WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    História de Berlim e a Sociedade Cainita Local

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    História de Berlim e a Sociedade Cainita Local

    Mensagem por Danto em 13/2/2015, 02:50

    A Origem do Primeiro Príncipe de Berlim:

    A “não-vida” antes de Gustav era difícil e justa. Berlim não possuía nenhum príncipe de Sangue e os poucos cainitas que se estabeleciam nas proximidades se preocupavam apenas com suas pequenas porções de terras e suas fontes de sangue. Com a chegada de Gustav a “não-vida” se tornou ainda mais difícil e drasticamente injusta. Ele controlava com muita rigidez o abraço de novos membros, o que resultou em um número sempre pequeno de cainitas sob seu domínio em Berlim, enquanto a criação de suas próprias proles, Gustav só abraçou seus próprios caniçais, não todos é claro, apenas os melhores e mais fiéis. Um costume que se popularizou na coroa de sangue de Berlim, uma fácil maneira de assegurar o laço de sangue eterno com as novas gerações de cainitas. Qualquer vampiro que colocava seus pés em Berlim e não se apresentasse a Gustav, prontamente aprenderia o enorme erro que fizera enquanto esperava pelos primeiros raios do amanhecer tocar seu corpo e consumi-lo por completo. Um Príncipe de Punhos de Ferro. Não haviam julgamento, haviam punições. Não haviam falhas ou perdões, apenas ordens e execuções. Sua voz era a lei máxima e seu sangue forte o suficiente para impor todas suas vontades em seus súditos.
    Em 1575, seu principado enfrentou a primeira “crise” que repercutiu sobre os cainitas de Berlim. Um Tremere visitante foi morto por "demorar" a se apresentar a Gustav, a retaliação do clã Tremere veio por meio de uma praga e uma nota entregue a Gustav pelas mãos do Justicar Tremere, Karl Schrekt, alertando-o a não "maltratar" novamente o clã Tremere. Mas de qualquer forma, a praga foi rogada sobre Berlim, ela não causou mal algum aos cainitas de região, mas reduziu fortemente o rebanho disponível na cidade. Entretanto, Gustav reagiu com vigor, desculpando-se da seguinte forma: Enviou para conselho de Viena uma nota de desculpas presa a uma estaca que estava cravada no coração do antigo Justicar Tremere.
    Esse episódio foi marcante para todos sob o domínio do Príncipe Gustav de Berlim, aos olhos do Príncipe, seus subalternos agora o temeriam ainda mais e o respeitaram para sempre, afinal, ele demonstrou força suficiente para arrancar o coração de um Justicar e não receber retaliação alguma da Camarilla. Para a massa dos cainitas de Berlim, não restavam dúvidas de que Gustav estava ficando louco por causa de sua idade! O terror cresceu como uma erva daninha, sufocando os pilares da cidade e enfraquecendo suas estruturas. A cada noite que se passava, maior era o temor e as ondas de pânico começaram a gerar fugas desesperadas de cainitas paranoicos e covardes, vários foram aqueles que escolheram o torpor e o sono eterno ao invés de entregar-se as ondas de medo que assolavam as noites de Berlim.

    Guerra contra os Toreador:

    Gustav odiava que outros clãs tentassem causar problemas em sua cidade e suas formas de punição sempre foram severas de mais, em uma dessas punições, Gustav executou três Toreadores de Paris. Rapidamente uma carta de repúdio chegou de Paris, a mesma permaneceu fechada e recebeu apenas o desdém de Gustav. Nessa época, Berlim era a terceira maior cidade da Europa (ficando atrás de Londres e Paris) e talvez o ego de Gustav fosse grandioso de mais para se atentar a esses pequenos detalhes mortais. Em Outubro de 1806, Napoleão marchou com suas tropas até Berlim e os Toreadores Franceses se esforçaram para manter o domínio da cidade por vários anos, durante esse período, eles saquearam incontáveis tesouros e artes de Berlim e de Gustav. Enquanto Napoelão marchava para Rússia, os Toreadores aceitaram um dos vários pedidos de perdão de Gustav, assim, o Príncipe de Berlim sacrificou três de suas proles e jurou permitir a livre entrada e saída de qualquer Toreador na cidade para todo sempre.
    A ocupação francesa de Berlim ensinou a Gustav a importância de planejar rotas de fuga e criação de locais de extrema segurança e proteção para suas posses e artes. Gustav jurou aos seus aliados mais próximos que se vingaria em proporções inimagináveis e inesquecíveis. Durante todo o século seguinte a invasão e ao Império Napoleónico, praticamente todos os clãs estabeleceram "santuários" em Berlim. Enquanto a linhagem de Gustav ainda seguia no comando da cidade e o mesmo continuava como Príncipe de mãos de ferro, Wilhelm atuava de maneira diferente, ele era mão direita de Gustav e primeira prole, aos olhos do Príncipe dos Punhos de Ferro, Whilhelm era o mais fiel, confiável e digno de seu sangue. O jovem era dedicado e observava tudo que seu Senhor fazia, aprendeu a governar com o mesmo e ganhou o respeito de seu Senhor ao longo dos anos. Mas ele nunca perdoou seu Senhor pela morte de seus 3 irmãos mais novos, e aos poucos Wilhelm começava a construir seus próprios sonhos e planos para Berlim, planos esses que não envolviam a presença de Gustav. A prole de Gustav aproximou-se muito dos grandes líderes dos outros clãs, conhecendo-os e ganhando confiança das mesmas graças as suas habilidades diplomáticas, provando-se indispensável para a Camarilla e para seu Príncipe/Senhor quando em 1848 ele desconstruiu e parou os planos do Sabá dentro da cidade. Tamanha foi a confiança de Gustav em seu braço direito que ele se distanciou da cidade e começou a dedicar-se exclusivamente a sua vingança. Um erro fatal para o poder hegemônico do Príncipe de Punhos de Ferro.

    Os Planos de Vingança:

    Gustav usou sua influência- sobre os Príncipes mortais germânicos e convocou várias reuniões com os Ventrue locais, por fim, ele foi capaz de provar a todos que a Camarilla e o clã Ventrue precisava de uma força unificada e de um território muito maior do que várias pequenas cidades independentes espalhadas pela Europa. Assim, Gustav proporcionava ao povo mortal e sobrenatural alemão a unificação em forma de nação. Usando as guerras Austriacas-Prussianas, Gustav e seus aliados Ventrue se movimentaram por entre as fileiras mortais para destruírem seus rivais e principalmente, afastar cada vez mais a presença dos Toreadores e Tremeres dos arredores de Berlim. Quando a formação do estado alemão se tornou um fato, o clã Ventrue se transformou no clã dominante da Camarilla local e Gustav alcançou um patamar elevado dentro de seu clã, passando a ser um dos líderes Ventrues mundiais.

    A Primeira Guerra Mundial:

    O império alemão cresceu durante os anos, Berlim destacava-se ainda mais dentro do cenário mundial. Em 1902, os esgotos foram oficialmente construídos por toda Berlim, estruturando-se em uma rede vasta e muito elaborada. Um marco para a civilização humana e um marco na história do clã Nosferatu na cidade. Aliados a Wilhelm, os Nosferatus cresceram por dentro dos esgotos em troca de informações privilegiadas entregues ao braço direito do Príncipe.
    Ao contrário do que a história nos conta, a primeira guerra mundial não começou por causa dos mortais e suas intrigas e rivalidades. O cenário de incerteza e ameaças foi utilizado por Gustav e sua influência incrivelmente poderosa, ele convenceu e conduziu os Príncipes Ventrue's germânicos de que a Camarilla Europeia em geral não era tão competente e fiel as leis da Camarilla e que sem o comando Ventrue, ela sucumbiria aos inimigos. Assim, Gustav e seus aliados estavam convictos de que era chegada a hora da demonstração máxima do poder Ventrue sobre o mundo. A grande surpresa dos Ventrue alemães e seus aliados foi a quebra de trados e relações feitas pelos Ventrue britânicos, esse rompimento surpreendeu a todos os líderes cainitas que forçavam o começo da Guerra.
    Em 1917 os Estados Unidos entraram na Guerra contra a Alemanha, essa participação norte-america tem como responsáveis os Cainitas Britânicos que antes mesmo da guerra, já suspeitavam das ações dos seus irmãos de clã, principalmente, após vários ataques as suas forças mortais e a presença massiva e direta dos cainitas germânicos nos campos de batalha, gerou a fúria dos cainitas norte-americanos, principalmente os Brujah e Ventrue. Que logo foram capazes de convencer seus compatriotas a atacar. Após poucos anos de batalha, a guerra terminava e a Alemanha era devastada pelos seus inimigos. Os Brujah das proximidades germânicas fizeram várias tentativas de tomar o poder de Berlim, grande parte desses Brujah's vinham da União Soviética, onde eles haviam estabelecido uma área de enorme influência e domínio, mas suas tentativas foram prematuras de mais, Gustav surpreendeu a tentativa Brujah com um ataque extremamente brutal. Por outro lado, Wilhelm, com um olhar diferente e certo afastamento em relação ao ataque contra os Brujah, convenceu seu senhor e príncipe que a Alemanha precisaria de mudanças. Ele sugeriu a forma de governo republicana entre os mortais, uma forma de governo que viria a falir em um futuro bem próximo...
    O que Gustav não conseguia visualizar, era que seu poder sobre Berlim e seus cainitas havia ruído. Em nome de sua vingança ele atraiu para as portas de Berlim vários cainitas e várias tropas mortais, trazendo apenas uma derrota devastadora para a nação alemã e nada além de humilhações e perdas de incontáveis vidas. Assim, vários de seus antigos e mais fiéis aliados se transformaram em inimigos e rivais, nesse exato momento, um ano após decretado o fim da primeira guerra, Wilhelm se colocou a frente. Gustav o nomeou primigênio de Berlim e o experiente Wilhelm que sempre se esforçou em manter uma boa relação com todos os líderes dos outros clãs e sempre se mostrou diferente de seu mentor, tomou as rédeas da cidade. Gustav permanecia com o título de Príncipe, mas todas as decisões e assuntos passavam pela a aprovação de Wilhelm. E foi graças a ele que Gustav continuou como príncipe de Berlim, passando a ser um príncipe distante, de faixada... O que todos os outros cainitas não sabiam era que Gustav ainda possuía uma enorme influência sobre os mortais de Berlim e que sua sede por vingança não havia acabado, ele logo começaria a traçar novos planos.

    O Terceiro Reich:

    Em janeiro de 1933, Adolf Hitler se tornou Chanceller da Alemanha. Em março do mesmo ano, ele e seu partido nazista conquistavam o poder dentro de Berlim e em seguida, de todo o pais. O partido nazista prometia para os alemães o fim da miséria que o novo governo falhava em afastar, era uma nova forma de esperança para um país que mergulhava em altíssimas taxas de inflação, um país que convivia com a pobreza e a vergonha da derrota na guerra. Heinrich Himmler, um dos parceiros de partido de Hitler, o homem que seria responsável direto pela Gestapo (Serviço Secreto Nazi), foi alcançado pela influência do Príncipe Gustav que via dentro do ideal nazista uma excelente forma de conquistar sua tão desejada vingança. Gustav rapidamente transformou Heinrich Himmler em um carniçal, o fato que o ancião jamais seria capaz de prever era: O mortal era imune ao laço de sangue.
    Os problemas financeiros da Alemanha enfraqueciam o poder do primigênio Wilhelm, enquanto isso, Gustav se preocupava em colocar seus carniçais entre as linhas mais altas de comando do partido Nazi e a favorecer seus pouquíssimos aliados cainitas a alcançarem pequenos pedaços de influência no novo partido que começava a sua ascensão no país. A crise republicana chegou a um nível incontrolável e revoltou os cainitas locais, foi com esse cenário que Gustav lançou-se novamente ao domínio da cidade de Berlim e impulsionou diretamente o partido nazista em sua tomada de poder.
    Gustav então afastou sua própria prole do cargo de primigênio e assumiu mais uma vez Berlim, dedicando-se exclusivamente a reger diretamente o partido nazista alemão. A guerra conduzida por Hitler foi algo que Gustav não pode impedir, mas ao mesmo tempo, garantia ao Ancião mais uma oportunidade para vingar-se daqueles que ele ainda guardava tanto ódio e rancor. A Segunda Guerra mundial já completava seu primeiro aniversário quando Gustav encontrou-se com Hitler, foi após esse encontro que o então líder alemão se transformou no homem mais temido do mundo, suas tropas invadiam e conquistavam toda a Europa e inclusive alcançava áreas que jamais haviam sido sequer visitadas pelas tropas alemãs na primeira grande guerra.
    Mas Gustav sabia que seu domínio sobre Hitler não era absoluto, ele só não sabia a razão. O Fuehrer resistia a seus domínios mentais com certa frequência e até mesmo ousava desobedecer às ordens vindas de Gustav. Aos poucos Gustav começou a perder sua confiança na capacidade da Alemanha conquistar o mundo e assim que as primeiras derrotas começaram a vir, o príncipe de Berlim começou a preocupar-se bastante com o cenário que estava para lhe alcançar.
    Muitos sentiram que algo mágico está acontecendo e influenciado o destino das tropas de Hitler, eram as respostas das outras criaturas sobrenaturais da Europa reagindo com intensa fúria aos ataques de Hitler e suas tropas, aos poucos a Alemanha começava novamente a ruir em diversas investidas sem sucesso contra seus inimigos e foi quando o poder de Berlim se mostrou instável que a grande invasão de Lobisomens (especialmente os Crias de Fenrir), juntamente com vários poderosos Gangrel de Berlim, avançaram e contestaram a floresta de Grunewald. Nessa altura, vários cainitas haviam morrido por causa dos bombardeios ou em campo de batalha, vários antigos já se encontravam em torpor e os novos não eram capazes de lutar diretamente contra os Lobisomens.
    Enfim, a guerra acabava e Berlim mergulhava diretamente em caos. As tropas inimigas invadiram a cidade, destruindo-a e matando qualquer um que fosse membro do partido nazista. A destruição mortal na cidade de Berlim trouxe a morte final de muitos vampiros locais, forçou outros vários ao torpor e apavorou todos os sobreviventes dos dias de caos e destruição que varreram Berlim. O poder da cidade foi então quebrado e fragmentado em sub-divisões, a Alemanha não era mais um país livre e Berlim pertencia a poderes diferentes...

