WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Compartilhe
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Jess em 12/9/2016, 23:51

    A postura de Fabiene diminuiu um pouco o sorriso de Pietra, porem a cainita reconhecia bem a educação primorosa da mesma reconhecia ali a educação de que Elonzo tanto queria da mesma, educação que por mais que se esforçasse para fazê-lo lhe parecia falsa e distante.

    “Fabiene teria deixado Elonzo orgulhoso... Eu era desastrada demais para isso... Sempre o fui... Nunca consegui resistir o toque...

    Respondendo a saída de Elsa e sua criança com uma mensura e um sorriso suave, Pietra permaneceu ali de pé por alguns segundos, até a voz de Hans lhe arrancar de suas memorias e pensamentos, virando-se para o irmão a cainita deu de ombros, voltando a se sentar Pietra puxou a cabeça deste para seu colo com carinho.

    - Eu pude perceber... Um contraste enorme com a primeira prole de Elsa... Marcele era suave e delicada, uma bailarina nata... Mas não fale assim da criança de Elsa... A natureza real se revela após o abraço... O que me faz temer a simples ideia de fazê-lo... Mas acredito que já estou velha demais para não fazê-lo... Logo Lorenz será minha criança e temo por não reconhece-lo...

    Voltando a brincar com as madeixas douradas de Hans, a italiana balançou de leve a cabeça para então apertar de leve as bochechas de Hans.

    - E tu meu querido irmão... Já tens uma criança... Como ela é tão encantadora Hans! Diga-me como você conseguiu achar alguém tão encantador como você? Isso me lembra que... Espero que sua escolhida não pense mal de minha pessoa... Conseguistes me pegar desprevenida com isso...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Danto em 13/9/2016, 00:56

    Hans sorria naturalmente e colocava a maça sobre a fruteira da mesa central da sala, em seguida ele permitia sem nenhuma resistência o seu toque, deitando-se novamente e colocando a cabeça no seu coloco ele olhava para você e comentava com um tom debochado.

    -Eu não tenho muita paciência pra postura dela, é birra só isso. Até nos damos bem, mas o nariz dela é empinado de mais... Coisa besta, mas você tem razão eu não deveria falar assim da minha sobrinha, é descortês.

    Uma empolgação dominava o jovem de cabelos dourados e olhos claros, ele havia adorado a sua pergunta e quase que prontamente ele reagia de maneira muito expressiva, gesticulando muito com as mãos enquanto falava.

    -Agnes é uma dádiva! Eu encontrei ela perdida no meio do museu de belas artes de Berlim, literalmente perdida, ela não falava alemão e havia se perdido do namorado. Eu juro irmã, quando eu vi aqueles cabelos ruivos eu sabia, eu precisava, sabe!? Eu tinha que ter ela comigo para todo sempre, no sentido mais puro possível é claro, se não fosse a Erika me esquartejaria e praticaria taxidermia com os restos mortais de Agnes!

    Ele ri muito com a própria frase de tom descontraído e logo voltava a falar.

    -Sabe, acho que é algo...natural...não é uma questão de idade é uma questão triste na verdade. Tudo depende de o quão solitária você realmente está, é no ápice de nossa solidão que nós abraçamos. Mesmo cercados de aliados, irmãos, irmãs, seguidores, inimigos e rivais. Nossa natureza é melancólica, é fria e solitária... Eu abracei Agnes quando tive a certeza que precisava de alguém para me ouvir, para me compreender e para ser uma extensão minha... Por isso você acha ela tão graciosa afinal, convenhamos, eu sou simplesmente inesquecível!

    Havia na frase de Hans uma enorme sabedoria, talvez uma sabedoria que você não esperava nunca ouvir de seu irmão mais novo. Ele havia claramente vivido momentos terríveis de solidão e de profunda tristeza, mas acima de tudo, ele conseguia sorrir e brincar com assuntos tão delicados e essencialmente pessoais. E não eram brincadeiras para escapar de uma situação desconfortável, ele realmente havia aprendido a sorrir em resposta à tristeza... Algo que talvez nem os humanos dominavam com tanta maestria...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Jess em 13/9/2016, 12:33

    Pietra não segurou o sorriso fácil que Hans lhe provocava, brincando com os cabelos do mesmo a cainita concordou com um leve menear de cabeça com as palavras sobre Fabiene.

    - Nem todos precisam ter o dom da arte em seu cerne... Mas um bom discurso tem uma aura quase magica... É um outro modo de arte, menos palpável e duradouro mas ainda o é...

