WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Compartilhe
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Mensagem por Jess em 15/3/2016, 18:36

    Pietra sustentou o olhar de Rahel com suavidade, por um fim quando o cainita voltava a mudar de personalidade e linguá esta sorriu de maneira agradecida, seus olhos castanhos estudavam com interesse os movimentos do Lasombra, não era apenas a voz que mudava, mas cada gesto minimo parecia transfigurar-se de uma personalidade para outra.

    " Um sábio e um aprendiz coexistem em Rahel... Uma marca realmente singular..."

    - Coexistir com Karla... Ela já domina a cidade e sabe disso, de qualquer forma é um ponto a ser usado... A grande questão é o peso da linhagem de Artur... Derrubar as duas Camarillas é derrubar a linhagem de Gustav... Mas a prole não autorizada é diferente do restante e já nos provou isso... Karla poderia não gostar mas o Arcebispo tem uma honra inquestionável e seus ideias prezam pela paz...


    As palavras sobre Artur carregavam certo carinho, Pietra sabia disso e não se incomodava com o fato, para a Espada de Berlim a cainita nunca escondera a admiração que sentia pelo antigo Bispo, e ali junto a Kranz não havia motivos para ignorar isso.

    - Fico lisonjeada com sua sinceridade Rahel Kranz... Acredito profundamente que é mais fácil nos expressarmos sinceramente em nossa língua materna... Longe das traduções e cuidados para falar corretamente existe uma liberdade unica... Também entendo que o som disso pode abrir brechas em nossos atos... Por isso não se preocupe quanto a sua sinceridade... Ambos queremos o melhor para a Espada e para isso deve existir confiança...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Mensagem por Danto em 15/3/2016, 20:59

    -Você é extremamente sábia, senhorita Rafaldini. O Arcebispo estava certíssimo quando nos perguntou sobre a possibilidade de nomear você ao cargo de Bispo, existem grandes pretensões para a Espada de Berlim, vindas da própria Regente do Sabá... Esteja atenta a grandes mudanças nas próximas noites e se esforce para não se perder em meio as turbulências, você é uma importante e indispensável peça para o futuro do Sabá.

    Diz Rahel em resposta, dessa vez escondendo completamente a figura jovem de Padre que costumava carregar consigo. A pele do mesmo chegava a ficar pálida como era de se esperar de um verdadeiro ancião milenar. O carro então diminui de velocidade e ele olhar para você com uma expressão de forte confiança no olhar, estacionando o carro na entrada de um beco. Ele tira as chaves da ignição e comenta.

    -Chegamos. Karla estará junto de suas principais e mais poderosas proles, qualquer mínima tensão poderá resultar em uma batalha sanguinária e por isso eu terei que expor minha idade e meu nome. Bem vinda ao mais alto patamar dos jogos políticos de Berlim, Senhorita Pietra Rafaldini, meu nome é Narses.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Mensagem por Jess em 15/3/2016, 22:36

    Pietra sorriu agradecida com as palavras de Rahel, para a cainita era importante saber que suas palavras continham um pouco de sabedoria, ouvindo atentamente os conselhos de Kranz a cainita concordou com este com um leve aceno.

    Quando o carro parou Pietra não conseguiu conter a surpresa estampada em seu rosto, levou alguns instantes para que a cainita se recompor por completo.

    " Então o sábio se revela... Muito mais velho e poderoso do que eu poderia prever..."

    - Agradeço imensamente o voto de confiança que me fazes agora... Mas o destino é engraçado... Foste tu que deu permissão ao meu senhor para ter mais uma criança...

    Pietra encarou o homem sentado a seu lado com um olhar vago, respirando fundo e fechando os olhos esta voltou a abri-los já mais decidida:

    - Torçamos para que Karla aceite nossa oferta... Ambos os lados teriam a lucrar com esta aliança... Uma guerra contra o clã dela seria arriscado demais para ambos...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Mensagem por Danto em 16/3/2016, 04:16

    As mãos brancas de Rahel seguraram com firmeza o couro que revestia o volante do carro esportivo que agora encontrava-se inerte, o ruído era notório e demonstrava uma sensação de nervosismo aparente. Essa foi a exata reação que o corpo do antigo Lasombra fez quando você mencionou o fato dele ter dado a permissão para seu Senhor ter mais uma prole, mas o complicado nessa questão era atravessar toda aquele mistério de expressões e distanciações que percorriam a face do homem que estava sentado ao seu lado. Soltando então o volante e permanecendo em silêncio ele abre a porta do carro e saí do mesmo, tirando do bolso da calça que ficava encoberta pelas vestes clericais modernas, o mesmo tira um maço de cigarros aberto e um isqueiro. Levando o cigarro à boca e ascendendo o mesmo enquanto iniciava uma breve caminhada na direção do beco do outro lado da rua, o ar tenso apenas terminou quando Rahel parou em frente ao beco, tirou o cigarro dos lábios após uma profunda tragada e olhou diretamente para você.

