WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 1/3/2018, 20:42


    Praça Oeste:
    Data: 06 de Outubro de 2005.
    Local: Bosque de Chapultepec I Secc, 11100 Cidade do México, Distrito Federal, México.

    Após o suave encontro com Melisande e Melinda, era chegada a hora de se encaminhar na direção de Helena para caminhar com a mesma e começar a diminuir a ansiedade da mesma para com as novidades do novo mundo que ela ainda desconhecia. No entanto, assim que você e Alfonsus alcançavam os jardins, um vassalo cuidadosamente os avisava, com um tom de preocupação de que Helena já não estava em seus aposentos e que ela fora vista a contemplar a praça oeste.

    Alfie suavemente agradecia o rapaz e isso os fazia mudar drasticamente de rota, atravessando o castelo quase que inteiro para assim alcançarem a outra ala do mesmo. Ali, vocês dois caminhavam lado a lado, o homem não parecia nervoso ou ansioso pelo encontro mas sim curioso.

    -O que será que ela esta aprontando? Sinceramente, eu vou agradecer a todos os deuses se encontramos ela vestida e fora da água!

    Brincava o gigante que de fato, não havia conseguido parar de se molhar! A pequenina, que havia regressado bem satisfeita após a alimentação com seus valetes, ria da brincadeira de Alfie e simulava um rosnado e uma ação de bote, deixando claro que iria protegê-lo, custe o que custar! O gigante sorria e brincava com os cabelos da pequena e jovial besta.

    Passo a passo vocês saiam pela entrada oeste e lá viam a imagem incontestável e inconfundível de Helena de Tróia, a lindíssima mulher de estatura diminuta e beleza tão grandiosa que alcançava os céus. A mesma estava descalça sobre a grama, ali ela parecia ensaiar alguns passos de dança, algo tímido, como se ela estivesse ao mesmo tempo explorando o próprio corpo e tentando lembrar-se de como era dançar! Parando a própria ação, ela sorria na direção de vocês, abrindo os braços e girando para exibir o vestido que você sabia perfeitamente a quem pertencia.

    -Boa noite, uma boníssima noite a nós! Como vão queridíssimos? Venham, eu estava tentando fazer um pequeno aquecimento, mas fazem tantos séculos! Espero não ter decepcionado vocês, eu juro que sou talentosa!

    Dizia a mais poderosa de todas as rosas, que exibia um ar extremamente jovial e suave com aquele vestido e uma postura até um pouco acanhada.

    Vestido de Helena:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 1/3/2018, 22:28

    Por fim o pequeno e encantador com Melisande e a adormecida Melinda terminava, agora caminhando sem pressa e lado a lado, Alfonsus meu eterno gigante apaixonado e eu seguíamos de encontra a pequena rosa de Troia, Helena.

    Lado a lado cumpriríamos uma promessa feita na noite anterior, a de ajudar a gigante de nosso clã a superar as ansiedades e medos da nova era que a cercava, um medo que meu coração compreendia e também o dividia.

    “Mesmo que eu durma pouco... Quanto o mundo pode evoluir em meu sono?”

    O aviso do vassalo foi recebido com uma pequena surpresa, agradecendo seu cuidado eu sorria ao seguir com Alfie para o jardim indicado, o que nos fazia cruzar o curioso castelo, mas as palavras de meu amago é claro me faziam rir, assim como as ações de minha já satisfeita pequena que nos encontrava.

    – Vamos tentar terminar essa noite secos, caso contrário o Renz vai amar puxar nossas orelhas!

    Respondia ainda rindo para meu gigante, abraçando com carinho seu braço quando finalmente chegávamos no jardim era possível ver a pequena Helena em um belíssimo e leve vestido, arriscando alguns passos ela parecia tentar entender seu corpo e os movimentos que ainda não lhe fluíam bem.

    A pequena não segurava a empolgação e corria pelo jardim sem medo, circulando a fonte para só então para ao lado de Helena e sorrir feliz, algo que eu mesma fazia ao escuta-la, puxando seu pequeno corpo eu a abraçava tirando seus pés do chão e girando no mesmo lugar.

    - Buona notte nonna! Você está simplesmente linda nesse vestido! Gostou do tecido? E não se preocupe, a pequena tulipa vai amar te ajudar a encontrar sua dança.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 2/3/2018, 15:21

    Alfonsus suavemente escondida uma das orelhas com a mão livre e se permitia rir junto de ti, ainda nos jardins enquanto vocês dois se direcionavam até a praça de entrada da ala leste do castelo. Em poucos instantes a divertida imagem da pequena correndo livremente pela grama, rodopiando e rindo até parar ao lado de Helena ocorria. A mesma aplaudia a ação da sua pequena e sorridente, abria os braços para ser tomada por ti, a pequena rosa de Tróia se permitia rir ao ser girada por ti.

    -Amei o vestido querida! O tecido é tão levinho, parece até que não estou usando nada! Digo, não é pra tanto, mas é perto! Vem cá, abaixa só um pouquinho...

    A rosa aguardava a sua ação, claramente convidando a sua face a se abaixar até a dela. No entanto, ela ficava na ponta dos pés e te surpreendia ao beijar suas faces e mordiscar a sua bochecha esquerda. Helena logo ria e ameaçava fugir correndo, já que  a sua besta logo mordia o ar numa ameaça clara! No entanto, ao invés de se atracarem, começavam a rir.

