WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 1/5/2017, 13:22

    17 de Março de 2002, Berlim.
    Nona Noite

    Malefice:

    A noite já havia finalmente começado para os mais madrugadores membros da espada, na realidade eram poucos os que realmente chegavam em torno das sete horas ao clube, grande parte dos mais madrugadores ficavam pelos corredores da galeria logo ao lado. Mas quando você finalmente saiu com a sua família do escritório de Evangeline, as luzes imediatamente se apagavam e apenas cinco canhões de luzes eram ligados. Os canhões iluminavam dentro do ritmo de uma música eletrônica com as seguintes cores: Violeta, azul, amarelo, branco e vermelho intenso. Seus experientes olhos logo criavam analogias, afinal, algo lhe dizia que uma apresentação já havia começado e as cores eram relacionadas as auras de Lotte, Eva, Lorenz e a sua. Logo, faltava apenas aquele amarelo dourado se apresentar aos seus olhos e assim o seu jardim estaria completo.

    Então na parte mais baixa da galeria, em uma distância de aproximadamente cinco metro de vocês, uma pequena figura feminina aparecia dançando com enorme maestria. Os objetos metálicos nas botas e outros detalhes como espinhos e as luas brilhantes no escuro chamavam muita atenção. Nas mãos dela haviam duas facas de circo, com fitas longas púrpuras presas em suas bases. A dança daquela pequena mulher era fascinante! Era um encontro moderno e vanguardista entre ações de ginástica como corridas, saltos e arremessos daquelas facas em alturas incríveis, nesses arremessos as fitas giravam em redemoinhos caóticos e belíssimos, ela também realizava movimentos giratórios, hora segurando as facas pelas faces opostas às lâminas, hora pela ponta das fitas. Essa agilidade toda era combinada com um ballet perfeito, que evoluía para paços modernos de danças mais urbanas. Era impossível para uma dançarina comum fazer tudo aquilo, apenas um nome ficava claro para todos ali: Luannah.

    A maior de todas as maravilhas era ver o sorriso na face dela, o sorriso que cativava a atenção de Lorenz de forma fulminante. O fascínio do rapaz era inevitável, Luannah era linda e tinha um significado especial para o mesmo, e a dança era hipnótica! Lotte por outro lado se via encantada pelas lâminas, pela sensação de perigo e por toda a força que a dançarina possuía. Assim, quando as duas facas foram arremessadas e caíam atravessando as mãos de Luannah, Lotte enfrentava o primeiro fascínio. A sua tulipa não demonstrava dor alguma, pelo contrário jogando as mãos pro alto ela fazia outro arremesso perfeito, para encaixar vários rodopios e plie harmoniosos. Era uma breve execução agora de uma peça famosa dos palcos, ela fazia ali o cisne negro! Deixando as lâminas caírem no chão, Luannah agora arrebatava Evangeline como você nunca tinha visto antes uma outra mulher além de você ser capaz de fazer. Eva levava as mãos a boca e ficava paralisada!

    Enfim, a apresentação chegava ao fim e a sua Tulipa dourada corria na sua direção. Saltando por cima da escada e pulando na direção do seu corpo, para abraçá-la com os braços e as pernas.

    -Mammie!!

    A música se tornava apenas um detalhe do ambiente e a iluminação voltava ao comum. Luannah cruzava as pernas por trás das suas costas e abraçava seu tronco com muita força, apertando-a como se você fosse um bichinho de pelúcia. Enquanto isso acontecia, Lorenz e Lotte estavam sentados no chão acometidos por um fascínio lindo e poderoso. Eva estava com os enormes olhos azuis abertos e arregalados, uma postura encolhida e todas as demais reações corporais que indicavam surpresa e alegria de ver com os próprios olhos um talento sem igual!

    A Tulipa Dourada:

    Roupas:
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 1/5/2017, 19:56

    Adentrar no Maleficie sempre era uma experiência única, nunca eram as mesmas faces a estarem espalhadas pelo salão, nunca as mesmas músicas ou melodias tocadas, nunca as mesmas danças ou apresentações. A entrada de sua família foi saudade por luzes, os olhos experientes da cainita logo buscaram os significados guardados da iluminação, quando o fez um sorriso ansioso se formou nos lábios de Pietra.

    “ Mia picolla, o que você está aprontando?!”

    A pergunta não demorou a ser respondida, a dança que se desenrolou no salão surpreendeu a cainita, Luannah claramente se apresentava para o jardim da cainita, uma dança que havia sido capaz de fazer com que suas duas rosas adentrassem no Fascínio, mesmo que as cores opostas fossem ali representadas.

    Cada pequeno movimento foi acompanhado por um olhar carinhoso, do clássico ao moderno tudo parecia ensaiadamente perfeito e assim era executado, deixando até mesmo a grandiosa Evangeline surpresa, aos olhos castanhos de Pietra aquele era um dos maiores presentes que sua tulipa poderia dar.

    Um riso cristalino escapou da cainita quando Luannah pulou em seu corpo abraçando-a, apertando a pequena filha da lua com carinho a cainita beijou-lhe a testa enxugando qualquer suor que ali pudesse ter ficado, olhando para Eva, Pietra sorriu com carinho para sua Musa.

    “ Eva sabe que ela tem talento, espero que as duas possam usar isso para criar um laço.”

    - Sorte minha não precisar respirar, não é mesmo mia picolla?


    Passando a mão sobre a face de Luannah a italiana sorria feliz para a mesma.

    - Deixe-me ir ajudar minhas duas rosas, eles amaram sua apresentação e precisam se recompor.

    Encerrando sua fala com um beijo carinhoso na testa da holandesa, Pietra esperou que a jovem a soltasse antes de ir ver Lotte e Lorenz.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 2/5/2017, 12:23

    Luannah sorria de maneira infantil enquanto ainda estava agarrada ao seu corpo, os carinhos e beijos a alegravam muito. Ouvindo então as suas falas, ela concordava com um movimento positivo com a cabeça e beijava a sua bochecha esquerda, outra vez a pequena tulipa exibia uma enorme agilidade e se desvincilhava com naturalidade do seu corpo.

