WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Compartilhe
    avatar
    Miac

    Mensagens : 512
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Miac em 14/3/2016, 00:11

    - Minhas mais sinceras condolências por sua antiga filha Senhorita Linden, vejo seu afeto por Diana e sei que não tratou diferente a antiga, pode não ser confortante mas, sei que foram os melhores anos que ela poderia passar ao lado de uma Senhora!

    Ulrich não era polido da mais pura etiqueta que havia no mundo, mais sabia lidar com algumas situações, apenas em livros e como comportar, já que sua Senhora não o permitia agir de outra forma se não esta, mas em suas palavras era possível notar um tom sincero e preocupado em algumas palavras. Sua atenção se voltou para a mansão, ele sorriu de uma forma sinceramente irônica pois já era a segunda vez que em uma única noite que estava indo para uma casa tão desproporcional com seu status. Ele apoiou o braço no encosto do banco e forçou sua respiração com um ar pensativo.

    - De fato! Começou por volta de umas 00:30 quando cheguei no Elísio, estava observando o local já que nunca tive a oportunidade de vê-lo, alguns jovens cainitas estavam observando uma escultura, outros conversando mais ao canto e alguns apenas sentados, um cainita chamado Joachim Krampitz veio ao meu encontro e se apresentou de forma completa, nome e clã, disse que os anciões estavam se matando e que deveríamos sair, ele surtou ao termino, e Diana apareceu o acalmando, fui informado por ela que as apresentações estavam dispensadas naquele momento, decidimos ir até a Hellfirepub, fui convidado na verdade, como nunca saio decidi ir, chegamos no local e uma apresentação foi feita por uma filha da cacofonia Erika Diederich, uma mulher com uma voz doce e sedutora, não só em voz, ela veio conversar conosco e por fim decidiram que devíamos entrar na verdadeira Hellfirepub.

    O Jovem Tremere deu uma pequena pausa e virou seus olhos para Diana novamente e continuou a falar.

    -Diana disse que se eu entrasse não poderia mais sair, não entendi o motivo daquilo, ela me parecia um pouco assustada com a situação, cometi um pequeno erro em brincar lhe dizendo que eu não deixaria nada lhe acontecer, talvez a colocação das palavras ou o fato de eu ter me aproximado de mais, enfim, adentramos ao local, era uma porta de estrutura única, um gárgula no batente de cima e uma serpente em alto relevo em cada porta, a mesma era ativada com o sangue pelo que percebi, o local era boate subterrânea, não consegui ver o rosto de ninguém lá apenas sombras, a iluminação vinha de focos de luz no chão o que não ajudava muito em distinguir o quê era o quê lá, Joachim sumiu em meio a umbra e Diederick me chamou para algum lugar caminhando em minha frente...Diana estava observando todo o lugar imoveu, sei que não é muito mais, cumpro com aquilo que digo, sua filha me olhou de um jeito único senhorita Elsa, um mar de cores em uma fusão química única, optamos com conversar e assim fizemos, ela tinha medo de um mito sobre uma dançarina do fogo, e o show dessa mesma dançarina foi anunciado por Joachim que riu de forma estérica e perturbadora, ela realmente dançou com o fogo e junto dela surgiu um membro do Sabá, nos avisou que havíamos pego um de seus companheiros e agora deveríamos pagar por isso. Ela convocou juntamente com o sangue que brotava de seus poros uma especie de piche que deu forma a tentáculos e começou a desferir chicotadas com ele para todos os lados, humanos começaram a ser esmagados como se fossem apenas sacos de carnes, puxei Diana para que pudêssemos correr até as escadas, ela utilizou de algum dom e adquiriu o rubor de um humano em suas pernas e sumiu de minha visão. Por minha sorte eu consegui ir para meu refugio. O medo nos consumia de uma forma anormal, eu queria fugir das chamas.Foi um verdadeiro massacre!

    " Me desculpe Senhorita Elsa, mas não posso lhe contar o que aconteceu quando subi as escadas!"
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Danto em 14/3/2016, 19:09

    Quando você começa a falar, a anciã Toreador estava prontamente com o próprio celular em mãos, mas a atenção dela estava focada apenas em você e em suas expressões, ela demonstrava uma clara apreensão com os fatos, balançando a cabeça negativamente quando você mencionava a morte de mortais e inocentes no local. Por fim, ela entrega o celular para você e seus olhos veem que todas as informações passadas por você estavam transcritas na tela e prontas para serem enviadas para o Xerife da corte Ocidental.