    Alfonsus então se aproximava e comentava de maneira bem simpática:

    -Boa noite querida! E é claro que não nos decepciona de forma alguma, mal posso esperar para executar algumas melodias para que você e a tulipa possam dançar!

    Helena saltitava na pontinha dos pés até Alfonsus e sorria para o mesmo, para então questionar:

    -Fico bem feliz por isso, mas e o meu abraço eim?!

    Alfonsus ria um pouco constrangido e por fim pegava Helena nos braços, ela ali parecia quase desaparecer de tão gritante que era a diferença entre os corpos deles. Alfie então a apertava um pouco e a botava no chão, ela de maneira bem sagaz e provocativa perguntava:

    -Pietra, porque o seu homem está com o perfume da minha filha?

    Nesse momento, Alfonsus ficava tão vermelho que chegava a causar risadas na pequena besta que escondia a face em uma tentativa falha de fingir que não estava rindo daquele susto que Alfie acabava de sofrer.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 2/3/2018, 15:49

    Rindo com Alfonsus, nossos passos não tinham pressa ou urgência, afinal estávamos felizes e seguros, já a alegria da pequena parecia ser contagiante, as palmas de Helena nos provavam isso, assim como seu riso em meu abraço.

    Sorrindo diante das palavras de Helena, eu abaixava minha face apenas para rir de seus beijos e da pequena mordida, algo que e a própria pequena respondia me fazendo rir um pouco mais da cena.

    “Elas já se entenderam, Lotte não vai pensar duas vezes em morder Helena.”

    As palavras de Alfie me fizeram suspirar, imaginar Helena dançando ao som da música produzida por suas mãos era uma inspiração única, uma que eu não podia ignorar.

    – Será tão lindo! Preciso esculpir isso! Não me perdoaria se não aproveitar essa oportunidade.

    Comentava após o belo abraço entre Helena e Alfonsus, a pequena suspirava diante disso e se sentava na fonte para observar, mas ao ser largada e fazer aquela pergunta a ressabiada pequena corria para acudir seu gigante vermelho.

    – Visitamos sua filha antes de te ver, ele a ajeitou na cama depois que Melisande levantou, por isso o cheiro de Melinda. Você não queria que ela acordasse sentido dores não é?

    Perguntava de maneira simples ao abraçar Helena e apertar de leve seu nariz.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 2/3/2018, 16:33

    A pequenina saia correndo na direção de Alfie que se esticava para tentar alcançar a face do mesmo, este por sua vez respirava profundamente tentando encontrar palavras. Por sorte, você o salvava com a declaração que era seguida por uma fala imediata de Helena:

    -Não, não quero mesmo. Obrigada Alfie por cuidar dela em um momento tão difícil para ela, prometo que vou implicar menos contigo!

    A pequena rosa de Tróia sorria de maneira divertida por ter o nariz apertado por ti, ela ali se encolhia nos seus braços e respirava bem fundo o seu perfume, como se estivesse a registrá-lo na própria mente.

    -Bem, não há necessidade de me agradecer querida. Após todos os cuidados que ela ofereceu a Pietra em Madrid, o mínimo que posso fazer é garantir que ela esteja confortável e bem.

    Respondia Alfonsus, que puxava a pequena para um breve abraço de agradecimento. Helena concordava e então olhava na sua direção para questionar:

    -Precisas de mármore para começar a esculpir? Porque eu devo admitir, estou ansiosa para voltar a dançar!

    A fala de Helena era complementada pelo experiente Toreador ali presente que dizia:

    -Fique tranquila, antes de Pietra poder nos esculpir, precisamos nos dedicar a suas capacidade, como você está se sentindo hoje querida?

    O tom preocupado e atencioso de Alfie parecia desarmar um pouco a face de Helena que se enfiava dentro dos teus braços e respondia com uma voz fragilizada enquanto a apertava com bastante firmeza.

    -Apesar de me sentir bem por causa do vestido, eu vim para cá com medo de interagir com os vassalos. Eles são tão estranhos, carregam coisinhas pretas sonoras e se comunicam por dialetos, parece que eles estão planejando algo toda hora! E eu estou sentindo fome, mas tenho medo de me descontrolar e ferir alguém, isso seria terrível!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 2/3/2018, 16:57

    A proteção da pequena a seu gigante me fazia suspirar feliz, ela faria de tudo para sempre ver Alfonsus bem, e é claro que isso incluía protege-lo da inquieta Helena, por sua vez a pequena rosa conquistava meu coração com suas palavras e o simples gesto de respirar meu perfume.

    – Eu sei que é divertido ver alguém do tamanho dele ficar tão vermelho assim, mas ele tem um coração proporcional à sua altura, grande e gentil.

    Comentava diante da resposta de Alfonsus, a pergunta de Helena me fez sorrir, mas a preocupação com o estado dela era mais importante do que esculpir ou dançar, suspirando ao ver a pequena rosa de Troia se encolher em meus braços, eu a apertava sem medo.

    Tomando o corpo de Helena com cuidado em meus braços, eu me dirigia até a fonte para me sentar e ali senta-la em meu colo e abraço.

    – Tudo bem querida, vamos cuidar disso. Ninguém vai se ferir, prometo. Me diga tens algum empecilho em se alimentar em taças?