    A Guerra Fria, duas cidades e dois Príncipes:

    Os soviéticos e os americanos conquistaram a Alemanha e principalmente, Berlim. O resultado dessa partição de terra foi a criação de dois novos países, duas novas Alemanhas surgiam para o mundo. A parte ocidental ficaria então sob comando Americano e a parte oriental sob comando Soviético, o mesmo destino do mundo mortal também foi dado e aos cainitas locais... Os Brujah's dominavam a União Soviética, enquanto as forças aliadas aos EUA eram dominadas pela Camarilla tradicional (EUA, Inglaterra, França etc).
    Mas Gustav não recuaria diante de uma divisão imposta por mortais, muito menos aceitaria a divisão de sua cidade em duas. Rapidamente o muro fora construído e com igual velocidade, crescera a fúria de Gustav que então marchou contra as forças ocidentais com a intenção de conquistar novamente sua cidade. O poderoso e antigo príncipe de Berlim, que agora estava confinado ao lado Oriental, foi surpreendido por quase 100 tiros de munição anti-tanque que o colocaram ao chão e arrancaram-lhe bons pedaços de seu corpo... Gustav quase encontrou sua morte final naquela noite, se não fosse pela intervenção de Friedrich Kraus do clã Brujah, que ordenou o cessar fogo e carregou o corpo ferido de Gustav para o seu devido setor oriental.

    A Batalha de Dois Príncipes:

    Os Brujah Soviéticos tinham planos e desejos para a parte ocidental de Berlim e para toda a outra parte da Alemanha. Eles desejavam controlar toda a região e entrega-la a como um Presente a União Soviética, assim, eles precisavam de um príncipe para Berlim, uma figura forte e conhecida por sua capacidade de liderar. A ordem de cessar fogo contra Gustav não foi um ato do acaso, os Brujah tinham total conhecimento da personalidade e de como Gustav agiria naquela situação, eles armaram e preparam os soldados para a investida do ancião e assim que resgataram seu corpo, o líder e mais poderoso Brujah Soviético aprisionou Gustav ao laço de sangue e juntos, os Brujah's e o Príncipe Ventrue Gustav começaram seus planos de conquistar a porção ocidental de Berlim.
    O ponto crucial para o plano dos Brujah Orientais estava centralizado na figura do líder anarquista ocidental, Dieter Kotlar, um jovem abraçado durante o começo da segunda grande guerra que acreditava na criação e no estabelecimento do "Final Reich". Ele se manteve responsável pela comunicação entre os Brujah Orientais e Ocidentais e assim os planos começavam a acontecer lentamente.
    Enquanto isso, Wilhelm que se manteve escondido durante todo o período de invasão junto com os Nosferatu, começava vagarosamente e com bastante cautela a reconquistar a parcela territorial ocidental de Berlim. A prole de Gustav dedicou-se a criação e manutenção de alianças próximas e saudáveis com o conselho dos primigênios locais que não demoraram muito a darem suporte ao mesmo como Príncipe de Berlim Ocidental, ao assumir o principado, Wilhelm abriu as portas de Berlim para todos os cainitas da Europa Ocidental, sem restrições. Dedicou-se a expansão do livre comércio local e incentivou a instalação de todos aqueles que tivessem interesse em residir em Berlim, extremamente fiel a Camarilla e aos seus princípios e famoso por ser um líder ponderado e eficiente, Wilhelm cresceu ao ponto de tornar-se um dos mais fortes defensores das leis e da sociedade Camarilla na Europa pós-guerra.
    Gustav, agora príncipe de Berlim Oriental, soube que o "usurpador" de seu trono era sua própria prole que já havia tomado seu "trono" em um passado recente. O Ventrue se enfureceu e juntamente com seus aliados Brujah, ordenou diversas ofensivas contra os cainitas Ocidentais e principalmente, contra a vida de Wilhelm. Wilhelm por sua vez só sobrevivia aos ataques graças a incrível capacidade de espionagem e interceptação de informações dos Nosferatu's que sempre foram seus maiores aliados. Logo, em 1961, as forças cainitas orientais financiaram a construção do Muro de Berlim, para manter os Nosferatu longe de seu território. Wilhelm rapidamente aproveitou-se do Muro para convocar os Tremere Ocidentais e pedir a eles que construíssem uma barreira magica que impedisse o avanço de cainitas poderosos pelo Muro. Assim foram construídas "sentinelas magicas" que avisavam aos Primigênios Ocidentais quando qualquer vampiro tentasse passar pelo Muro de Berlim, entretanto, uma "interferência inesperada" fez com que os avisos fossem dados aos dois lados. Assim, qualquer vampiro que ultrapassasse os limites do Muro de Berlim era "visto" por essas sentinelas e os dois lados eram avisados da movimentação.
    Havia apenas um único clã capaz de ultrapassar a barreira magica, os Nosferatu. E durante esse período de guerra fria apenas eles eram capazes de obter informações sobre os dois lados e a venda dessas informações fez com que a influência Nosferatu local crescer verdadeiramente importante e incontestável, eles passaram a ser bem recebidos nos dois lados e extremamente valorizados pelos Príncipes de Berlim.

    A Nova Era:

    Na distante mãe Rússia, uma força poderosa e muito antiga acordava de seu torpor, a matusalém Baba Yaga. E a bruxa começava a retomar seus domínios que agora ainda faziam parte da União Soviética e pertenciam aos Brujah's. Aos poucos Gustav começou a perceber o desaparecimento de vários aliados importantes do lado soviético, enquanto isso acontecia, os Nosferatu de Berlim (sempre favoráveis ao príncipe Ocidental) começavam a dar informações falsas a Camarilla Oriental, assim sem ser capaz de prever as ações do lado Ocidental, a notícia de que a Alemanha Ocidental iria abrir um único ponto de comercio entre o lado Oriental, pegou Gustav de surpresa e deu início a uma nova era em Berlim.
    Gustav então, sem ainda desconfiar que os Nosferatu estavam guiando-o de forma tendenciosa, permitiu a demolição do Muro de Berlim em junho de 1990. Gustav notou tarde demais a verdadeira natureza das informações dos Nosferatu e quando ele se voltou para seus aliados Orientais em busca de suporte para mais ataques, ele não os encontrou, Baba Yaga avançava sua força de mais de dois mil anos sobre as terras Soviéticas. Assim, incapaz de dominar o lado Ocidental, Gustav agarra com todas as suas forças seu território Oriental e mesmo sem o muro, a barreira social entre os cainitas permanece intacta.
    Naturalmente os cainitas germânicos mais novos foram se esquecendo da imagem de Gustav, mas em Berlim, a reunificação da cidade trouxe um temor enorme para a segurança de todos já que o possível retorno de Gustav poderia ser anunciado a qualquer instante. E assim se deu início a nova era da cidade de Berlim, uma cidade de milhões de almas com dois príncipes cainitas no poder. Dois príncipes que conservam e compartilham de um enorme ódio e que não estão dispostos a ceder nenhum pedaço de seu domínio para o outro; nenhum movimento de recuo será dado, nenhuma tropa será removida, a batalha esta construída e apenas à espera do primeiro tiro para varrer a cidade inteira com sangue cainita por todos os lados. O resultado dessa disputa é uma sociedade cainita dividia, dois conselhos da primigênios em uma só cidade, duas Camarillas estão colocadas em lados opostos dentro de Berlim. O caos ecoa por todos os cantos da cidade e o ódio entre as duas Camarillas cresce de maneira sutil porem visível, a disputa não explode exclusivamente por causa das medidas de segurança em relação a Máscara e é ela que protege Berlim do caos total.