    -Minha fé faz meu intimo feliz por eu ser indiretamente responsável pela criação de uma herdeira tão honorável do vitae de Caim, mas minha consciência ofusca a felicidade com a memória do incêndio e da sua ida à contra gosto para a corte de Paris, meu desejo era tê-la em minha corte, mas haviam planos bem maiores para ti e diante Dele nada posso eu fazer, pois Ele é o Deus Único. Perdoe-me pelos devaneios, mas antes de adentrarmos sem um convite próprio o covil dos Nosferatu de Berlim, preciso perguntar algo à você, Senhorita Rafaldini.

    Falando em um italiano nativo, forte e tradicional o bispo faz uma pausa para dar a última tragada profunda no cigarro e atirar o mesmo no meio fio da rua, logo atrás de vocês dois, sem sequer consumi-lo por inteiro. Olhando então para frente em direção ao beco sujo e vazio, ele pergunta.

    -Existe algo que eu possa fazer por você?

    O antigo Lasombra olhava para você com uma profunda tristeza, não seria de grande espanto que ele soubesse exatamente o que havia ocorrido nas suas noites como neófita, muito menos ter conhecimento exato de quem era seu Senhor. A culpa estava a devorar profundamente a consciência de um dos mais antigos que já se colocou à sua frente, um fato inesperado ainda mais se considerar a fama de Arcebispo de Caim que o mesmo carregou consigo por tantos anos durante o período das Trevas da Família Cainita. Como poderia um membro da Trilha de Caim sentir culpa por um abraço?!

    [Ultima ação para o final do Ato]
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato V - Narrativa de Pietra: As Trevas do Crepúsculo

    Mensagem por Jess em 16/3/2016, 10:06

    No primeiro instante a reação de Narses chegou a assustar Pietra, escondendo o fato a cainita deixou que o mais velho tomasse seu tempo, ali naqueles momentos não havia a figura jovial de Rahel, apenas a palidez antiga de Narses.

    Saindo com calma do carro e se recostando no mesmo Pietra achou interessante a cena deste fumando, o ato tão humano contratava demasiadamente com a natureza cainita de ambos, mesmo assim a toreadora estudava aquilo com interesse.

    " Como podemos nos passar de mortais com tanta facilidade? É errado sermos lobos em pele de cordeiro brincando entre o rebanho... Isso caira na nossa conta quando formos julgados?"

    Por alguns instantes o olhar de Pietra se tornou triste, a cainita não poderia imaginar a reação do Lasombra e muito menos que aquela permissão pudesse te-lo afetado daquela maneira.

    - Ninguém poderia prever o futuro... Hoje eu posso agradece-lo de maneira adequada... As chamas que consumiram meu passado me libertaram da vida mortal ao qual não fui destinada... O homem que amei em minha juventude viveu uma vida plena conseguindo deixar sua marca na história humana... Meu rosto mesmo que singelamente está eternizado nos céus da Capela Cistina...

    Levantando o rosto para encarar o cainita Pietra sorriu, em seu sorriso e olhos havia o mais profundo sentimento de gratidão, toda dor e sofrimento que a cainita havia passado durante sua longa existência não era nada se comparado a suas conquistas.

    Aproximando-se de Narses esta fez uma longa mensura, não se importando nem um pouco se importando se sujaria ou não a roupa branca que usava.

    - Eu o agradeço meu senhor... Do mais profundo de minha alma caida, agradeço por toda privação que passei... Pois dela aprendi a olhar para meus tesouros com novos olhos... Sem você Eva nunca teria passado por minha vida... Nunca teria me feito renascer... Eu não seria quem eu sou... E continuaria morta e perdida... Foste tua escolha que no final me libertou e serei eternamente grata por isso... E rogo para que nenhuma culpa tome seu intimo... Me sentira desgraçada por isso...

    Levantando-se a cainita bateu de leve suas vestes, cruzando de leve os braços esta sorriu suavemente enquanto exalava o cheiro da fumaça.

    - Não... Não há nada de que necessite... Mas eu ficaria grata em ter sua companhia diante da loucura que se aproxima de nós nas próximas noites...

      Data/hora atual: 23/8/2017, 09:00