    Perguntava com delicadeza, afinal a segurança de todos em volta ficaria em risco diante de um possível descontrole de Helena, algo que não queríamos ali, meus olhos se voltavam para Alfie com um sorriso calmo, afinal era o gigante que mais tinha experiência ao tratar com os verdadeiros titãs do sangue cainita.

    “Ela vai levar algum tempo para se acostumar, enquanto isso o medo vai ser uma companhia nada agradável.”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 2/3/2018, 20:30

    Alfie não conseguia deixar de soltar uma breve risada abafada quando a sua primeira fala era dita, afinal, Helena concordava contigo e logo após concordar, acabava por fazer aquela confissão que a fazia conduzir a pequena rosa de Tróia até a fonte. Sentada ali no seu colo, a jovial rosa respirava fundo e pensava na sua questão, enquanto ela pensava, a pequena puxava Alfie pela mão, conduzindo-o para o lado de vocês e se sentando sobre o colo do gigante, imitando a posição de Helena. Uma ação bem inocente e pura que parecia ajudar a rosa de Tróia a perder a vergonha e finalmente falar:

    -Eu confio em vocês, por isso saí cedinho do quarto. E bem, não tenho não, só não gosto de tomar em taças de cristal ou transparentes sabe? Eu sei perfeitamente que não posso ingerir nada além do sangue, mas gosto de poder fechar os olhos e imaginar outras coisas sabe?!

    Alfie concordava e dizia:

    -Lembro de quando era bem jovem, meu Senhor detestava se alimentar direto da fonte e eu não, porque assim eu tinha o perfume das moças que nos nutriam, as vezes o simples cheiro do pão ou da horta já me era o suficiente!

    Helena olhava para o gigante e sorria adorando ouvir aquela história, para comentar também.

    -Eu demorei quase vinte anos pra ter coragem de me alimentar de alguém pela primeira vez, minha Senhora ficava encantada com a minha inocência, outros achavam que era fraqueza. Mas eu realmente me sentia culpada sabe? Na verdade, alimentar ainda é algo que eu detesto fazer! Só que eu não faço, fico nervosa e causo coisinhas piores...

    Alfie então respirava fundo e olhava para você, passando uma mão nas suas costas e então sugerindo algo:

    -Porque não vamos até a cozinha? Lá eu posso preparar uma novo que poderá alegrá-la nessa complicada alimentação. Afinal, eu sei como deixar pequenos perfumes nas taças não é Pita?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 2/3/2018, 20:51

    Sorrindo ao ver a reação de Alfonsus, a confissão de Helena me fazia suspirar de leve, sentando-a no meu colo e segurando com carinho, suas palavras eram escutadas com atenção.

    "Menos mal, assim podemos alimenta-la sem problemas e com segurança."

    Beijando a testa de Helena minhas mãos brincavam em seu cabelo, a pequena agia da mesma forma com Alfonsus ajudando a pequena rosa a se soltar sem medo.

    O pequeno carinho de Alfie e suas palavras me faziam sorrir para apenas apertar mais Helena em meus braços.

    - Não se preocupe minha querida, estamos aqui para te ajudar e não a deixaremos passar fome. Sabe Alfie preparava minhas taças quando eu era jovem, elas sempre vem com um gosto especial, a minha favorita é a com sementes de girassol, é quase como se pudéssemos sentir o gosto dele na nossa boca.

    Levantando-me para colocar Helena sentada, eu tomava suas sapatilhas para calça-la e lhe estender a mão em um claro convite para irmos a cozinha com Alfie.

    - Primeiro cozinha, enquanto Alfie cuida do que você vai beber eu lhe explico o uso dessas caixinhas pretas que os vassalos tanto usam ok?

    Ao ouvir sobre a cozinha, a pequena se levantava apenas para concordar com minhas palavras, afinal ela amaria conseguir uma fruta ou algum belisco.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 2/3/2018, 23:52

    -Com gosto de sementes de girassol? Duvido!

    Respondia a pequena rosa de Tróia, que esbugalhava os olhos em uma engraçada reação de surpresa enquanto você vestia as delicadas sapatilhas que encaixavam com perfeição junto daquele lindo vestido que ela estava a usar. Alfie ria enquanto a pequena saltava e gesticulava, tentando convencer a outra pequenina rosa sobre a real possibilidade do sabor. Animada, Helena por fim se levantava e segurava sua mão com firmeza e abria um largo sorriso na direção de Alfie, questionando-o de maneira não verbal, se ele iria se levantar logo e as seguir ou não! O gigante prontamente se erguia e se colocava em deslocamento.

    Cozinha:

    O caminho até a cozinha era bem simples na realidade, esta se localizava na ala onde vocês já estavam e o acesso até ela era indicado por algumas placas discretas postas junto a alguns dos vários lindos vasos ali presentes. Eram claras indicações deixadas aos habitantes noturnos do castelo, afinal, estas só eram notadas graças a avançadíssima percepção advinda dos poderes das rosas. E é claro, além das indicações discretas, havia sempre o olfato imbatível da besta que apontava as direções, sem errar nenhuma única vez!

    -Vamos ver, o que a senhorita pensa sobre figos?

    Questiona Alfonsus, direcionando a fala a Helena. A loira olhava surpresa à Alfie e comemorava:

    -Se tu me fizer uma taça com sabor de figo, eu prometo, farei tudo para que você possa receber algo a sua altura!