    Lorenz e Lotte ainda se encontravam sentados no chão, paralisados por fascínios diferente. A realidade era que Lorenz já parecia retornar sozinho ao controle do próprio corpo, de maneira lentíssima, mas retornava. Entretanto, Lotte estava com os olhos marejados por lágrimas de sangue, afinal, era o primeiro fascínio dela!

    Evangeline olhou na sua direção, recuperando-se do espanto, a sua musa andava na direção de Luannah e a sua pequena tulipa dourada abria os braços para Eva, claramente pedindo um abraço à loira:

    -Eva! Boa noite, como eu fui?

    A francesa esticava a mão esquerda, tocando a face da holandesa de maneira carinhosa.

    -Como pode uma criatura tão pequena, guardar dentro de si um talento tão monumental? Você foi única, memorável! E por isso eu peço des...

    Luannah interrompia a frase de Eva com um abraço forte, os elogios de Eva pareciam ter ascendido dentro da pequena moça uma felicidade extrema e incontrolável. Escalando a sua musa, Luannah agarrava a cintura dela com as pernas e segurava a face da mesma, para começar a beijar o rosto dela inteiro. Eva reagia com risos baixinhos, permitindo-se ser totalmente amada de uma forma inocente e gentil.

    -Eva! Obrigada! Mil obrigados, você me elogiou! Eu estou tão feliz! Quando vamos dançar juntas Eva? Quando?! Mal posso esperar!

    Eva respondia com calma e suavidade:

    -Calma pequena, calminha...

    Luannah então se soltava da sua musa e ficava na frente da mesma, esperando quieta e ansiosa por uma resposta, Eva então tomava a face da mesma com as mãos e encostava o nariz no dela.

    -Temos a eternidade inteira para dançarmos juntas...

    A sua tulipa então, simplesmente começava a chorar de soluçar. Eva sorria feliz e tomava ela em um abraço forte e amoroso.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 2/5/2017, 13:38

    Rindo da pequena tulipa que se desgrudava de seu corpo e prontamente pedia um abraço de Eva, Pietra andou até suas proles, tomando o cuidado de verificar como ambos estavam.

    O primeiro fascínio de Lotte se mostrava avassalador, limpando as lagrimas dos olhos de sua filha, Pietra a beijou na testa com carinho chamando-a pelo nome.

    - Lotte mia amata, vamos reaja!

    Rindo da cena a cainita observou Eva e Luannah juntas, a mudança que Edgard havia protagonizado em sua Musa se mostrava maior naquele instante, feliz Pietra sentiu o alivio tomar conta de seu coração.

    “ Essas duas, estou tão feliz que elas possam se entender.”

    As lagrimas de Luannah fizeram com que Pietra risse feliz, a cainita olhou para Eva deixando claro que teria que ser a francesa a controlar a jovem.

    - Não me diga que ela não é fofa Bella?!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 2/5/2017, 15:12

    Lorenz começava a tatear os arredores, já indicando que não demoraria muito para finalmente se colocar de pé. Enquanto seu filho se ajustava no chão e relaxava a postura, Lotte movia os olhos na sua direção, claramente ela não era capaz de vê-la, mas a sua voz parecia ter a capacidade de puxar a atenção dela com intensidade.

    -Eu me sinto até meio...boba, por ter feito tanto alarde. Mas é um pouco desesperador ver tanto talento dentro de um vaso tão pequenino... Ela é linda mon amour!

    A sua musa respondia a sua fala, para logo soltar o corpo frágil de Luannah e tocar com o dedo indicador a ponta do nariz de Lunnah, era algo que Eva fazia contigo no passado antigo, quando o choro no final de cada noite era inevitável, uma ação simples que transmitia um poderoso sentimento de amor e segurança. Eva ficou ali, olhando nos olhos de Luannah até que ela parava de chorar e abria um sorriso tímido, exatamente como você reagia, era uma resposta tão similar que Eva parecia hipnotizada.

    -Pie-tra? O que foi isso? Ma-mãe? Onde eu tô?! Socorro!

    Era a voz de Lotte que roubava sua atenção, ela sussurrava baixinho com uma voz assustada. Os olhos dela ainda estava totalmente dilatados e as presas da jovem saltavam com força, machucando os próprios lábios dela. As garras da jovem estavam empurrando o chão, tentando furar o piso sem sucesso, a sua filha estava reagindo mas o fascínio parecia ter sido poderoso. Tão poderoso que a voz dela saía fraca e muito baixa, enquanto isso, Lorenz finalmente se colocava de pé e Luannah já não mais chorava.

    A presença de Lotte começava a mais uma vez crescer, em uma escala enorme e descontrolada! Os olhos dela começavam a piscar e a força do vitae de Lotte arrebatava o interior de toda boate, os mortais todos paralisavam e alguns chegavam até a desmaiar brevemente. Eva sentia aquela força e acuada abraçava Luannah, Lorenz tomava um enorme susto e olhava para Lotte. A rosa negra dizia com uma voz chorosa:

    -Me ajuda mãe, eu...eu n-não sei parar!

    Luannah acolhia Eva com força, era curioso como a pequena não era afetada por aquela demonstração poderosíssima de Lotte. A tulipa sussurrava algo para Eva, para mantê-la calma e menos acuada.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 2/5/2017, 15:52

    Pietra sorriu ao ver que Eva usava o mesmo gesto que a acalmava em Luannah, era o gesto que a fazia parar de chorar no final da noite quando ambas se separavam para voltar aos refúgios em Paris.

    “ Ela é tão inocente, tão encantadora. Como ela conseguiu proteger isso?”

    A atenção de Pietra se voltou para Lotte quando sua voz se fez presente, os olhos sorridentes se tornaram preocupados com sua prole, o claro descontrole e a presença de Lotte que crescia fez com que Pietra a abraçasse com carinho.

    Olhando em volta a cianita entendeu o que acontecia, Pietra nunca esperava que um dia teria que controlar o descontrole causado pelo fascínio, isso arrancou um pequeno riso da mesma.