    Última edição por Danto em 7/11/2016, 11:03, editado 1 vez(es)
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: História de Berlim e a Sociedade Cainita Local

    Mensagem por Danto em 22/8/2016, 01:20

    Conclave e Unificação:

    Um conclave convocado por um membro não identificado do clã Ventrue foi realizado na noite de 22 de março de 2002, essa grandiosa cerimônia foi prestigiada por vários líderes Europeus da Camarilla e resultou na união das duas Camarilla que existiam em Berlim dês do começo da Guerra Fria, nomeado como “O Conclave da Queda”, esse simbolizou o fim do reinado de Gustav sobre a cidade e da revogação dos cargos dos príncipes das maiores cidades alemãs, iniciando uma nova era para toda a sociedade cainita germânica. Entretanto, é necessário compreender as razões que levaram a realização do conclave e o que elas poderão significar para o futuro.
    A barreira mágica construída pelo clã Tremere, ou simplesmente “a cortina de ferro”, se rompeu na segunda feira, 9 de março de 2002, causando uma enorme onda de pavor e medo. A cortina de ferro era responsável por impedir a movimentação dos anciões de um lado para o outro de Berlim, isolando assim a força de Gustav no lado Oriental e a Camarilla de Wilhem no lado Ocidental. A situação ficou ainda mais preocupante no final do dia 10 de março de 2002, esse foi marcado por um acontecimento de origem sobrenatural, um estranho torpor derrubou os anciões da cidade por duas noites inteiras. O Sabá que se localizava escondido dentro das terras Orientais se viu com uma perfeita oportunidade de avançar contra os neófitos do antigo bloco soviético, enquanto os Anarquistas ameaçaram ataques violentos na porção capitalista da cidade. O castelo de Berlim foi incendiado e vários outros pontos da cidade foram depredados e invadidos pelos inimigos da Camarilla, mas o maior de todos os ataques foi a destruição da biblioteca municipal de Berlim, local onde a capela Tremere era localizada, o incêndio da capela destruiu vários neófitos e enfraqueceu o clã.
    Na ausência dos antigos, os jovens das duas cortes se uniram e juntos derem início a construção de uma união, essa força tarefa se mostrou capaz de não só preparar o Conclave da Queda, mas de principalmente romper as barreiras sociais e territoriais entre as cortes da Torre de Marfim. Diana Scharff, uma Toreador neófita foi a grande organizadora e arquiteta do conclave, recebendo o auxílio do antigo senescal oriental, o neófito Ventrue Heinrich Hilmmlet. O resultado do conclave foi:
    -> A destruição de Gustav Breidenstein e a punição de vários anciões locais. Dentre eles os mais notórios são: O primogeno Malkaviano, a primogena Nosferatu, os membros do Esquadrão Vermelho.
    -> A renovação dos postos da Camarilla, sendo essa agora unificada em uma única corte para toda a cidade de Berlim. A sociedade cainita finalmente alcançou a mesma modernidade que os mortais da cidade já possuíam, sem Gustav, não havia mais muro, não havia mais guerra e tão pouco razões para acreditar no quarto Reich ou na reconstrução de um novo Kaiser. O novo príncipe foi anunciado pelo círculo interno: Katarina Kornfeld. Na mesma noite de seu anuncio, a anciã Ventrue nomeou todos os membros do conselho de primógenos da cidade e todos os novos membros a ocuparem os cargos dentro da hierarquia local.
    -> A exposição do projeto Werwolf e a punição rígida a todos os envolvidos no maior escândalo militar da história moderna da Camarilla Europeia. O projeto consistia na construção de uma nova forma de gerar humanos implacáveis, vassalos ao vitae cainita, esses humanos passavam por experiências com lobisomens, magos, vampiros e várias outras criaturas sobrenaturais que o exército Nazista pode encontrar em suas campanhas de conquistas durante a segunda grande guerra. A realidade é que o projeto nasceu dentro do próprio serviço secreto Nazista, a GESTAPO, e era gerenciada por vassalos dos vitaes dos príncipes germânicos. Ou seja, todos os membros do alto escalão militar da Alemanha nazista sabiam da existência do sobrenatural, um golpe brutal à mais valiosa tradição da Torre de Marfim: a Máscara. Todos os príncipes envolvidos foram punidos e tiveram seus cargos exonerados, alguns chegaram a encontrar a punição máxima: a morte. E todos os jovens que participaram também encontraram punições tão severas quanto.
    -> O distanciamento de Wilhelm da cidade ainda é um grande enigma para os membros que pertenciam ao lado ocidental, não são raros os que ainda o reconhecem como Príncipe e acreditam que o novo príncipe realizou um golpe de oportunismo para assumir o cargo.
    O final do Conclave da Queda foi marcado pela interferência do Sabá local, Pietra Rafaldini, um bispo da Espada de Caim anunciou a todos os membros presentes na cerimônia que um matusalém chamado de “A Imperatriz” estaria a caminho. E o conclave foi imediatamente finalizado, restando apenas os grandes anciões Ventrue no interior do teatro onde o conclave foi executado. Os acontecimentos finais dessa noite são misteriosos, cada sobrevivente dessa noite tem sua própria versão dos fatos, alguns afirmam que uma tropa de cainitas marchou pela cidade em direção ao teatro e batalhou contra o matusalém. Outros dizem que o matusalém massacrou todos os antigos príncipes e até o próprio Gustav e destruindo a vontade de Wilhem. O resultado final é de fato o mais importante, Berlim agora se encontra em uma situação pacifica. Ausente da Guerra Fria das duas cortes e com uma população de cainitas mais reduzida após as execuções e punições do Conclave.  A cidade agora caminha em direção ao progresso, ao futuro e a sua própria ascensão dentro do cenário Europeu dos mortais e imortais.