    Alfonsus brincava com a situação enquanto vocês finalmente adentravam a cozinha de decoração mediterrânea.

    -Tem que ser algo bem grande então, afinal, altura é algo que nunca me faltou!

    Helena arqueava a sobrancelha e se permitia cair em uma gargalhada! A mulher então, ainda rindo, olhava o ambiente, disfarçando alguns olhares de estranhamento e prontamente apertando mais a sua mão, para enfim buscar uma cadeira enquanto Alfie ia até a geladeira e começava a procurar dentro da mesma, com a ajuda da grande especialista em frutas.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 3/3/2018, 00:20

    A reação de Helena me fazia rir, afinal eu dizia a mais pura verdade e isso era um fato irrefutável para a realidade em que Alfonsus e eu estávamos acostumados, sua surpresa diante do gesto de lhe calçar os sapatos fez com que eu apertasse seu nariz de forma delicada.

    – Pois bem, teremos que te mostrar então!

    Respondia ao ver a pequena se levantar e gesticular me apoiando, me levantando para ter minha mão tomada por Helena eu sorria diante da provocação da rosa ao gigante, uma brincadeira que era logo aceita por Alfonsus.

    Caminhando sem pressa pelo castelo, seguíamos as placas cuidadosamente postas para guiar os viventes noturnos, assim como o faro infalível da pequena, apreciando o belo castelo foi com surpresa que eu sentia o toque mais apertado de Helena em minha mão.

    “Ela nunca deve ter visto uma cozinha como essa! Vamos apresenta-la com calma.”

    Balançando a cabeça diante da pequena aposta, fazendo questão de colocar Helena sentada na bancada central para lhe beijar a cabeça e ir buscar um banco para me sentar ao seu lado.

    – Enquanto Alfie prepara o seu manjar, porque eu não te explico como funciona uma cozinha moderna?

    Perguntava ao observar Alfonsus procurar os figos na geladeira acompanhado da minha pequena.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 3/3/2018, 01:12

    A pequena estava quase que inteiramente dentro da geladeira a essa altura, você sentia ela farejando e achando um cacho de uvas verdes, para triá-las dali e apontar para Alfonsus onde estavam os figos. Sorrindo ela saia para se aproximar de Helena, observando-a com curiosidade. Afinal, a pequena rosa de Tróia estava a olhar na sua direção, sentada comportada onde você havia a deixado, era possível ver os joelhos juntos e uma postura ereta das costas.

    -Por favor, eu agradeceria bastante. Especialmente em porque as coisas tem que fazer tanto barulho?! Como posso dizer, eu entendi já da onde vem o fogo, da onde vem a água. Mas existe um som constante, sabe?

    Ela movia os lábios após terminar de falar, fazendo um som irritante e agudo com os lábios. Era como se um pequeno pássaro estivesse a cantar constantemente, ou ainda pior, uma cigarra! De certa forma, a ação dela impressionava, porque ela criava um som único com os lábios e a língua, naquele assovio estranho. Alfie até olhava na direção, mas seguia concentrado em preparar o alimento dela. Enquanto isso, você se dava o tempo para pensar... Ela estava assustada com o som da eletricidade!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 3/3/2018, 01:36

    Observando a postura militar mas relaxada de Helena, eu buscava um banco para me sentar ao seu lado, o faro da pequena me invadia com força alertando que ela havia achado seu petisco e os figos de Alfie.

    - Sim o mundo ao nosso redor adora fazer barulho.

    Comentava ao me sentar perto de Helena, ouvir o assovio agudo e incômodo feito por ela me surpreendia, afinal ela conseguia emitir um som bem complexo sem esforço, além de ser o exato som que a eletricidade fazia.

    "É isso que ela vem escutando? Entendo porque ela se sente inquieta, é constante e está em todos os lugares."

    Tomando as duas mãos de Helena eu sorria com carinho, a pequena com seu cacho de uva se aproximava sem medo e curiosa, afinal já havíamos escutado o vibrar daquele som.

    - Em algum momento o homem descobriu que era possível domar o raio e até mesmo criar a matéria prima dele, a eletricidade. É através do metal que o homem se aproveita da força da eletricidade para molda-la. Porém essa força cria um barulho constante, como o crepitar da madeira queimada ou o cair da chuva contra o solo. Nós que temos o uso de auspicios de forma natural sofremos um pouco com isso.

    Comentava de maneira delicada, observando as reações de Helena para continuar a lhe explicar e talvez ensinar a como ignorar aquele som constate.

    - Eu sentia minha cabeça inteira vibrar com ele, não foi agradável a transição do óleo para a aletricidade, mas foi nescessário. Faça assim, feche seus olhos e respire fundo, se concentre apenas no som da sua respiração, limpe bem a mente e mantenha o foco no som que seus pulmões fazem, depois troque o foco para esse som que te incomoda, repita isso até seu corpo entender que é um constante, como o que os pulmões reproduzem.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 3/3/2018, 01:51

    A pequena ficava bem curiosa, ouvindo suas explicações enquanto comia algumas uvas daquele lindo cacho esverdeado que havia encontrado, ela nem fazia por fome mas sim por que era gostoso e a ajudava a ficar concentrada no que viria a ocorrer. Alfonsus por outro lado, seguia um pouco distante agora, ele cortava alguns figos e parecia selecionar alguns pedaços para produzir o que seria então usado de alimentação para a pequena rosa de Tróia.