    Segurando com delicadeza a face de Lotte a cainita encostou sua testa na da sua prole, para só então começar a acama-la.

    - Estou aqui mia figlia, estou bem aqui. Feche os olhos e tente se controlar, escute apenas a minha voz. Você está segura, sabe que eu não vou deixar que nenhum mal caia sobre você.

    Passando de leve uma das mãos sobre os cabelos de Lotte a cainita esperou que sua prole reagisse, seus olhos se voltaram para Lorenz deixando claro que estava tudo bem.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 2/5/2017, 19:52

    O olhar para Lorenz foi essencial para acalmá-lo, seu filho então andava até Eva e Luannah, colocando uma mão nas costas da sua musa e sussurrando algumas palavras para a mesma que lutava fortemente contra a presença avassaladora de Lotte. Era um pouco estranho perceber que a sua prole tinha um vitae mais poderoso do que o da sua Musa que já era uma cainita muito experiente, em uma ocasião normal Lotte jamais seria capaz de dobrar Eva dessa forma, entretanto, a questão não era óbvia e sim, mística.

    Sua filha sentada no chão a sua frente procurava por você com os olhos, movendo a cabeça desnorteada, parecendo uma pessoa cega a perseguir uma lebre. A cada palavra adicional por ti pronunciada, mais reações corporais chegava a Lotte. Até que, finalmente ela fechava os olhos e relaxava a postura, a presença dela começava a sumir e enfim, Lotte olhava no fundo dos seus olhos e com uma expressão assutada dizia:

    -Eu to com medo mãe...

    Ela abria os braços, implorando por um abraço enquanto a força do vitae dela finalmente se silenciava.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 2/5/2017, 21:28

    Vendo que Lorenz se acalmava e logo agia para proteger Evangeline, Pietra pode se concentrar apenas em Lotte, a força de sua filha se fazia presente ainda, era uma força avassaladora, algo que sobrepujava Eva um acontecimento que normalmente não seria possível.

    “ É o primeiro fascínio dela, o primeiro é sempre difícil. O de Lorenz foi mais suave porque ele é suave, Lotte é forte não seria estranho que o dela fosse tão pesado.”

    Vendo as reações de sua filha, Pietra ajoelhou melhor na frente de Lotte, guiando cuidadosamente a face de sua rosa a cainita pode ver a luta para se controlar, quando a presença forte foi diminuindo um sorriso tomou os lábios de Pietra.

    Foi com um sorriso meigo nos lábios que a experiente rosa abraçou sua filha, apertando-a com carinho a cainita a segurou de encontro ao seu corpo protegendo-a de qualquer coisa.

    - Shhhh, estou aqui minha filha, estou aqui. Está tudo bem, tudo bem, você não fez nada de errado, na verdade ninguém fez. É apenas o fascínio se mostrando, os próximos não irão machucar ou ser tão difícil, eu prometo mia amata.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 3/5/2017, 13:33

    Lotte te abraçava com força e ficava ali por alguns instantes, recuperando-se daquele enorme susto a sua rosa negra parecia até uma criança assustada por alguns breves momentos. Com os ouvidos você notava a conversa que acontecia entre seus outros queridos:

    -Pronto mamãe, foi apenas um descontrole de minha irmã. Infelizmente esses deslizes podem ocorrer, mas a mãe já está deixando tudo sob controle, vê?!

    Afirmava Lorenz com sua voz delicada e tranquilizadora, Eva então respondia:

    -As vezes eu me esqueço que meu vitae não é assim tão forte...

    A experiente pequenina logo contia o assunto relacionado a geração e a força do vitae de Eva:

    -Não se preocupe com isso Eva, és uma templária da espada. És a musa de minha mammie e veja só o quão fortes são seus filhos! Todos eles a admiram profundamente e eu ainda tenho um medinho gigante da sua fúria!

    O jeito descontraído de Luannah fazia Eva rir baixinho. Lotte enfim parecia retornar e com bastante vergonha ela falava baixinho no seu ouvido.

    -Desculpa mãe, eu não espera... E quem é aquela linda mulher que dançou agora pouco? Ela me fez... ela é tão... Eu to passando muita vergonha né? Desculpa, eu não sou assim! O que foi isso?
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 3/5/2017, 14:58

    Segurando o corpo de Lotte de encontro ao seu, Pietra fechou os olhos se permitindo ficar ali, a conversa a suas costas fez com que a cainita olhasse para Eva.

    Um sorriso seguro e calmo foi dado para sua amada, protegida por seus filhos a cainita sentia uma onda de orgulho tomar seu coração, Eva era tão querida quanto a própria Pietra para suas rosas e tulipa, nem mesmo a força do vitae de Eva era um empecilho.

    “ Experiencia pode superar a potencia do sangue, Eva ainda não acredita nisso, mas quando a força de Lotte passar, será a experiência de Eva que vai ensina-la.”

    Voltando sua atenção para sua filha a cainita sorriu com amor para Lotte, beijando-lhe a testa com carinho.

    - Não se preocupe, você não foi a primeira criança a se perder dessa forma. É assustador eu sei, já tive momentos parecidos, eles são complexos demais para serem levado levianamente.

    Levantando-se a cainita fez com que sua prole também o fizesse, abraçando-a com carinho e cuidado.

    - A pequenina que lhe causou seu primeiro fascínio mia figlia, é Luannah, a filha da lua de quem lhe falei. Ela não fez por mal, acho que ninguém esperava que você fosse acometida dessa forma. Você passou pela maldição das rosas mia amata, a primeira vez pode ser a mais bela ou assustadora, a sua foi assustadora, mas você saiu dela e isso vai lhe fortalecer.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 4/5/2017, 00:35

    Lotte finalmente estava de pé, ainda um pouco envergonhada ela ouvia as suas palavras e abria um sorriso discreto, desviando o olhar e fazendo um breve bico com os lábios, assumindo uma postura pensativa. Até que finalmente ela concordava com o que você dizia, ilustrando que havia finalmente entendido o que ocorrera.

