilizavam, concordando com as palavras de meu amado amigo, a pequena voltava a comer tranquila e feliz.

    “Ela aceitou bem sua nova dieta, espero que isso a acalme um pouco.”

    Me despedindo com brevidade, era com calma que retornava ao meu quarto, aos poucos a sensação reconfortante de pertencer ao castelo se formava em meu coração, afinal Melinda havia nos presenteado com todo o conforto e liberdade possível. Adentrar no quarto com esses pensamentos em mente me fizeram sorrir diante da pequena bagunça feita por Alfonsus.

    Era com calma que andava até a cama, apenas para deitar e abraçar as costas de meu gigante, meu nariz por sua vez ia de encontro ao perfume de Alfonsus e ali eu me deixava ficar sem medo.

    “Aqui é a casa de minha rainha, porque não seria a minha?! Mas meu castelo é outro. Melinda vem sendo uma boa avó, eu devo ser uma boa neta e visita-la mais vezes.”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 17/2/2018, 23:59

    Deitada junto das costas de Alfonsus, você o abraçava e ali permanecia por alguns minutos. O suficiente para seus olhos também se fecharem e um suave cochilo se iniciar, era uma calmaria que nutria tua mente e que em conjunto da fome da sua pequena que se saciava com as deliciosas novas fontes de alimento, você encontrar uma respiração dentro daquele momento de iluminação. E essas duas forças juntas ressoavam em uma harmonia sútil que a fazia sorrir feliz.

    -Pita, meu amor... Boa noite.

    Era a voz suave de Alfonsus que a trazia de volta daquela sinfonia aquietante e bela, o sonho que se esvaía era extremamente musical, como se os teus dedos fizessem notas carregadas pelos sentimentos que você agora sentia correr pelo teu corpo. Seus olhos piscavam algumas vezes até que enfim, você voltava totalmente a realidade, para se encontrar nos braços de Alfie que prontamente beijar a sua testa e em seguida a ponta do nariz, para sorrir e perguntar:

    -Quando eu acordei você já havia saído, fostes despertar Cesco correto?! Está tudo bem com ele? Eu pude sentir o teu cheiro, mas acho que estava sonolento de mais para sair da cama... Aliás, a senhorita andou comendo bacon?

    As perguntas eram simples e feitas com calma, não era um interrogatório mas sim uma forma carinhosa de demonstrar afeição e interesse pelo que já havia ocorrido no começo desta noite.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Jess em 18/2/2018, 00:20

    Ali deitada, eu podia sentir minha pequena e espevitada besta saciar-se com as maravilhosas comidas que lhe eram apresentadas, quando por fim a sobremesa chegou, pude sentir o gosto latente do doce cítrico em minha boca, satisfeita eu adormecia de leve, o perfume natural de Alfonsus me invadia em uma breve e singela sinfonia, algo que meus dedos quase podiam tocar.

    – Não quero acordar...

    Resmungava bem de leve ao me aninhar mais nos braços de Alfie depois do breve cochilo, despertar daquela maneira me fazia rir sentindo a preguiça tomar meus músculos, mas os beijos delicados de Alfie arrancavam suspiros apaixonados meus, algo que me fazia responde-lo com um suave beijo em seus lábios.

    As carinhosas perguntas eram escutadas enquanto minhas mãos começavam a brincar nos cabelos de Alfonsus, rindo sobre o bacon eu concordava de imediato, afinal não conseguia resistir aquela iguaria.

    – Foi só um pedacinho, eu juro!

    Respondia a Alfonsus antes da mais nada, escondendo minha face em seu pescoço eu o beijava ali com delicadeza.

    “Eu adoraria passar a noite assim, seria tão bom!”

    – Sim, fui despertar Cesco, mas acabei demorando um pouco mais do que previra. Tive que puxar de leve as orelhinhas da tulipa porque ela tentou escapulir, ela prometeu se comportar agora. Quando voltei você estava tão lindo dormindo abraçado ao meu travesseiro que fiquei com pena de acorda-lo. Fiz certo não?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Danto em 18/2/2018, 12:31

    Alfie ria baixo da sua tentativa de minimizar o assunto em torno da sua alimentação, todavia, as mãos do gigante agora a puxavam para mais perto afim de apertá-la logo que sua pergunta era feita.

    -Fez sim querida! Eu estava em um sonho perfeito sabe? Nele, nós estávamos deitados em uma varanda, era possível escutar Bash ao fundo, ensaiando o novo poema e ao olhar para a área externa, víamos todos os brotos do nosso jardim, a brincarem felizes com Sir Lancelot...

    O homem então beijava o topo da sua cabeça com ternura e a aperta com um pouco mais de firmeza nos braços.

    -Eu estou preocupado querida. Sei que não deveria falar dessa maneira, mas esse sonho me fez perceber algo importante, o teu sono. Como ele anda? O que achas de descaçar um pouco antes que um torpor mais longo a alcance? Será muito difícil para nós, pra mim... Todavia, é algo que você precisa começar a pensar.

    Comentava o homem que agora relaxava o abraço e buscava pelos seus olhos, ele estava preocupado com algo que sequer havia ainda se aproximado, talvez a luz dentro de ti a protegesse, mas era de fato inevitável, o sono chega a todos os antigos e você tornou-se um membro dessa categoria e isso era incontestável.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato V - Novos Ventos

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 22/6/2018, 11:58