    Esta por fim, ouvia todas as suas palavras com atenção. Com tanta atenção que você até ficava um pouco surpresa, pois a mesma não dizia nada, com os olhos bem firmes ela aguardava tudo para então, respirar fundo, fechar os olhos e por uma mão contra o próprio tórax, na altura do colo. Respirando bem fundo outra vez ela começava a tentar seguir seus conselhos por alguns instantes, algo como um minuto ou dois, até ela finalmente abrir os olhos e sorrir!

    -Ah! Eu entendi! Então quer dizer que os humanos aprenderam a conduzir o presente de meu Pai para eles através de objetos para que estes funcionassem de maneiras mais poderosas e barulhentas, como o próprio trovão que desce dos céus! Magnífico! Eu me lembro do óleo, era fedorento! Mas isso me anima muito, nossa como eu fui tola em temer a manifestação mais moderna de meu Pai! Obrigada Pietra, muito obrigada!

    Afirmava Helana rindo da própria confusão, ela ia aos poucos desfazendo a postura mais militar e ia relaxando e abaixando a postura dos ombros, mas nunca as das pernas.

    -Nossa que alívio! Não estou mais ouvindo, mas eu sinto que essa força elétrica existe, é como se meu Pai nunca tivesse sido tão forte entre os humanos, não poderia ter acordado em uma época melhor! Eu sei fazer trovões também, quer ver?

    Ela perguntava animadíssima, mas ao mesmo tempo Alfie dizia:

    -Aqui dentro não vai ser uma boa ideia viu! Tudo ira reagir junto e tem chances de causar explosões ou pequenos focos de fogo, afinal, muitos trovões juntos causam bastante destruição né?

    Helena concordava e balançava a cabeça positivamente:

    -Tem razão, tem razão! Mas eu entendi agora, brigada! Vem cá, deixa eu te morder, digo, abraçar! Eu disse abraçar!

    A fala dela era claramente uma tentativa de evitar um possível ataque da sua pequena que ria adorando o respeito que Helena demonstrava por ela.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 3/3/2018, 02:14

    Curiosa e entretida com seu cacho de uvas, a pequena respirava devagar e com atenção em minhas palavras, algo que me deixava feliz já que ela aprendia rápido quando assim desejava.

    Mas eram as reações de Helena que me prendiam a atenção, sua concentração e postura indicavam que ela estava absorta em minha explicação, algo que a fazia reagir as minhas palavras da melhor forma que eu poderia esperar.

    "Se ela conseguir entender essa explicação, vou ter uma boa base para usar ao ensina-la. Assim espero.

    O sorriso alegre de Helena fez a pequena pular e correr a nossa volta, mais animada e tranquila era fácil perceber que a pequena rosa havia superado seu desconforto com o som continuo, isso me fez bater palmas de alegria ao escutar suas palavras.

    - Sim, a herança de seu pai nunca foi esquecida, ela se tornou essencial para o mundo em que vivemos.

    Rindo diante da oferta curiosa de Helena, eu sentia meu coração bater feliz pela alegria que aquela descoberta causava na pequena rosa, e com alegria eu a abraçava para receber sua mordida, mesmo que a pequena protestasse depois.

    - Uma mordida não faz mal, nem arranca pedaço. Fico feliz que isso não te incomode mais, as vezes você ainda vai escutar, mas se repetir o que te ensinei vai ser fácil de ignorar o som.

    Comentava ao morder de leve a bochecha de Helena e lhe beijar a testa.

    - Tem mais alguma coisa que te incomoda da mesma forma?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 3/3/2018, 15:52

    As ações divertidas da pequena que celebrava o entendimento de Helena causava risadas tanto na própria rosa de Tróia quanto no gigante que estava a usar alguns utensílios da própria cozinha para preparar a refeição que seria servida em breve. A pequenina rosa de Tróia então abria bem os braços para lhe receber, sorridente ela prontamente mordiscava a sua bochecha, para rir enquanto recebia agora de você uma mordida e um beijo.

    -Obrigada pela ajuda! Estou tão feliz em saber desse legado sendo respeitado e tão utilizado! Mas pensando aqui, acho que não tem nada mais tão assustador ou estranho... Quer dizer, tem aquelas caixinhas! Dos vassalos, pra que realmente serve?

    Ela questionava de maneira curiosa e virava a cabeça pra olhar a pequena que agora comia mais algumas uvas, Helena suavemente convidava ela a se aproximar apenas para poder cheirar um pouco o cacho de uvas e suspirar. A besta então beijava os lábios de Helena, somente para que ela pudesse sentir de maneira indireta o sabor da fruta, uma ação inocente e pura que fazia a grandiosa e poderosa progenitora ter de segurar as lágrimas emocionadas.

    -Pietra, eu tenho uma proposta... Quando a tua hora de dormir chegar, aceitarias deitar-se junto da sua família querida? Seria maravilhoso saber que você estaria a descansar sob nossos cuidados.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 3/3/2018, 16:32

    A felicidade da pequena me fazia rir feliz, algo que contagiava a todos sem exceção, observando o trabalho de Alfie no trabalho de preparar a refeição de Helena, o abraço entre nós duas e a mordida compartilhada me fez aperta-la um pouco mais em meus braços.

    - Não se preocupe, foi fácil acompanhar essas mudanças que aconteceram diante de nossos olhos. E sim o legado de seu pai é essencial para tudo que fazemos. Ah, você deve estar falando do celular. Ok ele é um pouco mais complicado.