    A pequenina observando a situação, se distanciava de Eva para chegar mais perto de vocês e com bastante carisma e um sorriso largo na face, dizer:

    -Prazer irmãzinha!Qual é o seu nome querida?

    Lotte olhou para Luannah e mostrou a língua para a mesma e resmungou com ela:

    -Nada de fazer isso de novo eim! Ah, meu nome? Lotte! E sério, pequenina, não faça isso sem me avisar ou você vai ver só!

    A sua tulipa arregalava os olhos e simulava uma expressão hilária, extremamente caricaturada, como se tivesse sido profundamente ofendida com aquilo.

    -Queres que eu jamais dance sem te avisar? Nunquinha! Te vira!

    Lotte ficava irritada e mostrava o dedo do meio para Luannah, a ofensa era prontamente respondia por uma careta e a língua da filha da lua. Eva ria da cena e Lorenz disfarçava o sorriso. Lotte então com jeitinho se soltava de ti, para ir até a pequenina. A diferença de alturas entre as duas era considerável! Lotte então pergunta:

    -Vem cá, como você pode ser tão grande dançando e tão pequena parada?

    Luannah responde:

    -Sou um perfume francês!

    Lotte cruzava os braços e encarava Luannah em silencio. A filha da lua incomodada pergunta:

    -Que foi?

    Lotte então perguntava naturalmente:

    -Posso te morder?

    Eva ria alto, apoiando-se em Lorenz para não desabar de tanto rir daquela interação impagável e surreal de tão divertida que era, duas personalidades sinceras e sem censuras estavam a se conhecer! Lorenz prontamente intervinha antes de Luannah responder algo positivo.

    -Lotte! Nada disso, temos que ir até Sebastian! Você já está bem, vamos lá! Luannah vem conosco querida?

    A filha da lua reagia com um sinal de positivo com o dedão esquerdo e saia saltitante de perto da Lotte e tomava o braço de Lorenz, beijando a face do rapaz e já esperando para finalmente acompanhar vocês até o encontro do Sacerdote de Berlim.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 4/5/2017, 01:26

    Sorrindo quando sua rosa achava a razão por de tras daquele descontrole, Pietra passou a mão delicadamente sobre os cabelos negros da mesma, a aproximação de Luannah fez com que a cainita abrisse um pouco para deixar que as duas conversassem.

    “ Teremos problemas se as danças de Luannah continuarem a despertar fascínio em Lotte, espero que isso não aconteça, seria triste.”

    Dando espaço para as duas jovens cainitas, Pietra não conseguiu segurar o riso com o que via, a interação e a forma que as duas usavam para criar um laço de relacionamento surpreenderam a italiana. A besta que havia se escondido durante o descontrole de Lotte aos poucos retornava, correndo para sua tulipa a besta a abraçou respondendo prontamente que sim quando a pergunta da mordida foi feita.

    Pietra riu alto quando Lorenz tomava conta da situação, ajudando sua Eva a se controlar depois da crise de risos a italiana beijou os lábios de sua amada feliz.

    - Eles são lindos Bella, simplesmente lindos e nossos.

    Abraçando sua amada a cianita segurou a mão de Eva quando a besta corria para acompanhar Lorenz, estendendo a mão para Lotte, Pietra esperou sua prole antes de guia-los até Sebastian.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 4/5/2017, 18:37

    -Eles são magníficos, lindos e maravilhosos Pietra!

    Respondia Eva de maneira breve, acomodando-se ao seu lado. Prontamente seu jardim inteiro se arrumava em torno das palavras de Lorenz e se colocava a andar, deixando para trás agora o ambiente da boate que finalmente começava a ficar mais movimentado. Quem liderava o caminho era obviamente você e Eva, sua musa fazia o percurso inteiro com um poderoso sorriso feliz nos lábios, vez ou outra ela simplesmente olhava para trás para sorrir com mais intensidade ao ver que atrás de vocês agora havia uma família inteira.

    -Não estamos mais sozinhas...

    Dizia Eva baixinho no seu ouvido quando vocês duas finalmente paravam, agora já no subterrâneo que pertencia a espada, em uma região próxima a onde as salas oficias dos Bispos e do Arcebispo ficava, do lado posto ao fosso. Era onde a sala de reuniões dos Lobos de Erkner existia, o bando mais antigo e famoso da Espada de Berlim. Previamente um bando nômade da região oriental da Europa, mas que graças aos esforços de Friederich, estabeleceu-se em Berlim.

    -Esperem um pouquinho aqui fora queridos, já retornaremos!

    Dizia Eva, que tomava a frente a abria a porta do local, mas permitia que você entrasse primeiro para só depois, entrar e fechar a porta.


    Sala de Reunião do bando:

    O ambiente não era muito comum aos seus olhos, na realidade soava ate um pouco surpreendente. O bom gosto de Rebeka era enorme e a reduto do bando dela dentro da Espada não poderia ser diferente, inclusive a própria loira do clã Lasombra estava sentada no local, mas prontamente se colocava de pé ao ver a sua entrada. Já haviam se passado muitas noites des de seu último encontro com aquela mulher que era, literalmente, o braço direito de Friederich. Com a face tipicamente maquiada para esconder a palidez e os lábios bem vermelhos, a mulher falava.

    -Boa noite Senhorita Bourseiller e Vossa Reverendíssima Senhora Rafaldini.

    Uma longa reverência era feita, afinal era esse o primeiro encontro entre vocês duas após a sua promoção ao cargo de bispo! Rebeka havia lutado na linha de frente durante todas as noites mais turbulentas da história de Berlim e parecia intacta. Sentado ao lado dela estava a figura misteriosa e encapuzada de Sebastian. O sacerdote se erguia após a saudação de Rebeka, mas antes de conseguir falar algo, foi pego de surpresa pela corrida de Eva! Em disparada a loira literalmente se jogava contra o corpo de Sebastian, derrubando no sofá.

    -Bast! Que bom vê-lo parcialmente inteiro novamente! Diga, diga, por favor!