    A empolgação com que Hans falava de sua criança fez com que Pietra risse, o velho costume italiano de gesticular era uma coisa que a cainita sempre adorara observar, era da natureza expressiva de um e Pietra simplesmente amava cada gesto feito por casualidade.

    “Ahhh meu amado irmão... Tu prontamente despertaria o mais intenso ciume de Bella... Mas depois seriam tão agarrados como carne e unha, ou não... Nunca sei como Eva reage, sempre é diferente assim como a musica dela... Mas não a vejo odiando Hans, não por muito tempo... Ou pelo menos não na minha frente...”

    - Seu irremediável e encantador... Tu roubaste ela do namorado... Hans... Eu sinceramente faria o mesmo... E por favor não a deixe perder aquele sotaque francês, ele é simplesmente adorável... O que me faz lembrar de que ela deve pertencer a mesma região de origem de Evangeline... Mas posso entender o porque de sua amada ter tanto ciumes... Eu mesmo estou a me controlar para não rouba-lo... Devo dizer que é uma tarefa deveras extenuante e complicada...


    Brincando com o sedoso toque dos cabelos dourados de Hans, Pietra demonstrou uma certa surpresa com as palavras do mesmo. A pior das maldições rogadas na figura de Caim, foi ali descrita com simplicidade, mesmo que Hans tivesse passado por momentos difíceis e cruéis era seu ponto de vista delicadamente positivo que lhe conferia uma imensa sabedoria.

    - Sim... São nesses momentos que nos dispomos a criar nossas crianças... Sei que não me sinto solitária agora, já passei por momentos assim... Mas Lorenz já me é querido como um filho... Sinto que todos os anos em que ele passou ao meu lado criaram um laço... Não quero quebra-lo, então lhe ofereci... Uma decisão tomada por ele, não posso negar que me deixou profundamente feliz...

    "Nunca me rebaixaria a agir como Elonzo... Meu abraço foi terrivel e me arrancou coisas demais... Não poderia fazer isso com Lorenz... Não com ele..."


    Mordendo de leve a ponta do nariz de Hans, Pietra não conseguiu segurar a risada ao concordar com o irmão mais novo.

    - Encantadoramente irresistível e convencido! Por céus Hans como eu queria lhe apresentar tantas pessoas... Ve-las sorrir abobalhadamente com todo esse seu encanto... Isso seria tão agradável...
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Danto em 14/9/2016, 18:16

    Hans iniciava uma resposta, mas a sua leve mordida na ponta do nariz do rapaz causou um susto tão honesto e sincero que arrancou gargalhadas deliciosas do mesmo, a felicidade dele era simplesmente inebriante, gargalhadas tão prazerosas que causavam um encanto nos seus olhos e iluminavam o seu espírito. Hans lhe fazia tão bem que não haviam palavras inventadas pelos humanos para descrever a sensação que lhe dominava naqueles instantes, era algo puro, uma carícia gentil na sua esperança, uma expressão de que haveria sempre essas risadas para lhe acolher e te salvar da mais terrível das tempestades...

    -Irmã não sei porque você insiste em falar que irá me roubar, como seria possível roubar o que já lhe pertence?!

    Ele então se senta no sofá e olha diretamente para você, fazendo um sinal para você se aproximar dele com o indicador, era um convite que seu espírito e corpo simplesmente não conseguiam negar, com um garboso movimento de braço, ele a trazia para os braços dele em um abraço afável e fraterno. Depois de tantos anos, você finalmente encontrava uma alma capaz de iluminar a tua. Suavemente ele responde a sua ultima frase.

    -E porque eu negaria um convite como esse? Será um enorme prazer conhecer todos que são importantes para você, afinal, se alguém faz minha irmã sorrir, essa pessoa tem minha eterna gratidão e consideração. Não se preocupe com as problemáticas de seitas, tenho uma casa fora de Berlim e poderíamos no reunir lá! O que me diz?!
    [Off: Pietra agora tem certeza da modificação que ocorreu em sua trilha]
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Jess em 15/9/2016, 01:25

    As gargalhadas de Hans, o som cristalino delas fez com que todo o sangue de Pietra se esquentasse, o simples pegar desprevenido e as risadas fizeram com que o coração da italiana encontrasse paz, rindo junto deste Pietra deixou-se levar pela felicidade que sentia.

    - Porque ainda não me convenci de que recebi como presente a tua presença tão encantadora e divina... Ahh meu amado irmão... Quanta inveja eu sinto de Elsa por tê-lo sempre a seu lado...