    Respirando por alguns segundos eu observava a cena entre minha pequena a Helena, meu coração sabia como era a saudade de sentir o gosto das frutas, algo que até pouco tempo eu também sofria.

    "Curioso como a maldição nos afeta de maneira diferente!"

    - De maneira simples, aquelas caixinhas são feitas para transportar a nossa fala, eles fazem isso através de um som específico que ecoa pelo ar sem impedimentos, você liga de uma caixinha para outra e fala, quem estiver do outro lado escuta suas palavras.

    Respondia sem ter a total certeza de que Helena entenderia, afinal o telefone era por si só um conceito bem complexo. Escutar sua oferta me fez sorrir, ainda mais porque ela parecia ter escutado minha conversa com Alfie, um detalhe que não me passava despercebido.

    - Tenho de recusar mia amata, eu adoraria, mas o coração de Friedrich e Evangeline sofreriam com isso. Quando dormir, quero dormir sobre os cuidados de meus amores, assim sei que mesmo adormecida eles me terão por perto.

    Respondia de maneira carinhosa, meus olhos se voltavam para Alfie esperando por sua reação, afinal ele cuidaria de meu sono.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 3/3/2018, 22:39

    -Celular...

    Repetia Helena em um tom baixo e curioso de voz, a mesma então colocava-se outra vez a ouvir a sua explicação e esticava uma das mãos, claramente procurando pela sua para ali segurar enquanto fazia uma expressão mais pensativa. Concordando positivamente ela enfim afirmava, para alegria da sua pequena:

    -Entendi, é uma ferramenta de envio de informações. Mas não só escritas, agora vocês compartilham voz, interessante!

    Logo em seguida vinha a sua explicação sobre seu local de descanso, Alfonsus suspirava sem conseguir conter a emoção de ouvir algo tão bonito e verdadeiro. E para seu alívio, o mesmo suspiro era compartilhado por Helena! A pequena rosa de Tróia batia então uma palma animada e respondia de maneira bem esperta:

    -É onde minha netinha dormiu, Berlim! Certo, sem problemas querida! Então eu faço outra proposta, esta irrecusável! Permita-me desenhar o teu local de repouso, para que as tradições da nossa família sejam mantidas! O que achas?


    Alfonsus fazia uma curta pausa e olhava por cima dos ombros, com um sorriso largo na face e logo atentava-se a uma saída curta para buscar uma fonte de vitae para terminar a receita. Já a pequena, ansiosa, olhava na sua direção com os enormes olhos felinos dela, aguardando por sua reação.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 3/3/2018, 23:11

    Atenta as pequenas reações de Helena, minha mão prontamente segurava a da rosa mais velha, meu sorriso se mantinha calmo e prestativo enquanto a mesma se entregava aos seus pensamentos, algo que me dava tempo de estuda-la com carinho e interesse.

    “Não posso usar as mesmas bases que tive, lhe dar uma base solida de como anda a ciência será imprenssendivel para que Helena se encontre nesse novo mundo.”

    Sorrindo feliz ao ver que ela havia compreendido ao menos a ideia básica que envolvia o celular, tomando a mão de Helena para beija-la com carinho, meus lábios não escondiam a felicidade de ve-la mais calma e segura.

    – Sim, é exatamente isso. Acredito que os vassalos usem muito isso perto de você, para garantir que nada saia errado. Eles não querem enfrentar a fúria de Melisande.

    Balançando a cabeça ao ver o suspiro de Alfonsus e Helena, meu sorriso apenas aumentava, afinal minhas palavras eram verdadeiras assim com Berlim havia se tornado minha casa.

    “Minhas raízes não vão se fincar em mais nenhum lugar, meu jardim nasceu lá por um bom motivo.”

    A pequena proposta de Helena acompanhada da saída de Alfie me fez suspirar, não havia como negar aquele pequeno desejo, não quando vinha de Helena.

    – Violetta adormeceu depois que me reencontrou, um pouco antes de Elsa ser coroada como a rainha da corte das rosas de Berlim. Saiba que eu vou adorar adormecer em um lugar desenhado por suas mãos. Renz só vai querer me encher ele de flores, então não fique brava com ele.

    Respondia diante dos olhos felinos de minha pequena que não se aguentava de felicidade, miando ela corria a nossa volta para vir nos abraçar e morder com carinho nossas bochechas.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 4/3/2018, 15:45

    -Eles são rapazes bem sábios então, minha neta tem um potencial bem forte de destruição naquelas mãos lindas e firmes!

    Havia um orgulho cativante e inevitável nas palavras de Helena quando ela falava sobre Melisande, a pequena rosa de Troia então ria das expressões eufóricas da sua pequena e mordiscava ela de volta assim que recebia a mordida dela, a sua pequena então corria para saltar no seu colo, para apertá-la e morder também. Nessa situação, Helena retomava a fala de maneira alegre:

    -São tantos nomes novos, espero conseguir conhecer todos eles! Minha família ficou enorme! Quase do tamanho de Alfonsus, quase! Só falta um pouquinho né?!

    Brincava a mulher com um sorriso divertido na face. Ela então se inclinava na sua direção e mudava totalmente a expressão, para algo mais manhoso.