    O encabulado sacerdote se desvencilha de sua musa, ajeitando-se no sofá ao lado da mesma. Eva esperava ansiosa por algo, como uma criança a esperar um maravilhoso presente na véspera de natal. E assim o homem finalmente falou com seu sotaque típico:

    -Olá, Templária Bourseiller.

    Eva parecia derreter em cima daquele sofá, encantada pela voz do sacerdote e pela forma formal que ele a saudava. Entretanto, era Rebeka que falava mais uma vez.

    -É uma enorme honra recebê-las em nossa paróquia comunitária, peço para que se acomodem e pergunto-lhes o que posso eu fazer para atendê-las da melhor forma possível?!

    O tom formal de sua velha aliada era uma demonstração óbvia de que ela não sabia exatamente como conduzir as coisas depois da sua notável modificação de comportamento, ela a tratava agora como uma anciã de poder e destaque, algo que você realmente era nesse momento aos olhos da espada.
    Npcs:
    Rebeka Resnick:

    Roupas:
    Roupas de Sebastian Karnowski:

    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 4/5/2017, 21:42

    A felicidade incontida de Eva transbordava para Pietra sem que a cianita se importasse ou tentasse lutar contra, seu jardim finalmente havia se formado de maneira singela e maravilhosa, o reflexo disso era a forma como Eva e Pietra reagiam, felizes.

    - Não Bella, não estamos mais sozinhas.

    Sussurrou a cainita para sua Musa diante da porta, deixando que Eva pedisse pelo tempo necessário Pietra sorriu para seu jardim com carinho, ali a sua frente estavam suas duas rosas e sua pequena tulipa, um acontecimento que a italiana sempre guardaria em sua mente e coração.

    Adentrando na sala dos Lobos de Erkner, Pietra sorriu ao ver o ambiente cuidadosamente decorado, era claro que o bom gosto de Rebeka era um ponto marcante da Ductus, assim como sua força e presença.

    A saudação interrompida por Eva fez com que Pietra risse, a voz de Sebastian mencionando o título da francesa era uma cena encantadora para a italiana, até mesmo sua besta que se escondia atrás de seu corpo chegou a espiar a cena derretendo-se da mesmo forma que Eva o fazia.

    Estudando as reações de Rebeka a italiana sentiu a pequena barreira que havia se formado entre as duas, o recente recebimento do titulo de Bispo trazia um novo parâmetro para a relação das duas cainitas.

    “ Entendo a formalidade. Ela não sabe como reagir ou como se portar... Mia amata Beka.”

    Sorrindo Pietra andou até Rebeka para abraça-la com carinho.

    - Nada de títulos entre nós duas Beka! Não quando nossa amizade é mais importante do que isso. Fico feliz que estejas bem, meu coração se apertou quando retornei a Espada e não a vi, por sorte Sebastian me tranquilizou sobre seu paradeiro.

    Os olhos castanhos de Pietra deixavam claro sua vontade de continuar a amizade entre as duas cainitas, a italiana não deixaria que seu posto se impusesse contra isso.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 5/5/2017, 13:29

    Eva e Sebastian mantinham uma conversa bem baixa e breve ali no sofá, na realidade era mais Eva que parecia sussurrar algo no ouvido do sacerdote e o mesmo apenas confirmava ou negava com a cabeça e fazia alguns breves sinais. Eles, entretanto, estavam fora do seu foco, pois seus olhos estavam dedicados a figura de Rebeka, a Lasombra exótica demorava um pouco para retribuir o seu abraço. Mas o suspense terminava quando os braços dela se cruzavam atrás das suas costas e a apertava com força. Ela então encostou a bochecha na sua e assim finalizou o abraço, esticando a mão direita para tocar sua face, os olhos ela estavam totalmente aliviados e os lábios sorriam.

    -Quando nós chegamos ao teatro e eu não a encontrei, fui dominada por um medo terrível. Toda a guerra aconteceu e eu continuei sem ser capaz de encontrá-la, a noite seguinte foi marcada por uma busca desesperada, mas finalmente eu ouvi sobre seu retorno... Obrigada Pietra, por ter sobrevivido e obrigada por me chamar de Beka agora, eu lamentaria todas as noites se nosso convívio fosse modificado.

    Ela era profundamente sincera, sempre com um comportamento de proteção, Rebeka era uma guerreira instruída que protegia seus queridos com unhas e dentes, a qualquer custo sempre! Havia uma notória saudade nela, foram muitas noites sem contato algum e a sua ação havia apaziguado as dúvidas da mulher.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 5/5/2017, 19:43

    Pelo canto de seus olhos Pietra viu a pequena conversa de Eva e Sebastian, a forma única que os dois usavam para se falar era curiosa mas encantadora, a atenção de Pietra porem estava focada a na mulher a sua frente, toda e qualquer tensão se desfez quando seu abraço foi respondido.

    “ Mia Beka. Graças a Dio que tu me entendes.”

    Fechando os olhos com o toque em sua face a cianita apertou com mais carinho o corpo de Rebeka, ouvindo suas palavras Pietra não conteve a preocupação que sentia por sua amiga.

    - Me desculpe Beka, quem me tirou do Conclave foi Violleta. Ela cuidou de mim durante aquela noite. Agora me sinto culpada por tê-la preocupado tanto, mas agradeço o cuidado do fundo de meu coração mia amata.

    A clara saudades do convívio das duas deixavam marcas claras na personalidade protetora da Lasombra, sorrindo Pietra se pôs nas pontas dos pés para beija-la na testa com carinho.

    - Não pense que por conta da minha promoção eu a tratarei diferente. És muito mais experiente do que eu, seus conselhos me serão de grande ajuda e nunca serão ignorados. Antes de Ductos e Bispo somos amigas, esses laços existem e não vão ser ignorados. Tudo bem?

    Abraçando novamente Rebeka a cainita sorriu ao segurar as mãos da mesma para dizer de maneira suave.

    - Agora me deixe te apresentar meus filhos, eu adoraria que Sebastian os abençoasse! Uma ajuda nunca é demais para as crianças não?!
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 6/5/2017, 15:28

    -Não precisa se desculpar Pietra e sim, está tudo bem, pois o maior presente que poderias me dar já foi entregue, é uma honra continuar sendo chamada por ti de amiga.