    Comentava a cainita ao ver Hans se levantar, aceitando o convite para o abraço a cainita respirava fundo a cada gesto trocado entre os dois, sentindo o aperto dos braços de Hans a sua volta Pietra escondeu a face no peito deste quando sentiu o rubor quente lhe tomar o rosto, levou algum tempo para que esta tomasse coragem para encarar Hans, e quando o fez tomou cuidado para que não houvesse a repetição do fascínio da noite passada.

    - Isso seria maravilhoso... Quero tanto que Eva o conheça, mas lhe aviso que Bella tende a ser ciumenta... Talvez ela e sua Erika se entendessem perfeitamente... Que Maria converse contigo... Tu amarias Maria no primeiro instante... E ela sim tentaria te roubar, um pouco perigoso eu diria... Mas podemos lidar com isso não é mesmo?! Além do mais logo lhe apresentarei Lorenz como minha criança... Ele me ajudará a ficar de olho em você... Para sua segurança e seu bem meu querido...

    Tocando de leve a face do mesmo Pietra beijou a testa de Hans para abraça-lo novamente e com força, a cainita deixava que o calor da presença tão viva de seu irmão alimentasse sua alma, nutrisse cada fragmento de seu ser que o precisasse.

    “Poucos são aqueles que se tornam faróis aos perdidos... Poucos escolhem esse caminho... Hans o fez naturalmente, por isso é tão gracioso... Hans é o ponto de apoio para a torre... Assim como eu sou para a Espada de Berlim... Como seguimos um caminho parecido mesmo distantes? Como?”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Danto em 16/9/2016, 12:06

    O abraço apertado era retribuído por Hans, o jovem a segurava por alguns instantes com uma força que simbolizava algo muito fácil de se interpretar, uma força necessária para provar ao mesmo de que você era real,de que tudo que a cercava também fosse. Vocês dois seguiam ainda surpresos de mais e encantados de mais com a presença um do outro, um encanto que seu coração não desejava nunca perder, que sua alma gostava tanto que tua razão já se perguntava se haveria o risco do fascínio a qualquer momento.
    Terminando o abraço com suavidade, o sorriso belíssimo de seu irmão iluminava toda a sala. Com ternura ele tocava seus cabelos, colocando uma mecha que naturalmente caia em frente a sua face para trás de sua orelha e correndo os dedos por toda a extensão deles.

    -Não sinta inveja de nossa irmã mais velha, você é o último pedaço que me faltava, hoje posso dizer que me sinto completo, finalmente... Pietra, eu não tenho palavras para lhe agradecer. É uma felicidade enorme vê-la tão animada em me apresentar a pessoas tão queridas e tão importantes para você... Eu temo um pouco pelo tradicionalismo de Erika, mas teremos que contornar isso com cautela. Nós dois temos amores com personalidades bem fortes não é mesmo?! Eu insisto, muito mesmo, que esses encontros ocorram. Eu quero tanto conhecer essas pessoas, aliás, também tenho alguns queridos para apresentar a você, minha sobrinha Emily, uma música talentosa que se perde em meio a crises de ansiedade. Nichole! Sim! Nichole! Apesar de ser uma Ventrue e prole do antigo Príncipe, vocês duas serão grandes amigas. E a pequena Ashley também, eu sequer sabia que fotografia era uma arte até vê-la com aquela pequena câmera...

    O jovem começava a falar com empolgação, animadíssimo com a ideia que surgia agora na conversa de vocês. Os olhos dele brilhavam e as mãos gesticulavam de maneira inconsciente. Interrompendo a própria frase, com a face corada e uma expressão acanhada.

    Acho que me empolguei...
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Jess em 16/9/2016, 15:35

    O aperto do abraço fez com que Pietra sorrisse, a cainita entendia a necessidade da pequena verificação de estar acordada, o mesmo ato foi imitado por Pietra sem mesmo a italiana notar.

    “ Somos mais parecidos do que eu posso imaginar... Hans melhor do que eu deve saber disso... Nossa natureza cálida e suave... Nosso amor é a falta de que nossa alma sente do estravazar... Nossos amores são aquilo que não conseguimos ser... Mia bella... Como amo sua musica...”

    Rindo sem preocupação dos gestos expressivos de Hans a cainita concordou de leve com um gesto simples ao comentar.

    - Sim... Pessoas de gênios fortes e únicos... Entendo que talvez eu não seja um bom exemplo de irmã mais velha a ser seguido... E Erika faz bem em sabe-lo disso... Posso lhe prometer que não irei mencionar a brincadeira de rouba-lo na frente dela... Eu sinceramente acredito que isso seria extremamente recomendável de minha parte...