    -Mas Pietra, você me disse que iria me apresentar aos seus brotos, estou muito ansiosa por isso sabia? Eu ainda não tô pronta é isso? O que eu preciso fazer para ter essa chance?!

    A fala de Helena vinha acompanhada quase que ao mesmo tempo pelo retorno de Alfonsus. O homem trazia consigo duas lindas taças de ouro nas mãos, agora faltariam apenas os últimos ajustes e a refeição de Helena estaria pronta, todavia, a segunda taça era claramente para você. Afinal, você sabia muito bem que o seu amor jamais a deixaria de fora desse pequeno mimo que ele estava a preparar.

    Taça de Ouro:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 4/3/2018, 20:57

    O orgulho carinhoso de Helena ao falar de Melisande me fazia sorrir, afinal minha irmã tinha medo dela rejeita-la pela cor de suas pétalas, algo que agora meu coração sabia que não aconteceria de nenhuma forma.

    Rindo com a mordida da pequena eu sentia a alegria dela em ser mordida por Helena e compartilhar aquele delicado carinho comigo, ouvir sobre a vontade da pequena rosa de Troia em conhecer toda sua família me fazia suspirar feliz, concordando com sua brincadeira.

    – Todos estão ansiosos para te conhecer, acredito que Elsa também, afinal Alexia já deva ter entrado em contato com ela sobre seu despertar. E sim sua família cresceu e espalhou suas raízes pelo mundo. Tudo o que eu quero para meus filhos.

    Recebendo a pequena em meu colo eu sorria diante da mudança de assunto de Helena, ali não havia como conter a risada alegre, a pequena não escondia a ansiedade para isso, não quando Lotte tinha feito um quadro para Helena.

    “Eles já devem estar prontos, pelo menos eu espero que sim.”

    A entrada de Alfonsus com as duas taças me fez suspirar, havia sempre um cuidado magnifico nas ações de meu gigante, cuidado que agora ele dividia com a pequena figura de Helena.

    – Mia amata, você vai conhece-los, juro que vai. Mas primeiro vamos tratar de sua fome, então te levamos até nossos brotos. Quando Eva chegar você vai conhecer o restante do jardim, e pela animação dela o jardim inteiro vai estar aqui.

    Fazendo com que a pequena se levantasse de meu colo, eu beijava sua testa para lhe pedir de maneira simples, mas carinhosa.

    – Vá até eles, e quando estiverem pronto os guia até nós. Tudo bem?
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 5/3/2018, 00:23

    -Alexandrina?! Ai que saudade daquela loira desbocada! Ah, você ainda é jovem Pietra, seus brotos serão o futuro do clã querida, eu sei disso e quando eu digo que sei de algo, não existe nada neste mundo que possa me contrariar!

    Ela afirmava com determinação na voz, apontando o dedo na sua direção e sorrindo com uma expressão alegre. A mesma então concordava sobre a fome e voltava a se sentar na postura militar que a acompanhava constantemente.

    – Tudo bem!

    Respondia a pequena para você! Esta que sorria de maneira divertida e sapeca, arrancando de Helena um pequenino barulho agudo de susto, logo se virar e sair correndo bem rapidinho para a saída da cozinha. A pequena rosa de Tróia ficava boquiaberta até cair em uma gargalhada animada.

    Alfonsus que também sorria, se aproximava enfim com as taças prontas. O perfume dos figos já eram notados antes mesmo que ele as entregasse aquelas doses generosas de sangue, Helena arqueava a sobrancelha e curiosa, quase debruçava sobre a mesa e já se esticava para receber a taça. Alfie então dava uma para uma de vocês e fazia como de costume, um suave carinho nos seus cabelos e um beijo na sua testa. Para repetir o mesmo em Helena para que esta não ficasse com ciumes.

    -Espero que gostem queridas!

    Dizia o gigante, a pequenina rosa grega aproximava a taça dos lábios e cheirava aquele perfume. Arrepiando-se inteira e suspirando ela dava uma golada suave no sangue e travava! Fechando os olhos ela parecia tremer em uma forte onda de prazer, soltando um gemido baixinho e engraçado, ela abria os olhos para comentar:

    -Mais tá uma delicia Alfie! Nunca tomei algo tão maravilhoso, me fez lembrar da minha infância, comendo figos na varanda do quarto enquanto olhava o treino das tropas... Que sensação linda!

    Alfie nem tentava disfarçar a alegria que sentia em ser elogiado por Helena, o homem apoiava uma mão firmemente na bancada e se esforçava para lutar contra a vontade de se entregar ao fascínio que as reações de Helena poderia causar nele. A experiente rosa troiana notava a ação de Alfie e olhava na sua direção, para cochichar algo:

    -Use a sua voz Pietra, o amor de vocês é verdadeiro e a sua voz vai trazer o seu gigante de volta, o fascínio é uma imposição sensorial. Existem exceções mas depois eu te explico sobre elas... Se quiser é claro! Mas antes, acuda ele, eu não fiz de propósito!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 5/3/2018, 00:42

    As palavras de Helena me faziam sorrir, ainda mais com tamanha determinação, meu coração se encheria de orgulho em ver meus filhos bem e felizes, e se eles pudessem ter a oportunidade de retribuir o carinho cedidos a eles da mesma forma para outros cainitas eu seria eternamente feliz.

    A pequena resposta da pequena e sua reação rápida me fizeram rir da surpresa de Helena, tomando uma de suas mãos eu a beijava com carinho comentando com suavidade.