    Respondia Rebeka que prontamente retribuía o abraço, apertando-lhe forte mais uma vez como apenas um verdadeiro e saudoso amigo faria. Logo após aquele toque gentil entre vocês duas, Rebeka sorria lisonjeada e fazia um breve sinal para Sebastian.

    -Filhos? Eu soube que o seu vitae havia escolhido uma rosa negra poderosa e impetuosa, Sebastian esteve no rito de passagem dela, diga a ela o que vistes Sebastian...

    O sacerdote levantava o indicador, pedindo a Eva uma pausa naquela conversa sussurrada e então, ajeitava para colocar-se finalmente de pé. Olhando diretamente para ti, Sebastian disse:

    -A ferocidade dela dentro do fosso foi única, a filha de vocês é poderosa como poucos são e irá se acostumar com naturalidade aos dons extraídos do vitae de Caim. Ela alcançará a glória rapidamente, entretanto, deverás atentar-se constantemente com a escuridão dentro dela. O frenesi dela é avassalador e me faz lembrar dos contos antigos das folhas do livro de nod.

    Eva se colocava de pé e tocava gentilmente o ombro de Sebastian, olhando entretanto para você.

    -Se a tua luz foi forte para me salvar e para guiar teu irmão de volta, ela será forte para que nossa filha nunca se perca! E agora, deixe-me buscar nosso jardim...

    Sua musa sorria confiante e se encaminhava até a porta, abrindo-a para se comunicar rapidamente com os seus filhos que aguardavam do lado de fora da sala.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 6/5/2017, 20:36

    O segundo abraço entre velhas amigas fez a cainita relaxar, por mais que as noites anteriores tivessem sido preocupantes e distantes, aquela amizade era retomada sem nenhum problema ou pesar.

    “ Obrigada por me entender Beka, muito obrigada. Nada me faz tão feliz quanto sua amizade mia amata. “

    Ouvindo as palavras de Rebeka e Sebastian a cainita sorria de forma orgulhosa e feliz, apertando de leve a mão da Lasombra a italiana respirou fundo.

    - Eu vi a força dela, mas a protegerei dela mesma se assim for preciso. Lotte é minha rosa negra, meu legado para a Espada, farei com que minha luz a ajude em meio a sua escuridão.

    Olhando para Rebeka a cainita sorriu ao sussurrar baixo, quase como uma confidencia.

    - Mas eu tenho uma rosa branca para fazer companhia a Lotte, e essa rosa você conhece bem mia amata.

    Vendo que Eva abriria a porta a cainita sorriu para receber seus filhos, sua mente porem se preocupava exatamente com as ultimas palavras de sua musa.

    “ Será que minha luz é suficiente para enfrentar Masdela? Ele... Meu irmão, quanto tempo faz?”
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 6/5/2017, 20:56

    A expressão de Rebeka era inicialmente de curiosidade sobre a sua frase, ela até ensaiava uma fala, entretanto, Eva já abria totalmente a porta e por ela o seu jardim entrava. Uma a uma, cada flor com sua peculiaridade e brilho único.

    Rebeka sorria com carinho e entrelaçava os dedos com os teus, posicionando-se ao seu lado e assumindo uma postura firme, olhar para aquela mulher era o mesmo que beber da fonte da verdadeira liderança. Havia muito em comum entre ela e Monçada, ambos líderes incomparáveis porque eles ouviam e compartilhavam suas forças com aqueles que os serviam, uma relação de mutualismo perfeita.

    Eva olha para você, profundamente orgulhosa e esforçando-se para segurar o choro de felicidade. Ela começava a falar enquanto Rebeka encontrava a figura de Lorenz e arregalava os olhos, levando a mão livre a frente da boca que se abria em uma enorme surpresa.

    -Lorenz! Eu não... Uau! Fantástico!

    Dizia a Lasombra empolgada que prontamente fazia um sinal para Lorenz se aproximar. Luannah era obviamente a mais tranquila naquela situação, a experiência dela como neófita entre os cainitas locais era muito maior se comparada com suas proles. Ela apenas fazia uma reverência e já tomava um lugar para sentar-se. Lotte olhava o ambiente inteiro, até parar os olhos sobre a figura de Sebastian e comentar.

    -Eu me lembro de ti!

    O sacerdote dizia com calma:

    -A primeira face após o primeiro frenesi nunca é esquecida, minha jovem, ainda mais uma face tão exótica quanto a minha.

    Lotte sorria um pouco constrangida, cruzando os braços sem saber exatamente como proceder. Lorenz agora estava na frente de Rebeka e essa tocava o peito do seu filho.

    -Seu sonho então tornou-se realidade querido, estou muito feliz em saber que sua face será eterna entre nós. Seremos iguais a partir de agora, o quão empolgante isso não é?

    Lorenz demonstrava uma felicidade enorme e olhava brevemente nos seus olhos, quando o sonho dele era mencionado e posteriormente o seu filho dizia:

    -Um sonho que eu havia desistido de alcançar, mas que finalmente chegou. Obrigado pelas palavras Beka, sempre a considerei muito e espero ansiosamente pela nossa próxima curadoria!

    A Lasombra responde:

    -Será a melhor de todas! Faremos assim que for possível, aliás nada disso, faremos na próxima semana! Afinal você precisará aprender a se controlar, aposto que estás a se fascinar com qualquer coisinha!

    Lorenz ria baixo e concordava com a cabeça.

    -Ainda é um desafio apenas olhar nos olhos de minha Mãe sem sofrer com o fascínio, você tem razão Beka preciso de tempo sim...

    A loira do clã das marés demonstrava um sorriso leve nos lábios e olhava diretamente para você.

    -Estou tão feliz com isso tudo! Eu a reencontrei e você ainda me trás Lorenz como teu filho, obrigada!