    -Devemos informar aos responsáveis pela ordem e paz da cidade, o Xerife precisa dessas informações para impedir que novos ataques assim sejam lançados sobre os mortais. Confira por favor as informações e se não for pedir muito, gostaria que eu mesma assumisse a responsabilidade sobre essas informações, assim eu estaria a sua frente para impedir qualquer tipo de interrogatório do Xerife ou Algoz.

    Ela começava a falar quase que ao mesmo tempo que o carro voltava a se movimentar, agora em uma velocidade de passeio por dentro da propriedade da anciã. Um belíssimo jardim com esculturas de grama e estátuas de mármore. O carro estaciona em frente a uma fonte de água onde dois anjos estavam postos em uma postura de oração aos céus, a água vertia de seus olhos como lágrimas eternizadas.
    avatar
    Miac

    Mensagens : 512
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Miac em 14/3/2016, 19:28

    O jovem Tremere olhou para a ancião por alguns segundos e por fim olhou para o celular da mesma, o pegou sem disser uma unica palavra e leu sua historia por completa no aparelho. Ele estendeu o telefone para a cainita e a olhou de uma forma seria.

    - Ainda não foi oficializado mais no começo da mesma noite desse ocorrido a Senhorita Viktoria Blucher me ofereceu um trabalho no circulo de caça, o como ainda não estou nesse cargo e os anciões de meu clã me liberaram para essa função eu não vejo problema algum em deixar a Senhorita tomar o rumo dessa situação. Mas ainda há câmeras de segurança no local, como mudaria elas Senhorita Elsa?

    Por fim ele olhou para o anjo que suplicava algo e vertia água de seus olhos, combinava bem com essa "família" de cainitas, todos eram tão preocupados e humanizados que os Tremeres aos olhos de Ulrich estes nunca deveriam ser abraçados e receber a maldição de Caim.

    " Ela deseja assumir a responsabilidade em contar o que ocorreu na boate, não vejo problema algum, nem mesmo sei se a ideia de ser de um grupo de caça é viável agora, sei que uma ordem deve ser mantida mas não sei se eu seria quem esta ao lado dela!"
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3231
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Danto em 15/3/2016, 15:59

    -Não há como mudar as câmeras e a intenção também não é essa. Apenas preciso que você me escute com atenção, Diana pode ser severamente punida por esse descontrole e nós sabemos que foi o fogo do ataque que a deixou assim, será mais seguro para ela que essa informação sobre o ataque seja conduzida da seguinte maneira. Vocês dois, como bons amigos que são, sobreviveram ao ataque juntos e Diana o convenceu a vir até mim para contar os fatos e descobrir como agir em prol da segurança de vocês.

    Diz Elsa que saia do carro, fazendo um gesto para os seguranças que estavam na porta da mansão, os quatro homens descem as escadas em passos rápidos e se aproximam do carro, abrindo as portas do mesmo, dois pegam Diana no colo e sobem em direção a mansão. Os outros dois seguranças vão na frente, abrindo as portas. Elsa então faz um breve movimento que o convidava para acompanha-la.

    [Off: Ultima ação para o final do Ato]
    avatar
    Miac

    Mensagens : 512
    Data de inscrição : 21/11/2015
    Idade : 27

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Miac em 15/3/2016, 16:11

    Ulrich sorriu de uma forma inocente, Diana fora a unica prejudicada com aquele ataque e ele agora poderia fazer algo para amenizar seu estado, o mesmo observou os seguranças e por fim fez um gesto positivo com a cabeça e acompanhou Elsa.

    " A questão é que talvez eu seja punido por ter lhe procurado primeiro antes de meus superiores, gostaria que alguns antigos fossem igual a senhorita Elsa, de qualquer forma eu já me decidi!"

    O Jovem Tremere caminhava ao lado direito da mulher e deixava sua mão estendida para ela assim poder apoiar a mesma e conseguir subir a escada de maneira mais confortável, seu braço esquerdo permanecia atrás de suas costas. Ele falou em um tom determinado.

    - E assim será feito Senhorita Elsa, não desejo nenhum mal para com sua filha!

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato VI - Narrativa de Ulrich: Sem promessas, sem culpa.

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 15/12/2017, 19:44