    A Hierarquia da Torre de Marfim na Nova Berlim:

    Katarina Kornfeld, do clã Ventrue: Príncipe
    Elsa Linden, do clã Toreador: Primogênita
    Nichole Steinbacher, do clã Ventrue: Primogênita
    Ilse Bänsh, do clã Brujah: Primogênita
    Marcel Imhoff, do clã Nosferatu: Primogênito
    Persia, do clã Malkaviano: Primogênita
    Frank Wahlgren, do clã Tremere: Primogênito
    -
    Noah Eriksson, do clã Brujah: Xerife Ocidental
    Helena Starikova, do clã Brujah: Xerife Oriental
    Heinrich Hilmmlet, do clã Ventrue: Senescal
    Isabella Knoerr, do clã Ventrue: Harpia
    Dominika Krymova, do clã Brujah: Harpia
    Liane Rehberg, do clã Nosferatu: Harpia
    Fabienne LeBeau, do clã Toreador: Harpia
    Joseph Muller, do Clã Brujah: Algoz
    -
    Diana Scharff, do Clã Toreador: Líder do Conselho dos Pródigos
    Ferdinand Van Houten, do clã Ventrue: Pródigo
    Erika Geiger, do clã Brujah: Pródiga
    Amélia, do clã Nosferatu: Pródiga
    Marianne Vetter, do clã Malkaviano: Pródiga
    Sten Bergstrom, do clã Tremere: Pródigo

    Hans Vroenik, do clã Toreador:  Zelador do Elísio Ocidental, Domínio exclusivo Toreador
    Bert Kistler, do clã Brujah: Zelador do novo Elísio da Camarilla

      Data/hora atual: 23/8/2017, 09:04