    Enquanto essa interação ocorria, Sebastian se movimentava até a entrada da sala, fechando cuidadosamente a porta e tomando um pequeno tempo para si, ele estava a se concentrar e isso demonstrava que a benção dele não iria demorar.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 6/5/2017, 21:35

    A surpresa de Rebeka fez com que Pietra risse feliz, mas a postura firme da mesma lhe trazia Monçada a mente, um exemplo de liderança cuidadosamente seguido pela filha de netuno, uma liderança da qual Pietra nunca se esqueceria.

    “ Meus filhos, fico feliz que ambos sejam aceitos. Ninguém da Espada irá se opor a Lorenz, ele já provou por anos sua lealdade. Lotte irá conquistar seu renome sei bem disso. “

    Deixando que suas proles tomassem seu próprio tempo e agissem da maneira que achassem melhor, Pietra sorriu para Lorenz escutando-o com atenção.

    - Eu ofereci a ele o abraço antes do Festim, da primeira vez ele recusou, mas depois aceitou. A única condição era que Lorenz encontrasse alguém capaz de continuar com o exímio trabalho que ele prestava. Então ele me presenteou com Theresa, lhe sou grata por cuidar dela também Beka.

    Se aproximando de Lotte, a cainita a tomou pelo braço para voltar até onde estava Rebeka e Lorenz, beijando a face de sua filha com carinho Pietra sorria.

    - Não queria que minha rosa negra ficasse sozinha em meu jardim, mas tinha medo de não poder dar um cuidadoso para Lorenz. Friederich me preparou uma surpresa encantadoramente forte, e eu fico aliviada que meus filhos tiveram um abraço importante. Cada um à sua maneira é claro.

    Fazendo um sinal para que ambos prestassem a atenção em Sebastian, Pietra cuidadosamente se colocou ao lado de suas proles, fazendo um pequeno convite para que Luannah também o fizesse.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 6/5/2017, 22:08

    Luannah prontamente se levantava, com seu sorriso radiante a pequenina quase que corria para se alinhar ali ao lado das suas proles. Eva continuava a observar tudo com muito orgulho, quase transbordando esse sentimento para todos os lados!

    Sebastian iniciava uma caminhada para a direção dos seus filhos, no mesmo instante que a sua besta adentrava a sala de maneira empolgante, a mesma ia na direção de Sebastian e tentava o abraçar. Todavia, a expressão de Rebeka atraía mais a atenção da sua besta. Pois, inesperadamente, Rebeka conseguia vê-la!

    A Lasombra esfregava os olhos, olha na direção da sua besta e depois para você. Para então trocar um olhar direto com a sua face mais jovial e impulsiva, imediatamente as duas se abraçavam e a sua besta derrubava Beka no sofá. Por sorte, Sebastian começava a falar e isso atraía os olhos de todos ali, porque se não ocorresse isso, todos veriam a inexplicável reação de Beka que abraçava e apertava a sua besta, afinal, o caminho selvagem que guiava os instintos de Rebeka eram poderosos e aguçados, uma caçadora não teria dificuldades de ver a tua expressão instintiva.

    -Boa noite queridos. Lotte, Lorenz e Luannah. Eu atendo pelo nome de Sebastian, sou assim chamado por Sacerdote da Espada de Berlim. E séculos no futuro irão me questionar: Qual foi a sua mais memorável benção. E eu irei repetir com orgulho e certeza, a benção dada ao jardim de Pietra e Eva. Pois eu vi todo o processo que essas duas formidáveis cainitas passaram, as vi arar a terra, escolher as sementes, regar e zelar. E cá estão vocês três... Escutem-me com seus corações, pois eu os reconheço como irmãos e irmãs. Lembrem-se sempre que vocês são membros da Espada de Caim, somos iguais e nossos méritos nos torna especiais.

    Sebastian então parava exatamente na sua frente e fazia um sinal para Eva se aproximar, quando a sua musa parava ao seu lado, o sacerdote tocava com o indicador esquerdo a testa de Eva e com o indicador direito a sua testa. Fechando os olhos ele continuava falando.

    -Vocês duas irão prover e zelar por esse Jardim até que ele floresça e dê novos frutos, para que então cada uma dessa belas flores tenha seu próprio Jardim...

    Em seguida ele tocava no peito de cada uma de suas flores, com o indicador direito e o esquerdo ao mesmo tempo. Para finalmente finalizar o processo.

    -Rogo sobre vocês a minha benção, para que floresçam fortes e poderosas. São vocês as sementes de Pietra e Evangeline, nunca se esqueçam disso, honrem e mereçam a cada noite essa herança. Bem vindos queridos!

    Eva não se aguentava e chorava de felicidade. Lorenz não fazia nada diferente de sua mãe e também caia em um lindo choro alegre. Luannah ria baixinho extremamente lisonjeada. Já Lotte, endireitava a postura e fazia uma reverência longa para Sebastian, os olhos dela brilhavam como chamas poderosas e vivas, havia ali uma ambição capaz de mover montanhas. Ali você sentia que ela não seria grande, ela seria enorme dentro da Espada.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 6/5/2017, 22:39

    Parada ao lado de sua musa, Pietra assistiu sua besta entrar na sala, surpresa a cainita a viu correr direto para Rebeka e derruba-la no sofá, com esforço a italiana ignorou o riso que soltaria para se concentrar em Sebastian.

    A pequena e alegre Luannah tomava seu lugar ao lado de Lorenz e Lotte, seguindo cada passo e palavra dada por Sebastian, a cainita sorriu ao receber a benção do sacerdote, o sorriso apenas crescia conforme o polonês falava.

    Segurando com leveza no braço de Eva, Pietra sentiu as lagrimas ameaçarem sua face, com cuidado e um pouco de vontade a cainita as controlou quando a benção era dada aos seus filhos, o pequeno mas belo discurso de Sebastian orgulhava a cainita.

    “ Meus filhos estão prontos... Um dia eles serão fortes o suficiente para começarem seu jardim, então nós duas seremos avós orgulhosas.”

    Ao ver a força de Lotte a cianita sorriu com orgulho, sem se importar as lagrimas escorreram pela face da mesma do mesmo modo que faziam com Eva e Lorenz, andando até sua proles, Pietra beijou a testa de cada um dos três sorrindo com amor.