    Tomando as mãos de Hans a cainita as beijou delicadamente para então brincar com os calos das pontas dos dedos deste.

    - Acho que é natural nos empolgarmos demais... Não vejo isso como um erro... Não quando compartilho isso com você meu amado... Tu esperaste por tanto tempo e eu fui pega em uma eximia surpresa...

    Aproveitando o corar de Hans, a cainita o beijou na testa bagunçando de leve seus cabelos dourados.

    - Estamos apenas demonstrando o que sentimos... Não á nada de errado nisso... Eu ficarei feliz em conhecer aqueles que lhe são queridos... Assim como lhe apresentar os que me são... Berlim criou raízes em minha alma... Agora posso ver que os frutos que aqui colho me são doces... Embora algumas vezes eu ainda encontre certos espinhos... Por sorte isso só deixa os frutos mais doces ainda...

    Comentava a italiana ainda a brincar com as mãos de Hans, um costume tão arraigado em sua alma que lhe era impossível negar a si mesma.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 2652
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 25

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Danto em 18/9/2016, 20:55

    -Sua imperfeição é perfeita irmã... Eu não tenho nem como responder essas suas palavras, elas me afetam profundamente, a verdade é que estou a segurar lágrimas nesse momento, você tem razão existe arte na fala e a tua é profundamente bela. Minhas mãos são cheias de feridas desses espinhos, feridas que talvez nunca se fechem, mas os frutos valem apena...

    A face de Hans estava corada, os olhos dele ameaçavam um choro que era suprimido, ele parecia lutar contra o próprio fascinio durante alguns instantes. Mas ele reagia de maneira instintiva, se aproximava mais uma vez e beija-la com ternura na testa, para então encostar a testa na sua e olhar profundamente nos seus olhos.

    -Será que você cabe num potinho?! Eu não sei se vou conseguir viver sem tê-la ao meu lado todas as noites!

    A frase dele rompia o silêncio e a face amável dele voltava a uma expressão brincalhona que cativava profundamente o seu intimo. A sua besta ria, era algo que nunca havia acontecido antes, a entidade mais terrível dentro do seu corpo, mais selvagens e primal, simplesmente caia para os encantos do humor de Hans.

    -Eu quero muito ficar a noite inteira conversando contigo querida Irmã, mas eu sinto que você precisa lidar com alguns espinhos, me ligue quando tudo estiver bem?!

    [Off: ultima ação para o final do ato]
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1475
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato I - Narrativa de Pietra: Transit Umbra, Lux Permanet

    Mensagem por Jess em 18/9/2016, 23:03

    As palavras de Hans tocavam Pietra profundamente, a cainita mais do que nunca sabia quanto tempo se levava para criar laços de amizades profundos e verdadeiros, já para Hans e Pietra o laço havia se formado quase que instantaneamente.

    “Meu querido e amado Hans... Como eu adoraria passar minhas próximas noites ao seu lado... Lhe apresentar Artur... Conhecer Friederich... Espero que nossa amizade continue por muitos anos...”

    Sorrindo com a luta de Hans contra seu fascínio e choro a cainita sorriu ao receber o beijo na testa, encarando o irmão de perto Pietra sorriu até mesmo sua besta sorria, algo que deixou a cainita surpresa. A besta sempre a espreita, sempre a procura de um momento de fraqueza e medo, a mesma besta se entregava a Hans sem cerimonias, dócil e alegre assim como a cainita que a acompanhava.

    - Também me fiz essa pergunta! E infelizmente não encontrei respostas para ela...

    Segurando com suavidade a face de Hans, a italiana concordou com um leve menear de cabeça.

    - Ninguém é perfeito Hans... porque então o mundo não teria graça ou beleza... Mas estas certo ao dizer que tenho alguns espinhos a enfrentar esta noite... Por sorte terei alguns companheiros para me ajudar... Alem do mais minhas mãos já estão calejadas o suficiente para não se ferirem com facilidade... São essas cicatrizes que despertam a admiração dos que nos rodeiam...

    Abraçando novamente Hans com força Pietra ainda beijou suas faces antes de sorrir para este.

    - Manteremos contatos... Tenho teu numero e assim que as coisas se acalmarem lhe darei noticias... Talvez demore um pouco mas o farei... Agora irmão peço que chame um Taxi... É mais seguro assim e não quero colocar em risco algum de seus serviçais...

      Data/hora atual: 23/8/2017, 09:03