    – Ela fala bem pouco, mas adora surpreender a todos com isso.

    Observando a chegada de Alfie, era inevitável sorrir com o cheiro que se desprendia das taças, a reação de Helena apenas aumentou meu sorriso diante da taça que me era entregue, o costumeiro carinho acompanhado do beijo em minha testa me fez suspirar feliz.

    “Acho que ele vai ganhar o favor de Helena, vamos ver a reação desta pequena rosa.”

    Bebericando de leve na taça eu teria a oferecido a Alfonsus se os elogios de Helena não surtissem tamanho efeito, ouvindo seu conselho eu sorria a colocar a taça na mesa e ir acudir meu gigante.

    – Venha querido, vamos nos sentar até suas pernas ganharem força. Seu coração não esperava por essa não é mesmo?

    Sorrindo para Helena eu murmurava baixinho para a mesma.

    – Vou querer ouvir sim, é sempre bom aprender sobre nosso clã. Não se sinta culpada, ele só se emocionou um pouquinho, seu elogio significa muito mia amata.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 5/3/2018, 01:05

    -Perfeito, vamos reservar um tempinho para isso! Mas devo admitir, estou encantada por ele ficar fascinado pelo elogio, eu que deveria ter ficado fascinada por esse manjar! Na verdade,quase fiquei tá?!

    Comentava Helena sorrindo, as mãos pequenas dela seguravam a taça enquanto ela se dedicava a beber sem nenhuma vergonha ou cerimonia. Soltando pequenos sons alegres e positivos que deixava bem claro o quanto ela adorava! Já Alfie, sentava com a sua ajuda. O homem respirava de maneira profunda, acalmando-se com a sua voz e por fim, lhe respondia:

    -Não, eu não esperava por tanto...

    A pequena rosa de Troia colocava a taça sobre a mesma e sorria brevemente enquanto falava:

    -Vocês dois são maravilhosos juntos! Mas obrigada Alfie, por este encanto e este presente, saibas que conquistastes meu coração querido!

    O gigante olhava para Helena e agradecia com um sinal positivo de cabeça e abria um sorriso mais despojado na face.

    -É uma alegria incomparável, em pensar que eu fiquei tão preocupado em me apresentar a você!

    Helena então terminava de beber e apontava para você, para usar uma voz mais forte e de liderança, no entanto você notava claramente que era uma voz falsa e brincalhona!

    -Agora mocinha, toma o seu sangue e eu cuido do Alfie! Depois vamos lá pra fora esperar seus brotinhos!
    avatar
    Jess

    Mensagens : 2398
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 26
    Localização : Neverwere

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Jess em 5/3/2018, 01:20

    Ajudando Alfonsus a sentar em uma das cadeiras da cozinha, eu sorria diante das palavras de Helena, a pequena rosa voltava a se alimentar e cada pequeno som solto pela mesma apenas alimentava minha alegria.

    – Humm quem sabe na próxima vez ele não consiga um fascínio seu, talvez com pêssegos ou tâmaras?

    Perguntava rindo de leve, beijando as mãos de Alfie eu as segurava com carinho, esperando meu gigante se recuperar era com delicadeza que brincava com seus cabelos, algo que sempre me deixava sossegada.

    Beijando os lábios de Alfie com carinho, meus olhos observavam a troca de palavras entre o gigante e a rosa, feliz eu permanecia ao lado de Alfonsus sem medo durante toda a alimentação de Helena, recebendo sua ordem brincalhona eu corria para cumpri-la.

    “Lotte não vai ter muitos problemas fazer Helena entrar em fascínio, não aquela rosa esperta.”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3953
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Danto em 5/3/2018, 11:34

    -Pêssegos!!

    Respondia a pequena rosa de Troia que terminava enfim de se alimentar, enquanto ela fazia isso você via Alfie retornar daquele breve fascino por completo. O homem retribuía ao beijo com ternura e tomava ali um tempo para respirar e assim que a ordem de Helena era dada, o mesmo segurava o riso. Afinal, você rapidamente ia ao outro lado buscar a sua taça e tratar de se alimentar daquele delicioso vitae com sabor de figos frescos. A pequena rosa ali presente então se aproximava de Alfonsus para segurar uma das mãos do gigante, beijando-a com carinho ela sorria e apoiava a cabeça no ombro do mesmo, ficando ali até que você terminasse.

    -Antes de irmos até a praça de onde saímos, tenho uma importante pergunta a fazer a vocês queridos. E a faço por confiar em vocês está bem? Por tanto, me digam, com toda a sinceridade, sem receios por favor! A minha filha mais nova, Melinda, é merecedora?

    A fala dela vinha com um tom de preocupação. Sua mente logo trabalhava para encontrar memórias assustadoras sobre os últimos despertares de Helena se encaixando com a destruição de uma de suas próprias proles. Alfonsus gentilmente abraçava a pequena rosa de Troia para beijar o topo da cabeça dela e afirmar:

    -Se existem alguém capaz de lhe oferecer a mais verdadeira das respostas, este alguém é Pietra. Eu não faço parte da estrutura política que ela lidera, não acho que seria justo a minha palavra ter um peso considerável na questão, todavia, Pietra vivenciou e cresceu dentro dessa estrutura...

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato VII - A Princesa e o Jardim

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 22/6/2018, 11:57