    - Agora sim, vocês três são filhos dessa Espada, ninguém pode se opor a isso.

    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 7/5/2017, 23:22

    O primeiro a receber o seu beijo foi Lorenz, aquele homem que representava para ti uma infinidade enorme de sentimentos, sempre ao seu lado em qualquer situação. Ele seria eterno agora junto de ti e essa emoção era única para vocês dois, seu filho tomava a delicada ação de com a mão esquerda tocar a sua face e segurar algumas das suas lágrimas com enorme carinho.

    A segunda a receber seu beijo foi Lotte, a sua rosa negra buscava os seus olhos e os olhava com intensidade. Dentro daqueles belos olhos escuros havia uma guerreira, não dessas que usam armaduras ou armas, mas sim as mais fortes das guerreiras, as que fazem o mundo girar. A força de Lotte era tão fascinante quanto a sinceridade do amor e admiração que essa sentia por ti.

    A terceira foi a radiante Luannah, ela sentia o beijo na testa e prontamente beijava os próprios dedos da mão direita e tocava os dedos na sua face, a pequenina era diferente dos outros, afinal ela não era diretamente sua prole, tão pouco era uma rosa. Mas nada o impediria de criar as raízes dela no teu jardim.

    Os três sorriam felizes e sem sequer perceberem, davam as mãos uns aos outros e juntos eles agradeciam a benção de Sebastian com uma reverência. Um a um, eles se curvavam para agradecer o Sacerdote que retribuía cada um com um sinal de concordância sutil. Enfim, Eva olhou para ti e beijou a sua face para finalmente caminhar até os três.

    -Nós teremos nossas diferenças queridos, minha personalidade não é fácil e minha trilha muito menos. Espero que vocês possam sempre me perdoar, pois meu amor por vocês é tão grande e sincero que me faltam palavras para...

    Lorenz interrompia a frase de Eva com um forte abraço na mesma.

    -Mamãe, tu é e sempre será a minha inspiração. Olhar para ti é nostálgico, saber que poderei olhá-la para sempre é fascinante!

    Eva abraçava Lorenz com força e enterrava a cabeça no ombro do mesmo, esforçando-se para não desabar mais uma vez em lágrimas. Assim suas outras flores circundavam Eva e a abraçavam com força.

    -Meu queridos filhos...obrigada... Bem vindos!

    Sebastian sorria de maneira larga e adorava profundamente aquela imagem, a sua besta interrompia a brincadeira com Beka para também ir até aquele adorável abraço e envolver-se no mesmo com empolgação. Era então a mão de Beka que segurava a sua, falando baixinho no seu ouvido, a Lasombra comentava:

    -Você merece todo esse amor Pietra, aliás, merece receber todo o amor desse mundo. Essa cena ficará para sempre em sua memória e na minha, seu jardim me orgulha e me ilumina. Fico a imaginar o quão forte é a luz dele na tua vida querida! Mas lembre-se, por favor, lembre-se que és a jardineira... E caso precise um dia, minhas mãos estão prontas para cuidar e proteger seu jardim.
    avatar
    Jess

    Mensagens : 1819
    Data de inscrição : 12/01/2016
    Idade : 25
    Localização : Neverwere

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Jess em 8/5/2017, 00:15

    Cada beijo dado em suas proles carregou um significado único e especial, o amor incondicional de Lorenz, a força irrefutável de Lotte e o carinho de Luannah, aqueles três beijos marcariam Pietra para a eternidade, já que agora havia três belas mudas plantadas em seu jardim.

    Enxugando as lagrimas com a manga da camisa Pietra sorriu ao ver Eva abraçada a Lorenz, o amor de sua rosa branca era gigantesco e sincero, um amor conquistado aos longos dos anos de convívio, a besta por sua vez perdia o interesse em Rebeka indo se juntar ao abraço entre mãe e filho.

    “ Uma nova fase da minha vida se inicia... Esses três são o marco dela, irei cuidar para que cada um possa crescer e florescer. “

    Sentindo o toque da mão de Rebeka, Pietra sorriu com as palavras de sua amiga, sem esconder a felicidade que sentia pela Lasombra se preocupar com seus filhos. Beijando a testa de Rebeka a cainita apertou a mão da mesma com carinho.

    - Obrigada Beka, mas não te esqueça. Quando precisares de descanso e um ombro amigo, meu jardim está aberto para você. E quando o momento chegar estará aberto para seus filhos e amados.

    Indo até Sebastian a cianita o abraçou com carinho para então sussurar ao sacerdote.

    - Eu fico feliz que tenha sido você a guiar Lotte depois do abraço. Essa é uma dadiva que eu nunca esquecerei mio amato.
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3193
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Danto em 8/5/2017, 16:27

    -Toda noite que escutar um uivo, saiba que estarás segura querida. Minha matilha está sempre disposta a lhe acolher, obrigada por voltar!

    Comentava de maneira breve a Rebeka, posteriormente você abraçava Sebastian e dizia aquelas palavras baixinho para o homem. Esse, pela primeira vez em muitos anos retribuía o seu abraço e sussurrava:

    -Essa benção será para sempre minha maior honra.

    O abraço entre a sua musa e o seu jardim finalmente chegava ao fim, Lorenz limpava as lágrimas da face de Eva com bastante carinho enquanto Luannah andava vagarosamente até o sofá sentando-se no mesmo e cruzando as pernas. Eva enfim se recuperava e dizia:

    -Bom, eu realmente adoraria passar a noite aqui. Mas tenho assuntos pendentes, aliás... Pietra me acompanha um pouquinho enquanto Sebastian e Rebeka olham nosso jardim?!

    A sua besta prontamente olhava para Eva, curiosa a mesma circundava a loira e apontava para o lado de fora, tentando obrigar você a ir ouvir o que a sua musa tinha a dizer.

    Conteúdo patrocinado

    Re: Ato X - Narrativa de Pietra: Sommernacht

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: 11/12/2017, 11:08