WoD by Night

Narrativa de Vampiro a Máscara: 20 anos


    Ato II - Narrativa de Isabelle: A Vontade e a Palavra

    Compartilhe
    avatar
    Danto
    Admin

    Mensagens : 3114
    Data de inscrição : 04/06/2012
    Idade : 26

    Re: Ato II - Narrativa de Isabelle: A Vontade e a Palavra

    Mensagem por Danto em 18/4/2016, 15:56

    -Os neófitos também foram afetados, mas nós só perdemos uma noite de sono.

    Responde Cassandra que claramente iria conduzir todo o diálogo, os outros dois jovens ficavam sentados e completamente silenciados, os dois claramente respeitavam muito a figura da garota que respondia as suas perguntas.

    -Não existem explicações a serem dadas, porque nenhuma explicação foi dada à nós. Eu mesma nunca sequer vi com meus próprio olhos a face de Belenus, o que me faz crer que ele foi morto provavelmente pelo próprio Príncipe Gustav antes da Segunda Guerra. Sinto muito, mas não faço a menor ideia de como isso aconteceu, apenas tenho suposições, nenhum antigo tem autorização para citar os acontecimentos sobre o nome de Belenus...

    Cassandra continuava a falar, mas seus ouvidos simplesmente optaram por ignorar completamente o restante das explicações dadas por Cassandra, primeiro, porque a jovem estava claramente dissimulando do começo ao fim daquela apresentação mas essencialmente, sua atenção se voltava para o lado externo da capela. Havia uma presença mágika poderosa na biblioteca, essa presença estava cuidadosamente estudando a entrada da capela.
    Rapidamente seus ouvidos são invadidos por uma mensagem que lhe congelou a espinha, estremeceu seus músculos e despertou os piores sentimentos de angústia que o seu corpo era capaz de interpretar e sentir.

    "Boa noite queria irmã, acabo de chegar em Berlim e veja só o que encontrei nessa lindíssima biblioteca...Você não estaria ai dentro, estaria?! Vamos, vamos, venha aqui fora para trocarmos alguns abraços e palavras de afeto. Ou preferes que eu entre?"

    A voz ecoava através de um ritual simples de apresentação, um costume medieval feito pelos anciões Tremeres nas entradas das capelas as quais eles não pertenciam. Mas a voz masculina era terrivelmente familiar, Edgard estava do lado de fora da Capela.

    [Off: Ultima ação para o final do ato]
    avatar
    Stian Jogador

    Mensagens : 175
    Data de inscrição : 23/11/2015
    Idade : 26
    Localização : Esteio...tchê!

    Re: Ato II - Narrativa de Isabelle: A Vontade e a Palavra

    Mensagem por Stian Jogador em 18/4/2016, 16:53

    "Que neófita mais intrometida...estou falando com os outros dois...o que me parece que temem a ela, com aquela aura de agora a pouco...não é de se duvidar de que ela coagiu os dois...ou os três compartilham alguma necessidade ou segredo...Nem a própria Viena sabe sobre Belenus e aqui nesta Capela é proibido falar sobre o mesmo, incrível como a Linhagem de Burnier não tem efeito por aqui...minhas pesquisas e investigações levarão mais tempo do que pens....mas o que?"

    Isabelle ignorava as palavras inúteis de Cassandra, na verdade aquela neófita já estava lhe tirando a paciência, queria ter sido recepcionada por alguem mais velho e com intenções melhores do que aquela aura negra em forma de cainita recém-abraçada.

    A mensagem adentrou sua mente e cavou fundo até retirar a imagem da face de Edgard dos cantos mais obscuros de seus medos mais agressivos, o traidor da família Loriet, aquele que destruiria seu Senhor em beneficio próprio e teria conseguido se uma de suas visões não tivessem lhe alertado. Seus instintos insistiam em algo errado naquele local, Berlim realmente seria um pesadelo como Stepanova e seu mentor haviam lhe avisado.

    Ela ergueu a mão estendida e fez um sinal para Cassandra, como se dissesse para a mesma parar de falar, caminhou a passos lentos até a entrada daquele salão onde estavam deixando os três neófitos para trás. Parou a poucos passos da grande porta, lembrou-se que aquele ritual antigo não obrigava ninguem a responder, no entando a Tremere sentiu-se impelida a demonstrar sua raiva pela presença do irmão de sangue:

    - Boa noite Edgard, muitos séculos se passaram sem que visse suas sombras. Porém, apenas o sangue dos Tremere pode adentrar a Capela de Berlim. E o seu não passa de uma sujeira no nome dos Loriet, seu sangue bastardo e rejeitado por nosso Senhor jamais lhe permitirá a entrada aqui. Guarde seus abraços para quando estiver preso em uma estaca no sol ou queimado em uma fogueira como deveria ter sido quando Francesco lhe aprisionou séculos atrás. Mas, me intriga o fato de possuir a localização da Capela e também de minha localização. Isto cria ideologias conspiradoras, e sabe de antemão, que conspirações são o meu ponto forte.

    Seus lábios tremiam levemente quando Isabelle proferiu as palavras em direção a porta do grande salão. Aquela resposta havia sido dada dentro do próprio ritual de Edgard, ele com certeza possuia maiores capacidades arcanas do que ela, tendo em vista que era mais velho por cerca de dois séculos de Isabelle e Maurice.

    - Maestro, temos instrusos tentando adentrar a Capela.


    A frase terminou com a anciã fitando novamente Cassandra, desta vez a distância, ela tinha certeza de que com todos os anciões dormindo, ela havia informado a Edgard de sua chegada e também da localização da Capela.

      Data/hora atual: 23/11/2017, 01:39